Marcado como: 2017 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 20:49 em 22/08/2018 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2017, , , alex kane, ben reagan, , cellophane, clare misstake, , paul roessler, , , , , , ,   

    LP/CD – Richie Ramone: Cellophane 2016 


    A banda acaba e o baterista monta um novo grupo assumindo os vocais, ele passa então a lançar discos e excursionar pelo mundo. Soa familiar mas não faça confusão, estamos falando do ex-ramone Richie Reinhardt.

    Reinhardt deixou os Ramones em 1987 após gravar três albuns com a banda e excursionar fazendo cerca de 400 shows com os pioneiros do punk. Os Ramones se separaram em 1996, mas àquela altura já não se ouvia mais falar do ex integrante até que em 2013 ele reapareceu, empunhando o sobrenome mais famoso e lançando sua estréia solo, Entitled.

    Em Cellophane, lançado em 5 de agosto de 2016, Richie Ramone volta ao estúdio depois de um longo período na estrada e retoma o trabalho anterior guinando desta vez mais para o punk rock dos discos que gravou ao lado de Joey, Johnny e Dee Dee.

    Para o registro, ele conta com a companhia de Ben Reagan na guitarra, o produtor Paul Roessler nos teclados, além de Clare Misstake (baixo) e Alex Kane (guitarra) – ambos do Anti-product. Clare, que também passou a excursionar com Richie, já havia tocado com Marky no projeto Marky Ramone’s Blitzkrieg ao lado de Michale Graves.

    Braggadocio abre os trabalhos, parceria do baterista com Adam Bones, que também co-assina Just to be clear e Your Worst Enemy. Um dos destaques é I Fix This, resultado do trabalho conjunto de Richie com o guitarrista Ben Reagan com direito a single e vídeo de divulgação.

    What? é fruto de outra parceria, desta vez, de Tina DiGeorge e Richie que assina apenas três canções desacompanhado: a canção título Cellophane, I’m not ready e Pretty Poison, esta última composta nos tempos de Ramones mas não aproveitada pelo quarteto.

    Tradição na discografia ramônica, tanto oficial quanto solo, a cover da vez fica a cargo de Enjoy the silence do Depeche Mode. Com tiragem inicial apenas em CD, Cellophane teve sua versão em vinil lançada só no ano seguinte, em edição limitada a 500 cópias.

    Apesar do resultado menos empolgante do que de outros bateristas que se aventuraram como cantores, Richie declarou ter sentido-se mais à vontade nos vocais desta vez. E se o número de canções encolheu em comparação com o debut do artista, as releituras dos tempos de Ramone desta vez deram lugar a canções autorais.

    Ele encerra a empreitada com a bela I’m not ready decretando “O céu pode esperar, diga-lhes que não estou pronto”.

    Ficha Técnica:
    DC-Jam Records – produzido por Paul Roessler.

    Richie Ramone – bateria e vocal
    Ben Reagan – guitarra
    Clare Misstake – baixo
    Alex Kane – guitarra
    Paul Roessler – teclados

    Edição em LP
    A1 Braggadocio 3:23
    A2 I Fix This 2:54
    A3 Cellophane 4:36
    A4 Your Worst Enemy 3:47
    A5 Pretty Poison 3:18
    B1 Enjoy The Silence 4:30
    B2 Just To Be Clear 2:38
    B3 What? 3:58
    B4 I’m Not Ready 4:15

    Edição em CD
    01) Braggadocio (Richie Ramone / Adam Bones) (3.23)
    02) I Fix This (Richie Ramone / Ben Reagan) (2.54)
    03) Cellophane (Richie Ramone) (4.35)
    04) Just To Be Clear (Richie Ramone / Adam Bones) (3.46)
    05) Pretty Poison (Richie Ramone) (3.18)
    06) Enjoy the Silence (Martin Lee Gore) (4.30)
    07) Your Worst Enemy (Richie Ramone / Adam Bones) (2.58)
    08) What? (Richie Ramone / Tina DiGeorge) (3.58)
    09) I’m Not Ready (Richie Ramone) (4.15)






     
  • paulocarames 15:02 em 18/03/2017 Link Permanente | Resposta
    Tags: 17 de março, 2017, american beauty, , , , , , Jessica Jill Guerra, Kate Eldridge, , , , , , , ,   

    LP/CD – CJ Ramone: American Beauty 2017 


    Quem procura acha e se você procurar referências no novo disco solo de CJ Ramone, irá encontrar. Lançado em 17 de março de 2017 pela Fat Wreck Chords, American Beauty é o terceiro trabalho solo do ex-baixista dos Ramones.

    O disco começa como se fosse o lado C do LP anterior, Last Chance to Dance de 2014: Let’s Go tem solos faceiros de guitarra, marcação nas palmas e o título mais do que ramônico com uma letra que fala em cair na estrada mais uma vez. Coisa que CJ tem feito bastante, inclusive tocando na Argentina em momento histórico ao acompanhar Richie Ramone na celebração dos 30 anos do primeiro show da banda no país vizinho.

    Yeah Yeah Yeah é sobre fugir de encrenca mas saber que, invariavelmente, ela o encontra. A sirene de carro de polícia é um saudável déjà-vu de Psicho Therapy e a canção lembra trabalhos solo de outro baixista, Dee Dee Ramone.

    Se em 2012 CJ se desculpava com One More Chance e pedia mais uma chance para tentar fazer a coisa certa, em You’ll Never Make Me Believe ele parece ter escrito a resposta cética e taxativa ao pedido: “agora não tem jeito, você nunca me fará acreditar”. E segue, “você age como se fosse especial, vejo nos seus olhos mas sei que você é apenas louca, que grande novidade. não sou tão estúpido e menos ainda você é tão brilhante… estou cansado de todas suas histórias, estou cansado de todas suas mentiras e simplesmente não acredito mais em suas promessas vazias”. Impossível ser mais direto.

    Before the Lights Go Out é uma balada no melhor estilo fim de festa. “por favor, faça uma coisa por mim: sussurre delicadamente antes das luzes se apagarem, diga que me ama girl. pela manhã eu terei partido e você estará sozinha”.

    Girlfriend in a Graveyard lembra composições mórbidas da fase aura dos Ramones. Quem mais escreveria sobre encontrar uma namorada em meio a lápides, que pareça a noiva vampiro, em pleno jardim da sanidade?

    As referências continuam em Tommy’s Gone com o baterista fundador da banda sendo lembrado – Tommy Ramone que morreu em 2014. Os outros três membros originais (Joey, Dee Dee e Johnny já haviam sido celebrados em Three Angels, canção de 2012) mas agora o toque é sutil e mais pessoal, comparável ao poder de The Bowery Electric, ocasião em que CJ e Tommy trabalharam juntos homenageando Joey.

    Run Around (sobre perder mais do que ganhar e mesmo assim não desistir) e Steady as She Goes (exaltando a rotina de turnês, “um dia ruim na estrada é melhor que um dia bom em casa”) são duas levadas pra cima para dançar pelo salão como propunha o álbum anterior. Assim como Without You que empresta o riff inconfundível de The KKK Took my Baby Away e conta com vocais de Kate Eldridge da banda Big Eyes falando da dificuldade de se relacionar à distância.

    Mais uma balada, Be a Good Girl, quebra o ritmo da trinca anterior com “baby baby baby seja uma boa garota e eu serei verdadeiro com você”. Moral to the Story conta três histórias com fim trágico mas deixa uma lição, “viva sua vida, você será lembrado por seu nome e suas histórias através daqueles que te amam”.

    O disco encerra com a única canção que não leva assinatura do baixista e honra a tradição de incluir uma cover. Desta vez de Tom Waits que já havia cedido I Don’t Want To Grow Up para despedida da banda em ¡Adios Amigos! de 1995. Em Pony (original do disco Mule Variations de 1999) o trompete é vigoroso, e bem poderia ter sido gravado pelo próprio Waits.

    A arte da capa ficou a cargo de Jessica Jill Guerra e é impossível não fazer alusão ao filme (também de 1999) com mesmo nome (Beleza Americana no Brasil) e estrelado por Kevin Spacey.

    Embora American Beauty não alcance o êxito do debut Reconquista, também não chega a decepcionar. Os fiéis escudeiros Dan Root e Steve Soto repetem a parceria dos trabalhos anteriores segurando a bronca nas guitarras, desta vez acompanhados de Pete Sosa na bateria. É um disco que certamente irá envelhecer com o tempo a seu favor.

    Ficha Técnica:
    Fat Wreck Chords – produzido por CJ Ramone e Paul Miner

    CJ Ramone – baixo e vocal
    Steve Soto – guitarra e backing vocal
    Dan Root – guitarra e backing vocal
    Pete Sosa – bateria

    Edição Original
    A1 Let’s Go
    A2 Yeah Yeah Yeah
    A3 You’ll Never Make Me Believe
    A4 Before The Lights Go Out
    A5 Girlfriend In A Graveyard
    A6 Tommy’s Gone
    B1 Run Around
    B2 Steady As She Goes
    B3 Without You
    B4 Be A Good Girl
    B5 Moral To The Story
    B6 Pony






     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: