Marcado como: 1986 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 10:00 em 04/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1986, , , , , , , , ,   

    Mantendo o legado – Ramones: Animal Boy Cover Bass 


    O nono álbum de estúdio dos Ramones começou a ser gravado em dezembro de 1985 no Intergalactic Studios e foi oficialmente lançado em 19 de maio de 1986. Era o segundo álbum com Richie nas baquetas e, a exemplo de Too Tough to Die, foi dominado pelas composições de Dee Dee.

    Joey novamente contribuiria com apenas duas músicas e uma parceria com Dee Dee e o produtor Jean BeauvoirBonzo Goes to Bitburg que teve seu título alterado para My Brain Is Hanging Upside Down pois Johnny queria evitar uma crítica aberta ao então presidente americano Ronald Reagan.

    A sequência inicial é harcore puro com Somebody Put Something in my Drink (escrita por Richie e uma das melhores músicas da história da banda), Animal Boy e Love Kills (que soa como se tivesse sido extraída do disco anterior e era uma homenagem de Dee Dee ao seu amigo e também baixista Sid Vicious que morrera de overdose). A idéia inicial era utilizar a música na trilha sonora do filme de mesmo nome que narrava a relação entre o ex-Sex Pistols e Nancy Spungen. Dee Dee acabou brigando com o diretor Alex Cox e a música foi deixada de lado.

    I Don’t Want To Live This Life (Anymore) também homenageava o casal mas acabou não aparecendo em Animal Boy. Acabaria incluída no labo B de Crummy Stuff no boxset End of the Decade do selo independente Beggars Banquet junto com outros singles.

    Estas e as demais músicas do disco tiveram as sessões de baixo regravadas por Clark Ramone, fã brasileiro que disco a disco recriou o trabalho de estúdio de Dee Dee e CJ Ramone.

    “Usei duas sessões de gravações apenas também. A música que mais deu trabalho foi Bonzo Goes to Bitburg pois baixo não foi gravado pelo Dee Dee e tem outra pegada. É cheio de ligações e pequenas escalas e que não se repetem. Pra variar, é muito difícil de ouvir com nitidez no disco, acredito que conseguir tocar muito perto da original.
    Preferidas: Bonzo, Animal Boy, Can’t say Anything Nice, Love Kills, Something to Believe in e Eat That Rat.”

    01. Somebody Put Something In My Drink http://youtu.be/-Q2XmXJCuIk
    02. Animal Boy http://youtu.be/fjubrYYiPNU
    03. Love Kills http://youtu.be/NJW5OVpjnKI
    04. Apeman Hope http://youtu.be/eibybZBcz04
    05. She Belongs To Me http://youtu.be/ck79_wtbXTs
    06. Crummy Stuff http://youtu.be/3wh8yp-yB9A
    07. Bonzo Goes To Bitburg http://youtu.be/4IkJOhZoj-I
    08. Mental Hell http://youtu.be/AcvNzhd6MbQ
    09. Eat That Rat http://youtu.be/4thKVXLGlxQ
    10. Freak Of Nature http://youtu.be/2C080Wib3r8
    11. Hair Of The Dog http://youtu.be/ClHEyjX1QXQ
    12. Something To Believe In http://youtu.be/iONRi71Jjxs
    13. I Don’t Want to Live This Life (Anymore) http://youtu.be/-1XilSoj1oM
    14. (You) Can’t Say Anything Nice http://youtu.be/lmjGobfxVWE
    15. Go Home Ann http://youtu.be/DKA1d3zb33w

     
  • paulocarames 10:00 em 19/10/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1986, , , , , , , Napalm Records, Nitemare, , , , , , , Rick Bieder Studios   

    LP – Guitar Pete’s Axe Attack – Nitemare 1986 

    CJ Ramone (Guitar Pete's Axe Attack) - 1986 - Nitemare
    Gravado no Rick Bieder Studios e lançado em 1986, o disco derradeiro na carreira do Guitar Pete’s Axe Attack decepciona quando comparado ao lançamento de um ano antes Dead Soldier’s Revenge.

    Nitemare é um disco menos inspirado que o primeiro, entregando vários clichês quase comparável com a paródia brasileira Massacration. Tecnicamente é um bom disco de heavy metal, com os solos e riffs a cargo de Pete Brasino, mas falta inspiração e as músicas soam mais arrastadas.

    O Déjà vu fica por conta de Burning Hearts, parte 2 de Shattered Paradise. No ano seguinte a banda iria se separar e mais dois anos Chris Ward se tornaria CJ Ramone até a separação dos Ramones em 1996.

    Ficha Técnica:
    Napalm Records – produzido por Pete Brasino

    Armand van der Stigchel – vocal
    Pete Brasino – guitarra
    Rich Guzzetta – guitarra
    Chris Ward – baixo
    John Sherry – bateria

    Traklist:
    Lado A:
    01 Stand ‘n Fight (Pete Brasino) – 03:30
    02 Leather, Lace, ‘n Studs (Pete Brasino) – 03:17
    03 I’ll Never Look Back (Pete Brasino) – 06:00
    04 Klimaxx (Pete Brasino) – 03:58
    Lado B:
    05 Nitemare (Pete Brasino) – 06:16
    06 She’s A Killin Machine (Pete Brasino) – 03:20
    07 Rockin Rollin Thunder (Pete Brasino) – 02:41
    08 Burning Hearts (Pete Brasino) – 03:45
    09 Rockin All Nite In N.Y. (Pete Brasino) – 04:00
    CJ Ramone (Guitar Pete's Axe Attack) - 1986 - NitemareCJ Ramone (1)
    CJ Ramone (Guitar Pete's Axe Attack) - 1986 - Nitemare label aCJ Ramone (Guitar Pete's Axe Attack) - 1986 - Nitemare label b
    CJ Ramone (Guitar Pete's Axe Attack) - 1986 - Nitemare insert


     
  • paulocarames 11:00 em 12/01/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , 1986, , 22 de julho, 9 de julho, , , , , , , , , , , , , ,   

    LP/CD – Ramones: Paco Ramone Pour Homme 1987 

    ramones - paco ramone 1
    Os Ramones sempre fizeram músicas rápidas e curtas. Cada disco de estúdio cabia em um lado de uma fita K7, ou seja, pra cada fita dois discos. No caso de Paco Ramone Pour Homme são cinco shows.

    Claro, não são shows completos, eles não eram assim tão curtos. Mas são cinco momentos da banda em fases distintas. Com Marky na bateria temos os shows no New York Palladium e Old Grey Whistle Test em 1978 divulgando Road to Ruin.

    Em 1980 durante o New Pop Festival eles estavam com a tour de End of the Century a pleno vapor enquanto o registro de 1982 em Nova Iorque traz a pérola Surf City – que seria incluída uma década depois no disco de covers Acid Eaters.

    Com a saída de Marky, Richie ficou com a responsabilidade de manter o ritmo na bateria. O resultado do seu trabalho pode ser conferido nas faixas gravadas em Minneapolis em 1986 – o show ocorreu de fato no dia 27 apesar de creditado no álbum como 22.

    Bootlegs como este são a melhor forma de conferir o desempenho do batera já que Loud, Fast Ramones Their Toughest Hits é o único registro oficial com ele.

    Ficha Técnica:
    Live Bootleg

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone/Richie Ramone – bateria

    Lado A:
    Recorded live at the New York Palladium, 01/14/1978
    01 . Rockaway Beach
    02 . Teenage lobotomy
    03 . Blitzkrieg bop
    04 . Sheena is a punk rocker
    05 . Havana affair
    06 . Commando
    07 . Surfin’ Bird (White /Frazier /Harris /Wilson)
    08 . Pinhead
    Recorded live Holland, Rotterdam , New Pop Festival, 09/07/1980
    09 . Gimme gimme shock treatment
    10 . Rock’n’roll high school
    11 . I wanna be sedated
    12 . Judy is a punk
    13 . Do you remember rock’n’roll radio?
    Lado B:
    Recorded live at British TV Show “Old Grey Whistle Test”, 1978
    14 . Don’t come close
    15 . She’s the one
    16 . Go mental
    Recorded live at New York City , 07/20/1982
    17 . Surf city (Wilson / Berry)
    18 . I don’t want you
    19 . Go mental
    Recorded live at Minneapolis, First Avenue , 07/22/1986 data correta 07/27/1986
    20 . Cretin hop
    21 . I don’t want to walk around with you
    22 . Today your love, tomorrow the world
    23 . Pinhead
    24 . Chinese rock (Dee Dee Ramone / Richard Hell)
    25 . Somebody put something in my drink (Richie Ramone)
    26 . Rockaway beach
    27 . Do you wanna dance? (Freeman)
    28 . California sun (Glover / Levy)
    29 . We’re a happy family

    ramones - paco ramone 1ramones-paco ramone (1)
    DSC01795 aDSC01795 b
    ramones - paco ramone 1ramones - paco ramone 2
    ramones - paco ramone 3


     
  • paulocarames 10:05 em 11/01/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1986, , , , , , longe demais das capitais, marcelo pitz, , , ,   

    Crie suas próprias músicas dos Engenheiros do Hawaii 


    A brincadeira é do site Mundo Perfeito. Você preenche diversos campos de um formulário e está apto a escolher entre três versões de letras Gessingerianas.

    A brincadeira serve apenas para lembrar que, no dia 11 de janeiro de 1985, os Engenheiros do Hawaii faziam seu primeiro show (do qual Humberto Gessinger declara no livro Pra Ser Sincero não lembrar com muitos detalhes). Deste show em diante a banda realizaria outros tantos Brasil afora, no Japão e Estados Unidos.

    Depois de 27 anos e vinte e tantos discos lançados a banda continua sendo a principal referência do rock gaúcho e Humberto Gessinger, um dos principais letristas do rock nacional. Hoje à noite deve rolar uma twittcam para celebrar a data com Gessinger interpretando músicas da sua carreira.


     
    • cherrybo 15:08 em 19/01/2012 Link Permanente | Resposta

      O ponei é puto

      O ponei é puto
      O puto não come ninguém
      O ponei levou um peido na unha
      O puto não come ninguém

      Bis

      Qualquer boneca , seja bizarra
      Bancos de memória, bancas de revistas
      E o joÃO é calvo
      E você está salvo
      Um barco . Um
      Um segundo eterno.
      É bocejar no inferno.
      É torcer em beleza.
      É em tristeza.
      boneca bizarra
      O ponei é puto
      O puto não come ninguém

      Repita 109 vezes até derreter seu cérebro.

    • cherrybo 15:10 em 19/01/2012 Link Permanente | Resposta

      Atrás de um peido

      Não importa se só come

      O joÃO já sabe
      Somos um ponei sem infância
      Atrás de um peido
      Atrás de um barco
      Depois de um trago
      Eu trago um
      E molho a unha
      E moldo a boneca
      Você é bizarra
      sua mãe é bizarra
      que importa um trago

      Bis

      Atrás de um peido
      Atrás de um barco
      Para bocejar
      Para torcer
      Para e fazer estrago
      Depois de um trago

      Repita 94 vezes até ficar loiro(a) e burro(a).

  • paulocarames 17:46 em 29/10/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 19 de maio de 1986, 1986, , , , , , , , , , , , , , , , ,   

    LP/CD – Ramones: Animal Boy 1986 


    O nono álbum de estúdio dos Ramones começou a ser gravado em dezembro de 1985 no Intergalactic Studios e foi oficialmente lançado em 19 de maio de 1986. Era o segundo álbum com Richie nas baquetas e, a exemplo de Too Tough to Die, foi dominado pelas composições de Dee Dee.

    Joey novamente contribuiria com apenas duas músicas e uma parceria com Dee Dee e o produtor Jean BeauvoirBonzo Goes to Bitburg que teve seu título alterado para My Brain Is Hanging Upside Down pois Johnny queria evitar uma crítica aberta ao então presidente americano Ronald Reagan.

    A sequência inicial é harcore puro com Somebody Put Something in my Drink (escrita por Richie e uma das melhores músicas da história da banda), Animal Boy e Love Kills (que soa como se tivesse sido extraída do disco anterior e era uma homenagem de Dee Dee ao seu amigo e também baixista Sid Vicious que morrera de overdose). A idéia inicial era utilizar a música na trilha sonora do filme de mesmo nome que narrava a relação entre o ex-Sex Pistols e Nancy Spungen. Dee Dee acabou brigando com o diretor Alex Cox e a música foi deixada de lado.

    I Don’t Want To Live This Life (Anymore) também homenageava o casal mas acabou não aparecendo em Animal Boy. Acabaria incluída no labo B de Crummy Stuff no boxset End of the Decade do selo independente Beggars Banquet junto com outros singles.

    Apeman Hop completa a temática animal boy e temas recorrentes nos primeiros discos como problemas mentais (Mental Hell) e personagens desajustados (Freak of Nature) voltam a cena. Something To Believe In fecha, de forma bastante otimista, o pacote.

    O álbum repetiria o feito de Pleasant Dreams contendo apenas canções autorais. Para divulgação a banda ainda contou com o clipe de Something to Believe In satirizando os vídeos de caridade de mega astros como Michael Jackson. Para capa novamente foi usada uma foto de George DuBose que clicou os Ramones ao lado de Legs McNeil, autor de Mate-me por favor, fantasiado de macaco.

    Ficha Técnica:
    Sire Records/Beggars Banquet – produzido por Jean Beauvoir

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Richie Ramone – bateria

    Letra das músicas
    Partituras

    Edição Original (Sire Records)
    Lado A:
    01 “Somebody Put Something in My Drink” (Richie Ramone) – 3:23
    02 “Animal Boy” (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:50
    03 “Love Kills” (Dee Dee Ramone) – 2:19
    04 “Apeman Hop” (Dee Dee Ramone) – 2:02
    05 “She Belongs to Me” (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 3:54
    06 “Crummy Stuff” (Dee Dee Ramone) – 2:06
    Lado B:
    07 “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg)” (Joey Ramone, Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 3:55
    08 “Mental Hell” (Joey Ramone) – 2:38
    09 “Eat That Rat” (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:37
    10 “Freak of Nature” (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:32
    11 “Hair of the Dog” (Joey Ramone) – 2:19
    12 “Something to Believe In” (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 4:09


    Prensagem Alternativa Sire
    ramones-animalboot1ramones-animalboot2

    Prensagem Beggars Banquet

    Versão em K7
    R-3804985-1345105633-9015

    Versão em CD
    ramones-animalboycd (2)
    ramones-animalboycd (3)
    ramones-animalboycd (4)
    ramones-animalboycd (5)
    ramones-animalboycd (6)
    ramones-animalboycd (7)


    ramones-animalboycd (1)

    O disco fez parte ainda de uma compilação dupla que incluía as 12 músicas da versão original e 21 canções extraídas da coletânea Ramones Mania:
    Animal Boy - Ramones Mania 1
    Animal Boy - Ramones Mania 2
    Animal Boy - Ramones Mania 3
    Animal Boy - Ramones Mania 5Animal Boy - Ramones Mania 4
    Animal Boy - Ramones Mania 6

    Singles:


    ramones-somethingtospainramones-somethingtospain (1)
    ramones-somethingtospain (2)ramones-somethingtospain (3)




    Sans titre-22

    Mais sobre o disco*:

    *artigos publicados na revista Metal Head Especial nº 11 e General Especial.

    release


     
  • paulocarames 1:00 em 30/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1986, , , blue velvet, , , isabella rossellini, , veludo azul   

    Filme – Veludo Azul (Blue Velvet) 1986 

    Um ano após a morte de Dennis Hopper (17/05/1936 – 27/05/2010), seria clichê escrever justo sobre Sem Destino (1969) para lembrar deste artista que destacou-se como ator mas foi também diretor e produtor além de colecionador de arte e pintor com relativo sucesso. Ao invés disto, prefiro indicar Veludo Azul (1986) do também celebrado David Lynch e que marcou a volta por cima de Hopper.

    Dennis Hopper é Frank Booth, o sádico sociopata que anda por aí com seu tubo de oxigênio (não confundir com o personagem de Javier Bardem em Onde os fracos não tem vez).

    Uma orelha humana cortada é o ponto de partida para que Jeffrey Beaumont (Kyle MacLachlan) inconformado com o pouco interesse da polícia pelo caso, comece a investigar por conta própria e se depare com o lado obscuro do estilo de vida americano.

    Atrás de pistas ele invade o apartamento de uma cantora, Dorothy Vallens (Isabella Rossellini), que tem sua família mantida refém por Frank além de sofrer contanstes abusos por parte dele. Quando ela chega em casa, Jeffrey esconde-se em um armário e presencia, pelas frestas da porta, Frank estuprar e espancar Dorothy na cena mais polêmica do filme que também destacou-se pela violência e insanidade do personagem interpretado por Hopper.

    Por Veludo Azul, Lynch foi indicado ao Oscar e Hopper deixou para posteridade um dos mais perturbadores psicopatas do cinema.

    Para saber mais sobre a vida deste incomparável artista, clique aqui e leia a excelente resenha do amigo Márcio Grings à época da morte de Hopper.

     
  • paulocarames 1:25 em 04/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 1986, apocalypse now, , Charlie Sheen, , , , , Harrison Ford, , , Marlon Brando, , , platoon, , , Vietnã, Willem Dafoe   

    O Vietnã é logo ali: Apocalypse Now / Platoon 

    Carlos Irwin Estevez, conhecido como Charlie Sheen, nasceu em 3 de setembro de 1965. É filho de Martin Sheen e irmão de Emilio Estevez. Participou dos filmes Wallstreet e Top Gang e hoje é protagonista da premiada série Two And a Half Men.

    Lado A – Apocalypse Now (Apocalypse Now) 1979

    Dirigido por Francis Ford Coppola, com previsão de ser filmado em seis semanas que tornaram-se 16 meses e com a sequência inicial mostrando um bombardeio de napalm ao som de The End dos The Doors, o filme é apontado como o melhor filme de guerra de todos os tempos. O Capitão Willard (Martin Sheen) é designado para localizar e matar Kurtz (Marlon Brando), um coronel que enlouquece em plena selva do Camboja. Drogas, um tenente-coronel surfista, vietcongues e uma trilha sonora impecável completam o cenário caótico.
    Em 2001 o próprio Coppola editou o que viria a ser a versão Redux do filme, acrescentando 60 minutos extras em relação ao original de 1979.

    Lado B – Platoon (Platoon) 1986

    Baseado na experiência pessoal do diretor Oliver Stone no Vietnã, o filme acompanha o jovem Chris Taylor (Charlie Sheen) que abandona a faculdade e voluntariamente alista-se para lutar no Vietnã. Na fronteira cambojana ele enfrenta o clima imprevisível, o inimigo vietcongue e os conflitos internos em seu pelotão. Vencedor do Oscar de melhor filme, melhor diretor, melhor som e melhor montagem além do Urso de Prata de melhor diretor e o Globo de Ouro de melhor filme. O elenco contou com vários atores que mais tarde se destacariam como Tom Berenger, Willem Dafoe, Forest Whitaker e Johnny Depp além do próprio Sheen.
    Em Platoon Charlie Sheen repete seu pai, Martin Sheen, que em Apocalypse Now também interpretou um personagem central em meio ao conflito contra os VC’s.

     
  • paulocarames 16:19 em 02/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1986, Arnaldo Antunes, , Cabeça Dinossauro, , ,   

    LP – Titãs: Cabeça Dinossauro 1986 

    O aniversariante Arnaldo Antunes (2 de setembro de 1960) é um dos ícones do rock brasileiro e já lançou nove discos em sua atual carreira solo, mas já foi uma das cabeças pensantes dos Titãs.
    Em 1986 eles gravaram o melhor disco da história do rock nacional. Cabeça Dinossauro foi produzido por Liminha, teve a arte da capa (LP na época) inspirada em Leonardo Da Vinci e das 13 faixas do álbum, 11 foram executadas em rádios. Quando Titãs não era sinônimo de acústico ou banda para adolescentes. O difícil é “pular” uma música ouvindo este disco:

    01.”Cabeça Dinossauro” (Arnaldo Antunes, Branco Mello, Paulo Miklos) – 2:20
    02.”AA UU” (Marcelo Fromer, Sérgio Britto) – 3:01
    03.”Igreja” (Nando Reis) – 2:48
    04.”Polícia” (Tony Bellotto) – 2:06
    05.”Estado Violência” (Charles Gavin) – 3:10
    06.”A Face do Destruidor” (Arnaldo Antunes, Paulo Miklos) – 0:34
    07.”Porrada” (Arnaldo Antunes, Sérgio Britto) – 2:51
    08.”Tô Cansado” (Arnaldo Antunes, Branco Mello) – 2:18
    09.”Bichos Escrotos” (Arnaldo Antunes, Sérgio Britto, Nando Reis) – 3:13
    10.”Família” (Arnaldo Antunes, Tony Bellotto) – 3:32
    11.”Homem Primata” (Ciro Pessoa, Marcelo Fromer, Nando Reis, Sérgio Britto) – 3:27
    12.”Dívidas” (Arnaldo Antunes, Branco Mello) – 3:08
    13.”O Quê” (Arnaldo Antunes) – 5:40

     
    • leandro 3:13 em 03/09/2010 Link Permanente | Resposta

      titãs sem arnaldo antunes não é titãs, uma banda comum talvez.

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: