Marcado como: Alegrete Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 9:12 em 03/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, , O segredo para nunca brigar!,   

    O segredo para nunca brigar! 

    Um casal do Alegrete foi entrevistado num programa de televisão porque estavam casados há 50 anos e nunca tinham brigado.
    O repórter todo curioso pergunta a mulher :

    • Mas vocês nunca brigaram mesmo ?
    • Não, responde a mulher.
    • E como isso aconteceu ?
    • Bem, quando casamos o meu marido tinha uma égua de estimação. Era a criatura que ele mais amava na vida. No dia do nosso casamento fomos de lua-de-mel na nossa carroça puxada pela égua. Andamos alguns metros e a égua, coitada, tropeçou. Meu marido olhou bem firme para a égua e disse :
    • Um.

    Mais alguns metros e a égua tropeçou de novo. Meu marido encarou a égua e disse :

    • Dois.

    Na terceira vez que ela tropeçou ele sacou da espingarda e deu uns cinco tiros na bichinha. Eu fiquei apavorada e perguntei:

    • Seu ignorante desalmado, porque é que tu fizeste uma coisa dessas, homem?

    Meu marido me encarou e disse:

    • Um.
    • Depois disso nunca mais brigamos.
     
  • paulocarames 0:22 em 09/10/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, ,   

    Vanerão Vegetal 

     
  • paulocarames 2:56 em 13/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, , curta, invasão do alegrete, , trote, uruguaiana   

    Curta – A invasão do Alegrete 2009 

    Tão conhecido quanto o Canto Alegretense é a rivalidade entre as vizinhas Alegrete e Uruguaiana. Neste curta de 22 minutos a rivalidade histórica toma forma em um trote.

    Após a instalação do primeiro telefone em Alegrete, dois moradores da cidade rival passam um trote alertando sobre um plano de invasão dos uruguaianenses. E agora, como defender a cidade deste ataque?

    O curta, exibido no Festival de Cinema de Gramado, é ambientado nos anos 1940 e foi rodado na própria cidade de Alegrete.

    Vale a pena conferir: assista aqui

     
  • paulocarames 1:52 em 28/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, , , no alegrete é assim,   

    No Alegrete é assim 

    Eu também não iria querer o brinde, ora.

     
  • paulocarames 23:40 em 23/03/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, austrália, , , bulling, recreio, tentativa   

    Tentativa de bulling 

    Como diz um conterrâneo, no Alegrete isso se chama recreio.

     
  • paulocarames 3:14 em 18/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 20 de setembro, Alegrete, ,   

    Não me perguntes onde fica O Alegrete 

    Como disse Richard Dawkins em seu livro mais recente, existe a crítica à crença e existe a crítica ao sistema de crenças. Eu explico, segundo Dawkins você pode, por exemplo, ser católico e criticar o islamismo, budismo ou qualquer outra religião diferente da sua. Mas existe uma grande rejeição ao fato de que você seja ateu ou questione o sistema de crenças. O importante é acreditar em alguma religião disponível no cardápio, acreditar no sistema e suas crenças.

    Por que esse papo? Simplesmente, quero entender o feriado que está chegando. Ao contrário e com todo respeito aos meus colegas de blog, taí um feriado que nunca consegui compreender mesmo tendo nascido no Alegrete (sabe do que estou falando né? terceira capital farroupilha, onde é provável que existam mais CTG’s do que igrejas, onde você é supostamente mais gaúcho que os outros gaúchos, onde acontece o maior desfile farroupilha do estado…).

    Mas afinal, estou enganado ou o 20 de setembro homenageia uma revolução onde os revolucionários foram vencidos e ainda assim a derrota é celebrada em hinos e paradas de estado como sendo um grande feito? (como comemorar vice-campeonato ou se o lado derrotado na Segunda Guerra comemorasse o Dia D). Sei que ele nos celebra como um povo guerreiro por essência, embora cada povo na história da humanidade tenha construído sua civilização desta mesma forma (caso contrário não existiria mais). Bom, mas nos ensinam que nesta guerra o povo rebelou-se contra o império.

    Ou a revolução aconteceu para que estancieiros não pagassem impostos ao império e pudessem continuar fazendo contrabando na fronteira? E para engrossar as tropas, não foi prometida liberdade a escravos negros que mais tarde foram entregues ao inimigo para serem massacrados?

    É uma questão de incompatibilidade com estes feriados de setembro. Qualquer tipo de fanatismo (nacionalista, bairrista ou religioso) até hoje só gerou intolerância e guerra. O tal ‘orgulho de ser gaúcho’ já parte do princípio que nascer em outro lugar seja motivo de vergonha.

    Não me entendam mal, não tenho nenhum problema com o gauchismo, só acho que o lugar de história é no museu – mesmo que tenha muita coisa mal contada no meio de toda esta festa. Não é preciso fantasiar-se para um desfile para ser gaúcho, o critério é outro: basta nascer no Rio Grande do Sul, ponto.

    O que tento entender é a verdade por trás da crença. Mas talvez eu seja muito cético ou niilista demais. Talvez eu tente encontrar razão onde só existe fé incondicional e isto torne impossível compreender o que acontece nesta data. Alegrete será nos próximos dias a maior concentração de merda de cavalo do planeta – cerca de 10 mil eqüinos desfilarão pelas ruas da cidade. Estarei lá para visitar minha família e tenho certeza que será engraçado, serei como um ateu em férias na Terra Santa. E caso alguém tenha a resposta para alguma das minhas dúvidas, ajude a iluminar este descrente.

     
    • Mateus 13:55 em 23/09/2010 Link Permanente | Resposta

      tchê (comecei bem o comentário), no nosso estado, o que se cultua é o ser “não-brasileiro”, ser diferenciado do resto. e nesse sentido somos autênticos. é por isso que lá pra cima nos odeiam tanto. pra mim não tem nada melhor que um churrasco. gosto um pouco de chimarrão. mas nunca fui de gostar, por exemplo, de música gaúcha. observa… hoje em dia tu vê grupos de “tchê isso”, “tchê aquilo”, “tchê não-sei-o-quê”… e aí tu olha pra quem toca isso: “gauchões” de brinco e bombacha batucando pandeiro em músicas que depois de 30 segundos, tu te surpreende em descobrir que o vocal não é o da ivete.
      isso tudo em meio ao modismo que toma conta. bem como tu disse, fantasiam-se de gaúchos por uns dias, metem o pé no estrume e banalizam a bombacha, que aliás já existe até na versão feminina (para as “prendas” mais fashion) na cor rosa.
      mas felizmente não sinto necessidade de me enturmar, pois é uma semana que só se fala e só se faz isso. sem ofensa aos adeptos, mas nesses dias se te fazem um convite é pra ir num baile. se te perguntam o que tu fez no feriado é se tu foi em algum baile.
      já tô acostumado a dizer “não”, “não gosto”, “não vou”, “não fui”… mas me pergunto: claro que não vai acontecer, mas e se um dia eu me cansar da autenticidade? bom, acho que daí eu vou em alguma esquina, compro uma bombacha verde-limão, uma alpargata, meto um quilo de gel no cabelo e pronto. não sou mais um traidor do movimento. dia 21 vai tudo pro fundo do baú e terei mais 365 dias pra observar qual vai ser a cor da moda pra usar no próximo 20 de setembro.
      de todo meu bagualismo, só o que me resta é viver falando aquela primeira palavra que usei nesse comentário e as fotos de bombacha com 5 anos de idade fingindo que toca gaita.
      um abraço, e até domingo que vem, gaúchos e gaúchas de todas as querências!

  • rafael86 12:44 em 28/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, , Grandes Cidades, ,   

    Não me perguntes onde fica o Alegrete 

     
  • rafael86 19:19 em 22/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: Alegrete, ,   

    Mas e o Grêmio? 

    Está difícil ver o Grêmio jogar, ontem contra o Ceará o time levou um gol aos 40 segundos de jogo e ainda por cima contra – mais isso é do futebol – logo após tentou esboçar uma reação, que resultou em bolas alçadas para área sem muito objetivo. Acabou achando um gol, o Ceará devolveu o presente do inicio do jogo, fazendo contra. Mas pior que o resultado do jogo que acabou ficando 2X1 para o Ceará, que marcou aos 42 do segundo tempo, é ver a atitude do Grêmio, Douglas e Souza não marcam, deixando os volantes adversários livres, ai complica e acaba estourando na zaga que também anda com sérias dificuldades. Não sei se essa idéia de marcação é uma cultura aqui do sul, mas o mínimo que se espera quando um jogador de ataque perde a bola, que pelo menos cerque o adversário não precisa dar carrinho nem dividir bola com cara, mas mostrar atitude vontade, o que vimos em campo ontem foi uma atitude displicente principalmente do Douglas, que ao ser substituído saiu de campo caminhando. As vezes penso que seria bom ter no Grêmio mais jogadores Gaúchos, talvez estes teriam a consciência que para nós futebol é coisa séria e que falta de vontade, displicência e corpo mole lá pras bandas do Alegrete é no mínimo punível com “degolamento” na praça.

     
    • carames 19:12 em 28/08/2010 Link Permanente | Resposta

      pois é, em Alegrete tem o famoso Flamenguinho. e pode ter certeza que zaga como essa por aquelas bandas não se cria.

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: