Marcado como: documentário Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 15:07 em 01/09/2018 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2018, , , , coronel tom parker, dj fontana, documentário, , , , red west, , , , sam phillips, scotty moore, sun records, the searcher, thom zinny,   

    Documentário – Elvis Presley The Searcher 2018 


    Relato íntimo, minucioso e apurado da vida do maior artista que o rock n’ roll já produziu. Não por acaso aclamado como Rei do Rock, Elvis Presley nos deixou em agosto de 1977 e ainda assim continua presente no imaginário popular.

    O flashback e flashfoward do diretor Thom Zimny funcionam muito bem tendo como pivô o show feito em 1968 para NBC. 68 Comeback Special, como ficou conhecido, não só pôs Elvis novamente em evidência como aqui é referência para entendermos o artista, suas angústias, seus desafios e sua música – de onde partiu e onde se propôs a chegar.

    A produção da HBO soma três horas e acabou dividida em duas partes, o que se mostra desnecessário pois a incomparável seleção de fotografias e filmagens cobrindo a trajetória de Elvis (das suas origens à sua morte e consequente criação do mito) torna impossível pausa ou adiamentos.

    A ousada aposta da narrativa cem por cento em voz over permitiu o máximo proveito em tela do garimpo feito pelo diretor. E a seleção de narradores e entrevistados também é luxuosa: Priscilla Presley, Coronel Tom Parker, Tom Petty, Bruce Springsteen, Sam Phillips, Red West, Scotty Moore e DJ Fontana, para citar alguns.

    Uma aula, para entender a vida de uma das figuras mais emblemáticas do show business mas também, de como se produz um documentário com eficiência e apuro visual.

    A trilha sonora oferece um belo resumo da obra deste artista sem igual, em CD ou LP com 18 canções que sintetizam os diferentes momentos narrados em vídeo.

    Como se não fosse o bastante, a versão de luxo com três cds inclui um livreto de 40 páginas com fotografias raras além de 37 canções extras. O último disco apresenta composições originais de Mike McCready (Pearl Jam), uma seleção de artistas que influenciaram a obra de Presley: Arthur “Big Boy” Crudup (That’s All Right), The Blackwood Brothers (Rock-A-My Soul), Lloyd Price (Lawdy Miss Clawdy) e uma versão de Tom Petty para Wooden Heart.

    Descrever aqui a trajetória de Elvis seria um desperdício para iniciantes e desnecessário para iniciados. Assistir The Searcher, no entanto, trata-se de uma experiência não só obrigatória, mas também, definitiva.

    Elvis Presley: The Searcher (The Original Soundtrack) – CD/Digital

    01. Trouble / Guitar Man
    02. My Baby Left Me
    03. That’s All Right
    04. Baby Let’s Play House
    05. Heartbreak Hotel
    06. Lawdy, Miss Clawdy
    07. Hound Dog
    08. Crawfish
    09. Mona Lisa
    10. Milky White Way
    11. Like A Baby
    12. Are You Lonesome Tonight?
    13. It’s Now Or Never
    14. Tomorrow Is A Long Time
    15. Suspicious Minds (take 6)
    16. Separate Ways (rehearsal version)
    17. Hurt (take 5)
    18. If I Can Dream

    Elvis Presley: The Searcher (The Original Soundtrack) [Deluxe] – 3CD Deluxe Box Set

    Disco 1
    01. Trouble / Guitar Man
    02. My Baby Left Me
    03. Baby, What You Want Me To Do
    04. Old Shep
    05. That’s When Your Heartaches Begin
    06. That’s All Right
    07. Blue Moon Of Kentucky
    08. Fool, Fool, Fool
    09. Tweedlee Dee
    10. Baby Let’s Play House
    11. Good Rockin’ Tonight
    12. Trying To Get To You
    13. Blue Moon
    14. When It Rains It Pours
    15. Blue Christmas
    16. Heartbreak Hotel
    17. Lawdy, Miss Clawdy
    18. Money Honey
    19. Hound Dog
    20. (There’ll Be) Peace In The Valley (For Me)
    21. Crawfish
    22. Trouble
    23. Farther Along
    24. Mona Lisa
    25. Hide Thou Me
    26. Loving You (end title take 16)
    27. Lonely Man (solo version)
    28. Power Of My Love

    Disco 2
    01. Milky White Way
    02. A Mess Of Blues
    03. Fame And Fortune
    04. Love Me Tender / Witchcraft (duet with Frank Sinatra)
    05. Like A Baby
    06. Are You Lonesome Tonight?
    07. It’s Now Or Never
    08. Wooden Heart
    09. Swing Down Sweet Chariot
    10. Reconsider Baby
    11. Bossa Nova Baby
    12. C’mon Everybody
    13. Tomorrow Is A Long Time
    14. Take My Hand, Precious Lord
    15. Run On
    16. Baby What You Want Me To Do
    17. Suspicious Minds (take 6)
    18. Baby Let’s Play House (rehearsal)
    19. Words (rehearsal)
    20. That’s All Right
    21. Never Been To Spain
    22. An American Trilogy
    23. You Gave Me A Mountain
    24. Burning Love (rehearsal version)
    25. Separate Ways (rehearsal version)
    26. Hurt (take 5)
    27. If I Can Dream

    Disco 3
    01. Dissolution 2 – Mike McCready
    02. Satisfied – The Blackwood Brothers
    03. That’s All Right – Arthur “Big Boy” Crudup
    04. She May Be Yours But She Comes To See Me Sometimes – Joe Hill Louis
    05. Mystery Train – Little Junior’s Blue Flames
    06. Smokestack Lightning – Howlin’ Wolf
    07. Rock-A-My Soul – The Blackwood Brothers
    08. Just Walkin’ In The Rain – The Prisonaires
    09. Rocket 88 – Jackie Brenston and his Delta Cats
    10. Write Me A Letter – The Ravens
    11. Blue Moon Of Kentucky – Bill Monroe
    12. Ain’t That Right – Eddie Snow
    13. Just Walkin’ In The Rain – Johnnie Ray
    14. Lawdy Miss Clawdy – Lloyd Price
    15. Home Sweet Home – Gladys Presley
    16. Blowin’ In The Wind – Odetta
    17. Tomorrow Is A Long Time – Odetta
    18. The Weight – The Staple Singers
    19. Heartbreak Hotel – The Orlons
    20. Wooden Heart – Tom Petty and the Heartbreakers
    21. Rebound – Mike McCready

    Elvis Presley: The Searcher (The Original Soundtrack) – 2LP

    Lado A
    1. Trouble / Guitar Man
    2. My Baby Left Me
    3. That’s All Right
    4. Baby Let’s Play House
    5. Heartbreak Hotel

    Lado B
    1. Lawdy, Miss Clawdy
    2. Hound Dog
    3. Crawfish
    4. Mona Lisa
    5. Milky White Way

    Lado C
    1. Like A Baby
    2. Are You Lonesome Tonight?
    3. It’s Now Or Never
    4. Tomorrow Is A Long Time

    Lado D
    1. Suspicious Minds (take 6)
    2. Separate Ways (rehearsal version)
    3. Hurt (take 5)
    4. If I Can Dream

    Anúncios
     
  • paulocarames 10:00 em 07/06/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , documentário, , , John Giddings, , , , , , , , , , , Tony Fletcher, videobiography   

    DVD – Ramones: VideoBiography 2007 

    2007-xx-xx Video BiographyWeird Tales of The Ramones tem tudo para ser o guia definitivo dos Ramones. São, ao todo, 85 canções e 18 vídeos superando inclusive Hey Ho! Let’s Go: The Anthology (coletânea dupla com 58 músicas).

    Anthology trazia um livreto exclusivo com textos assinados por Danny Fields (primeiro empresário do grupo), Monte Melnick (diretor de arte da banda) e pelos próprios integrantes da banda enquanto Weird Tales apresenta uma HQ caprichada com arte de nomes consagrados como John Holmstrom.

    O que nenhum deles pode contar é com um guia faixa-a-faixa de cada canção lançada pelo quarteto ao longo de 22 anos de carreira e review de outros tantos discos lançados após sua separação em 1996.

    É este o diferencial de VideoBiography, lançado em 2007. O livreto de 72 páginas ainda conta com diversas fotos e de quebra, um dvd cobrindo os principais fatos da carreira do grupo.

    O vídeo, em sua essência é True Story com um corte diferente mas com a importante adição de entrevistas com Tony Fletcher (autor de Walk on the Wild Side: The Music of New York City), John Giddings (responsável pelo Isle of Wight Festival) e CJ Ramone.

    De resto, depoimentos de Tommy Ramone (ex-baterista e produtor), Monte Melnick, Hilly Kristal e Arturo Vega são intercalados com trechos da banda no Don Kirshner’s Rock Concert e algumas cenas do (hoje falecido) CBGB’s – vazio mas com a aura que o tornou a meca do punk novaiorquino.

    A baixa em relação ao dvd True Story é a falta de Arturo Vega explicando as origens da famosa logo da águia, utilizada a partir do disco Leave Home de 1977. Ainda assim é uma obra caprichada para fã nenhum botar defeito.

    Ficha Técnica:
    Sandbeach Holdings Ltd

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria

    Ramones - Video Biography 1
    Ramones - Video Biography 10
    Ramones - Video Biography 16
    Ramones - Video Biography 41

     
  • paulocarames 10:00 em 12/11/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , documentário, , ,   

    Documentário – Inocentes 30 Anos 

     
  • paulocarames 10:00 em 11/06/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Caroline Coon, Crass, documentário, Gee Vaucher, Julie Burchill, Poison Girls, Poly Styrene, , The Adverts, Vi Subversa,   

    Documentário She’s a Punk Rocker UK 

    Not Sorry, Documentário Shes A Punk Rocker UK, Coletânea Sound Of Horror, Bridge Nine Records

    Dirigido por Zillah Minx (vocalista da Rubella Ballet), o documentário de uma hora de duração, lançado em 29 de março deste ano, contém entrevistas com lendas da cena punk rock do Reino Unido dos anos 70, como: Gaye Advert (The Adverts), Vi Subversa(Poison Girls), Poly Styrene (X-Ray Spex), Gee Vaucher (Crass), Julie Burchill(colunista), Caroline Coon (jornalista, ativista política e artista, quem fez a artwork de bandas como The Clash e The Police nos anos setenta) e muito mais.

    O documentário visa mostrar o nascimento da era “mulheres do punk rock” no Reino Unido e como elas mudaram o estereótipo feminino.

    A história do punk é extremamente importante na história da libertação feminina. Atráves da atitude, ideologia e caráter, as mulheres puderam mostrar que também são tão capazes quanto os homens de fazerem qualquer coisa. Inclusive, o movimento punk foi o primeiro onde as mulherem puderam ser tratadas igualmente.

    Se as punk rock chicks eram tão visadas por conta do seu comportamento fora do padrão, então porque as mulheres se tornavam punks? Era apenas questão de aparência ou para causar mesmo, de forma escandalosa? Foi porque as punks eram tratadas igualmente por membros da mesma cultura? E como foram tratadas pelo resto da sociedade? Como elas se tornaram punks? Como que o fato de ter se tornado punk, afetou suas vidas? Será que as punks da época influenciaram diretamente nas atitudes das mulheres na sociedade atual?

    Essas perguntas serão esclarecidas através desse excelente documentário, onde as lendas do punk rock do Reino Unido revelam a visão punk feminina e o lado real de uma cultura que tem sido muito mal compreendida e mal representada na mídia.

    Suas histórias exploram suas experiências de vida ao se tornarem punks: Turnês, músicas, políticas, amigos, relacionamentos, eventos, estilos, etc.

    Hoje em dia pode ser que a maioria dessas mulheres não se vistam mais como antigamente. Mas aí é que está o ponto culminante: O documentário mostra que você não precisa se mostrar punk no visual. Basta que a ideologia; o sentimento, permaneça no coração e você não abra mão disso nunca.

    Levei mais de dez anos, sem financiamento algum e ajuda na distribuição para fazer o documentário no meu tempo livre. Como eu faço parte da cena punk e tenho estado nela desde 1976, essa foi uma bela forma de fazer contato com mais mulheres punks, foi incrível.” Zillah Minx.

    Para comprar esse importantíssimo documentário em DVD, clique aqui.

    Postado no TMDQA.

     
  • paulocarames 15:17 em 28/09/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , documentário, , , , Salad Days, The Washington DC Punk Revolution   

    Salad Days: The Washington DC Punk Revolution – Trailer 

     
  • paulocarames 15:39 em 08/08/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , documentário, , , My Career As A Jerk,   

    Documentário sobre o Circle Jerks será lançado em 25 de setembro 

    My Career As A Jerk– documentário sobre a lendária banda Circle Jerks – será lançado no dia 25 de setembro.

    O filme foi dirigido por David Markey e conta com entrevistas de Keith MorrisGreg Hetson e Lucky Leher, além de outros membros da cena, como J. Mascis (Dinosaur Jr), Henry Rollins (Black Flag) e Brian Baker (Minor Threat, Bad Religion).

    “Eu estava fazendo muito desses shows e não havia uma banda como aquela em Los Angeles”, disse Markey – que afirmou ainda que fazer este filme lembrou-lhe o quão verdadeiramente grande foi o Circle Jerks. Abaixo você confere a obra de arte e um trailer do documentário.

    Fonte: TMDQA

     
  • paulocarames 15:39 em 28/04/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , documentário, , , , , , , , , , , , , , , , the edge   

    DVD – Ramones: Songs That Changed the World I Wanna Be Sedated 2007 

    Documentário canadense de 36 minutos que foi ao ar em 2003, posteriormente lançado em dvd, em 2007. Faz parte da série Impact que desvenda a história por trás de canções que mudaram o panorama da música mundial.

    Desta vez o destaque são os Ramones e o clássico I Wanna Be Sedated – lançado em 1978 no álbum Road to Ruin.

    Legs McNeil (Mate-me por favor), Hilly Kristal (dono do CBGB’s), Monte Melnick, Mickey Leigh (irmão de Joey), Daniel Rey, Jim Bessman (biógrafo da banda), Jerry Only (Misfits) e The Edge traçam um rápido panorama dos primeiros anos de banda e suas primeiras apresentações ao vivo.

    O paralelo entre a explosão deste hit e o quanto sua influência resistiu a era disco são descritas por Marky Ramone, o único ramone entrevistado.

    Além dos depoimentos o vídeo também conta com trechos da banda ao vivo em janeiro de 1981 no programa Tomorrow Show.

    Ficha Técnica:
    Standing Room Only

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria


    ramones - i wanna be sedated 4ramones - i wanna be sedated 5
    ramones - i wanna be sedated 3


     
  • paulocarames 14:18 em 24/04/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , Dexter Holland, documentário, Epitaph, Fat Mike, Fletcher Dragge, , Greg Graffin, , Lars Fredriksen, Lookout, Mark Hoppus, Matt Freeman, Nitro, No Use for a name, , one nine nine four, Operation Ivy, , , , , , , , Tom DeLonge, Warped Tour   

    Documentário: VA – One Nine Nine Four (1994) 

    A nata do punk/hardcore dos anos 1990 está reunida em One Nine Nine Four, documentário que retrata o revival do punk rock 20 anos após os Ramones, Clash, Pistols e cia.

    Dirigido por Jai Al-attas e narrado por Tony Hawk o vídeo conta com depoimentos de Billie Joe Armstrong (Green Day), Fat Mike (NOFX), Fletcher Dragge (Pennywise), Dexter Holland (The Offspring), Greg Graffin/Brett Gurewitz (Bad Religion), Tim Armstrong/Matt Freeman (Operation Ivy)/Lars Fredriksen (Rancid), Mark Hoppus/Tom DeLonge (Blink-182) e cenas de arquivo destas e outras bandas (The Vandals, No Use for a name).

    Registro digno de um período rico para cena punk rock que tinha bandas, selos (Nitro, Epitaph, Lookout) e até um festival (Warped Tour) em favor de um estilo.

     
  • paulocarames 15:03 em 25/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , documentário, , , , , , , , , , , , , , , , ,   

    DVD – Ramones: The True Story 2006 

    Ao que tudo indica, Tommy Ramone (ex-baterista e produtor), Monte Melnick (gerente de turnê) e Arturo Vega (diretor de arte) não gostaram muito de algum dos documentários que foram lançados nos últimos tempos sobre os Ramones, nem do tratamento que foi dado ao começo da carreira da banda.

    Ao menos é o que dá a entender o release e, principalmente, o título deste DVD ‘Unauthorized’ lançado em 30 de janeiro de 2006 e que se anuncia como ‘a correção da história do grupo após ter sido distorcida e repleta de mitos’.

    Os apoiadores de longa data, Melnick e Vega, contam com Hilly Kristal (proprietário do CBGB’s, onde tudo começou) e com o próprio Tommy para dar assim sua versão para os fatos que marcaram os primeiros anos desta banda revolucionária.

    Além de dar voz aos quatro já citados, foram incluídas entrevistas e cenas da banda ao vivo no Don Kirshner’s Show, Tomorrow coast to coast e Musikladen. Por coincidência, (ou não) são os mesmos shows e entrevistas presentes no documentário Pleasant Dreams (2005) que aborda similar período histórico embora sob o ponto de vista de críticos britânicos.

    Como bônus, um vídeo da banda em apresentação de 1981 e Arturo Vega explicando as origens da famosa logo da águia, utilizada a partir do disco Leave Home de 1977.

    Ficha Técnica:
    American Legends Ltd

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone / Marky Ramone – bateria

     
  • paulocarames 18:22 em 18/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Classic Rock Legends, , documentário, , , Jayne Anderson, , , , , , , Rachael Griffiths, , , , , Richard Robinson, , ,   

    DVD – Ramones: Pleasant Dreams Documentary 2006 

    O título Pleasant Dreams, mesmo do álbum lançado pelos Ramones em 1981, só pode ter saído da cabeça de algum produtor alienado que não conhece a banda e tão pouco sabe o produto que tinha em mãos.

    Após o lançamento do documentário End of the Century em 2003, alguém deve ter tido a brilhante idéia: “se o documentário anterior tinha o nome do disco de 1980, vamos nomear nosso documentário com o título do álbum seguinte”.

    Além do documentário ser superficial e repleto de clichês, muito pouco (praticamente nada) se fala a respeito da produção deste álbum como leva a crer seu título. Engano maior reside em entrevistados afirmarem que é o disco que ‘trouxe os Ramones de volta’.

    Na realidade, o foco do vídeo foi centrado nos primeiros anos de carreira da banda até o lançamento do álbum Pleasant Dreams em 1981. Entre cenas da banda ao vivo e algumas entrevistas, críticos de música falam a respeito da trajetória da banda.

    O absurdo estrelado pelo escritor Ben Myers, a jornalista Natasha Scharf e os críticos da Kerrang! Jerry Ewing (crítico da Classic Rock Magazine e um dos responsáveis pela recente Enciclopédia do Metallica), Geoff Barton e Les Davidson não poderia ser maior.

    Principalmente depois do vídeo lançado em 2003 que, além de ser oficial, conta com a totalidade dos integrantes da banda e pessoas de seu staff sendo entrevistados PARA o próprio documentário ao invés de compilar imagens já disponíveis em outros registros.

    Ficha Técnica:
    Classic Rock Legends – produzido por Richard Robinson, Gary Kurfirst, Jayne Anderson e Rachael Griffiths

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone / Marky Ramone – bateria

    Tracklist:
    01 I Wanna Be Seated
    02 Judy Is A Punk
    03 Don’t Come Close
    04 We’re A Happy Family
    05 The KKK Took My Baby Away
    06 I Don’t Wanna Walk Around With You
    07 California Sun
    08 Loudmouth
    09 Listen To My Heart
    10 53rd & 3rd
    11 Pinhead
    12 Beat On The Brat
    13 Blitzkrieg Bop
    14 Suzy Is Hedbanger
    15 Gimme Gimme Shock Treatment
    16 Commando
    17 Glad To See You Go
    18 Sheena Is A Punk Rocker
    19 Rockaway Beach
    20 Rock’N’Roll High School
    21 Do You Remember Rock’N’Roll Radio
    22 Chinese Rock
    23 We Want The Airwaves
    24 This Business Is Killing Me
    25 All’s Quiet On The Eastern Front



     
  • paulocarames 12:30 em 11/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , documentário, Image Entertainment, , , , , , , , , RAW,   

    DVD – Ramones: Ramones RAW 2004 

    Projeto pessoal de Marky Ramone com supervisão de Johnny Ramone e direção de John Cafiero. A partir da extensa videoteca que acumulou ao longo das turnês que fez com os Ramones, Marky trás cenas de bastidores da banda no período em que fez parte do quarteto (19781983 / 1987-1996).

    A passagem de som para um show na Itália (1980) e um concerto na Finlândia (1988) também foram incluídos além de contemplar trechos da repercussão da morte de Joey e a homenagem feita a ele no Video Music Awards de 2001 (4 meses após sua morte).

    A saída de Dee Dee da banda para tornar-se rapper não foi negligenciada, nem os programas de tv em que a banda participou nos anos 1980 (como The Uncle Floyd Show). As muitas cenas de bastidor (mais de três horas) pelos quatro cantos do globo fazem a diferença e o colocam no mesmo patamar de vídeos anteriores (We’re outta here de 1997 e End of the Century de 2003) embora algumas cenas já sejam conhecidas e acabem se repetindo, como as perseguições dos fãs na Argentina ao melhor estilo A Hard days night.

    O Brasil também foi incluído com a banda recebendo o disco de ouro pelo álbum Mondo Bizarro e autografando discos no hotel em Porto Alegre (com direito a serem capa da Zero Hora).

    Ficha Técnica:
    Image Entertainment – produzido por Marky Ramone

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone / CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria



     
  • paulocarames 16:30 em 04/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 19 de janeiro de 2003, , , , , , , , documentário, , , , , Jim Fields, , , , , , , , , , , Michael Gramaglia, , , , , , , , , , , , , , , , The Story Of The Ramones,   

    DVD – Ramones: End Of The Century – The Story Of The Ramones 2003 

    Lançado em 19 de janeiro de 2003, End Of The Century – The Story Of The Ramones vai muito além da imagem da capa com a formação original.

    Reúne figuras de peso que trabalharam ou conviveram com eles como Roberta Bayley (responsável pela capa do primeiro disco em 1976), Danny Fields (primeiro empresário), Legs McNeil (autor de Mate-me, por favor), Monte Melnick (gerente de turnê), Arturo Vega (diretor de arte), John Holmstrom (Punk Magazine), Hilly Kristal (proprietário do CBGB’s), Seymour Stein (dono da Sire Records) e o trio Ed Stasium/Daniel Rey/Gary Kurfirst (produtores).

    Músicos que foram influenciados pelos três acordes clássicos também fazem reverencia. De Joe Strummer (The Clash) a Rob Zombie passando por Kirk Hammett (Metallica), John Frusciante (Red Hot Chili Peppers) e Lars Frederiksen (Rancid).

    Não poderiam faltar os protagonistas desta história. Joey, Johnny, Tommy, Dee Dee, Marky, CJ e inclusive Richie (deixado de fora de outros vídeos do grupo) e Elvis Ramone (Clem Burke, baterista do Blondie que tocou em apenas 2 shows após a saída de Richie e antes que Marky voltasse ao grupo). É o documentário definitivo da banda que criou um gênero e influenciou todas as que vieram depois dela.

    Ficha Técnica:
    Rhino Records/Sire Records – produzido e dirigido por Jim Fields e Michael Gramaglia

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone / CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone / Marky Ramone / Richie Ramone – bateria



    comandorock162005-1

     
  • paulocarames 0:11 em 16/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , documentário, , , , , , , , , ,   

    Documentário – Pearl Jam: Twenty 2011 

    Com entrevistas de Kurt Cobain, Neil Young, Chris Cornell, e do próprio diretor Matt Cameron, Twenty conta os 20 anos de carreira de uma das mais respeitadas bandas do rock mundial.

    Formada a partir do fim de outra banda, Mother Love bone, o Pearl Jam após 6 dias de ensaios já fazia seu primeiro show. A banda foi revelada na mesma safra que Soundgarden, Alice in Chains e Nirvana – e seu primeiro disco Ten, foi lançado em 1991 ao mesmo tempo que Nevermind do Nirvana.

    Mas, ao contrário das suas contemporâneas que ou acabaram ou então enfrentaram dissoluções e retornos nos últimos anos, o Pearl Jam sobreviveu ao desafio do tempo e permanece em plena atividade com turnês, discos e agora, um documentário.

    Apesar da banda evitar lançar videoclipes ou dar entrevistas sua popularidade é invejável. Uma das marcas registradas da banda que continua levando milhares de fãs fiéis aos seus shows é o lançamento de bootlegs de seus shows que cobrem praticamente toda história da banda ao vivo.

    Cameron Crowe foi preciso e cobriu os principais acontecimentos que fizeram estes 20 anos de carreira. Do projeto tributo, Temple of the Dog, ao Acústico MTV, a turnê com Neil Young e a briga com a Ticketmaster.

    As performances ao vivo incluídas no vídeo dão idéia do impacto que tem uma apresentação da banda que recentemente passou pelo país com sua Twenty Tour.


     
  • paulocarames 0:18 em 03/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Capitalism: A Love Story, Capitalismo: Uma História de Amor, documentário, inside job, , , , trabalho interno   

    Homem primata, capitalismo selvagem: Capitalismo / Trabalho Interno 

    Lado A – Capitalismo: Uma História de Amor (Capitalism: A Love Story) 2009

    Após abordar os atentados de 11 de setembro (Fahrenheit, 2004), o sistema público de saúde (SICKO, 2007) e as eleições presidenciais (Slacker Uprising, 2008) Michael Moore volta a carga questionando desta feita o sagrado capitalismo americano em Capitalismo: Uma História de Amor.

    Após a bolha do mercado imobiliário que gerou recessão e desemprego, Moore entrevista pessoas comuns afetadas pela crise e que perderam todas as suas economias enquanto banqueiros receberam 700 billhões de dólares do congresso e destinaram milhões em bônus para seus executivos (remunerando exatamente os principais causadores da crise).

    Com a desregulação do sistema financeiro, Wall Street criou uma bolha a partir de derivativos usados como garantia de tal maneira que o resultado que vimos em 2008 não poderia ter sido outro.

    Um mesmo imóvel era dado como garantia para diferentes empréstimos até o ponto em que era impossível que as dívidas fossem executadas gerando um calote em cascata.

    Com o senso de humor e a ironia peculiares, característicos de suas obras, Michael Moore vai até congressistas entender o motivo deles autorizarem uma ajuda bilionária para os bancos causadores de toda crise enquanto saúde e educação foram deixadas de lado pela administração Bush.

    Lado B – Trabalho Interno (Inside Job) 2010

    Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, Trabalho Interno, narrado por Matt Damon expõe de forma menos caricata mas não menos contundente os motivos que levaram à crise financeira que abalou o mundo entre 2007 e 2009.

    Derivativos, desregulação, mercado de ações, hipoteca. De cunho bem mais sério e técnico que Capitalismo de Michael Moore, Trabalho Interno investiga os motivos pelos quais uma crise anunciada foi tratada com tamanho descaso e depois remediada a custa dos contribuintes sem que ninguém fosse responsabilizado.

    O diretor Charles Ferguson retrata os lados obscuros de Wall Street que com a conivência do Secretário do Tesouro Hank Paulson (ex-CEO do Goldman Sachs, uma das principais envolvidas no escândalo dos derivativos) manteve a mesma estrutura sem que regras mais rígidas fossem implementadas para evitar novas fraudes financeiras.

     
  • paulocarames 11:44 em 28/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , cameron crowe, , documentário, , , pearl jam 20 anos, ,   

    Primeiro trailer de Twenty, documentário do Pearl Jam 

    As comemorações pelos 20 anos de banda não param. Em Janeiro o Pearl Jam lançou Live on Ten Legs, coletânea ao vivo que homenageia o primeiro álbum da carreira do grupo, Ten.

    Depois, foi anunciado um festival de dois dias, que irá acontecer no começo de setembro, incluindo Strokes, Queens of the Stone Age e Mudhoney.

    As comemorações ainda incluem os relançamentos de Vs. (1993) e Vitalogy (1994) e o lançamento de um livro sobre a história do Pearl Jam, escrito por Jonathan Cohen e Mark Wilkerson com prefácio do diretor de Twenty, documentário a ser lançado ainda este ano também comemorando o aniversário da banda.

    Twenty foi dirigido por Cameron Crowe, diretor responsável também por Quase Famosos (2000) e Vida de Solteiro (1992), filme que mostrava os dilemas da vida de um casal (Bridget Fonda e Matt Dillon) em meio a cena grunge de Seattle no começo da década de 1990 e ainda contava com a participação dos músicos do Soundgarden, Alice in Chains e do próprio Pearl Jam.

    O documentário que vai estrear no Festival de Toronto no dia 10 de setembro, será exibido nos cinemas a exemplo de Back and Forth do Foo Fighters e teve seu primeiro trailer (que inclui entrevistas de David Lynch e Chris Cornell) divulgado.

     
  • paulocarames 21:53 em 22/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , documentário, , , ,   

    Documentário – Vinyl (Vinyl) 2000 

    Documentário do cineasta canadense Alan Zweig, conforme ele mesmo define, a respeito de coleções, não a respeito de música.

    O enfoque dado pelo também colecionador (que faz questão de deixar claro que se desfez de toda sua coleção) é nas coleções de discos de vinil espalhadas pelo país.

    Entrevistando desde colecionadores especializados (um deles tem 600 LPs somente de Elvis Presley, por exemplo) a pessoas que colecionam qualquer obra que tenha sido registrada nesta centenária mídia – uma verdadeira salada de fruta musical.

    Desfilam também pelas lentes de Zweig colecionadores metódicos que catalogam e limpam seus bolachões sistematicamente em oposição a outros que simplesmente estocam seus tantos discos, muitas vezes sem conseguir localizar ou conservar de maneira adequada suas obras.

    Uma câmera na mão, uma coleção na estante e uma obsessão na cabeça.

     
  • paulocarames 12:51 em 11/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , documentário, glen matlock, great rock n' roll swindle, , , paul cook, , , , ,   

    Documentário – Sex Pistols: The Great Rock n’ roll Swindle 1980 

    Malcolm Mclaren criou a maior farsa do rock n’ roll (aliás, título apropriado para este falso documentário). Mclaren, que havia empresariado os New York Dolls, voltou para Inglaterra após sua experiência frustrada com as drag queens americanas e resolveu aliar música e moda para fazer dinheiro.

    Em poucos meses ele criaria os Sex Pistols e viraria o Reino Unido de cabeça para baixo. SEX era o nome da loja de roupas fetichistas e S&M que mantinha com sua esposa e estilista de renome Vivienne Westwood. Foi lá que Steve Jones e Paul Cook se conheceram.

    Johnny Rotten passeava pela rua usando uma camiseta com a inscrição “Odeio Pink Floyd” e foi convidado a assumir os vocais após cantar uma música de Alice Cooper em um Jukebox parecendo o corcunda de Notre Dame.

    Em uma apresentação de Tv eles chocaram o país xingando o apresentador e dizendo palavrões ao vivo em rede nacional. Conseguiram ser chutados de sua gravadora (EMI) e embolsar uma boa grana.

    Logo assinaram com a A&M e lançaram o single God Save the Queen em pleno jubileu da rainha. Proibidos de tocar em praticamente todos os lugares, restou ao grupo mais um golpe de publicidade. Tocaram a bordo de um barco em pleno Tâmisa, atrás de um barco da marinha real inglesa.

    Com um mês de contrato conseguiram ser chutados de mais uma gravadora, embolsando mais uma boa quantia em dinheiro. Com a saída do baixista Glen Matlock, Sid Vicious não só entraria para banda como se tornaria o maior ícone punk que se tem notícia.

    O lançamento do álbum Nevermind the bollocks, here’s the Sex Pistols (algo como ‘deixe os culhões pra lá, aqui estão as pistolas sexuais’) não facilitou a vida da banda. Foi então que veio o golpe de misericórdia.

    Uma turnê pelos Estados Unidos culminou no fim da banda. Àquela altura a banda enfrentava brigas internas, com Nancy Spungen (namorada de Sid) atuando como a Yoko Ono punk. A escolha de um circuito alternativo para os shows também se mostraria um fardo. Ao invés de clubes underground como Max’s ou CBGB’s, eles excursionaram por bares do interior cheios de caubóis acostumados a música country.

    Ainda deu tempo de Steve Jones e Paul Cook virem ao Rio de Janeiro e gravarem No One is Innocent e Belsen was a gas com Ronnie Biggs, o famoso assaltante do trem pagador que roubou 2,6 milhões de libras de um trem e após fugir da prisão escondeu-se no Brasil.

    Escrita seguindo lições de marketing de Mclaren, chegaria ao fim este capítulo da história do rock.

    As lições de Malcolm Mclaren:
    01 – Junte jovens e alimente o ódio entre eles
    02 – Estabeleça um nome
    03 – Arranje um advogado cujos interesses não sejam musicais, mas sim dinheiro.
    04 – Não toquem, evitem exposição pública
    05 – Saia da gravadora o mais rápido possível arrancando o máximo possível de grana
    06 – Procure o evento do momento e o explore ao limite
    07 – Cultive o ódio, faça a audiência te odiar
    08 – Diversifique seu negócio
    09 – Leve civilização aos bárbaros
    10 – Afinal, quem matou Bambi??

     
  • paulocarames 0:04 em 07/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: back and forth, , , documentário, ,   

    Documentário – Foo Fighters: Back and Forth 2011 

    O aguardado Back and Forth estreou no final do último mês em 65 salas de cinema do país e em seguida deve chegar às lojas em DVD e Blu-ray. A direção ficou por conta de James Moll, vencedor do Oscar de melhor documentário por The Last Days (1998).

    O vídeo começa mostrando fotos de infância ao embalo de Ramones, Motorhead e outras bandas do final da década de 1970, início de 1980 que influenciaram Dave Grohl, Taylor Hawkins, Nate Mendel, Chris Shiflett e Pat Smear.

    Nirvana, Sunny Day Real State, The Germs, Alanis Morrissette e Queens of the Stone Age fazem parte da história dos membros do Foo Fighters e durante os pouco mais de 90 minutos, do fim do Nirvana ao lançamento do último disco do FF (Wasting Light) atuais e todos os ex-integrantes narram os últimos 16 anos na estrada e eventualmente, em estúdio.

    O tom é intimista e confessional deixando espaço para que cada um de sua versão dos fatos, incluindo brigas, separações e problemas com drogas. Dave Grohl não só é o faztudo da banda (no primeiro disco, por exemplo, ele gravou todos os instrumentos e chamou a banda apenas para excursionar) como é claramente quem tem a última palavra impondo sua vontade para garantir que a gravação fique à altura de sua expectativa. O que nem sempre lhe garante vida fácil à frente do grupo.

    Com sete discos de estúdio, um bom número de hits de sucesso e clipes engraçadíssimos que viraram marca registrada, esta é uma das melhores bandas da atualidade, o documentário, idem.

     
  • paulocarames 17:31 em 12/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , documentário, guidable, , , ,   

    DVD – Guidable “A Verdadeira História do Ratos de Porão” 2009 

    Documentário de 120 minutos que resgata a história daquela que é a mais significativa banda punk/hardcore do cenário nacional. Com influência de bandas crossover como DRI e Extreme Noise Terror o RDP está na ativa desde 1980 e já lançou duas dúzias de discos além de ter participado das principais coletâneas que ajudaram a divulgar o gênero no país como Ataque Sonoro, SUB e Começo do fim do mundo. O dvd duplo conta ainda com 6 horas de extras mostrando apresentações do grupo ao vivo e toda sua videografia. Mosh liberado!

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: