Um dia da caça, outro do caçador: Avatar / O Exterminador do Futuro


Lado A – Avatar (Avatar) 2009
Enterrem meu coração na Curva do Rio (2007) conta a história de tribos nativas norte-americanas que após a conquista do oeste pelos brancos, passam a ser massacradas e vêem suas terras serem usurpadas para satisfazer o interesse dos invasores em extrair as riquezas lá disponíveis. Os indígenas passam então a lutar contra a perda de suas terras, sua cultura e dos locais sagrados de seu povo.
Bom, esta sinopse é sobre Avatar, reverenciado filme de James Cameron. Mas poderia ser Enterrem meu coração, Pocahontas ou qualquer outro faroeste narrando o extermínio dos índios para satisfazer a ganância do povo branco. Troquem o velho oeste por Pandora, os cavalos selvagens por dragões voadores, os nativos pelos Na’avi e os invasores… bem os invasores continuam os mesmos apenas o nome do general não é Custer.
Mas deve haver uma razão para tanto alvoroço em torno deste filme. Ora, tecnologia 3D, óbvio. Ou não é tão óbvio assim? Na década de 1970 vários filmes (normalmente a parte 3 de uma trilogia – vejam só que coisa) já era feita em 3D, coisa que Cameron alardeou como o grande projeto que levara anos a concluir em virtude de aguardar que existisse tecnologia capaz de realizar seu intento.
Sam Worthington é um soldado que tem seu avatar enviado pelo exército conquistador para Pandora e que acaba simpatizando com a causa local e passa a combater o avanço humano. O elenco ainda conta com Sigourney Weaver, Michelle Rodriguez, Zoe Saldana e Giovanni Ribisi.
James Cameron merece todo respeito como cineasta singular que é e pelo conjunto de sua obra (Exterminador do Futuro 2, Alien e Titanic por exemplo) mas ainda não consegui me recuperar da sensação de que desta vez comprei gato por lebre.

Lado B – O Exterminador do Futuro: A Salvação (Terminator Salvation) 2009
Depois do lamentável Exterminador do Futuro 3 (2003) estrelado por Arnold Schwarzenegger, em 2008 a série Terminator – The Sarah Connor Chronicles acompanhou o dia-a-dia de Sarah e seu filho. A sinopse do seriado fica para outro post, este filme começa onde termina a série que teve duas temporadas.
Marcus (Sam Worthington) acorda em 2018 sem saber o que aconteceu desde que foi parar no corredor da morte em 2003. O desafio de John Connor (Christian Bale), líder da resistência humana, será decidir se pode ou não confiar em Marcus para combater a Skynet e tentar evitar a aniquilação humana num futuro dominado pelas máquinas.