Filme – Deixa Ela Entrar (Let the Right One In) 2008/2010 

Infelizmente não sou o dono da razão. Gostaria de ser (é verdade) e se fosse, uma das coisas que gostaria de ter razão é: “remake serve para levar a mesma mensagem para um público novo. Ou seja, resgate um filme antigo com atores que já morreram, grave com recursos do momento com atores da moda e ponto. Não mexa na trama, afinal, se ela fosse ruim qual o sentido de filmá-la outra vez? Um bom exemplo disto é Deixe Ela Entrar (original) ou Deixe-me Entrar (remake americano) em que a trama foi respeitada – condição do diretor Matt Reeves para capitanear esta empreitada.

Trama:
Em um local afastado e sombrio um garoto sofre apanhando dos valentões da escola que insistem em perturbá-lo. Ele ensaia um revide apenas em frente ao espelho, mas isto tende a mudar com a chegada de uma nova vizinha, uma menina misteriosa que acaba de mudar para o apartamento ao lado e que passa a lhe dar conselhos para enfrentar seus problemas. Paralelo a isto, mortes estranhas começam a acontecer na vizinhança e conforme o tempo passa ele percebe que tem algo errado com sua nova amiga.

Principais Diferenças:
2008 – Uma das novas pérolas do cinema sueco, o filme foi tão bem recebido que rapidamente ganhou refilmagem americana. Mais sombrio e ausente de efeitos especiais do que sua nova versão.
2010 – Um remake como eles devem ser, praticamente uma transposição do original sueco para uma leitura ‘mais americana’ atualizando o ambiente da gélida Suécia para o Novo México. Embora pudessem ter sido dispensados, os efeitos (ausentes no original) não chegam a comprometer, tampouco a estética menos sombria. É um bom filme, seria ótimo se não estivesse à sombra do excelente original. Com Chloe Moretz de Kick-Ass e Kodi Smit-McPhee de A Estrada, dirigido por Matt Reeves de Cloverfield.

Qual assistir:
O ambiente sombrio, a palidez da protagonista, a ausência de efeitos especiais fazem da versão original um filme incomparável. Neste filme onde a palavra Vampiro só é ouvida uma única vez e eles não brilham ao sol, algumas das lendas mais clássicas também estão presentes como ‘vampiros precisam de permissão antes de entrar na casa de alguém’. O diretor Tomas Alfredson criou um verdadeiro conto de vampiros que se destaca mais pela dramaticidade do que pelo terror, sem no entanto deixá-lo de lado. IMPERDÍVEL!!!