Atualizações de agosto, 2010 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • rafael86 23:58 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags:   

    Um Pouco de Bagualismo 

    Certas cidades não conseguem se livrar da reputação injusta que, por alguma razão, possuem. Algumas das pessoas mais sensíveis e menos grossas que eu conheço vem de Bagé, assim como algumas das menos afetadas são de Pelotas. Mas não adianta. Estas histórias do psicanalista de Bagé são provavelmente apócrifas (como diria o próprio analista de Bagé, história apócrifa é mentira bem educada) mas, pensando bem, ele não poderia vir de outro lugar.

    Pues, diz que o divã no consultório do analista de Bagé é forrado com um pelego. Ele recebe os pacientes de bombacha e pé no chão.

    — Buenas. Vá entrando e se abanque, índio velho.

    — O senhor quer que eu deite logo no divã?

    — Bom, se o amigo quiser dançar uma marca, antes, esteja a gosto. Mas eu prefiro ver o vivente estendido e charlando que nem china da fronteira, pra não perder tempo nem dinheiro.

    — Certo, certo. Eu…

    — Aceita um mate?

    — Um quê? Ah, não. Obrigado.

    — Pos desembucha.

    — Antes, eu queria saber. O senhor é freudiano?

    — Sou e sustento. Mais ortodoxo que reclame de xarope.

    — Certo. Bem. Acho que o meu problema é com a minha mãe

    — Outro.

    — Outro?

    — Complexo de Édipo. Dá mais que pereba em moleque.

    — E o senhor acha…

    — Eu acho uma pôca vergonha.

    — Mas…

    — Vai te metê na zona e deixa a velha em paz, tchê!

    ~//~

    Contam que outra vez um casal pediu para consultar, juntos, o analista de Bagé. Ele, a princípio, não achou muito ortodoxo.

    — Quem gosta de aglomeramento é mosca em bicheira… Mas acabou concordando.

    — Se abanquem, se abanquem no más. Mas que parelha buenacha, tchê! . Qual é o causo?

    — Bem — disse o home — é que nós tivemos um desentendimento…

    — Mas tu também é um bagual. Tu não sabe que em mulher e cavalo novo não se mete a espora?

    — Eu não meti a espora. Não é, meu bem?

    — Não fala comigo!

    — Mas essa aí tá mais nervosa que gato em dia de faxina.

    — Ela tem um problema de carência afetiva…

    — Eu não sou de muita frescura. Lá de onde eu venho, carência afetiva é falta de homem.

    — Nós estamos justamente atravessando uma crise de relacionamento porque ela tem procurado experiências extraconjugais e…

    — Epa. Opa. Quer dizer que a negra velha é que nem luva de maquinista? Tão folgada que qualquer um bota a mão?

    — Nós somos pessoas modernas. Ela está tentando encontrar o verdadeiro eu, entende?

    — Ela tá procurando o verdadeiro tu nos outros?

    — O verdadeiro eu, não. O verdadeiro eu dela.

    — Mas isto tá ficando mais enrolado que lingüiça de venda. Te deita no pelego.

    — Eu?

    — Ela. Tu espera na salinha.

    Texto extraído do livro “O gigolô das palavras”, L&PM Editores – Porto Alegre, 1982, pág. 78.

     
  • rafael86 23:51 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta  

    Se fosse no meu tempo… 

     
  • paulocarames 19:19 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: Antrax, , , Editora ARX, , heavy metal a história completa, , , , ,   

    Livro – Heavy Metal A História Completa 

    Escrito por Ian Christe, com prefácio de Andreas Kisser do Sepultura, Heavy Metal (Arx, Saraiva, 2010) conta a história do mais duradouro, barulhento e perseguido sub-gênero do rock n’ roll. Já se passaram 40 anos desde os primeiros acordes sombrios do clássico e homônimo disco do Black Sabbath. A partir de então vários gigantes surgiram fazendo fãs baterem cabeça mundo afora. E eles também estão no livro: Judas Priest, Motorhead, Metallica, Antrax, Slayer, Korn, Burzum e por aí vai.
    Cobrindo desde o Heavy Metal Clássico, passando pelo NWOBHM, Power, Death and Nu Metal. Enfim, bastante abrangente, há muito merecido por fãs deste gênero que é tão rico em histórias peculiares e discos multi-platinados. O livro conta ainda com inúmeras listas com os mais variados temas ajudando o leitor, iniciado ou não no mundo headbanger, a conhecer bandas que fizeram deste, um divisor de águas na história da música mundial.
    A parte gráfica poderia ter sido melhor explorada, a começar pela capa, que com tantas referências visuais fornecidas por discos, logos e o próprio visual das bandas, poderia ter uma aparência mais heavy metal. O livro, rico em fotos, embora fugindo das clichês encontradas em todo lugar que se fala no assunto, acabou deixando de lado tantas outras que representam melhor o tema.
    Mas nada que comprometa o resultado final deste registro importantíssimo. Para ler no volume máximo. Editora ARX, 480 páginas.

     
    • Mateus 13:12 em 23/08/2010 Link Permanente | Resposta

      Com certeza é um baita registro, sem deixar a desejar no conteúdo e sem apelação. Retrata bem a realidade e compõe com mais detalhes todas as histórias que se ouve por aí sobre a trajetória de bandas influentes² e de como era a dedicação oitentista à cultura do metal, cruzando fitas cassete pelo Atlântico e descobrindo coisas novas. Não terminei a leitura ainda, mas até agora esse livro me deixa com o sentimento de que nasci na época errada e que a maioria das novidades dos dias atuais jamais terão força de influenciar as próximas gerações.
      Parabéns pelo blog, muito massa a atitude.
      Bang your f****** heads! \,,/

  • rafael86 19:19 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , ,   

    Mas e o Grêmio? 

    Está difícil ver o Grêmio jogar, ontem contra o Ceará o time levou um gol aos 40 segundos de jogo e ainda por cima contra – mais isso é do futebol – logo após tentou esboçar uma reação, que resultou em bolas alçadas para área sem muito objetivo. Acabou achando um gol, o Ceará devolveu o presente do inicio do jogo, fazendo contra. Mas pior que o resultado do jogo que acabou ficando 2X1 para o Ceará, que marcou aos 42 do segundo tempo, é ver a atitude do Grêmio, Douglas e Souza não marcam, deixando os volantes adversários livres, ai complica e acaba estourando na zaga que também anda com sérias dificuldades. Não sei se essa idéia de marcação é uma cultura aqui do sul, mas o mínimo que se espera quando um jogador de ataque perde a bola, que pelo menos cerque o adversário não precisa dar carrinho nem dividir bola com cara, mas mostrar atitude vontade, o que vimos em campo ontem foi uma atitude displicente principalmente do Douglas, que ao ser substituído saiu de campo caminhando. As vezes penso que seria bom ter no Grêmio mais jogadores Gaúchos, talvez estes teriam a consciência que para nós futebol é coisa séria e que falta de vontade, displicência e corpo mole lá pras bandas do Alegrete é no mínimo punível com “degolamento” na praça.

     
    • carames 19:12 em 28/08/2010 Link Permanente | Resposta

      pois é, em Alegrete tem o famoso Flamenguinho. e pode ter certeza que zaga como essa por aquelas bandas não se cria.

  • rafael86 17:40 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , ,   

    Biografia de Dave Mustaine entre best sellers do New York Times 

    “Mustaine: A Heavy Metal Memoir”, a autobiografia do líder do Megadeth  Dave Mustaine (primeiramente chamada de “Hello Me… Meet The Real Me”), alcançou a 15° posição na lista de mais vendidos do New York Times. O Livro foi lançado nos Estado Unidos no dia 3 de agosto pela HarperCollin’s.

     
  • paulocarames 15:31 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , live at dynamo, , , , , ,   

    CD/DVD – Nailbomb: Live at Dynamo 2005 

    Lançados com uma diferença de 10 anos (Proud to commit commercial suicide – 1995; Live at Dynamo – 2005) são, respectivamente, os registros em áudio e vídeo da passagem da banda pelo Dynamo Open Air Festival. Nos distantes anos 1990, Nailbomb foi um projeto paralelo dos irmãos Cavalera e que gerou outro disco além do já citado acima – Point Blank, álbum de estúdio de 1994.
    Além de músicas do cd de estúdio, executadas com extrema competência, destaque para Police Truck dos Dead Kennedys, mais uma homenagem dos Cavalera à banda de Jello Biafra, que já havia sido homenageada com a cover de Drug Me nos EPs Slave New World e Refuse/Resist, ambos do Sepultura, ainda no tempo do disco de vinil. Ótimo material para fãs de Sepultura, Soulfly ou Cavalera Conspiracy. O cd ainda conta com duas faixas extras que não estão no dvd. Orgulhoso de cometer suicídio comercial.

    01.”Wasting Away” – 3:56
    02.”Guerillas” – 3:27
    03.”Cockroaches” – 4:07
    04.”Vai Toma No Cú” – 4:10
    05.”Sum of Your Achievements” – 2:52
    06.”Religious Cancer” – 4:34
    07.”Police Truck” (East Bay Ray, Jello Biafra) – 3:11
    08.”Exploitation” (Dickens, Nash, Pickering, Talbot) – 2:09
    09.”World of Shit” – 3:26
    10.”Blind and Lost” – 2:09
    11.”Sick Life” – 6:53
    12.”While You Sleep, I Destroy Your World” – 5:09
    13.”Zero Tolerance” – 6:32

     
    • Rafael 6:27 em 29/08/2010 Link Permanente | Resposta

      Gostei do seu Blog, qnd tiver um tempo visite o meu tb. Abs!

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: