Livro – Barulho: uma viagem pelo underground do rock americano


A melhor forma de definir André Barcinski e sua obra Barulho de 1992 é classificá-los como testemunhas oculares da história.

No começo da década de 1990 Barcinski fez uma excursão pelos Estados Unidos na cara e na coragem acompanhando Jello Biafra (ex-Dead Kennedys) em seu apartamento e no escritório de seu selo (Alternative Tentacles).

Assistiu de camarote a um ensaio dos Chili Peppers para a turnê do, segundo ele, pior disco da banda até então – Blood Sugar Sex Magic.

Visitou Joey Ramone e ouviu em primeira mão as demos do álbum Mondo Bizarro que seria lançado no ano seguinte. Conversou ainda com bandas do calibre de The Cramps e Mudhoney.

Como se tudo isto não bastasse, foi ao show do Nirvana no Paramount. O show é de longe um dos pontos altos da carreira do Nirvana e flagra a banda em um momento em que vendia cerca de 35 mil discos por dia e mesmo assim, seus integrantes eram rostos desconhecidos do grande público.

Um registro sem igual no jornalismo musical tupiniquim. Editora Paulicéia, 124 páginas.


Anúncios