O Medo em sua essência: Masters of Horror / Fear Itself


Lado A – Masters of Horror (2005-2006)
Tudo começou com o documentário Boogeymen II: Masters of Horror em que Bruce Campbell apresentava uma série de entrevistas com Dario Argento, George Romero, John Carpenter e Wes Craven falando sobre suas produções mais clássicas e aterrorizantes. Algum tempo depois 13 diretores foram convidados para dirigir, cada um deles, um episódio desta nova série nomeada em homenagem ao documentário de 2002.
Cada diretor teve direito a um orçamento de 1 milhão e meio de dólares para realizar o seu episódio com total liberdade criativa com a condição de não utlizar artistas renomados, filmar tudo em no máximo dez dias e realizar as filmagens em Vancouver, no Canadá.
Já na primeira temporada, Dario Argento (Prelúdio para Matar), o pai dos zumbis George Romero (A Noite dos Mortos Vivos, Despertar dos Mortos e Madrugada dos Mortos), John Carpenter (Halloween, O Enigma de Outro Mundo), Tobe Hooper (O Massacre da Serra Elétrica) assumem a batuta. Além deles, outros nomes, como Eli Roth (O Albergue 1 e 2), David Cronemberg (A Mosca) e Rob Zombie (Rejeitados pelo diabo e A Casa dos mil corpos) foram cogitados, mas por estarem envolvidos em outros projetos não puderam participar. A série teve duas temporadas e os roteiros ficaram a cargo dos próprios diretores e em alguns casos foram inspirados na obra de autores consagrados como HP Lovecraft e Stephen King.

Lado B – Fear Itself (2008)
Criado por Mick Garris (de Masters of Horror e Ghosts – famoso curta de terror estrelado por Michael Jackson) Fear itself é uma série de terror que segue o estilo de Masters of Horror. A série tem 13 episódios, cada um realizado de maneira independente do outro e tem produtores e diretores que participaram de outras obras memoráveis do terror como Chuck – O Brinquedo Assassino, Jogos Mortais, Freddy x Jason, A Mosca 2 e A Maldição de Quicksilver.
Zumbis, vampiros, serial killers, canibais e fantasmas assombram cada um dos treze episódios que tem também suspense e, óbvio, muito sangue. A trilha de abertura fica por conta de Serj Tankian do System of a Down e o título é derivado de uma frase de Franklin Roosevolt: “a única coisa que devemos temer é o próprio medo” em tradução literal.

Anúncios