Marcado como: 1999 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 10:00 em 28/11/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , 1999, , , , , , , oz, prisão, , violência   

    Série – Oz (1997-2003) 

    Oz - Temporada 1A série criada por Tom Fontana (de Homicide) não tem nada em comum com a obra de L. Frank Baum, O Mágico de Oz.

    A vida em Oswald (Oz como é conhecida), uma prisão de segurança máxima, não tem magia alguma. Um retrato fiel do cotidiano duro das prisões com tensão entre gangues rivais, etnias e religiões que não se toleram e um sistema carcerário incapaz de recuperar os presos.

    A corrupção e a brutalidade dos carcereiros também não ajudam. Dirigida por Leo Glynn, a prisão tem um projeto piloto (chamado Emerald City) conduzido por Tim MacManus onde, como premissa, não é permitido abuso sexual ou drogas em uma tentativa de reintegrar os detentos à sociedade. Claro que não funciona.

    Apesar de cada gangue ter o mesmo número de detentos para evitar que alguma delas se sobressaia, os mafiosos controlam a cozinha, enquanto supremacistas brancos dominam a correspondência e por consequência o contrabando e assim por diante.

    O prisioneiro Augustus Hill é quem narra o cotidiano recheado de abusos, conflitos e mortes. Ainda tem o governador que, sempre que pode, usa o que acontece na prisão para tirar proveito político.

     
  • paulocarames 10:00 em 17/08/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1999, ai-5, anarquia planetária e a cena brasileira, , , , camisa de vênus, , , , , , , , , , , , , , , , , , , silvio essinger,   

    Livro – Punk, anarquia planetária e a cena brasileira 1999 

    anarquia interplanetária-0Punk, anarquia planetária e a cena brasileira é um cuidadoso estudo de Silvio Essinger explorando a cena punk desde os primórdios na segunda metade dos anos 1970 em Londres e Nova Iorque.

    Foi lá que bandas como Sex Pistols, The Clash, Buzzcocks e, claro, Ramones foram precursores deste movimento social/cultural/musical que atravessaria continentes e transporia hemisférios.

    Já no Brasil, o punk paulista (Inocentes, Cólera, Restos de Nada, AI-5, Garotos Podres e Ratos de Porão), carioca (Coquetel Molotov, Descarga Suburbana, Desespero e Eutanásia) e brasiliense (Plebe Rude e Aborto Elétrico) são extensamente abordados. Não ficam de fora Camisa de Vênus e Replicantes, originados em locais mais improváveis.

    Essinger ainda inclui o revival nos anos 1990 com Green Day, Offspring e Rancid e as influências das primeiras bandas no emergente som grunge.

    A editora 34 apadrinha mais uma grande obra sobre a música a exemplo das biografias do Sepultura e Paralamas do Sucesso mas aqui apresentando um gênero, como feito em Blues, da lama a fama. Editora 34, 224 páginas.




     
  • paulocarames 11:00 em 14/02/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 1999, , , , , , , , Ashton Kutcher, , , Danny Masterson, Debra Jo Rupp, Don Stark, Kurtwood Smith, Laura Prepon, Mila Kunis, , That '70s Show, Topher Grace, Wilmer Valderrama   

    Série – That ’70s Show (1998–2006) 

    that70sshowThat ’70s Show revelou nada menos que Ashton Kutcher, Laura Prepon, Mila Kunis e Topher Grace. O seriado, que durou oito temporadas trazia a rotina diária de Eric, Donna, Hyde, Kelso e Fez no porão da casa de Eric durante os anos 1970. Roupas, gírias e cultura pop (incluindo Star Wars, Kiss e Kramer vs Kramer) recriavam com maestria esta década tornando a série uma das melhores comédias já feitas.

    Eric Forman (Grace) e Donna Pinciotti (Prepon) são vizinhos e o casal foco do seriado enquanto Michael Kelso (Kutcher) é um pateta por completo e está sempre se metendo em encrencas por causa da sua falta de noção. Ele começa a namorar com Jackie Burkhardt (Kunis) que logo é incorporada a trupe. Apesar do namoro ele frequentemente sai com outras garotas, inclusive a irmã de Eric.

    Já Red Forman é um veterano de guerra que superprotege a filha e maltrata o filho aos gritos de idiota, imbecil ou sob ameaças de um pontapé no traseiro. Conservador e anti-comunista ferrenho ele é casado com Kitty, uma enfermeira com uma queda por uma bebidinha pra esquecer os problemas.

    Já Fez é um estudante estrangeiro de intercâmbio. Seu nome verdadeiro ou seu país de origem jamais são revelados. Ainda assim, ele sofre com as piadas constantes e depreciativas numa época que precede o comportamento politicamente correto.

    Ao longo das oito temporadas Bruce Willis, Lindsay Lohan e Luke Wilson fizeram pontas memoráveis. Já Tommy Chong teve um personagem de destaque que em muito lembrava sua atuação no filme Queimando Tudo (1978). A maconha, tema do filme, era um dos motivos das frequentes reuniões da turma no porão dos Forman.


     
  • paulocarames 15:49 em 22/09/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 15 de junho, 1999, , , , , , , Hirsh Gardner, , , , , , , , ,   

    CD – The Ramainz: Live in NYC 2002 


    Live in NYC é o registro oficial do projeto The Ramainz, encontro de Dee Dee e Marky Ramone tocando músicas, dos Ramones – exceção para Rock n’ roll vacation in LA e Hop around, composições da carreira solo de Dee Dee.

    A dupla se juntou à Barbara Zampini, então esposa de Dee Dee – aqui estranhamente batizada de Barbara Ramone – e que já havia gravado com ele anteriormente. CJ Ramone chegou a integrar o projeto em alguns shows, embora não faça parte deste registro gravado em 15 de junho de 1999.

    Anteriormente conhecida por The Remains, a banda tributo durou até 2002 quando Dee Dee morreu. O disco seria lançado em 8 de outubro daquele ano – coincidentemente, aniversário de CJ e Johnny.

    Ficha Técnica:
    Sanctuary Records – produzido por Marky Ramone e Hirsh Gardner

    Dee Dee Ramone – vocal e guitarra
    Barbara Zampini (Barbara Ramone) – baixo e vocal
    Marky Ramone – bateria

    Traklist:
    01 – rockway beach
    02 – commando
    03 – i don’t care
    04 – teenage lobotomy
    05 – beat on the brat
    06 – chinese rocks
    07 – rock n’ roll vacation in la
    08 – listen to my heart
    09 – i don’t wanna walk around with you
    10 – i wanna be sedated
    11 – cretin hop
    12 – hop around
    13 – sheena is a punk rocker
    14 – I Just Want to Have Something to Do
    15 – gimme gimme shock treatment
    16 – wart hog
    17 – chain saw
    18 – judy is a punk
    19 – loudmouth
    20 – blitzkrieg bop
    21 – 53rd & 3rd






    Mais sobre o disco*:
    * Revista Bizz fevereiro de 2001.


     
  • paulocarames 13:39 em 28/01/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1999, 20 de julho de 1999, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,   

    Boxset – Ramones: Hey Ho! Let’s Go: The Anthology 1999 


    “2 minutos + 3 acordes x 58 músicas” é o que dizia o adesivo nesta antologia dos reis do punk. Hey Ho! Let’s Go: The Anthology, lançado em 20 de julho de 1999, cobre toda a carreira dos Ramones e, de quebra, trás um livreto de 80 páginas com fotos raras e textos de Danny Fields (primeiro empresário do grupo), Monte Melnick (Tour manager da banda) e, claro, dos próprios integrantes.

    O cd duplo cobre todos os álbuns de estúdio de Ramones (1976) a ¡Adios Amigos! (1995) com exceção do disco de covers de 1993 (Acid Eaters). A coletânea corrige também o lapso cometido em Ramones Mania (1988) que deixou I Want You Around de fora.

    Esta coletânea foi relançada em uma edição 2 em 1 com os cds separados sendo que o primeiro disco vinha acompanhado de Acid Eaters e o segundo disco com o cd Adios Amigos.

    Já em 2001, após a morte de Joey Ramone, houve um relançamento (sem o livreto) com o cd 1 sem I’m Affected e I Can’t Make it on Time substituídas por Baby I Love You.

