Atualizações de novembro, 2011 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 0:43 em 30/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Marido Carinhoso   

    Marido Carinhoso 

    Uma noite, depois de quase 30 anos de casados, o casal está na cama quando a mulher sente que seu marido começa a acariciá-la como não fazia há muito tempo.
    Ele começa no pescoço, desce pelo dorso até as nádegas; volta ao pescoço, ombros, seios e para na barriga; coloca a mão na parte interna do braço esquerdo, passa no seio, nas nádegas. Vai da perna esquerda até o pé, sobe pela parte interna da coxa e para bem em cima da perna. Faz a mesma coisa na perna direita e, de repente, vira as costas e não fala uma palavra.

    A esposa, já “acesa”, lhe diz carinhosamente:

    • Querido, estava maravilhoso, porque parou?

    E ele, resmungando:

    • JÁ ENCONTREI O CONTROLE REMOTO…
    Anúncios
     
  • carames 0:32 em 29/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , alex gansa, , , , damian lewis, guerra ao terror, , , morena baccarin, , ,   

    Série – Homeland (2011-) 

    Homeland conta a história do soldado Scott Brody, interpretado por Damian Lewis (de Band of Brothers). Dado como desaparecido no Iraque ele reaparece após nove anos quando um grupo de elite americano invade uma base inimiga e o descobre prisioneiro.

    Levado de volta aos Estados Unidos ele reencontra seus filhos e sua esposa Jessica (a brasileira Morena Baccarin). Além das lembranças de torturas recebidas enquanto estava no cativeiro ele terá que lidar com a adaptação em um lar que esteve ausente por quase uma década e se deparar com segredos que não serão fáceis de digerir.

    Outro problema será Carrie Anderson (Claire Danes), uma agente da CIA em seu encalço que desconfia que Brody é na verdade um soldado convertido em terrorista da Al-Qaeda e que sua volta à América seja um plano de ataque inimigo.

    Tão logo ele desembarca em sua terra natal é convenientemente apresentado como herói e, símbolo da persistência americana, serve como garoto propaganda de uma guerra já sem prestígio e sem apoio de boa parte da população.

    Brody não permite ao telespectador decifrar a verdade por trás de seu personagem ambíguo. Espionagem e suspense ditam o ritmo da trama que nos conduz habilmente em meio às desconfianças de Carrie e o circunstancialismo de suas suspeitas.

    Ele precisa mentir sobre as reais circunstâncias da morte de seu colega de farda, Tom Walker (detalhe: no filme Fuga de Colditz de 2005, Damian Lewis interpreta um soldado durante a segunda guerra que escapa de um campo de concentração e ao regressar pra casa mente sobre a morte de um colega para ficar com sua noiva).

    Baseada na série israelense Hatufim, a série é mais uma atração da emissora Showtime, canal pago responsável por outros destaques como Californication, Dexter e Fear itself e antes mesmo do final da primeira temporada, já foi renovada para o segundo ano.

     
  • carames 0:05 em 28/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: aftosa, , charge   

    Os deputados e a febre aftosa 

     
  • carames 0:19 em 27/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: automóveis antigos, , chrysler,   

    Museu Walter P. Chrysler 

    Pra quem curte carros, e pra quem não curte, também.










     
  • carames 15:15 em 26/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , 31 de maio de 1990, All the Stuff (and more) volume one, , , , , , , , , , , , , , , ,   

    LP/CD – Ramones: All the Stuff (and more) volume one 1990 


    All the Stuff (and more) volume one foi lançado em 31 de maio de 1990 e ao contrário de Ramones Mania que reunia músicas dos álbuns lançados até então, era uma espécie de 2 em 1 reunindo Ramones de 1976 e Leave Home de 1977.

    As únicas exceções foram as demos das faixas I Can’t Be e I Don’t Wanna Be Learned / I Don’t Wanna Be Tamed incluídas ao final do álbum Ramones e California Sun e I Don’t Wanna Walk Around With You, ambas ao vivo, incluídas ao final das faixas de Leave Home.

    Embora os créditos apontem erradamente para o bootleg Live at the Roxy, as duas faixas foram na verdade extraídas do disco It’s Alive, gravado em 1977 e lançado em 1979. O show de 12 de agosto de 1977 no The Roxy seria incluído na íntegra como bônus no relançamento de Leave Home em 2001.

    A coletânea em vídeo Lifestyles of the Ramones foi lançada quase que ao mesmo tempo que All the Stuff que, somada a Ramones Mania era a segunda coletânea da banda em um espaço de dois anos. Tudo reflexo de uma série de mudanças que a banda enfrentava. Marky havia voltado à banda e CJ, substituído Dee Dee, principal letrista do grupo.

    Ficha Técnica:
    Sire Records – produzido por Howie Klein, Tony Bongiovi, Tommy Ramone, Craig Leon e Ramones

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone – bateria

    Partituras

    Edição Original (Sire Records)
    Lado A:
    01 Blitzkrieg Bop (Tommy Ramone / Dee Dee Ramone) – 2:12
    02 Beat on the Brat (Joey Ramone) – 2:31
    03 Judy Is a Punk (Joey Ramone) – 1:30
    04 I Wanna Be Your Boyfriend (Tommy Ramone) – 2:15
    05 Chain Saw (Joey Ramone) – 1:55
    06 Now I Wanna Sniff Some Glue (Dee Dee Ramone) – 1:35
    07 I Don’t Wanna Go Down to the Basement (Dee Dee Ramone / Johnny Ramone) – 2:37
    08 Loudmouth (Dee Dee Ramone / Johnny Ramone) – 2:14
    Lado B:
    09 Havana Affair (Dee Dee Ramone / Johnny Ramone) – 1:56
    10 Listen to My Heart – 1:57
    11 53rd & 3rd (Dee Dee Ramone) – 2:21
    12 Let’s Dance (Jimmy Lee) – 1:52
    13 I Don’t Wanna Walk Around With You (Dee Dee Ramone) – 1:43
    14 Today Your Love, Tomorrow the World (Dee Dee Ramone) – 2:10
    15 I Don’t Wanna Be Learned / I Don’t Wanna Be Tamed (Joey Ramone) – 1:03
    16 I Can’t Be (Joey Ramone) – 1:51
    Lado C:
    17 Glad to See You Go (Lyrics: Dee Dee Ramone / Music: Joey Ramone) – 2:10
    18 Gimme Gimme Shock Treatment – 1:40
    19 I Remember You (Joey Ramone) – 2:18
    20 Oh Oh I Love Her So (Joey Ramone) – 2:03
    21 Sheena Is a Punk Rocker (Joey Ramone) – 2:44
    22 Suzy Is a Headbanger – 2:10
    23 Pinhead – 2:43
    24 Now I Wanna Be a Good Boy (Dee Dee Ramone) – 2:12
    25 Swallow My Pride (Joey Ramone) – 2:05
    Lado D:
    26 What’s Your Game – 2:34
    27 California Sun (Henry Glover / Morris Levy) – 2:03
    28 Commando (Dee Dee Ramone) – 1:51
    29 You’re Gonna Kill That Girl – 2:38
    30 You Should Never Have Opened That Door – 1:55
    31 Babysitter – 2:45
    32 California Sun (Henry Glover / Morris Levy) – 1:45
    33 I Don’t Wanna Walk Around With You (Dee Dee Ramone) – 1:35



    Versã em K7
    ramones-allthestuffandmorevolonek7a
    ramones-allthestuffandmorevolonek7b
    ramones-allthestuffandmorevolonek7c
    ramones-allthestuffandmorevolonek7d

    Versão em CD
    ramones-allthestuffandmorevolonecd1
    ramones-allthestuffandmorevolonecd2
    ramones-allthestuffandmorevolonecd3
    ramones-allthestuffandmorevolonecd4
    ramones-allthestuffandmorevolonecd5
    ramones-allthestuffandmorevolonecd6
    ramones-allthestuffandmorevolonecd8ramones-allthestuffandmorevolonecd7
    ramones-allthestuffandmoreonelongbox

    Mais sobre o disco*:

    • artigos publicados na revista Metal Head Especial nº 11 e General Especial.


     
  • carames 1:34 em 25/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ,   

    Max Cavalera deve lançar autobiografia em breve 


    Previsto para 2012 o lançamento da autobiografia de Max Cavalera. A empreitada está sendo tocada pelo escritor britânico Joel McIver, responsável por obras sobre Metallica, Motorhead e Slayer. A introdução deve ficar a cargo do atarefado Dave Grohl (eles tocaram juntos no projeto Probot) e entre os entrevistados estão Ozzy Osbourne e Chino Moreno (Deftones).

    Em 1999 uma biografia escrita por André Barcinski e Silvio Gomes retratava as origens da banda que revelou Max para o mundo. Ao lado de seu irmão e do baixista Paulo Jr e do guitarrista Andreas Kisser, eles mudaram a cara do trash metal mundial com o Sepultura.

    Após lançar o aclamado Roots em 1996, Max deixou a banda e criou o Soulfly (banda que lidera até hoje) e o projeto Cavalera Conspiracy (ao lado de seu irmão Igor Cavalera) além do Nailbomb (projeto com o qual lançou dois discos).

    Max falou ao programa The Bone’s a respeito de sua autobiografia e também da morte de seu enteado Dana Wells, assassinado em 1996.






     
  • carames 18:21 em 24/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 24 de novembro de 1954, , , , , joan jett, , oyster bay, providence rhode island, , , , , wanda jackson   

    Elvis Ramone (24 de novembro de 1954) 


    Nascido em 24 de novembro de 1954, Clem Burke além de baterista do Blondie já tocou com Wanda Jackson, Bob Dylan, Iggy Pop, Joan Jett e (por dois shows) com os Ramones.

    Com a saída repentina de Richie cinco shows chegaram a ser cancelados até que Burke assumiu as baquetas nos dias 28 (Providence, Rhode Island) e 29 (Trenton, New Jersey) de agosto de 1987. No entanto, sua performance recebeu reservas principalmente por parte de Johnny Ramone e ele foi dispensado.

    O posto acabaria efetivamente preenchido por Marky Ramone, que já no dia 4 de setembro (Oyster Bay, Nova Iorque) voltava a rotina de shows com o grupo após sua saída na fase de divulgação de Subterranean Jungle de 1983.


     
  • carames 0:02 em 24/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 311, , Burning London The Clash Tribute, , ice cube, , moby, no doubt, , , , silverchair, , the mighty mighty bosstones,   

    CD – VA: Burning London The Clash Tribute 1999 


    Este é, certamente, o melhor disco tributo que já ouvi. Não o melhor tributo ao The Clash, me refiro ao melhor tributo já feito. É verdade que com as músicas do Clash fica difícil fazer versões ruins, mas temos exemplos de sobra de tentativas frustradas ao longo do tempo que transformaram homenagens em afrontas.

