Atualizações de janeiro, 2011 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 1:33 em 12/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , augusto licks, , , , , , , , revolta dos dândis, ,   

    LP/CD – Engenheiros do Hawaii: A Revolta dos Dândis 1987 

    Em 11 de janeiro de 1985 os Engenheiros do Hawaii faziam seu primeiro show, começando sua trajetória de sucesso. Segundo disco da carreira dos Eng Haw, A Revolta dos Dândis foi lançado em 1987 e registra a banda em um momento de mudança: a sonoridade passa a lembrar menos o SKA do que seu antecessor (Longe Demais das Capitais de 1986); Augusto Licks substituia Marcelo Pitz enquanto Humberto Gessinger dedicava-se ao baixo; Foi o marco inicial da trilogia ‘Cores da bandeira do Rio Grande’ e também da identificação com as engrenagens, marca registrada da banda a partir de então.
    A abertura do disco ficou por conta de A Revolta dos Dândis I que era seguida por Terra de Gigantes cujo clipe ficou bastante conhecido. Ela inicialmente não tinha bateria (fato que preocupava a gravadora pois fatalmente não tocaria nas rádios apesar de seu potencial para fazer sucesso) recebeu uma curtíssima virada de bateria – provavelmente a mais breve na história da música e teve sua letra retirada do encarte do disco em uma espécie de “autosabotagem” do grupo.
    Confirmando a excentricidade que marcaria o álbum, Infinita Highway com seis minutos, apesar de extensa para os padrões radiofônicos, tinha alguns trechos que haviam sido escritos ainda na adolescência de Gessinger e tornou-se definitivamente o hino da banda.
    Refrão de Bolero é uma balada frequente ainda hoje nos sets acústicos da banda e faz com que os músicos sejam frequentemente questionados a respeito de “Quem é Ana?”. O lado A do LP encerrava com a interessante Filmes de Guerra, Canções de amor que sobreviveu ao tempo e batizou o álbum desplugado de 1993.
    O lado B reservava uma sonoridade mais sombria, começando com A revolta dos Dândis II, passando para Além dos Outdoors. Na sequência a arrastada e excelente Vozes contrastava com a veloz Quem tem pressa não se interessa, uma referência ao livro O Ser e O Nada de Jean-Paul Sartre. Por fim a balada rock, Desde Aquele Dia e Guardas da Fronteira (com participação de Julio Reny) encerram o álbum.
    Na reunião de apresentação do disco a impressão dos executivos foi “Esse disco é um Boeing com tanque cheio. Poder ir longe… Se não explodir na decolagem”. Bom, o que explodiu foi a carreira da banda – e no bom sentido.

    Logo abaixo você confere o clipe da já citada Terra de Gigantes e um vídeo via Twitcam feito por Humberto Gessinger poucas horas atrás celebrando o distante 11/01/1985.

    Tracklist da versão CD:
    01.”A Revolta Dos Dândis I” – 4:10
    02.”Terra De Gigantes” – 3:59
    03.”Infinita Highway” – 6:11
    04.”Refrão De Bolero” – 4:34
    05.”Filmes De Guerra, Canções De Amor” – 4:02
    06.”A Revolta Dos Dândis II” – 3:13
    07.”Além Dos Outdoors” – 3:33
    08.”Vozes” – 3:35
    09.”Quem Tem Pressa Não Se Interessa” – 2:27
    10.”Desde Aquele Dia” – 3:30
    11.”Guardas Da Fronteira” – 4:31

    Humberto via Twitcam

     
  • Leandro Araujo 0:06 em 12/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: devildriver   

    Devildriver 

    Bom, como não me dou muito bem com as palavras, vou direto ao assunto (ou quase direto). Escuto a um tempo essa banda e acho que vale a pena compartilhar. A banda é de uma nova geração do metal,  e na real o que achei interessante no som dos caras, foi a mistura que eles fazem que fica explícito suas influências de death, trash e black metal, (sem entrar no mérito dos rótulos) o que vale mesmo foi essa mescla (ou crossover) de influências que gero um som bem bacana. E para completar o post com uma informação mais útil, e não encher linguiça com meus devaneios (hehe),  a banda foi criada por Dez Fafara, ex-vocalista da banda CoalChamber, que confesso que conheço poucas músicas, mas era uma banda de nu metal da época do KORN, GODSMACK, LIMPBIZKIT entre outras. Bom chega de frescura, escutem os sons abaixo e notarão algo bastante insano e contundente :D, abraço e até o próximo post.

     
    • carames 0:35 em 12/01/2011 Link Permanente | Resposta

      que estupi10. já valia a pena só pela referência do Coal Chamber, mas é tão bom quanto. baita post!!!

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: