Ainda, o Natal: Feliz Natal


Lado A – Feliz Natal (Joyeux Noël) 2005
Esta história real aconteceu no natal de 1914 em plena primeira guerra mundial. De um lado do campo de batalha abrigam-se escoceses e franceses e do lado oposto, alemães. Numa incrível demonstração de confiança na noite de natal os soldados deixam de lado suas diferenças e confraternizam com direito a compartilharem música, cerimônia religiosa, comida e bebida. Contrariando a vontade do alto comando de ambos os lados, que esperavam que houvesse confronto e consequentemente avanço de cada tropa, a trégua reina ao menos nesta data importante para todos.
Um padre anglicano, um tenente francês, um grande tenor alemão e sua companheira, uma soprano terão sua vida modificada para sempre após este episódio. Destaque para cena em que, avisados do bombardeio ao campo inimigo, os adversários buscam abrigo na mesma trincheira garantindo a sobrevivência de todas as tropas. Representou a França concorrendo ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Lado B – Feliz Natal 2008
Feliz Natal marca a estréia de Selton Mello na direção de um longa-metragem. Aqui ele retrata de maneira impressionante as relações familiares, em especial a família de Caio que aos 40 anos é dono de um ferro-velho no interior. Em meio às odiadas e ao mesmo tempo necessárias festas de natal e de final de ano ele se depara com a realidade de sua família onde sua mãe é uma viciada, o irmão enfrenta uma crise no casamento e seu pai não o aceita. Ele parte em direção a capital onde reencontra dois amigos decadentes que passam o tempo em noitadas de excessos enquanto ele busca se reencontrar.