LP/CD – CJ Ramone: The Holy Spell… 2019



É inevitável sair da primeira audição deste quarto trabalho solo do baixista CJ Ramone com a impressão de Déjà vu. Tudo soa conhecido na renovada parceria entre CJ e Paul Miner como produtores, lançado em 10 de maio de 2019.

Mas não é apenas a reeditada dobradinha de American Beauty a responsável pela sonoridade familiar. Pesa, e muito, o fato de CJ parecer ter encontrado sua identidade como músico (em nada lembrando seus trabalhos anteriores – Los Gusanos e Bad Chopper).

Apesar da escolha pra capa ilustrar melhor um álbum ao vivo (talvez a esta altura imaginado pelo músico), The Holy Spell… não é um disco disruptivo, ele reafirma o que o artista já apresentara em seus trabalhos anteriores e por isto não chega a ser unanimidade.

Para os não tão críticos a boa nova é que, a exemplo do que fizeram os Ramones, CJ encontrou sua fórmula e para isto não precisou se tornar uma cópia do que fora um dia o quarteto mais importante da história do punk.

As quase surf music Stand up e One High One Low resgatam Understand Me e Let’s Go, com a mesma pegada das predecessoras. This Town segue nesta levada falando em se divertir no sol da Califórnia, pra onde ele recentemente se mudou com a família.

Duas canções não são originais, Crawling From The Wreckage (Graham Parker) e There Stands The Glass (Webb Pierce), aqui interpretadas por CJ, Dan Root e Pete Sosa na velocidade costumeira para um ouvido ramônico. Movin’ on percorre o caminho inverso reverberando influências folk numa história onde ele acaba preso por um caçador de recompensas e sua mãe não consegue pagar sua fiança – mais Johnny Cash impossível.

Em I’m Disappointed a estrada e os fãs são pano de fundo pro lamento de quem se vê cada vez mais gordo e desapontado por ter se tornado o que mais desprezava. Waitin’ on the Sun fala sobre superar as coisas ruins com otimismo e que, mesmo sentindo-se solitário, “coisas boas estão por vir” (talvez um conselho pra ele próprio por ter escrito I’m Disappointed).

Em Hands Of Mine ele desacelera e entrega a melhor canção do álbum em uma tocante declaração de amor aos filhos.

A esta altura o eco de Reconquista, Last Chance to Dance e American Beauty é evidente, assim como a disposição do caçula ramone em contar histórias. É o que ele faz em Postcard from Heaven e Blue Skies, passando a limpo os acertos e cabeçadas que damos vida afora.

“Não consigo escrever outra canção triste” avisa o baixista, antes de falar da falta que o o amigo Steve Soto faz. A exemplo do que já fizera com Joey, Johnny e Dee Dee em Three Angels e Tommy em Tommy is Gone.

Morto em junho de 2018, o fundador da lendária The Adolescents acompanhou CJ da gravação dos discos às excursões e sua falta é definida de maneira grandiosa: “Gostaria de ter mais vinte anos com você”.

Ficha Técnica:
Fat Wreck Chords – produzido por CJ Ramone e Paul Miner

CJ Ramone – baixo, guitarra e vocal
Dan Root – guitarra
Pete Sosa – bateria

Edição Original
A1 One High One Low
A2 This Town
A3 Crawling From The Wreckage
A4 I’m Disappointed
A5 Waitin’ On The Sun
A6 Hands Of Mine
B1 There Stands The Glass
B2 Movin’ On
B3 Stand Up
B4 Postcard From Heaven
B5 Blue Skies
B6 Rock On