Ratos de Porão consolidando o mito


Já era sábado, por volta de 1:30, quando João Gordo (vocal), Jão (guitarra), Boka (bateria) e Juninho (baixo) subiram no palco do Studio Rock Bar em Canoas. A proposta era tocar a íntegra do disco Anarkophobia que completa 20 anos de seu lançamento e de quebra, outras músicas, tantas quantas fosse possível lembrar apesar da falta de ensaios da banda. Em cerca de uma hora de show deu tempo de apresentar, além das músicas do álbum, hits como Beber até Morrer e Crocodila.
Quem esteve lá e também já teve oportunidade de assistir ao documentário Guidable, voltou pra casa com a sensação de consolidação do mito Ratos de Porão que completa 30 anos de atividades no ano que vem. O que se vê no documentário é o retrato daquilo que a banda é no palco e também no backstage, exemplo da entrevista de Gordo e Jão e da receptividade de cada membro da banda, fosse para posar para fotos ao lado dos muitos fãs ou para autografar seus discos. No palco, o principal nome do hardcore nacional fez um show memorável que justifica este posto. Ficar das 4 às 8 da manhã na rodoviária esperando o ônibus de volta pra casa não desfizeram a impressão de que acabara de ver o melhor show da minha vida.

Entrevista exclusiva a Homero Pivotto: