Mortes gêmeas: The Killing / Twin Peaks


Lado A – The Killing (2011-2012)
Indicado a 4 prêmios Emmy e ao Globo de Ouro de melhor atriz (com Mireille Enos), The Killing é uma produção do canal AMC (o mesmo dos ótimos Mad Men, Breaking Bad, Rubicon e The Walking Dead) e inspirada na produção dinamarquesa Forbrydelsen.

Uma garota morta, políticos em plena campanha incapazes de sustentar um álibi, uma família cheia de segredos investigados por uma dupla de policiais – ela workaholic e obstinada e seu parceiro de lisura duvidosa. O emaranhado de tramas e a paisagem cinzenta em muito lembram Twin Peaks. Mas não se engane, aqui os métodos pitorescos do agente Cooper não tem vez.

Sarah Linden e seu parceiro Stephen Holder investigam a morte de Rosie Larsen, encontrada morta no porta malas do carro de campanha de um candidato a prefeito que se nega a revelar seu paradeiro na noite do crime.

A família de Rosie, apesar da aparente imagem de família comum, tem um passado obscuro o que torna o mistério ainda mais complicado de ser revelado. Cada dia de investigação é retratado em um episódio enquanto interesses políticos e financeiros cruzam o caminho dos detetives e do espectador na ânsia de descobrir o(s) assassino(s).

Lado B – Twin Peaks (1990-1991)
A trilha, o quarto vermelho, o anão dançando com a música ao contrário, a velha do tronco, os métodos amalucados do agente Dale Cooper…

A lista de momentos marcantes de Twin Peaks não pára por aqui no sucesso de David Lynch duas décadas mais velho que The Killing.

O diretor de Veludo Azul, deu ao agente Cooper 30 episódios e um longa metragem para tentar descobrir quem matou Laura Palmer.

Encontrada à beira de um lago em uma cidade madeireira no norte dos Estados Unidos, a investigação irá revelar não apenas os detalhes de sua morte mas expor praticamente todos os moradores da pequena cidade que, acreditem, tem algo a esconder.

Sucesso também na tv aberta no Brasil no começo dos anos 1990, a série infelizmente foi exibida cheia de cortes que comprometeram a compreensão da já complexa trama de Lynch.

Agora, disponível em DVD e todos os demais formatos digitais correntes, fica mais fácil desvendar este mistério. Mas cuidado para não viciar nesta que é uma das melhores séries da história.


Anúncios