Ex-baixista do Ramones recusou convite para tocar no Metallica


O ex-baixista dos Ramones C.J. Ramone revelou, em entrevista ao site Greatsouthernbrainfart.com, que recusou o convite para tocar no Metallica por duas vezes.

A razão seria a descoberta de que seu filho era portador de autismo, o que impediria sua permanência em turnês com a banda. “Eu fui convidado a entrar no Metallica não uma vez, mas duas. Quando Jason saiu, eles me chamaram. Passou um tempo e eles não estavam conseguindo achar alguém, então eles me convidaram de novo. Foi quando meu filho foi diagnosticado com autismo e eu não podia deixá-lo”, comentou o baixista.

“Johnny (Ramone) foi na verdade quem me arranjou a audição, porque ele era muito amigo do Kirk Hammett. Eu falei com o médico do meu filho, expliquei a oportunidade e disse que eu podia levar minha família nas turnês e até mesmo contratar uma enfermeira. O doutor me disse que meu filho precisava acordar no mesmo lugar todos os dias. Eu fiquei honrado por eles terem me chamado, mas não havia como eu fazer aquilo”, disse.

O baixista também afirmou que não se arrepende da decisão, mas diz que tocar em duas bandas como Ramones e Metallica teria sido fantástico. “Eu não tenho arrependimentos. Teria sido demais ter tocado com o Metallica depois de ter estado nos Ramones. Jesus, isso teria sido uma vida muito perfeita”.

Mais tarde, o Metallica convidou Robert Trujilo, ex-membro do Suicidal Tendencies e da banda de Ozzy Osbourne, para ocupar a vaga.

Postado originalmente aqui.