CJ Ramone no Hangar 110


05/07/2013 – Hangar 110 – São Paulo/SP

CJ Ramone no Hangar 110
A turnê de 11 datas pelo Brasil, a mais extensa que já fez, vem confirmando o que todo mundo já sabia, o quanto o show de CJ é bom e funcional em cena. Pude conferir o show em Santos, e agora no nosso CBGB’s, o Hangar 110, e a recepção foi igualmente calorosa, bem como a satisfação na cara dos presentes ao final do show. Com pouquíssima variação de um show pro outro (em SP tocaram “Today Your Love, Tomorrow The World” ao invés de “I Wanna Be Sedated” executada em Santos, além da ordem do set ser outro), a animação em palco ao menos era igual, com o quarteto tocando com garra e vontade.

“Strenght To Endure” e “The Crusher” foram novamente as mais festejadas entre os covers ramônicos, talvez por serem as faixas que CJ cantava originalmente; já nas faixas do “Reconquista“, apenas uma parcela do público conhecia e cantava as canções, mas notavelmente mais pessoas que no ano passado e mais que em Santos no começo da semana.

CJ vai terminar essa gira nacional consagrado como artista solo, e repito, com o melhor show que você pode assistir de um ex-Ramone. Set list impecável, simpatia e humildade, são ingredientes de uma fórmula imbatível. Ao terminar de tocar a última nota do show, CJ falou ao microfone, o óbvio que simboliza aquilo tudo: “Yeah, Ramones forever”.

Um capítulo a parte na noite foi a escalação do supporting act, o polêmico Garotos, grupo que contém 50% do grupo conhecido como Garotos Podres, bem como seu repertório. Após desentendimentos internos, Mao e KK seguiram para uma nova banda (e brigam na justiça pela marca da banda original contra os outros integrantes e empresário), Sukata e Caverna seguem acompanhados de Denis Piui na guitarra e Gildo Constantino (ex-Pátria Armada) nos vocais, continuando sob o guarda-chuva de Garotos (Podres).

Sem tomar partido ou se envolver em polêmicas, o fato é que o Garotos tem um set-list com alguns dos maiores clássicos do (punk) rock nacional, e fez bom uso disso pra animar o show, tocando “Oi! Tudo Bem?”, “Papai Noel Velho Batuta”, “Anarquia Oi!”, entre outros clássicos que foram cantados em uníssono. O conjunto aproveitou a ocasião também para tocar uma faixa nova chamada “Desaparecidos”. O resultado disso tudo? Aguardamos cenas do próximo capítulo.

Clássicos imortais do cancioneiro punk, a melhor casa de show underground do Brasil, público legal e amistoso, cerveja gelada. Acho que não faltou nada. Passa a régua. Próximo.

Por Wladimyr Cruz no Zona Punk em 5/7/2013.

Anúncios