    Não é o caso de Burning London The Clash Tribute lançado em 1999 e que reúne 15 hits dos britânicos como Should I Stay or Should I Go (rap na voz de Ice Cube), White Riot (folk classudo do Cracker) e a anárquica versão do Rancid para Cheat.

    Mas nada se compara ao contraste entre o petardo London’s Burning (ainda mais pesada na interpretação do Silverchair) e a melancólica leitura de Moby para Straight to Hell. De quebra, Guns of Brixton, Rock the Casbah e Tommy Gun (não creditadas no cd) completam a patada.

    Melhor, só Joe Strummer e cia.

    Tracklist:
    01 Hateful – No Doubt
    02 This Is Radio Clash – The Urge
    03 Should I Stay or Should I Go – Ice Cube/Mack 10
    04 Cheat – Rancid
    05 Train in Vain – Third Eye Blind
    06 Clampdown – Indigo Girls
    07 Rudie Can’t Fail – The Mighty Mighty Bosstones
    08 (White Man) In Hammersmith Palais – 311
    09 Lost in the Supermarket – The Afghan Whigs
    10 White Riot – Cracker
    11 London’s Burning – Silverchair
    12 Straight to Hell – Moby/Heather Nova
    13 The Guns of Brixton – Unwritten Law
    14 Rock the Casbah – Ranking Roger & Pato Banton
    15 Tommy Gun – Face to Face


     
  • carames 0:41 em 23/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,   

    VHS/DVD – Ramones: Lifestyles of The Ramones 1990 

    Coletânea de videoclipes dos Ramones lançados no período de 10 anos. Começando com End of the Century de 1980 e indo até Brain Drain de 1989 o registro lançado inicialmente em VHS é, junto com o álbum Ramones Mania, um bom apanhado da carreira da banda que àquela altura já era veterana.

    Entre os vídeos o diretor George Seminara incluiu depoimentos dos integrantes da banda e de amigos próximos como os produtores Ed Stasium e Daniel Rey além de fãs ilustres como Living Colour, Talking Heads, Debbie Harry e Anthrax.

    Ficha Técnica:
    Atlantic Records/Sire Records – produzido por George Seminara

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria
    Richie Ramone – bateria

    Lista dos vídeos:
    01 Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio? – End of the Century
    02 Rock ‘n’ Roll High School – End of the Century
    03 We Want the Airwaves – Pleasant Dreams
    04 Psycho Therapy – Subterranean Jungle
    05 Time Has Come Today – Subterranean Jungle
    06 Howling at the Moon (Sha-La-La) – Animal Boy
    07 Something to Believe In – Animal Boy
    08 I Wanna Live – Halfway to Sanity
    09 I Wanna Be Sedated – Ramones Mania
    10 Pet Sematary – Brain Drain
    11 Merry Christmas (I Don’t Want to Fight Tonight) – Brain Drain
    12 I Believe in Miracles – Brain Drain

    Edição original em VHS:

    Reedição em LD:
    Ramones - Lifestyles of the Ramones (8)Ramones - Lifestyles of the Ramones (9)
    Ramones - Lifestyles of the Ramones (10)Ramones - Lifestyles of the Ramones (11)

    Reedição em DVD:
    Ramones - Lifestyles of the Ramones












     
  • carames 0:21 em 22/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: back to the future, , , de volta para o futuro, johnny b goode, Marty McFly 26 anos depois, michael j fox   

    Marty McFly 26 anos depois 


     
  • carames 0:32 em 21/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , homens x mulheres   

    Uma raça unida chamada homem 

    Ao Caro Dr. Antônio Rodrigues
    Psicólogo e Psicoterapeuta

    Espero que possa me ajudar.
    Peguei meu carro e saí pra trabalhar, deixando meu marido em casa vendo televisão, como sempre. Rodei pouco mais de 1 km quando o motor morreu e o carro parou. Voltei pra casa, para pedir ajuda ao meu marido. Quando cheguei, nem pude acreditar, ele estava no quarto, com a filha da vizinha!
    Eu tenho 32 anos, meu marido 34, e a garota 22. Estamos casados há 10 anos, ele confessou que estavam tendo um caso há 6 meses. Eu o amo muito e estou desesperada. Você pode me ajudar?

    Antecipadamente grata.
    Patrícia

    Resposta
    Cara Patrícia,

    Quando um carro pára depois de haver percorrido uma pequena distância, isso pode ocorrer devido a uma série de fatores. Comece por verificar se tem gasolina no tanque. Depois veja se o filtro de gasolina não está entupido.
    Verifique também se tem algum problema com a injeção eletrônica. Se nada disso resolver o problema, pode ser que a própria bomba de gasolina esteja com defeito, não proporcionando quantidade ou pressão suficiente nos injetores. A pessoa ideal para ajuda-lá seria um mecânico.
    Você jamais deveria voltar em casa para chamar seu marido. Ele não é mecânico. Assuma seu erro! Não repita mais isso!!!

    Espero ter ajudado.

    Dr. Antônio Rodrigues

     
  • carames 0:55 em 20/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , peter gabriel, roger moreira, swu,   

    Ultrage à Rigor: Roger fala sobre a briga com Peter Gabriel no SWU 


     
  • carames 15:57 em 19/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 23 de Maio de 1989, , , , , , , , , , , , , , New York’s Quad Recordings, , , , , , , , Sorcerer Sound Studios,   

    LP/CD – Ramones: Brain Drain 1989 


    Brain Drain é de longe o melhor disco dos Ramones nos anos 1980. Com a produção de Daniel Rey (Halfway to Sanity) e Jean Beauvoir (Animal Boy) a banda criou um álbum com participação massiva de Joey e Dee Dee nas composições (como há muito não acontecia) e com o suporte do próprio produtor Daniel Rey e de músicos do calibre de Andy Shernoff (ex-Dictators) principalmente substituindo Dee Dee no baixo.

    Este disco, gravado no Sorcerer Sound Studios e lançado em 23 de Maio de 1989, marca também a volta de Marky ao estúdio. Ele havia ficado fora da banda desde o lançamento de Subterranean Jungle em 1983 e agora estava excursionando com a banda desde a saída de Richie.

    O destaque, óbvio, é Pet Sematary (feita por Dee Dee sob encomenda para a trilha sonora do filme homônimo de Stephen King) embora não seja o único ponto alto. Gravada no New York’s Quad Recordings ela foi produzida pela dupla Rey/Beauvoir e lançada com o lado B Merry Christmas (I Don’t Wanna Fight Tonight).

    Durante a produção, já é sabido, Joey e Johnny não se falavam. Daniel Rey levava as demos para casa para Joey aprendê-las e durante o dia o resto da banda fazia as gravações enquanto o vocalista registrava sua parte separadamente à noite.

    As covers, deixadas de lado nos últimos álbuns, são aqui representadas por Palisades Park, versão para música de Freddy Cannon.

    Can’t Get You Outta My Mind é sobra das gravações do álbum Pleasant Dreams e casou perfeitamente com o espírito de Brain Drain que tem ainda a satírica Merry Christmas e All Screwed Up, feita a oito mãos – mistura pop de Joey e a pegada hardcore de Johnny com letras inclusive de Marky.

    Sem falar que Zero Zero UFO, Don’t Bust My Chops, Learn to Listen e Ignorance Is Bliss jogam o ouvinte mais desavisado a quilômetros de distância dos falantes. Em 2004 um relançamento no Reino Unido ganhou como bônus a música Pet Sematary editada por Bill Laswell (que trabalhou com Mick Jagger, PiL e Motörhead). Em 1989 a música chegou a ganhar videoclipe em duas versões: uma com cenas da banda em preto-e-branco perambulando em um cemitério e outra com cenas do filme de Stephen King em lugar destas).

    A baixa é que em plena divulgação do disco, Dee Dee decidiu deixar a banda para seguir carreira como rapper. Após testar diversos baixistas, Christopher Joseph Ward (logo batizado CJ Ramone) é contratado e segue em turnê com o grupo além de participar dos clipes de Merry Christmas e I Believe in Miracles – onde lê-se, entre o nome de várias bandas, ‘DEE DEE OUT CJ IN’ deixando claro para os descontentes que a mudança não teria volta.

    A capa de Pleasant Dreams (1981) emprestara inspiração do filme Museu de Cera (1953) e Too Tough To Die (1984) apoiou-se em uma cena de Laranja Mecânica (1971). Assim como o título de It’s Alive (1979) veio do filme de mesmo nome lançado em 1974. No caso de Brain Drain, a foto do encarte foi tirada de outro filme, O Homem com Dois Cérebros (1983) – Steve Martin interpreta um neurocirurgião que conversa por telepatia com o cérebro da amada.

    the-man-with-two-brains-original-2

    Ficha Técnica:
    Sire Records/Chrysalis – produzido por Jean Beauvoir, Bill Laswell e Daniel Rey

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria

    Letra das músicas
    Partituras

    Edição Original (Chrysalis Records)
    Lado A:
    01. “I Believe in Miracles” (Dee Dee Ramone, Daniel Rey) 3:19
    02. “Zero Zero UFO” (Dee Dee Ramone, Daniel Rey) 2:25
    03. “Don’t Bust My Chops” (Dee Dee Ramone, Joey Ramone, Daniel Rey) 2:28
    04. “Punishment Fits the Crime” (Dee Dee Ramone, Richie Stotts) 3:05
    05. “All Screwed Up” (Joey Ramone, Andy Shernoff, Marky Ramone, Daniel Rey) 3:59
    06. “Palisades Park” (Charles Barris) 2:22
    Lado B:
    07. “Pet Sematary” (Dee Dee Ramone, Daniel Rey) 3:30
    08. “Learn to Listen” (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone, Marky Ramone, Daniel Rey) 1:50
    09. “Can’t Get You Outta My Mind” (Joey Ramone) 3:21
    10. “Ignorance Is Bliss” (Joey Ramone, Andy Shernoff) 2:38
    11. “Come Back, Baby” (Joey Ramone) 4:01
    12. “Merry Christmas (I Don’t Want to Fight Tonight)” (Joey Ramone) 2:04


    Prensagem Venezuelana

    Prensagem da Sire

    Versão em K7
    ramones-braindrain k7aramones-braindrain k7b
    ramones-braindraink7a
    ramones-braindraink7b

    Versão em CD
    ramones-braindraincdramones-braindraincd (1)
    ramones - braindraincd (2)ramones - braindraincd (1)
    ramones-braindraincd (2)ramones-braindraincd (3)
    ramones-braindrainrussia (2)ramones-braindrainrussia (3)
    ramones-braindrainuk (2)ramones-braindrainuk (1)
    ramones-braindraincd (2)ramones-braindrainuk (2)
    ramones - braindraincd (4)ramones - braindraincd (5)
    ramones-braindrainlongbox1ramones-braindrainlongbox2

    O disco foi lançado na Inglaterra em edição especial com as 12 músicas da edição original + Bônus:
    13 Pet Sematary (Bill Laswell Version) 3:35
    ramones - braindrain 1ramones - braindrain 2
    ramones - braindrain 3
    ramones - braindrain 4
    ramones - braindrain 5
    ramones - braindrain 6
    ramones - braindrain 7
    ramones - braindrain 8
    ramones - braindrain 9
    ramones - braindrain 10
    ramones - braindrain 11ramones - braindrain 12
    ramones - braindrain 13

    Box contendo os quatro últimos discos de estúdio da banda (Brain Drain; Mondo Bizarro; Acid Eaters e ¡Adios Amigos!:
    R-3491330-1332510757R-3491330-1332514014
    R-3491330-1332514025R-3491330-1332514031
    R-3491330-1332514035

    O disco fez parte ainda de uma compilação dupla que incluía as 12 músicas da versão original, a íntegra de Mondo Bizarro e She’s a Sensation e It’s Not My Place (Pleasant Dreams):
    Brain Drain - Mondo Bizarro 1
    Brain Drain - Mondo Bizarro 2
    Brain Drain - Mondo Bizarro 3
    Brain Drain - Mondo Bizarro 4Brain Drain - Mondo Bizarro 5
    Brain Drain - Mondo Bizarro 6

    Box Three Classic Albums contendo este disco, o álbum Ramones e a coletânea Greatest Hits:
    three classic albums

    Relançamento split com ¡Adios Amigos! :
    braindrain-adiosamigosbraindrain-adiosamigos (1)

    Singles:
    ramones-pet12ramones-pet12 (1)
    ramones-pet12 (2)ramones-pet12 (3)





    ramones-Pet Sematary-Sheena is a Punk Rocker label Aramones-Pet Sematary-Sheena is a Punk Rocker label B
    ramones-Pet Sematary-Sheena is a Punk Rocker-Life Goes On 1ramones-Pet Sematary-Sheena is a Punk Rocker-Life Goes On 2
    ger7009ger7010
    R-1485591-1223231860R-1485591-1223231869

    usa7045usa7046

    Mais sobre o disco*:

    *artigos publicados na revista Metal Head Especial nº 11 e General Especial.

    promopostcard
    promo 2postcard 3
    bizz055-fev1990-2




     
  • carames 0:28 em 18/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Afinal, , homem atacado por macacos, qual deles é o primata??   

    Afinal, qual deles é o primata?? 

     
  • carames 0:05 em 17/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: As regras do Black Metal, ,   

    As regras do Black Metal 

    Publicado originalmente no Whiplash.net.

    Traduzido e adaptado a partir de um texto em inglês que circula em várias versões na internet. A versão original aparentemente foi escrita por Harry and Steve of Kail e disponibilizada no site http://www.metalstorm.ee. Esta versão em português foi produzida pela equipe do site http://www.whiplash.net (o mais completo site de rock e metal em português). Por favor mantenha esta explicação introdutória ao copiar o texto para outros sites ou ao enviar por email.
    Correções, sugestões e acréscimos a este texto são bem vindas através da nossa página de contatos (o link está no menu na barra superior do site).

    O texto aqui apresentado é apenas humorístico e não deve ser levado a sério. Abra uma excessão caso você seja um true black metaller. True black metallers levam a sério a sua opção de vida e não aceitam brincadeiras.

    Como ser true black metal?

    Seja “true”.

    Não seja “gay”.

    Quem não é “true” é “gay”.

    Seja satânico.

    Seja pagão.

    Seja satânico e pagão ao mesmo tempo, embora isso não faça sentido.

    Quebre coisas enquanto for satânico e pagão.

    Faça tudo o que foi citado até aqui e ao mesmo tempo denuncie todas as formas organizadas de religião.

    Não se divirta nos shows. Apenas fique lá de braços cruzados e fazendo cara de mau. Nos intervalos fique andando de um lado para outro sozinho.

    Nada de bater palmas para as bandas nos shows. Em sinal de apoio apenas erga o braço e urre algo incompreensível fazendo cara de mau. Ninguém vai perceber que você não conhece a banda, nem as músicas e nem muito menos sabe as letras.

    Não toque air guitar.

    Nos shows, quando o vocalista grunhir o nome de uma música de forma incompreensível, faça de conta que entendeu o que ele falou e que conhece a música.

    Não ria deste texto. Rir é uma atitude incompatível com um fã de true black metal. Lembre-se que você está triste. Maldito amador.

    Quando as pessoas perguntarem se você gosta de Mayhen, informe que você gosta apenas do Mayhem “de verdade”. O novo Mayhen é totalmente mainstream.

    Não brinque com animaizinhos. A não ser que “brincar” signifique “queimar”.

    Não seja igual a Dani Filth.

    Não seja igual a Dani Filth.

    Não seja igual a Dani Filth.

    Sodomize uma virgem.

    Sodomize qualquer coisa que não seja do sexo masculino (cuidado, animaizinhos!).

    Use o verbo “sodomizar” sempre que possível no seu dia a dia. Sodomizar é um verbo true. Outros exemplos de verbos true: “vociferar”, “queimar”, “blasfemar”.

    Vire todas as cruzes que encontrar de cabeça para baixo.

    Desenhe ou monte cruzes invertidas sempre que possível.

    Nunca, jamais, seja uma pessoa de mente aberta.

    Se vestindo e agindo igual a todos os outros milhares de true black metal maniacs, você expressa a sua individualidade, o fato de não se adaptar a qualquer tipo de moda e de não querer ser igual a ninguém.

    Pare de rir deste texto, maldito bastardo. Fãs de black metal de verdade não riem, eu já disse! Infelizmente malditos amadores como você infestam a cena.

    Nunca faça brincadeiras.

    Ande com os olhos virados.

    Não seja igual a Mortiis (nem Dani Filth).

    Bandas como Kreator e Slayer são gays mainstream que fazem música pop. Bandas true não saem em revistas, apenas em zines urderground sem policromia na capa.

    Vista-se sempre de preto. Use calça preta, coturnos pretos e camisa de manga longa preta, mesmo que esteja muito quente, mesmo que more no sertão do Ceará, e mesmo que você tenha de esperar um ônibus debaixo do sol quente ao meio dia.

    Na sua camisa preta deve constar o logotipo ininteligível de uma banda de black metal norueguesa de que ninguém ouviu falar e de quem você ouviu apenas uma demo mal gravada. Lembre-se: quanto mais ininteligível o logotipo e quanto mais desconhecida a banda, mais true.

    Jamais use bermuda.

    Jamais use bonés, muito menos bonés com a aba virada para trás.

    No pescoço use uma corrente com uma cruz de cabeça pra baixo ou um pentagrama invertido.

    Use braceletes com spikes e cintos de balas.

    Use arame farpado sempre que possível.

    Pinte o rosto com “corpse paint”.

    Estando completamente vestido como um true black metaller conforme explicado acima, pegue um machado, vá para a floresta e aja como um troll.

    Quando perguntado por uma pessoa que não é true o que é black metal, diga algo como “Black Metal é a mais pura essência da negra maldade humana.” Tenha certeza de que, ao fim da conversa, a pessoa não faça a mínima idéia do que é black metal.

    Compre facas, espadas, lanças e machados. Como poderá ser preso se sair com estas armas na rua, guarde-as no seu quarto. Caso sua mãe não permita, esconda as mesmas embaixo da cama.

    Pare de rir, seu amador. Faça cara de mau. Fãs de black metal não sorriem nunca. Muito menos ao ler textos engraçadinhos na internet.

    Na verdade fãs de black metal não usam internet. Espero que você esteja lendo este texto em algum zine underground.

    Ao saudar um outro true, a única saudação permitida é “Hail!”.

    Ao saudar alguém especialmente true, use “Infernal hails!”.

    Compre centenas de álbuns, demos e bootlegs de black metal. Não ouça mais do que uma dúzia deles regularmente.

    Se um álbum é raro, deve ser bom. Compre ou encomende imediatamente mesmo que seja um lançamento caríssimo feito a partir de uma fita demo mal gravada que você vai ouvir apenas uma vez.

    Você precisa possuir todos os álbuns, demos e bootlegs do Darkthrone, mesmo que não ouça nenhum deles.

    Não use “smiles” bonitinhos quando se comunicar pela internet. O único smile aceitável é -(.

    Não importa de onde você seja. Faça de conta que você é da Noruega e, portanto, true.

    Não seja igual a Dani Filth. Espero que isso esteja claro.

    Coloque o nome de “Crucifier” no seu animal de estimação, mesmo que ele seja um peixe. Todos os seus animais de estimação no futuro devem ter o mesmo nome.

    Torne público que você é um satanista e que está em contato com o passado pagão da antiga Noruega. Ignore o fato de isso não fazer nenhum sentido.

    Reclame da falta de divulgação das bandas underground que fazem o verdadeiro true norwegian black metal.

    Reclame das bandas que têm boa divulgação e perdem a sua dignidade se vendendo ao mainstream.

    Tire fotos suas em ambientes com neve tão fria quanto o seu coração e árvores tão mortas quanto a sua alma.

    Escreva um zine underground. Publique entrevistas e reviews de bandas de que ninguém ouviu falar. Sem cores. O zine deve ser produzido com cópias tipo xerox. Quanto menor a tiragem, mais true.

    Ao invés de perder tempo lendo este texto na frente de um computador, você poderia estar vagando por uma floresta. Envergonhe-se. A quanto tempo você não age como um troll? Ponha sua maquiagem, pegue um machado e lute, soldado!

    Como montar uma banda de true black metal?

    Antes de mais nada, não monte uma banda. Monte uma “horda”.

    Quando perguntado qual o estilo de sua banda responda “True Norwegian Black Metal!” mesmo que todos os componentes sejam de Minas Gerais.

    Nunca escreva músicas com menos de 15 minutos de duração.

    Lembre-se… se não machuca os ouvidos, uma música não é true.

    Nunca escreva músicas sem adjetivos no título.

    Certifique-se de que pelo menos metade dos músicos no seu álbum sejam “músicos convidados”.

    Seja “músico convidado” nos álbuns de outras bandas.

    Tenha projetos paralelos à sua banda. Certifique-se de que todos os outros membros também tenham projetos paralelos e participe você também de todos eles.

    Grave todos os seus projetos no mesmo estúdio, com a mesma equipe e mesmos equipamentos que sua banda principal.

    Conduza um membro de sua banda ao suicídio. Depois diga em entrevistas que ele se matou por não concordar com a cena ser infestada pelo mainstream.

    Junte-se a antigos membros da banda e lance um álbum. Quando ele não fizer sucesso diga que isso ocorreu porque é um álbum true de uma banda que ainda não foi corrompida pelo mainstream.

    O título de seu álbum deve ser composto de três palavras de difícil relação uma com a outra. Dimmu Borgir são os mestres nisso. Por exemplo: “Enthrone Darkness Triumphant”, “Spiritual Black Dimensions”, “Puritanical Euphoric Misanthropia”, “Godless Savage Garden”.

    Se possível, o título de seu álbum deve conter a palavra “Northern”.

    Certifique-se de que a capa do álbum consista em gravuras de no máximo três cores. As cores permitidas são preto, branco e cinza.

    Nos créditos do álbum indique os membros de sua horda por pseudônimos. Nada de nomes reais. Pseudônimos são true. Além do mais a não publicação dos nomes de verdade faz supor que oos membros de sua banda sejam fugitivos da justiça por queimarem igrejas e sacrificarem seres humanos.

    Nos créditos do álbum indique a função de cada músico com termos como “vociferations” e “infernal blasts” ao invés de “vocalista” e “baterista” e assim por diante.

    Cantar em português não é true. Cantar em inglês arcaico é o mínimo aceitável. O ideal é cantar em alemão, em norueguês ou no dialeto dos orcs.

    Der zutreffende ZUTREFFENDE SCHWARZE NORWEGER METALLER weiß, um Deutsch innen zu lesen. Como assim? Você não sabe ler textos em Alemão? Maldito amador!

    Nas suas letras denuncie todas as formas organizadas de religião. Em cada uma delas cite Satanás pelo menos cinco vezes.

    Mulheres não têm lugar no mundo homoerótico do black metal. Se sua namorada insiste em participar do álbum, escreva para ela um trecho falado de conteúdo imbecil.

    Certifique-se de que o seu álbum saia de catálogo três anos após ter sido produzido. Isso o tornará mais desconhecido e, portanto, mais true.

    Nos shows, grunha os nomes das músicas de forma incompreensível.

    Em entrevistas deixe claro que sua banda é contra qualquer forma organizada de religião. Na mesma entrevista use a palavra Satanás pelo menos 30 vezes.

    O logotipo de sua banda deve ser ilegível e deve conter pelo menos uma cruz de cabeça para baixo ou um pentagrama. Este logotipo deve ser desenvolvido desenhando em seu caderno durante as aulas de matemática.

    Diga que não gosta de ser entrevistado, mas aceite todas as entrevistas que lhe sejam oferecidas, principalmente para fanzines de que ninguém ouviu falar e que são, portanto, os mais true.

     
  • carames 0:11 em 16/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,   

    Documentário – Pearl Jam: Twenty 2011 

    Com entrevistas de Kurt Cobain, Neil Young, Chris Cornell, e do próprio diretor Matt Cameron, Twenty conta os 20 anos de carreira de uma das mais respeitadas bandas do rock mundial.

    Formada a partir do fim de outra banda, Mother Love bone, o Pearl Jam após 6 dias de ensaios já fazia seu primeiro show. A banda foi revelada na mesma safra que Soundgarden, Alice in Chains e Nirvana – e seu primeiro disco Ten, foi lançado em 1991 ao mesmo tempo que Nevermind do Nirvana.

    Mas, ao contrário das suas contemporâneas que ou acabaram ou então enfrentaram dissoluções e retornos nos últimos anos, o Pearl Jam sobreviveu ao desafio do tempo e permanece em plena atividade com turnês, discos e agora, um documentário.

    Apesar da banda evitar lançar videoclipes ou dar entrevistas sua popularidade é invejável. Uma das marcas registradas da banda que continua levando milhares de fãs fiéis aos seus shows é o lançamento de bootlegs de seus shows que cobrem praticamente toda história da banda ao vivo.

    Cameron Crowe foi preciso e cobriu os principais acontecimentos que fizeram estes 20 anos de carreira. Do projeto tributo, Temple of the Dog, ao Acústico MTV, a turnê com Neil Young e a briga com a Ticketmaster.

    As performances ao vivo incluídas no vídeo dão idéia do impacto que tem uma apresentação da banda que recentemente passou pelo país com sua Twenty Tour.


     
  • carames 13:03 em 15/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , edu guedes, hoje em dia, , vamos comer todo mundo   

    Vamos comer todo mundo 

     
  • carames 2:22 em 14/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Big Mama Thornton, , , Hound Dog   

    Vídeo – Big Mama Thornton: Hound Dog 

     
  • carames 2:10 em 14/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , remedy, southern rock, the black crowes   

    Vídeo – The Black Crowes: Remedy 

     
  • carames 0:04 em 13/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , zequinha   

    Pearl Jam faz show apoteótico em Porto Alegre 

    Paguei, na noite de ontem uma dívida de 6 anos que tinha comigo mesmo e com o bom senso. Em novembro de 2005 o Pearl Jam tocou no estado e simplesmente não fui ao show. Um erro consciente mas que não poderia ser cometido duas vezes.

    Minha escolha àquela altura foi lógica. Simples assim. Apesar das dezenas de shows que vi da banda em DVD e uma quantia ainda mais numerosa dos tão famosos bootlegs do grupo que ouvi (e que só atenuam a minha culpa) é lógico pensar que pagar um valor por um produto ou serviço é uma decisão que não se toma sem levar em consideração outros aspectos.

    Ingressos caros, horas de viagem, outras tantas de espera em filas mal organizadas sob sol forte ou mal tempo. Estrutura do evento carente de conforto para o público, preços abusivos de bebida e comida e para completar atrasos absurdos e um show burocrático por parte de uma banda cansada da rotina de repetir o repertório uma cidade após a outra. Esta é a prática que se aplica a festivais e grandes eventos no país e é o motivo lógico que sempre me fez evitá-los.

    Bem, continuo pensando desta maneira embora há seis anos tenha percebido que Pearl Jam é uma das únicas três bandas que seriam capazes de me fazer dar razão ao emocional, ignorando os fatores já enumerados e compensariam tamanho esforço. Sendo assim, comprei o ingresso e fui preparado para o pior.


    O resultado? Não poderia ter sido melhor. Fiquei em uma das filas protegido do sol forte sob uma sombra providencial e adentrei ao estádio do São José (o famoso Zequinha) tão logo os portões abriram e de acordo com o que havia sido prometido pela organização. Já na entrada uma boa surpresa para quem gosta de voltar pra casa com algo mais do que fotos, vídeos ou histórias para contar. Camisetas, bonés, cartazes e outros itens oficiais da banda estavam disponíveis para venda.

    O fato de toda arquibancada ser coberta, as apresentações quase pontuais e os shows que vieram a seguir não me deixam outra alternativa além de elogiar a organização do evento e concluir que valeu cada centavo. A banda Wannabe Jalva subiu ao palco às 18:45 para um set rápido enquanto o lugar ainda enchia de fãs e o sol desaparecia no horizonte.

    Praticamente uma hora mais tarde foi a vez dos veteranos do X, banda formada ainda nos anos 1970 e que, liderada pelo vocalista John Doe, levantou o público com todos os hits que os fãs da banda poderiam esperar. Johny Hit and Run Paulene passando por Nausea, Los Angeles e sua versão de Soul Kitchen dos The Doors, finalizando com Devil Dog e Eddie Vedder nos vocais.

    Com quinze minutos de atraso Eddie Vedder (vocal e guitarra), Mike McCready (guitarra), Stone Gossard (Guitarra), Jeff Ament (baixo) e Matt Cameron (bateria) subiram ao palco já com a casa cheia e fizeram vibrar cada um dos vinte mil presentes. A sequência inicial com Why Go e Do the Evolution davam mostra do que estaria por vir. Falando com frequência entre as músicas (a maioria das vezes em português) Vedder avisou que este era o último show da turnê no Brasil e assumiu seu apreço pelo público brasileiro.

    A platéia correspondeu cantando parabéns a você para esposa do vocalista. Black, Jeremy, Daughter, Even Flow e uma versão arrepiante de Crazy Mary estiveram entre as 32 músicas que o público entoou como hino.

    As homenagens continuaram com Light Years emendada em I Believe in Miracles dos Ramones, tributo ao falecido guitarrista Johnny Ramone, velho amigo de Vedder.

    Foram quase 3 horas em que o Pearl Jam apresentou um set bastante vigoroso e com set diferente dos demais shows da turnê com direito ao vocalista passeando em meio a galera e ainda convidando três adolescentes para subirem ao palco e assistirem ao show com maior conforto.


    Ainda teve Alive e Rockin in the Free World com o estádio em êxtase, incluindo Eddie Vedder que também não continha a euforia. O show terminou quando já passava da meia noite. Vedder e cia seguiram viagem com sua tour mundial que estão fazendo celebrando os 20 anos de banda e que inclui Argentina, Chile, Peru, Costa Rica e México.

    Eu, voltei pra casa, cansado mas satisfeito. Convencido que um grande show pode ser bem organizado, pontual e cuidar bem do seu público. Com uma dívida quitada e com a promessa da banda de um retorno em breve. Bem, estarei lá também.

    Main Set: Why Go, Do the Evolution, Severed Hand, Corduroy, Got Some, Low Light, Given To Fly, Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town, Evenflow, Unthought Known, Present Tense, Daughter/Crowd Improv/Blitzkrieg Bop/It’s Ok, 1/2 Full, Wishlist, Rats, State of Love and Trust, Black

    Encore 1: Just Breathe (Crowd sang Happy Birthday to Jill prior to song), Oceans, Comatose, Light Years (Dedicated to Johnny Ramone), I Believe in Miracles, The Fixer, Rearviewmirror

    Encore 2: Last Kiss, Betterman, Crazy Mary, Jeremy, Alive, Rockin’ in the Free World, Indifference, Yellow Ledbetter




     
    • Vitor 18:36 em 13/11/2011 Link Permanente | Resposta

      Cara, eu também deixei de ir no show de 2005, e na mesma situação de arrpendimento, não poderia ter deixado de ir neste. Fiquei na arquibancada coberta também. Que showzaço!! Tche, valeu muuuito!

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: