O valor da segunda chance: O Lutador / Coração Louco


Lado A – O Lutador (The Wrestler) 2008
Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, O Lutador conta a história de Randy “The Ram” Robinson (Mickey Rourke, indicado ao oscar de melhor ator), um lutador que após ter tido sucesso nos anos 1980 vive fazendo pequenos serviços e lutando em centros comunitários na esperança de um último combate contra seu grande adversário dos tempos de glória.
Um ataque cardíaco o impossibilita de voltar aos ringues o fazendo trabalhar em um restaurante onde conhece a stripper Cassidy (Marisa Tomei, indicada ao oscar de melhor atriz coadjuvante) com quem tenta manter um relacionamento. Ao mesmo tempo, tenta se reconciliar com sua filha, a qual abandonou enquanto ela era criança. O desejo de voltar aos ringues continua presente e ele terá que fazer uma escolha entre realizar seu sonho ou manter sua saúde.
O filme marcou a volta por cima de Rourke (aniversariante de hoje) após um período de atuações irregulares e uma tentativa frustrada de tornar-se boxeador.

Lado B – Coração Louco (Crazy Heart) 2009
Jeff Bridges é o cara, não só pelo seu papel em O Grande Lebowski, onde seu personagem repetidamente se auto-intitulava como O CARA. Ele ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de melhor ator por sua interpretação como Bad Blake, um cantor country em decadência e com dificuldades para vencer o alcoolismo.
Blake ganha a vida apresentando-se em boliches e pequenos clubes freqüentados por antigos fãs enquanto seu pupilo torna-se um astro deixando-o como mero coadjuvante. A jornalista Jean Kraddock aparece em sua vida como um último sopro de esperança para sair do fundo do poço.
Inicialmente Bridges havia recusado o convite quando soube que não havia música no roteiro, desta forma, condicionou sua atuação à entrega da trilha sonora nas mãos do amigo T-Bone Burnett (especialista em música popular norte-americana, do blues rural ao country roots).
O resultado é que a trilha sonora de Burnett é tão boa quanto seu sucesso anterior em E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? (filme de 2000 dos irmãos Coen) e a performance de Bridges é magistral. Ou como definiu o diretor Scott Cooper, “uma mistura de Kris Kristofferson, Waylon Jennings e Johnny Cash”. De quebra o filme ainda conta com Robert Duvall, Colin Farell e Maggie Gyllenhaal.
Alguma dúvida se vale a pena assistir?