    Ficha Técnica:
    Sire Records/ Rhino Records – produzido por Craig Leon, Tony Bongiovi, Tommy Ramone, Ed Stasium, Daniel Rey, Bill Inglot, Gary Stewart, Don Williams, Jean Beavoir, Ritchie Cordell, Graham Gouldman, Glen Kolotkin, Phil Spector, Bill Laswell, Dave Stewart, The Ramones

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone/ CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone/ Marky Ramone/ Richie Ramone – bateria

    Edição Original (Sire Records/ Rhino Records)
    Disco 1:
    01 “Blitzkrieg Bop” – 2:14 (Tommy Ramone / Dee Dee Ramone)
    02 “Beat on the Brat” – 2:32 (Joey Ramone)
    03 “Judy Is a Punk” – 1:32 (Joey R.)
    04 “I Wanna Be Your Boyfriend” – 2:27 (Tommy R.)
    05 “53rd & 3rd” – 2:20 (Dee Dee R.)
    06 “Now I Wanna Sniff Some Glue” – 1:37 (Dee Dee R.)
    07 “Glad to See You Go” – 2:13 (Lyrics: Dee Dee R. / Music: Joey R.)
    08 “Gimme Gimme Shock Treatment” – 1:44
    09 “I Remember You” – 2:20
    10 “California Sun” – 2:03 (Henry Glover / Morris Levy)
    11 “Commando” – 1:54
    12 “Swallow My Pride” – 2:07 (Joey R.)
    13 “Carbona Not Glue” – 1:53
    14 “Pinhead” – 2:44 (Dee Dee R.)
    15 “Sheena Is a Punk Rocker” – 2:49 (Joey R.)
    16 “Cretin Hop” – 1:58
    17 “Rockaway Beach” – 2:08 (Dee Dee R.)
    18 “Here Today, Gone Tomorrow” – 2:50 (Joey R.)
    19 “Teenage Lobotomy” – 2:03
    20 “Surfin’ Bird” – 2:37 (Carl White / Alfred Frazier / John Harris / Turner Wilson, Jr.)
    21 “I Don’t Care” – 1:40 (Joey R.) 1
    22 “I Just Want to Have Something to Do” – 2:43 (Joey R.)
    23 “I Wanna Be Sedated” – 2:31 (Joey R.)
    24 “Don’t Come Close” – 2:46
    25 “She’s the One” – 2:15
    26 “Needles & Pins” – 2:23 (Sonny Bono / Jack Nitzsche)
    27 “Rock N’ Roll High School” – 2:21 (Joey R.)
    28 “I Want You Around” – 3:02 (Dee Dee R. / Joey R. / Johnny Ramone)
    29 “Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?” – 3:52 (Joey R.)
    30 “I Can’t Make It on Time” – 2:33
    31 “Chinese Rock” – 2:30 (Dee Dee R. / Richard Hell)
    32 “I’m Affected” – 2:54 (Joey R.)
    33 “Danny Says” – 3:06 (Joey R.)
    Disco 2:
    01 “The KKK Took My Baby Away” – 2:31 (Joey Ramone)
    02 “She’s a sensation” – 3:26 (Joey R.)
    03 “It’s Not My Place (In the 9 to 5 World)” – 3:23 (Joey R.)
    04 “We Want the Airwaves” – 3:22 (Joey R.)
    05 “Psycho Therapy” – 2:39 (Johnny Ramone / Dee Dee Ramone)
    06 “Howling at the Moon (Sha–La–La)” – 4:06 (Dee Dee R.)
    07 “Mama’s Boy” – 2:12 (Johnny R. / Dee Dee R. / Tommy Ramone)
    08 “Daytime Dilemma (Dangers of Love)” – 4:33 (Joey R. / Daniel Rey)
    09 “I’m Not Afraid of Life” – 3:13 (Dee Dee R.)
    10 “Too Tough to Die” – 2:38 (Dee Dee R.)
    11 “Endless Vacation” – 1:50 (Dee Dee R. / Johnny R.)
    12 “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg)” – 3:57 (Dee Dee R. / Joey R. / D. Rey)
    13 “Somebody Put Something in My Drink” – 3:23 (Richie Ramone)
    14 “Something to Believe In” – 4:09 (Dee Dee R. / Jean Beauvoir) 1
    15 “I Don’t Want to Live This Life (Anymore)” – 3:29 (Dee Dee R.) 7
    16 “I Wanna Live” – 2:39 (Dee Dee R. / D. Rey)
    17 “Garden of Serenity” – 2:28 (Dee Dee R. / D. Rey)
    18 “Merry Christmas (I Don’t Want to Fight Tonight)” – 2:05 (Joey R.)
    19 “Pet Sematary” – 3:34 (Dee Dee R. / D. Rey)
    20 “I Believe in Miracles” – 3:21 (Dee Dee R. / D. Rey)
    21 “Tomorrow She Goes Away” – 2:41 (Joey R. / D. Rey)
    22 “Poison Heart” – 4:04 (Dee Dee R. / D. Rey)
    23 “I Don’t Wanna Grow Up” – 2:46 (Tom Waits / Kathleen Brennan)
    24 “She Talks to Rainbows” – 3:14 (Joey R.)
    25 “R.A.M.O.N.E.S.” – 1:24 (Lemmy / Würzel / Phil Campbell / Phil Taylor)







    Relançamento de 2001 (Sire Records/ Rhino Records)
    Mesmo tracklist da primeira edição, exceto por conter uma música a menos no disco 1 e pelas mudanças na sequência das últimas músicas.
    30 “Chinese Rock” – 2:30 (Dee Dee R. / Richard Hell)
    31 “Danny Says” – 3:06 (Joey R.)
    32 “Baby I Love You”

    Relançamento do disco 1 junto com o álbum Acid Eaters de 1993:
    ramones-acideaters-heyholetsgovol1 1
    ramones-acideaters-heyholetsgovol1 2
    ramones-acideaters-heyholetsgovol1 3
    ramones-acideaters-heyholetsgovol1 4ramones-acideaters-heyholetsgovol1 5
    ramones-acideaters-heyholetsgovol1 6

    Relançamento do disco 2 junto com o álbum Adios Amigos de 1995:


    Singles:
    spain7006spain7005

    Mais sobre o disco*:
    poster
    anthology promo 1anthology promo 2



     
  • paulocarames 0:02 em 24/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1999, 311, , Burning London The Clash Tribute, , ice cube, , moby, no doubt, , , , silverchair, , the mighty mighty bosstones,   

    CD – VA: Burning London The Clash Tribute 1999 


    Este é, certamente, o melhor disco tributo que já ouvi. Não o melhor tributo ao The Clash, me refiro ao melhor tributo já feito. É verdade que com as músicas do Clash fica difícil fazer versões ruins, mas temos exemplos de sobra de tentativas frustradas ao longo do tempo que transformaram homenagens em afrontas.

    Não é o caso de Burning London The Clash Tribute lançado em 1999 e que reúne 15 hits dos britânicos como Should I Stay or Should I Go (rap na voz de Ice Cube), White Riot (folk classudo do Cracker) e a anárquica versão do Rancid para Cheat.

    Mas nada se compara ao contraste entre o petardo London’s Burning (ainda mais pesada na interpretação do Silverchair) e a melancólica leitura de Moby para Straight to Hell. De quebra, Guns of Brixton, Rock the Casbah e Tommy Gun (não creditadas no cd) completam a patada.

    Melhor, só Joe Strummer e cia.

    Tracklist:
    01 Hateful – No Doubt
    02 This Is Radio Clash – The Urge
    03 Should I Stay or Should I Go – Ice Cube/Mack 10
    04 Cheat – Rancid
    05 Train in Vain – Third Eye Blind
    06 Clampdown – Indigo Girls
    07 Rudie Can’t Fail – The Mighty Mighty Bosstones
    08 (White Man) In Hammersmith Palais – 311
    09 Lost in the Supermarket – The Afghan Whigs
    10 White Riot – Cracker
    11 London’s Burning – Silverchair
    12 Straight to Hell – Moby/Heather Nova
    13 The Guns of Brixton – Unwritten Law
    14 Rock the Casbah – Ranking Roger & Pato Banton
    15 Tommy Gun – Face to Face


     
  • paulocarames 1:54 em 04/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 10 melhores roqueiros no cinema, , , , , , 1999, , , , , , Afinado no Amor, , , Alta Fidelidade, Billy Idol, , , , Clube da Luta, Coffee and Cigarettes, , Exterminador Implacável, Fight Club, Flea, Floresta do Mal, , , High Fidelity, , , , , Little Nicky, Little Nicky - Um Diabo Diferente, , O Grande Lebowski, O Mensageiro, Os Cabeças de Vento, , , Piratas do Caribe, Pirates of the Caribbean: At World's End, Quanto Mais Idiota Melhor, , Singles, Sobre Café e Cigarros, Tenacious D - Uma Dupla Infernal, Tenacious D in The Pick of Destiny, The Big Lebowski, The Postman, The Wedding Singer, , , Vida de Solteiro, Wanted: Dead or Alive, Wayne's World, Wrong Turn 2: Dead End, Zoolander   

    As 10 melhores performances de roqueiros no cinema 

    A Ultimate Classic Rock (sempre ela) divulgou uma lista mais do que interessante. Desta vez foram escolhidas as 10 melhores performances de roqueiros no cinema. Acrescentei ainda outras participações dignas de destaque e que não figuram ente os 10 escolhidos:

    10 Tom Petty em ‘O Mensageiro (The Postman)’ (1997)

    09 Ozzy Osbourne em ‘Little Nicky – Um Diabo Diferente (Little Nicky)’ (2000)

    08 Ronnie James Dio em ‘Tenacious D – Uma Dupla Infernal (Tenacious D in The Pick of Destiny)’ (2006)

    07 David Bowie em ‘Zoolander (Zoolander)’ (2001)

    06 Keith Richards como Capitão Teague em ‘Piratas do Caribe – No Fim do Mundo (Pirates of the Caribbean: At World’s End)’ (2007)

    05 Flea como Kieffer em ‘O Grande Lebowski (The Big Lebowski)’ (1998)

    04 Bruce Springsteen em ‘Alta Fidelidade (High Fidelity)’ (2000)

    03 Billy Idol em ‘Afinado no Amor (The Wedding Singer)’ (1998)

    02 Meat Loaf como Robert Bob Paulson em ‘Clube da Luta (Fight Club)’ 1999

    01 Alice Cooper em ‘Quanto Mais Idiota Melhor (Wayne’s World)’ (1992)

    Minhas indicações:

    Lemmy em ‘Os Cabeças de Vento (Airheads)’ (1994)

    Gene Simmons em ‘Exterminador Implacável (Wanted: Dead or Alive)’ (1987)

    Henry Rollins em ‘Floresta do Mal (Wrong Turn 2: Dead End)’ (2007)

    Iggy Pop e Tom Waits em ‘Sobre Café e Cigarros (Coffee and Cigarettes)’ (2003)

     
  • paulocarames 11:24 em 29/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1999, , bill gates, , , Mark Zuckerberg, piratas da informática, , , steve jobs   

    Nerds e bilionários: Piratas do Vale do Silício / A Rede Social 

    Lado A – Piratas do Vale do Silício (Pirates of Silicon Valley) 1999
    Baseado no livro Fire in the Valley: The Making of The Personal Computer, de Paul Freiberger e Michael Swaine, este filme narra o nascimento de dois gigantes que ditaram a maneira como hoje encaramos a informática. A partir dos anos 1970, Bill Gates e Steve Jobs desenvolveram os moldes da informática doméstica a partir de uma garagem. Utilizando métodos não muito éticos e um tanto questionáveis, criaram a Microsoft e a Apple, os maiores conglomerados do ramo (Jobs roubando a ideia da Xerox e Gates roubando e adaptando as ideias de Jobs). “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”, mesmo que a máxima não seja verdadeira, Gates, ao invés do perdão conseguiu tornar-se o homem mais rico do planeta a partir de sua criação. Essencial para conhecer um pouco da história destes dois polêmicos impérios.

    Lado B – A Rede Social (The Social Network) 2010
    Mark Zuckerberg levou um fora e para se recuperar foi direto para seu apartamento. Era outono de 2003 em Harvard. No auge dos blogs ele roubou informações da base de dados da universidade e utilizou a foto das alunas para criar o Facemash, uma espécie de ranking onde internautas poderiam votar e eleger a estudante que consideravam mais bonita.
    O resultado foi ter 450 pessoas cadastradas e 22 mil visitas em poucas horas causando uma pane no servidor de Harvard. Com a mesma velocidade, Zuckerberg foi descoberto e sua notoriedade chamou atenção não só das autoridades locais como dos irmãos Winklevoss que tinham a pretensão de criar uma ferramenta de interação social via web. O filme retrata não só como os irmãos foram passados pra trás pelo jovem nerd como também o brasileiro Eduardo Saverin (companheiro de quarto de Mark Zuckerberg e co-fundador do Facebook) que financiou do seu próprio bolso os primeiros 20 mil dólares da empreitada.
    Com tanta polêmica e ao mesmo tempo, genialidade, Zuckerberg é considerado o Bill Gates de sua geração tendo se tornado o mais jovem bilionário da história.
    O filme é dirigido por David Fincher (Seven, Clube da Luta e O Curioso Caso de Benjamin Button) e está sendo apontado como certo na corrida pelo Oscar. Destaque também para atuação de Justin Timberlake fazendo o papel de Sean Parker – criador do Napster.

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: