Marcado como: aniversário Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 0:24 em 01/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: aniversário, , ,   

    Feliz aniversário Joãozinho Podre 


    John Joseph Lydon (31 de janeiro de 1956) ou Johnny Rotten, vocalista dos Sex Pistols é o aniversariante do dia.

    Johnny Rotten passeava pela rua usando uma camiseta com a inscrição “Odeio Pink Floyd” e foi convidado a assumir os vocais após cantar uma música de Alice Cooper em um Jukebox parecendo o corcunda de Notre Dame.


     
  • paulocarames 2:07 em 22/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1 ano de blog, aniversário, ,   

    1 ano de blog 

     
  • paulocarames 2:20 em 01/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: aniversário, , , enio morricone, , por um punhado de dólares, por uns dólares a mais, , três homens em conflito, trilogia   

    Filme – Trilogia do Homem Sem Nome (1964/1965/1966) 

    Clinton Eastwood Jr nasceu em San Francisco no dia 31 de maio de 1930. No final dos anos 1950 Clint Eastwood começou sua carreira em filmes como a ficção Tarântula (1959) e seriados de tv como Rawhide, um faroeste com o qual ele teve sua ambientação com o gênero que o consagraria nos anos seguintes.

    Por um Punhado de Dólares (Per un pugno di dollari) 1964:

    Na década de 1960 o cinema sofria com a concorrência da tv, fato que enfraquecia o faroeste, gênero consolidado na tela grande. Eis que o diretor Sergio Leone convida o jovem Clint para filmar na Europa. O projeto é inspirado em Yojimbo (1961), de Akira Kurosawa.

    Na trama, Clint interpreta um pistoleiro que chega à cidade de San Miguel, na fronteira dos Estados Unidos com o México. A cidade é disputada por duas gangues de pistoleiros, uma contrabandeia armas e a outra, bebidas.

    O pistoleiro sem nome (em momento algum dos três filmes ele diz o próprio nome) passa a matar sob ordem dos dois grupos, ganhando dinheiro de ambos lados e causando uma guerra de consequências irreparáveis.

    Este foi o pontapé do que seria conhecido como Western Spaghetti, faroestes sanguinolentos ambientados na Itália que desmontaram o mito do oeste americano justo. Com pistoleiros solitários e lacônicos que era uma mera aposta de filme barato e violento foi um tremendo sucesso garantindo mais duas sequências. Por um punhado de dólares e o próprio Yojimbo ainda seriam inspiração para O Último Matador (1996) com Bruce Willis.

    Por alguns Dólares a mais (Per Qualche Dollaro in Più) 1965:

    Gravado na região de Almeria (Espanha), a segunda parte da saga apresenta o herói sem nome como um caçador de recompensas que rivaliza com o coronel Douglas Mortimer (Lee Van Cleef) na caça a um bandido procurado, El Indio.

    Vagando pelo oeste em busca de novos alvos ele se depara com o cartaz oferecendo recompensa pela captura do personagem interpretado por Gian Maria Volonté.

    Diante da impossibilidade de eliminar um ao outro e não tendo conseguido capturar seu alvo, eles resolvem unir forças e tentam infiltrar-se disfarçados no bando de El Índio na tentativa de prendê-lo.

    Ennio Morricone marca presença nos três filmes da franquia criando a trilha sonora definitiva do gênero.

    Três Homens em Conflito (The Good, The Bad and The Ugly) 1966:

    O episódio final desta trilogia apresenta o personagem de Clint Eastwood (o bom do título) com uma pontaria sem igual. Ele é responsável por prender Tuco (o mal) e entregá-lo à justiça recebendo uma recompensa por isso.

    Tuco é solto por seu comparsa momentos antes de ser enforcado. Cada vez que fazem isto o valor pela sua captura aumenta e eles vão faturando cada vez mais às custas da ingenuidade das autoridades.

    Após uma ruptura entre os dois eles se juntam ao imoral personagem de Lee Van Cleef (o feio) em busca de um tesouro abandonado pelo exército confederado em meio à guerra civil americana.

    O final do filme reserva um duelo a três, ao embalo da emblemática trilha de Morricone, para decidir quem ficará com o tesouro. A câmera registra cada momento de tensão no rosto dos pistoleiros culminando num final mais do que original. Toque de mestre para encerrar esta obra-prima que revigorou um gênero e revelou um astro.

    Clint Eastwood voltaria a ter um papel marcante em um faroeste com seu Os Imperdoáveis (1992), filme que lhe rendeu Oscar de melhor filme e melhor diretor. Dirigiu a cinebiografia do saxofonista Charlie Parker, fez sucesso ao interpretar o violento policial Harry Callahan na franquia de sucesso Magnum 44. Voltou a ganhar um Oscar, desta vez pela direção de Menina de Ouro (2004). Eastwood, já com oito décadas de vida atuou como ator em mais de 60 filmes, foi diretor e produtor de pelo menos 30 nos mais variados gêneros demonstrando sua versatilidade. Go ahead, make my day.

     
  • paulocarames 1:00 em 30/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , aniversário, , blue velvet, , , isabella rossellini, , veludo azul   

    Filme – Veludo Azul (Blue Velvet) 1986 

    Um ano após a morte de Dennis Hopper (17/05/1936 – 27/05/2010), seria clichê escrever justo sobre Sem Destino (1969) para lembrar deste artista que destacou-se como ator mas foi também diretor e produtor além de colecionador de arte e pintor com relativo sucesso. Ao invés disto, prefiro indicar Veludo Azul (1986) do também celebrado David Lynch e que marcou a volta por cima de Hopper.

    Dennis Hopper é Frank Booth, o sádico sociopata que anda por aí com seu tubo de oxigênio (não confundir com o personagem de Javier Bardem em Onde os fracos não tem vez).

    Uma orelha humana cortada é o ponto de partida para que Jeffrey Beaumont (Kyle MacLachlan) inconformado com o pouco interesse da polícia pelo caso, comece a investigar por conta própria e se depare com o lado obscuro do estilo de vida americano.

    Atrás de pistas ele invade o apartamento de uma cantora, Dorothy Vallens (Isabella Rossellini), que tem sua família mantida refém por Frank além de sofrer contanstes abusos por parte dele. Quando ela chega em casa, Jeffrey esconde-se em um armário e presencia, pelas frestas da porta, Frank estuprar e espancar Dorothy na cena mais polêmica do filme que também destacou-se pela violência e insanidade do personagem interpretado por Hopper.

    Por Veludo Azul, Lynch foi indicado ao Oscar e Hopper deixou para posteridade um dos mais perturbadores psicopatas do cinema.

    Para saber mais sobre a vida deste incomparável artista, clique aqui e leia a excelente resenha do amigo Márcio Grings à época da morte de Hopper.

     
  • paulocarames 1:16 em 28/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , aniversário, , O Abominável Dr. Phibes, , , The Abominable Dr Phibes, vincent price   

    Filme – O Abominável Dr. Phibes (The Abominable Dr Phibes) 1971 

    Vincent Price (nascido Vincent Leonard Price Jr em 27 de maio de 1911) ficou conhecido pelos inúmeros filmes de suspense e terror que estrelou. Destaque para as décadas de 1950, 60 e 70 onde encarnou personagens icônicos em filmes como Museu de Cera, A casa dos maus espíritos e Mortos que matam.

    Em 1971 ele estrelou O Abominável Dr Phibes, um médico diabólico que após um acidente tem seu rosto desfigurado e perde sua esposa que depois do acidente morre na mesa de cirurgia. Inconformado com a perda ele utiliza planos elaborados, que se inspiram nas dez pragas do Egito, para levar sua vingança a cada um dos médicos envolvidos na mal sucedida cirurgia.

    Inicialmente dado como morto, Dr Phibes passa a ser perseguido pelo inspetor Trout que acredita ser ele o responsável pelas mortes. Por outro lado, a Scotland Yard não leva as suspeitas a sério por conta da suposta morte de Phibes. Agora, o inspetor corre contra o tempo para evitar que o doutor maquiavélico leve a cabo seu plano de vingança.

    Vincent Price voltaria a interpretar Dr Phibes no ano seguinte em A Câmara dos Horrores do Abominável Dr. Phibes. Seu último filme foi Edward Mãos de Tesoura (1990), no qual contracenou com Johnny Depp a convite do próprio Tim Burton, grande fã do ator. Price viria a falecer três anos mais tarde, aos 82 anos, vitimado por um câncer de pulmão.

     
  • paulocarames 1:08 em 27/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1962, aniversário, , , , , , , O Homem Que Matou o Facínora, , The Man Who Shot Liberty Valance   

    Filme – O Homem Que Matou o Facínora (The Man Who Shot Liberty Valance) 1962 

    Filme clássico dirigido pelo mestre do Western, John Ford e protagonizado por James Stewart, Lee Marvin e por John Wayne – que faria 104 anos hoje se fosse vivo.

    Ransom Stoddard (James Stewart) é um senador que viaja para Shinbone para o enterro de seu amigo de longa data, Tom Doniphon (John Wayne), um bêbado que morre incógnito e sem nenhum centavo no bolso. Filmado em preto-e-branco e utilizando o recurso de flashback o filme nos apresenta a história destes dois amigos que disputam o amor da mesma mulher e divergem em relação ao confronto armado. Enquanto Ransom recusa-se a usar uma arma, Tom defende não haver forma mais adequada de resolver os problemas.

    No retorno à cidade, Ransom começa a recordar seu começo como advogado recém formado e o incidente que mudou sua vida. O Liberty Valance (Lee Marvin) do título original, é o típico bandido do velho oeste, perturba quem cruza seu caminho e impõe sua vontade à força. Até que ele é morto em um confronto em uma noite escura. Resta descobrir quem matou o tal facínora.

    Um faroeste longe de ser um filme comum que obedece a máxima que John Ford bem definiu: Na dúvida, publique-se a lenda.

     
  • paulocarames 10:05 em 19/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , aniversário, , , , , , , , , , , , , numerado, , , , , , , ,   

    Boxset – Ramones: End of the Decade 1990 


    Acontece hoje (19/5/2011) em Curitiba o 2º Ramones Day. A realização do evento coincide com a data de aniversário de Joey Ramone, falecido em abril de 2001 e que completaria hoje, 60 anos.

    Na impossibilidade de participar do evento, recomendo ficar em casa curtindo a vasta discografia de Joey, seja em projetos solo ou com os Ramones. Uma opção de luxo é a caixa Ramones – End of the Decade.

    Lançado na Inglaterra em 1990 pelo selo Beggars Banquet (fruto de um contrato com o selo inglês que previa a distribuição de 3 discos do grupo no Reino Unido), este box raro contempla 6 singles 12″ dos Ramones contendo músicas dos álbuns Too Tough To Die (1984), Animal Boy (1986) e Halfway to Sanity (1987) – os únicos de Richie com a banda.


    As covers Street Fighting Man (Rolling Stones) e Indian Giver (1910 Fruitgum Company) assim como aconteceu com Can’t say anything nice e I don’t want to live this life permaneceram restritas a este pacote por um tempo e só foram lançadas em relançamentos ou coletâneas. Aliás, I don’t want to live this life, havia sido feita para trilha sonora do filme de Alex Cox sobre o casal Sid Vicious/Nancy Spungen mas acabou sacada após uma briga entre o diretor e Dee Dee.

    Foram lançados apenas 2500 exemplares numerados em um pacote que incluía também um pôster, uma camiseta e 3 cartões postais da banda fazendo deste o santo grau para aqueles que colecionam material relacionado à banda. Pra curtir no volume máximo.

    Ficha Técnica:
    Beggars Banquet – *produzido por Tommy Ramone e Ed Stasium; **produzido por Jean Beauvoir; ***produzido por Ramones e Daniel Rey

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Richie Ramone – bateria

    LP 1:
    “Howling at the Moon (Sha-La-La)” (Dee Dee Ramone) – 4:06
    “Smash You” (Ramones) – 2:23
    “Street Fighting Man” (Jagger/Richards) – 2:56
    LP 2:
    “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes To Bitburg)” (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir, Joey Ramone) – 3:55
    “Go home Ann” (Dee Dee Ramone, Mitch Leigh) – 2:50
    “Daytime Dilemma (Dangers of Love)” (Joey Ramone/Daniel Rey) – 4:31
    LP 3:
    “Something To Believe In” (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 4:09
    “Somebody Put Something In My Drink” (Richie Ramone) – 3:23
    “Can’t say anything nice” (Richie Ramone) – 2:56
    LP 4:
    “Crummy Stuff” (Dee Dee Ramone) – 2:06
    “Something To Believe In” (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 4:09
    “I don’t want to live this life” (Dee Dee Ramone) – 3:28
    LP 5:
    “A Real Cool Time” (Joey Ramone) – 2:38
    “Indian Giver” (Richie Cordell, Robert Bloom, Bo Gentry) – 2:47
    “Life goes on” (Joey Ramone) – 3:30
    LP 6:
    “I Wanna Live” (Dee Dee Ramone, Daniel Rey) – 2:36
    “Merry Christmas” (Joey Ramone) – 2:37

    1.Howling at the moon / Smash You / Street Fighting Man (BEG 128T)*

    2.Bonzo goes to Bitzburg** / Go home Ann* / Daytime Dilemma* (BEG 140T)

    3.Something to Believe In** / Somebody put Something in my Drink* / Can’t say anything nice* (BEG 157T)

    4.Crummy Stuff / Something to believe in / I don’t want to live this life (BEG 167T)**

    5.Real Cool Time / Life goes on / Indian Giver (BEG 198T)***

    6.I Wanna Live*** / Merry Christmas** (BEG 201T)


     
  • paulocarames 12:30 em 08/10/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , aniversário, , , , ,   

    8 de outubro 

    Com o passar dos anos alguns rituais não se alteram, ignorando assim o passar do tempo. Um deles é o da minha vó ligar no dia do meu aniversário às 6 da manhã e garantir a primeira felicitação do dia. Outro é acordar a cada 8 de outubro pensando em como seria montar uma banda com os aniversariantes do dia.
    Seria algo como: Johnny Ramone (1948) na guitarra, CJ Ramone (1965) no baixo e Eu (1978) na bateria. Um power trio mesmo, três acordes e tudo resolvido.
    Se tivesse acontecido e eu conseguisse ao menos fazer algo tipo Strenght to Endure, já teria valido a pena.

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: