Marcado como: Blues Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 11:00 em 08/02/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Blues, , Rock Me Baby   

    Lightnin’ Hopkins – Rock Me Baby 

     
  • paulocarames 2:22 em 14/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Big Mama Thornton, , Blues, Hound Dog   

    Vídeo – Big Mama Thornton: Hound Dog 

     
  • paulocarames 17:52 em 16/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Blues, , , , ,   

    Robert Johnson (8/05/1911 – 16/08/1938) 

    Como se constrói um mito? Bom, Pelé marcou 1283 gols em sua carreira e graças não só à quantidade, mas à beleza de seus gols tornou-se um mito. Revolucionou a maneira como se joga futebol e depois dele o futebol jamais voltou a ser o que era.
    Assim como ocorreu no futebol com Pelé, depois de Robert Johnson o Blues jamais foi o mesmo. Mas, Johnson não precisou de tantas músicas para, assim como Pelé, tornar-se um mito. Tanto que um consumidor desavisado corre o risco de comprar um disco deste artista e acreditar tratar-se de uma simples coletânea quando o álbum na verdade contém a íntegra de sua obra.
    Ele fez apenas duas sessões de gravação, uma em novembro de 1936 e a outra em junho de 1937 de onde foram extraídas as únicas 29 músicas conhecidas dum total de 41 faixas incluindo takes alternativos. Parece muito pouco, e de fato, Johnson teve muito pouco reconhecimento em vida, sua obra só foi devidamente reconhecida a partir dos anos 1960 com o resgate de suas canções por artistas como Rolling Stones e Eric Clapton consolidando-o no hall dos principais bluesman que já existiram.
    Entretanto, outros aspectos da breve vida de Robert Johnson são incertos e de complexa explicação, pois documentos oficiais a respeito dele inexistem ou são contraditórios, além de haver somente três fotografias conhecidas e absolutamente nenhum registro em vídeo.
    Sua mãe, Julia Ann Majors, casou-se em 1889 com Charles Dodds Jr que a abandonou em 1907. Então, Julia e Noah Johnson tem um caso que resulta em um filho, Robert Leroy Johnson, sua provável data e local de nascimento são ponto de controvérsia entre historiadores e biógrafos embora a maioria aponte Hazlehurst, Mississippi em 1911 como a informação mais confiável.
    Após uma infância conturbada, contra a vontade dos pais, Johnson opta pela música, seguindo o exemplo de seus ídolos Son House, Charley Patton e Skip James. Ele se casa com apenas 18 anos, mas perde sua esposa, então dois anos mais nova, durante o parto junto com o bebê que esperava. Este acontecimento marca sua vida e também sua música, naquela altura Robert era considerado pelos amigos Son House e Willie Brown apenas um aprendiz promissor, ou como citam algumas biografias “uma nulidade”.
    Com o ego ferido, Robert Johnson some durante algum tempo sendo uma incógnita se se passaram meses ou apenas dias. O que se sabe é que quando retornou, ele demonstrou uma habilidade muito superior a que demonstrara até então. Surge a partir daí o mito do pacto com o diabo onde ele teria entregado sua alma em uma encruzilhada em troca de ser um músico mais habilidoso. Mito ou verdade, o fato é que o resultado das gravações mostra um músico extremamente talentoso e como disse Keith Richards, dos Stones, “quem é o outro cara que está tocando com ele?”, reflexo da maneira revolucionário de Johnson ao violão em que fazia parecer estar acompanhado por outros músicos.
    Em 13 de agosto de 1938 após envolver-se com uma mulher casada, ele teria sido envenenado morrendo de pneumonia três dias depois. Assim como tantos outros fatos de sua vida, o autor do envenenamento permanece um mistério, podendo ter sido tanto um marido traído como uma namorada ciumenta, das tantas mulheres com quem costumava se envolver.
    Certo mesmo é o legado e a importância que suas 29 músicas representam tendo influenciado uma infinidade de outros artistas. Um artista fundamental em toda discoteca ou diretório de mp3.

    Para saber mais:
    Documentário – Can’t You Hear the Wind Howl? The Life and Music of Robert Johnson 1997
    Narrado por Danny Glover, tem Keb’ Mo’ interpretando o jovem Robert Johnson além de Eric Clapton, Robert Cray, John Hammond, Robert Lockwood Jr, Keith Richards e Johnny Shines. Concentra-se mais na lenda do que na apuração dos fatos.

    DVD – Hellhounds On My Trail The Afterlife of Robert Johnson 2000
    Tributo ao bottlenecker do Mississippi com entrevista e performances de RL Burnside, Keb’ Mo’ e Robert Lockwood Jr, enteado de Johnson. Apresenta também o que poderia ser o primeiro registro em vídeo conhecido, embora especialistas ainda não tenham chegado a um consenso.

    Documentário – The Search for Robert Johnson 1992
    John Hammond percorre os lugares que fizeram parte da vida de Robert Johnson resgatando a história deste lendário músico com entrevistas de Keith Richards, Eric Clapton, biógrafos de blues e do filho de Johnson, Claude Johnson. Hammond conversa com outro importante blueseiro, Johnny Shines e aproveita para fazer uma jam com Honeyboy Edwards, que estava presente na fatídica noite do envenenamento de Johnson.

    Filme – A Encruzilhada (Crossroads) 1986
    Ralph Macchio (o Daniel Sam de Karatê Kid) é o jovem guitarrista Eugene Martone que tenta a fama e encontra Joe Sêneca, amigo íntimo de Robert Johnson. O plano de Martone consiste da crença que o pacto de Johnson com o diabo contemplava 30 músicas. Desta forma ele parte atrás do que seria a última música do trato e que lhe daria fama. A trilha sonora é de Ry Cooder.

    DVD – Eric Clapton Sessions for Robert J
    Neste tributo, Eric Clapton acompanhado de sua banda, toca 16 músicas de Robert Johnson em ensaios em Londres e Dallas além de gravações no mesmo local onde Johnson gravou algumas de suas músicas.

    Livro – Blues Da Lama a Fama
    Escrito pelo crítico Roberto Muggiati, Blues – Da Lama a Fama conta a história deste secular gênero da música norte-americana que hoje está difundida em cada continente e nos mais diversos países.

    CD – Robert Johnson – King of the Delta Blues Singers 1961
    01. Crossroads Blues
    02. Terraplane Blues
    03. Come on in My Kitchen
    04. Walkin’ Blues
    05. Last Fair Deal Gone Down
    06. 32-20 Blues
    07. Kind Hearted Woman Blues
    08. If I Had Possession Over Judgment Day
    09. Preachin’ Blues (Up Jumped the Devil)
    10. When You Got a Good Friend
    11. Ramblin’ on My Mind
    12. Stones in My Passway
    13. Traveling Riverside Blues
    14. Milkcow’s Calf Blues
    15. Me and the Devil Blues
    16. Hellhound on My Trail
    17. Traveling Riverside Blues (Alternate Take)

     
  • paulocarames 9:53 em 02/02/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , Blues, , , , ,   

    Migrando do cinema para carreira musical: Costner / Seagal 

    Lado A – Kevin Costner and Modern West: Untold Truths 2008
    Desde que Elvis Presley tentou a sorte como ator, mesmo sem muito sucesso, não são raros os exemplos de artistas que tentam diversificar sua carreira. Kevin Costner é um dos casos da migração inversa a que tentou o rei do rock. Com uma carreira consolidada nas telas, desde 2008 Costner se aventura com sua banda Kevin Costner and Modern West – com a qual varia do Country ao Classic Rock. O astro de Dança com Lobos, JFK e O Guarda-costas passou pelo Brasil em turnê no final do ano passado divulgando seu álbum Turn it On. Com um trabalho apenas razoável, Costner mostra que como músico é um ótimo ator, sua atuação como Eliot Ness em Os Intocáveis é prova disto.

    01.”Long Hot Night” (Coinman, Morgan) – 4:27
    02.”90 Miles an Hour” (Park Chisholm/Costner/Morgan) – 5:18
    03.”Hey Man What About You” (Coinman) – 4:28
    04.”Superman 14″ (Coinman/Morgan) – 5:36
    05.”Don’t Lock’em Away (Song For Molly)” – 3:44
    06.”Down in Nogales” (Coinman) – 4:34
    07.”Every Intention” (Coinman) – 4:08
    08.”Five Minutes from America” – 4:40
    09.”The Sun Will Rise Again” (Chisholm/Coinman/Costner/Morgan) – 3:51
    10.”Backyard” – 4:37
    11.”Leland Iowa” (Coinman) – 3:59
    12.”Gotta Get Away (Song for Bud)” – 3:36

    Lado B – Steven Seagal and Thunderbox: Mojo Priest 2006
    Em 1988 Steven Seagal fez Nico, Acima da Lei, seu maior sucesso até hoje. Desde então se firmou como um ícone dos filmes de ação, mesmo sem emplacar um grande sucesso como o de Nico. Nos últimos anos, além de algumas pontas (como em Machete) Seagal estabeleceu uma espécie de linha de montagem. Filmando uma média de 4 filmes por ano mudando quase que somente o nome dos personagens e dos locais em questão e mantendo o restante da trama inalterada – um cara durão em busca de vingança/redenção que distribui porrada em quem cruzar seu caminho.
    Recentemente Steven Seagal passou a estrelar a série em formato de reality show Lawman a qual retrata seu dia-a-dia real como oficial de polícia na pequena cidade de Jefferson Parish.
    Seagal aventurou-se também no mundo da música gravando Mojo Priest, lançado em 2006 o qual foi divulgado com uma turnê pelos Estados Unidos e Europa. O disco conta com versões para Red Rooster de Howlin Wolf e Hoochie-Coochie Man de Muddy Waters além da participação de Bo Diddley na faixa Shake de Sam Cooke. Referências bastante interessantes embora, a exemplo de Kevin Costner, Seagal fique melhor na tela do cinema.

    01.”Somewhere in Between”
    02.”Love Doctor”
    03.”Dark Angel”
    04.”Gunfire in a Juke Joint”
    05.”My Time Is Numbered”
    06.”Aligator Ass”
    07.”BBQ”
    08.”Hoochie Koochie Man”
    09.”Talk to My Ass”
    10.”Dust My Broom”
    11.”Slow Boat to China”
    12.”She Dat Pretty”
    13.”Red Rooster”
    14.”Shake” (with Bo Diddley)
    15.”Sharp Dressed Man”
    16.”Lockwood”
    17.”Homesick”
    18.”Elmoe”
    19.”Cockpuncher Blues”

     
  • paulocarames 3:29 em 02/11/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Blues, , grateful dead   

    30 dias de Grateful Dead 

    Desta segunda-feira (1º/11) até o final do mês, o Grateful Dead irá colocar à disposição de seus fãs uma música por dia para download gratuito. As mp3s ficarão disponíveis por apenas um dia cada e com qualidade de 320 kbps. Para fazer download das faixas e conferir muito material da banda, clique aqui.

     
  • paulocarames 3:00 em 07/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Blues, Clapton, Eric, JJ Cale, ,   

    CD – Eric Clapton: Clapton 2010 


    Eis a sua chance de conferir quatro músicas novas na íntegra do 19º álbum de estúdio de Eric Clapton, simplesmente chamado de “Clapton”.
    As primeiras músicas liberadas são “Run Back To Your Side,” “Autumn Leaves,” “Diamonds Made From Rain” and “Travelin’ Alone.” O lançamento está previsto para ocorrer ainda em setembro, dia 22 no Japão, 24 na Alemanha, 27 no Reino Unido e Austrália e 28 nos Estados Unidos e Canadá. Uma versão Deluxe-edition exclusiva pode ser encontrada no site ericclapton.com.
    Co-produzido pelo guitarrista Doyle Bramhall II, o cd conta com colaborações, por exemplo, do lendário JJ Cale. Eric declarou que gostou muito do álbum e que ele será uma surpresa para os fãs pois foi uma surpresa para ele também. Acesse aqui as faixas já liberadas.

    01. Travelin’ Alone
    02. Rockin’ Chair
    03. River Runs Deep
    04. Judgement Day
    05. How Deep Is The Ocean
    06. My Very Good Friend The Milkman
    07. Can’t Hold Out Much Longer
    08. That’s No Way To Get Along
    09. Everything Will Be Alright
    10. Diamonds Made From Rain
    11. When Somebody Thinks You’re Wonderful
    12. Hard Times Blues
    13. Run Back To Your Side
    14. Autumn Leaves

     
  • paulocarames 2:25 em 07/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Blues, , , , , , ,   

    DVD – Johnny Cash – The Anthology 2001 

    Excelente antologia contando a saga de Johnny Cash através dos seus maiores sucessos em diferentes fases da carreira com depoimento de músicos e compositores como Waylon Jennings, Billy Bob Thornton e Merle Haggard. Apresentações memoráveis como Cry, Cry, Cry, Folsom Prisom Blues e Jackson.
    Inclui o documentário Half Mile a Day com 90 minutos intercalando depoimentos de artistas de peso como Carl Perkins e Jerry Lee Lewis além do próprio Cash narrando passagens de sua vida. Soma-se a isto tudo, performances ao vivo incluindo a polêmica apresentação de Sunday Morning Coming Down quando lhe foi pedido para trocar “i was stoned” (eu estava drogado) por “i was home” (eu estava em casa) – pedido óbviamente negado. Música esta, eternizada na voz de Cash mas composta por Kris Kristofferson, seu parceiro no projeto The Highwaymen ao lado de Waylon Jennings e Willie Nelson – todos presentes no documentário reverenciando o amigo. Nem mesmo os american recordings foram deixados de lado nesta biografia essencial.

     
  • paulocarames 1:29 em 06/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Blues, Editora 8inverso, , , , johnny cash uma biografia, ,   

    Livro – Johnny Cash, uma biografia 

    Publicado pela primeira vez na Alemanha em 2006, este livro ganhou versão em português no ano passado pela editora 8inverso de Porto Alegre. Trata-se do relato em quadrinhos da apresentação de Johnny Cash em 1968 na prisão de Folsom Prison, que na época virou disco. Reinhard Kleist retrata em preto-e-branco e com detalhismo além da apresentação, a trajetória do polêmico Homem de Preto sem negligenciar passagens de sua infância e adolescência. Destaque especial para a transposição das principais músicas para HQ e uma galeria de ilustrações no final do livro. Também ganhou espaço nesta biografia o detento Glen Sherley que escreveu Greystone Chapel, mais tarde gravada por Cash.
    “A vida errante de Cash como um solitário, patriota, um rebelde contra o sistema do music business em uma história escrita de forma a agradar não apenas os fãs do cantor” declarou Kleist.
    A apresentação em questão é a mesma abordada na cinebiografia do cantor (Johnny and June – Walk the Line, 2006) porém, com enfoque um pouco diferente. No entanto, ambos fundamentais para conhecer a obra deste artista singular que lançou quase duas centenas de discos e que morreu em 2003. Editora 8inverso, 224 páginas.

     
    • MARCELE 1:33 em 06/09/2010 Link Permanente | Resposta

      Johnny Cash NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.

      • carames 1:43 em 06/09/2010 Link Permanente | Resposta

        como assim???? é a semana JOHNNY CASH. até dia 12. um post por dia.

      • annestreep 2:24 em 06/09/2010 Link Permanente | Resposta

        ninguém merece Johnny Cash, só tu e a Malú Magalhães ah ah!

  • paulocarames 1:52 em 25/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Blues, blues da lama a fama, , Howlin’ Wolf, Leadbelly, , , ,   

    Livro – Blues, Da Lama a Fama 

    “Os blues são as raízes e as outras músicas são os frutos. É bom manter as raízes vivas, porque isso significa melhores frutos para o futuro”, disse Willie Dixon que compôs clássicos como Hoochie Coochie Man, representado abaixo na voz de Muddy Waters.
    Escrito pelo crítico Roberto Muggiati, Blues – Da Lama a Fama conta a história deste secular gênero da música norte-americana que hoje está difundida em cada continente e nos mais diversos países. Tratando das origens, sua consequente evolução (nos anos 40 quando deixou de ser rural e passou a ser elétrico), abrangendo também a redescoberta nos anos 1960 de blueseiros há muito esquecidos e que foram resgatados pelos jovens ingleses que viriam a ser ídolos da geração seguinte. Bandas como Rolling Stones, Yardbirds e The Who.
    O livro também aborda o blues no Brasil além de trazer a biografia de artistas fundamentais para o gênero como Muddy Waters, Robert Johnson, Howlin’ Wolf e BB King. Editora 34, 224 páginas.
    Abaixo, dois inigualáveis representantes:

     
  • paulocarames 22:20 em 21/08/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Blues, , memphis beat, ,   

    Série – Memphis Beat (2010-) 

    Memphis Beat é uma nova série que acompanha a rotina de Dwight Hendricks (Jason Lee da série My Name is Earl), um policial que divide seu tempo entre capturar bandidos e fazer covers de Elvis Presley. Obviamente um seriado ambientado em Memphis não poderia contentar-se somente com o rock na figura do seu Rei, sendo assim, temos também diversas referências ao bom e velho Blues. Mas é bom estar atento pois elas estão no nome dos episódios que homenageiam músicas interpretadas por Elvis e nas citações ao longo dos diálogos entre os personagens. Obviamente estão na trilha sonora também, que é um destaque à parte, Booker T & the MG’s, Keb Mo, Johnny Cash, BB King, Mississippi John Hurt além de Muddy Waters. Enfim uma boa série, com ótimas referências musicais. Segue o trailer:

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: