Marcado como: Lado A Lado B Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 11:02 em 19/06/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Lado A Lado B, , , , twin peaks   

    Mortes gêmeas: The Killing / Twin Peaks 

    Lado A – The Killing (2011-2012)
    Indicado a 4 prêmios Emmy e ao Globo de Ouro de melhor atriz (com Mireille Enos), The Killing é uma produção do canal AMC (o mesmo dos ótimos Mad Men, Breaking Bad, Rubicon e The Walking Dead) e inspirada na produção dinamarquesa Forbrydelsen.

    Uma garota morta, políticos em plena campanha incapazes de sustentar um álibi, uma família cheia de segredos investigados por uma dupla de policiais – ela workaholic e obstinada e seu parceiro de lisura duvidosa. O emaranhado de tramas e a paisagem cinzenta em muito lembram Twin Peaks. Mas não se engane, aqui os métodos pitorescos do agente Cooper não tem vez.

    Sarah Linden e seu parceiro Stephen Holder investigam a morte de Rosie Larsen, encontrada morta no porta malas do carro de campanha de um candidato a prefeito que se nega a revelar seu paradeiro na noite do crime.

    A família de Rosie, apesar da aparente imagem de família comum, tem um passado obscuro o que torna o mistério ainda mais complicado de ser revelado. Cada dia de investigação é retratado em um episódio enquanto interesses políticos e financeiros cruzam o caminho dos detetives e do espectador na ânsia de descobrir o(s) assassino(s).

    Lado B – Twin Peaks (1990-1991)
    A trilha, o quarto vermelho, o anão dançando com a música ao contrário, a velha do tronco, os métodos amalucados do agente Dale Cooper…

    A lista de momentos marcantes de Twin Peaks não pára por aqui no sucesso de David Lynch duas décadas mais velho que The Killing.

    O diretor de Veludo Azul, deu ao agente Cooper 30 episódios e um longa metragem para tentar descobrir quem matou Laura Palmer.

    Encontrada à beira de um lago em uma cidade madeireira no norte dos Estados Unidos, a investigação irá revelar não apenas os detalhes de sua morte mas expor praticamente todos os moradores da pequena cidade que, acreditem, tem algo a esconder.

    Sucesso também na tv aberta no Brasil no começo dos anos 1990, a série infelizmente foi exibida cheia de cortes que comprometeram a compreensão da já complexa trama de Lynch.

    Agora, disponível em DVD e todos os demais formatos digitais correntes, fica mais fácil desvendar este mistério. Mas cuidado para não viciar nesta que é uma das melhores séries da história.


     
  • carames 0:18 em 03/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Capitalism: A Love Story, Capitalismo: Uma História de Amor, , inside job, Lado A Lado B, , , trabalho interno   

    Homem primata, capitalismo selvagem: Capitalismo / Trabalho Interno 

    Lado A – Capitalismo: Uma História de Amor (Capitalism: A Love Story) 2009

    Após abordar os atentados de 11 de setembro (Fahrenheit, 2004), o sistema público de saúde (SICKO, 2007) e as eleições presidenciais (Slacker Uprising, 2008) Michael Moore volta a carga questionando desta feita o sagrado capitalismo americano em Capitalismo: Uma História de Amor.

    Após a bolha do mercado imobiliário que gerou recessão e desemprego, Moore entrevista pessoas comuns afetadas pela crise e que perderam todas as suas economias enquanto banqueiros receberam 700 billhões de dólares do congresso e destinaram milhões em bônus para seus executivos (remunerando exatamente os principais causadores da crise).

    Com a desregulação do sistema financeiro, Wall Street criou uma bolha a partir de derivativos usados como garantia de tal maneira que o resultado que vimos em 2008 não poderia ter sido outro.

    Um mesmo imóvel era dado como garantia para diferentes empréstimos até o ponto em que era impossível que as dívidas fossem executadas gerando um calote em cascata.

    Com o senso de humor e a ironia peculiares, característicos de suas obras, Michael Moore vai até congressistas entender o motivo deles autorizarem uma ajuda bilionária para os bancos causadores de toda crise enquanto saúde e educação foram deixadas de lado pela administração Bush.

    Lado B – Trabalho Interno (Inside Job) 2010

    Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, Trabalho Interno, narrado por Matt Damon expõe de forma menos caricata mas não menos contundente os motivos que levaram à crise financeira que abalou o mundo entre 2007 e 2009.

    Derivativos, desregulação, mercado de ações, hipoteca. De cunho bem mais sério e técnico que Capitalismo de Michael Moore, Trabalho Interno investiga os motivos pelos quais uma crise anunciada foi tratada com tamanho descaso e depois remediada a custa dos contribuintes sem que ninguém fosse responsabilizado.

    O diretor Charles Ferguson retrata os lados obscuros de Wall Street que com a conivência do Secretário do Tesouro Hank Paulson (ex-CEO do Goldman Sachs, uma das principais envolvidas no escândalo dos derivativos) manteve a mesma estrutura sem que regras mais rígidas fossem implementadas para evitar novas fraudes financeiras.

     
  • carames 0:06 em 15/03/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , forró estourado, , Lado A Lado B,   

    Ação e Reação 

    Inventaram de sacanear o Calypso, daí só por vingança assassinaram Come as you are. Confere aí:

    Lado A – Calypso: Be Quick or Be Dead

    Lado B – Forró Estourado: Liga o Som

     
  • carames 9:53 em 02/02/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , Lado A Lado B, ,   

    Migrando do cinema para carreira musical: Costner / Seagal 

    Lado A – Kevin Costner and Modern West: Untold Truths 2008
    Desde que Elvis Presley tentou a sorte como ator, mesmo sem muito sucesso, não são raros os exemplos de artistas que tentam diversificar sua carreira. Kevin Costner é um dos casos da migração inversa a que tentou o rei do rock. Com uma carreira consolidada nas telas, desde 2008 Costner se aventura com sua banda Kevin Costner and Modern West – com a qual varia do Country ao Classic Rock. O astro de Dança com Lobos, JFK e O Guarda-costas passou pelo Brasil em turnê no final do ano passado divulgando seu álbum Turn it On. Com um trabalho apenas razoável, Costner mostra que como músico é um ótimo ator, sua atuação como Eliot Ness em Os Intocáveis é prova disto.

    01.”Long Hot Night” (Coinman, Morgan) – 4:27
    02.”90 Miles an Hour” (Park Chisholm/Costner/Morgan) – 5:18
    03.”Hey Man What About You” (Coinman) – 4:28
    04.”Superman 14″ (Coinman/Morgan) – 5:36
    05.”Don’t Lock’em Away (Song For Molly)” – 3:44
    06.”Down in Nogales” (Coinman) – 4:34
    07.”Every Intention” (Coinman) – 4:08
    08.”Five Minutes from America” – 4:40
    09.”The Sun Will Rise Again” (Chisholm/Coinman/Costner/Morgan) – 3:51
    10.”Backyard” – 4:37
    11.”Leland Iowa” (Coinman) – 3:59
    12.”Gotta Get Away (Song for Bud)” – 3:36

    Lado B – Steven Seagal and Thunderbox: Mojo Priest 2006
    Em 1988 Steven Seagal fez Nico, Acima da Lei, seu maior sucesso até hoje. Desde então se firmou como um ícone dos filmes de ação, mesmo sem emplacar um grande sucesso como o de Nico. Nos últimos anos, além de algumas pontas (como em Machete) Seagal estabeleceu uma espécie de linha de montagem. Filmando uma média de 4 filmes por ano mudando quase que somente o nome dos personagens e dos locais em questão e mantendo o restante da trama inalterada – um cara durão em busca de vingança/redenção que distribui porrada em quem cruzar seu caminho.
    Recentemente Steven Seagal passou a estrelar a série em formato de reality show Lawman a qual retrata seu dia-a-dia real como oficial de polícia na pequena cidade de Jefferson Parish.
    Seagal aventurou-se também no mundo da música gravando Mojo Priest, lançado em 2006 o qual foi divulgado com uma turnê pelos Estados Unidos e Europa. O disco conta com versões para Red Rooster de Howlin Wolf e Hoochie-Coochie Man de Muddy Waters além da participação de Bo Diddley na faixa Shake de Sam Cooke. Referências bastante interessantes embora, a exemplo de Kevin Costner, Seagal fique melhor na tela do cinema.

    01.”Somewhere in Between”
    02.”Love Doctor”
    03.”Dark Angel”
    04.”Gunfire in a Juke Joint”
    05.”My Time Is Numbered”
    06.”Aligator Ass”
    07.”BBQ”
    08.”Hoochie Koochie Man”
    09.”Talk to My Ass”
    10.”Dust My Broom”
    11.”Slow Boat to China”
    12.”She Dat Pretty”
    13.”Red Rooster”
    14.”Shake” (with Bo Diddley)
    15.”Sharp Dressed Man”
    16.”Lockwood”
    17.”Homesick”
    18.”Elmoe”
    19.”Cockpuncher Blues”

     
  • carames 23:08 em 31/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: alê menezes, , defesa, , , , Lado A Lado B, machucado, paradinha, , , , , sm   

    Inter-SM em rede nacional 

    Dois momentos (dois penaltis na mesma trave) do Inter-SM em rede nacional.

    Lado A – A paradinha de Alê Menezes

    Lado B – A defesa de Fábio

     
  • carames 12:19 em 22/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , bola na trave, , , , Lado A Lado B, , , , video real   

    Ronaldo e o falso futebol 

    Ronaldo: contrato com time de massa em 2011, vídeo polêmico na internet, salário milionário e em campo pouco futebol. Escolha o seu.

    Lado A – Ronaldo Fenômeno (Corinthians)

    Lado B – Ronaldinho Gaúcho (Flamengo)

     
  • carames 22:32 em 30/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , chech marin, danni trejo, freak show, jessica alba, Lado A Lado B, lindsay lohan, , , Nude Nuns with Big Guns, , , robert rodriguez, , vingança   

    Vingança num prato frio e com muito sangue: Machete / Nude Nuns with big Guns 

    Lado A – Machete (Machete) 2010
    Robert Rodriguez (Sin City e Era uma vez no México) criou um trailer fictício exibido em Grindhouse (produção conjunta com Quentin Tarantino) e a partir daí surgiu a idéia para Machete, que é candidato a virar um clássico já que lembra muito os violentos filmes de Tarantino e conta com um time de estrelas como Robert De Niro, Steven Seagal, Jessica Alba e Cheech Marin da dupla Cheech e Chong.
    Machete (Danny Trejo) é um agente federal mexicano que tem sua família morta por um traficante (Seagal), mas consegue sobreviver. Contratado para assassinar um senador americano (De Niro) que defende a morte de imigrantes ilegais, ele descobre que o plano era uma cilada.
    Machete então parte em busca de vingança com a ajuda da policial interpretada por Jessica Alba. Destaque para o herói mexicano não usa tecnologia (celular, por exemplo) nem armas de fogo, somente facas e instrumentos cortantes.
    Tão inacreditável quanto as exageradas cenas de ação, é a performance de Machete, que traça todas as mulheres do filme, incluindo mãe e filha (Lindsay Lohan e Jeff Fahey) durante um banho de piscina.

    Lado B – Nude Nuns with Big Guns (Nude Nuns with Big Guns) 2010
    A recém ordenada freira, irmã Sarah, é drogada e violentada logo após presenciar a morte de suas colegas que fazem parte de um clero corrupto que inclui padres e freiras que traficam drogas para a gangue de motoqueiros Los Muertos.
    Sarah consegue se recuperar após estar à beira da morte e parte em busca de vingança. Armada até os dentes ela elimina um a um de seus oponentes. Esta é uma produção da Freak Show Entertainment, responsável também por Run! Bitch! Run!. Não faltam belas mulheres nuas e miolos voando pra todo lado, produção interessante, mas para poucos. Não vai passar na sessão da tarde.

     
  • carames 11:24 em 29/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , bill gates, , Lado A Lado B, Mark Zuckerberg, piratas da informática, , , steve jobs   

    Nerds e bilionários: Piratas do Vale do Silício / A Rede Social 

    Lado A – Piratas do Vale do Silício (Pirates of Silicon Valley) 1999
    Baseado no livro Fire in the Valley: The Making of The Personal Computer, de Paul Freiberger e Michael Swaine, este filme narra o nascimento de dois gigantes que ditaram a maneira como hoje encaramos a informática. A partir dos anos 1970, Bill Gates e Steve Jobs desenvolveram os moldes da informática doméstica a partir de uma garagem. Utilizando métodos não muito éticos e um tanto questionáveis, criaram a Microsoft e a Apple, os maiores conglomerados do ramo (Jobs roubando a ideia da Xerox e Gates roubando e adaptando as ideias de Jobs). “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”, mesmo que a máxima não seja verdadeira, Gates, ao invés do perdão conseguiu tornar-se o homem mais rico do planeta a partir de sua criação. Essencial para conhecer um pouco da história destes dois polêmicos impérios.

    Lado B – A Rede Social (The Social Network) 2010
    Mark Zuckerberg levou um fora e para se recuperar foi direto para seu apartamento. Era outono de 2003 em Harvard. No auge dos blogs ele roubou informações da base de dados da universidade e utilizou a foto das alunas para criar o Facemash, uma espécie de ranking onde internautas poderiam votar e eleger a estudante que consideravam mais bonita.
    O resultado foi ter 450 pessoas cadastradas e 22 mil visitas em poucas horas causando uma pane no servidor de Harvard. Com a mesma velocidade, Zuckerberg foi descoberto e sua notoriedade chamou atenção não só das autoridades locais como dos irmãos Winklevoss que tinham a pretensão de criar uma ferramenta de interação social via web. O filme retrata não só como os irmãos foram passados pra trás pelo jovem nerd como também o brasileiro Eduardo Saverin (companheiro de quarto de Mark Zuckerberg e co-fundador do Facebook) que financiou do seu próprio bolso os primeiros 20 mil dólares da empreitada.
    Com tanta polêmica e ao mesmo tempo, genialidade, Zuckerberg é considerado o Bill Gates de sua geração tendo se tornado o mais jovem bilionário da história.
    O filme é dirigido por David Fincher (Seven, Clube da Luta e O Curioso Caso de Benjamin Button) e está sendo apontado como certo na corrida pelo Oscar. Destaque também para atuação de Justin Timberlake fazendo o papel de Sean Parker – criador do Napster.

     
  • carames 0:12 em 29/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , feliz natal, Joyeux Noël, Lado A Lado B, primeira guerra mundial, ,   

    Ainda, o Natal: Feliz Natal 

    Lado A – Feliz Natal (Joyeux Noël) 2005
    Esta história real aconteceu no natal de 1914 em plena primeira guerra mundial. De um lado do campo de batalha abrigam-se escoceses e franceses e do lado oposto, alemães. Numa incrível demonstração de confiança na noite de natal os soldados deixam de lado suas diferenças e confraternizam com direito a compartilharem música, cerimônia religiosa, comida e bebida. Contrariando a vontade do alto comando de ambos os lados, que esperavam que houvesse confronto e consequentemente avanço de cada tropa, a trégua reina ao menos nesta data importante para todos.
    Um padre anglicano, um tenente francês, um grande tenor alemão e sua companheira, uma soprano terão sua vida modificada para sempre após este episódio. Destaque para cena em que, avisados do bombardeio ao campo inimigo, os adversários buscam abrigo na mesma trincheira garantindo a sobrevivência de todas as tropas. Representou a França concorrendo ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

    Lado B – Feliz Natal 2008
    Feliz Natal marca a estréia de Selton Mello na direção de um longa-metragem. Aqui ele retrata de maneira impressionante as relações familiares, em especial a família de Caio que aos 40 anos é dono de um ferro-velho no interior. Em meio às odiadas e ao mesmo tempo necessárias festas de natal e de final de ano ele se depara com a realidade de sua família onde sua mãe é uma viciada, o irmão enfrenta uma crise no casamento e seu pai não o aceita. Ele parte em direção a capital onde reencontra dois amigos decadentes que passam o tempo em noitadas de excessos enquanto ele busca se reencontrar.

     
  • carames 21:51 em 12/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , dario argento, eli roth, fantasmas, fear itself, , , Lado A Lado B, masters of horror, , , , , , , ,   

    O Medo em sua essência: Masters of Horror / Fear Itself 

    Lado A – Masters of Horror (2005-2006)
    Tudo começou com o documentário Boogeymen II: Masters of Horror em que Bruce Campbell apresentava uma série de entrevistas com Dario Argento, George Romero, John Carpenter e Wes Craven falando sobre suas produções mais clássicas e aterrorizantes. Algum tempo depois 13 diretores foram convidados para dirigir, cada um deles, um episódio desta nova série nomeada em homenagem ao documentário de 2002.
    Cada diretor teve direito a um orçamento de 1 milhão e meio de dólares para realizar o seu episódio com total liberdade criativa com a condição de não utlizar artistas renomados, filmar tudo em no máximo dez dias e realizar as filmagens em Vancouver, no Canadá.
    Já na primeira temporada, Dario Argento (Prelúdio para Matar), o pai dos zumbis George Romero (A Noite dos Mortos Vivos, Despertar dos Mortos e Madrugada dos Mortos), John Carpenter (Halloween, O Enigma de Outro Mundo), Tobe Hooper (O Massacre da Serra Elétrica) assumem a batuta. Além deles, outros nomes, como Eli Roth (O Albergue 1 e 2), David Cronemberg (A Mosca) e Rob Zombie (Rejeitados pelo diabo e A Casa dos mil corpos) foram cogitados, mas por estarem envolvidos em outros projetos não puderam participar. A série teve duas temporadas e os roteiros ficaram a cargo dos próprios diretores e em alguns casos foram inspirados na obra de autores consagrados como HP Lovecraft e Stephen King.

    Lado B – Fear Itself (2008)
    Criado por Mick Garris (de Masters of Horror e Ghosts – famoso curta de terror estrelado por Michael Jackson) Fear itself é uma série de terror que segue o estilo de Masters of Horror. A série tem 13 episódios, cada um realizado de maneira independente do outro e tem produtores e diretores que participaram de outras obras memoráveis do terror como Chuck – O Brinquedo Assassino, Jogos Mortais, Freddy x Jason, A Mosca 2 e A Maldição de Quicksilver.
    Zumbis, vampiros, serial killers, canibais e fantasmas assombram cada um dos treze episódios que tem também suspense e, óbvio, muito sangue. A trilha de abertura fica por conta de Serj Tankian do System of a Down e o título é derivado de uma frase de Franklin Roosevolt: “a única coisa que devemos temer é o próprio medo” em tradução literal.

     
  • carames 1:35 em 09/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , assassinato de john lennon, , , capítulo 27, chapter 27, , Killing of John Lennon, Lado A Lado B, ,   

    Há 30 anos, John Lennon era assassinado: Capítulo 27 / O Assassinato de John Lennon 

    Lado A – Capítulo 27 (Chapter 27) 2007
    No dia 8 de dezembro de 1980 Mark David Chapman, um lunático fã dos Beatles, assassinou John Lennon na porta de seu prédio, o edifício Dakota em Nova York. Capítulo 27 é uma referência ao livro O Apanhador no Campo de Centeio de JD Salinger que foi encontrado em posse de Chapman quando este foi preso. O livro contém 26 capítulos e o 27º seria a continuação da história, já que Mark Chapman inúmeras vezes dizia se chamar Holden Caufield, nome do protagonista fictício e que daria continuação a obra. O filme mostra três dias de Chapman rondando o prédio de Lennon e conta com a participação de Lindsei Lohan no papel de Jude, uma garota que simpatiza com o assassino ainda no período em que ele preparava-se para abordar seu ídolo. É ela que sugere a ele comprar um disco do ex-beatle para que o cantor pudesse autografá-lo. Diferente de O Assassinato de John Lennon, desta vez Chapman é visto como uma pessoa extremamente perturbada e determinada a acabar com seu ídolo, que no seu ponto de vista, era um hipócrita por cantar o fim da propriedade e da riqueza e ainda assim andar pela cidade em carros caros com motorista e morar num endereço elegante em Nova York.

    Lado B – O Assassinato de John Lennon (The Killing of John Lennon) 2008
    “Eu era ninguém até que matei o maior alguém da Terra” – foram as palavras de Mark Chapman, assassino de John Lennon. Em O Assassinato de John Lennon, boa parte da narrativa se passa na mente de Chapman que é o enfoque principal do filme, mostrando Lennon de maneira muito discreta. O filme começa em Honololu de onde Chapman parte em direção a Nova York deixando pra trás sua esposa. Lá chegando, não consegue encontrar o alvo de sua ira, deixando de lado momentaneamente o sentimento de raiva que toma conta de si. Numa segunda tentativa ele faz uma vigília em frente ao edifício onde o ex-beatle mora com a família conseguindo finalmente o desfecho desejado. O álbum Double Fantasy autografado por Lennon e que foi usado pela polícia como evidência do crime na época, foi recentemente a leilão por R$ 850 mil, este é provavelmente o mais valioso artefato relacionado ao rock que se tem notícia.

     
    • Leandro 20:45 em 11/12/2010 Link Permanente | Resposta

      Tenho Catcher In The Rye (apanhador no campo de centeio), alias foi indicado pela minha querida mãe pq ela era e é muito fã de John Lennon, ela leu e nao gostou, eu li e achei bom, apesar de ser um livro um tanto rebelde 😀

  • carames 1:07 em 29/10/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , hung, Lado A Lado B, , secret diary of a call girl,   

    Pagando Bem, Que mal Tem?: Hung / Secret Diary of a Call Girl 

    Lado A – Hung
    Ray é um ex-astro do beisebol que após abandonar a carreira ganha a vida como treinador de basquete da escola local. Após ser deixado pela mulher, tendo dois filhos adolescentes para criar, ele perde sua casa em um incêndio e passa a morar em uma barraca no quintal de casa. Para conseguir uma fonte de renda alternativa ele resolve empregar seus atributos físicos como garoto de programa nas horas vagas. A partir de então, ele enfrenta o desafio de atender clientes nem sempre atraentes além de ser pivô de um conflito entre duas cafetinas que divergem a respeito do rumo que a sua carreira de acompanhante deve tomar.

    Lado B – Secret Diary of a Call Girl
    A série é baseada em um blog que mais tarde virou livro e que conta a rotina (se é que podermos chamar de rotina) de Hannah, uma prostituta de luxo que adora sexo e dinheiro e vive o dilema entre fazer o que gosta ou levar uma vida como uma pessoa normal.

     
  • carames 5:11 em 27/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , avatar, , , , Giovanni Ribisi, james cameron, Lado A Lado B, , , sam wortinghton, Sigourney Weaver, , Zoe Saldana   

    Um dia da caça, outro do caçador: Avatar / O Exterminador do Futuro 

    Lado A – Avatar (Avatar) 2009
    Enterrem meu coração na Curva do Rio (2007) conta a história de tribos nativas norte-americanas que após a conquista do oeste pelos brancos, passam a ser massacradas e vêem suas terras serem usurpadas para satisfazer o interesse dos invasores em extrair as riquezas lá disponíveis. Os indígenas passam então a lutar contra a perda de suas terras, sua cultura e dos locais sagrados de seu povo.
    Bom, esta sinopse é sobre Avatar, reverenciado filme de James Cameron. Mas poderia ser Enterrem meu coração, Pocahontas ou qualquer outro faroeste narrando o extermínio dos índios para satisfazer a ganância do povo branco. Troquem o velho oeste por Pandora, os cavalos selvagens por dragões voadores, os nativos pelos Na’avi e os invasores… bem os invasores continuam os mesmos apenas o nome do general não é Custer.
    Mas deve haver uma razão para tanto alvoroço em torno deste filme. Ora, tecnologia 3D, óbvio. Ou não é tão óbvio assim? Na década de 1970 vários filmes (normalmente a parte 3 de uma trilogia – vejam só que coisa) já era feita em 3D, coisa que Cameron alardeou como o grande projeto que levara anos a concluir em virtude de aguardar que existisse tecnologia capaz de realizar seu intento.
    Sam Worthington é um soldado que tem seu avatar enviado pelo exército conquistador para Pandora e que acaba simpatizando com a causa local e passa a combater o avanço humano. O elenco ainda conta com Sigourney Weaver, Michelle Rodriguez, Zoe Saldana e Giovanni Ribisi.
    James Cameron merece todo respeito como cineasta singular que é e pelo conjunto de sua obra (Exterminador do Futuro 2, Alien e Titanic por exemplo) mas ainda não consegui me recuperar da sensação de que desta vez comprei gato por lebre.

    Lado B – O Exterminador do Futuro: A Salvação (Terminator Salvation) 2009
    Depois do lamentável Exterminador do Futuro 3 (2003) estrelado por Arnold Schwarzenegger, em 2008 a série Terminator – The Sarah Connor Chronicles acompanhou o dia-a-dia de Sarah e seu filho. A sinopse do seriado fica para outro post, este filme começa onde termina a série que teve duas temporadas.
    Marcus (Sam Worthington) acorda em 2018 sem saber o que aconteceu desde que foi parar no corredor da morte em 2003. O desafio de John Connor (Christian Bale), líder da resistência humana, será decidir se pode ou não confiar em Marcus para combater a Skynet e tentar evitar a aniquilação humana num futuro dominado pelas máquinas.

     
  • carames 23:55 em 16/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , colin farell, , , , Lado A Lado B, Maggie Gyllenhaal, Marisa Tomei, , ,   

    O valor da segunda chance: O Lutador / Coração Louco 

    Lado A – O Lutador (The Wrestler) 2008
    Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, O Lutador conta a história de Randy “The Ram” Robinson (Mickey Rourke, indicado ao oscar de melhor ator), um lutador que após ter tido sucesso nos anos 1980 vive fazendo pequenos serviços e lutando em centros comunitários na esperança de um último combate contra seu grande adversário dos tempos de glória.
    Um ataque cardíaco o impossibilita de voltar aos ringues o fazendo trabalhar em um restaurante onde conhece a stripper Cassidy (Marisa Tomei, indicada ao oscar de melhor atriz coadjuvante) com quem tenta manter um relacionamento. Ao mesmo tempo, tenta se reconciliar com sua filha, a qual abandonou enquanto ela era criança. O desejo de voltar aos ringues continua presente e ele terá que fazer uma escolha entre realizar seu sonho ou manter sua saúde.
    O filme marcou a volta por cima de Rourke (aniversariante de hoje) após um período de atuações irregulares e uma tentativa frustrada de tornar-se boxeador.

    Lado B – Coração Louco (Crazy Heart) 2009
    Jeff Bridges é o cara, não só pelo seu papel em O Grande Lebowski, onde seu personagem repetidamente se auto-intitulava como O CARA. Ele ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de melhor ator por sua interpretação como Bad Blake, um cantor country em decadência e com dificuldades para vencer o alcoolismo.
    Blake ganha a vida apresentando-se em boliches e pequenos clubes freqüentados por antigos fãs enquanto seu pupilo torna-se um astro deixando-o como mero coadjuvante. A jornalista Jean Kraddock aparece em sua vida como um último sopro de esperança para sair do fundo do poço.
    Inicialmente Bridges havia recusado o convite quando soube que não havia música no roteiro, desta forma, condicionou sua atuação à entrega da trilha sonora nas mãos do amigo T-Bone Burnett (especialista em música popular norte-americana, do blues rural ao country roots).
    O resultado é que a trilha sonora de Burnett é tão boa quanto seu sucesso anterior em E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? (filme de 2000 dos irmãos Coen) e a performance de Bridges é magistral. Ou como definiu o diretor Scott Cooper, “uma mistura de Kris Kristofferson, Waylon Jennings e Johnny Cash”. De quebra o filme ainda conta com Robert Duvall, Colin Farell e Maggie Gyllenhaal.
    Alguma dúvida se vale a pena assistir?

     
  • carames 16:30 em 12/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , Lado A Lado B, Reese Whiterspoon, , , , walk the line   

    Então, Johnny Cash e Elvis Presley são irmãos?: Elvis, Início de uma Lenda / Johnny and June 

    Lado A – Elvis O Início de uma Lenda (Elvis) 2005
    Nos anos 50 Elvis Presley (Jonathan Rhys Meyers) gravou pela Sun Records a música That’s Alright, Mama e a partir de então obteve sucesso meteórico, tornando-se o maior artista da época. Presley teve de servir o exército na Alemanha, neste período perdeu sua mãe, fato que influenciou sua vida desde então.
    Ironicamente, deste ponto em diante tornou-se praticamente um mito. Após sucessos de vendagem Elvis dedicou-se ao cinema nos anos 1960 tendo feito 32 filmes, nem todos aclamados pelo público ou pela crítica.
    Neste filme, além dos maiores sucessos do Rei do Rock, conhecemos seu problema com a dependência em remédios, seu casamento com Priscilla e o misterioso relacionamento com o coronel Tom Parker, seu empresário desde o período seguinte à sua saída da gravadora Sun Records.
    Assim como em Johnny and June que retrata a vida de Johnny Cash, contemporâneo de Elvis, o filme não aborda todo período de vida do astro. Ao invés disto temos 4 horas de uma riquíssima reconstrução dos primórdios da carreira até o show Comeback Special que marcou a volta triunfal do rei após um período de trabalhos criticados no cinema.

    Lado B – Johnny and June (Walk the Line) 2005
    A vida do rebelde e polêmico cantor Johnny Cash (Joaquin Phoenix) desde sua infância, o começo da carreira com as primeiras gravações para a lendária Sun Records e as turnês com Elvis Presley e Jerry Lee Lewis.
    Seu casamento conturbado, sua prisão em decorrência do vício em anfetaminas e sua obsessão pelo seu verdadeiro amor June Carter (Reese Whiterspoon) – que o ajudou a recuperar-se da dependência e retomar o caminho do sucesso com o disco At Folsom Prison de 1968. A história deste ícone da música, permeada pelos seus maiores hits.
    Assim como em Elvis O Início de uma Lenda, Robert Patrick (Arquivo X, e eterno T-1000 de Exterminador do Futuro 2) – que interpretou o pai de Elvis, aqui, interpreta o pai de Johnny Cash.

     
  • carames 3:51 em 12/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , Lado A Lado B, michael moore, ,   

    11 de setembro de 2001: As torres Gêmeas / Fahrenheit 11 de setembro 

    Lado A – As Torres Gêmeas (World Trade Center) 2006
    O filme mostra os policiais John McLoughlin (Nicolas Cage) e Will Jimeno (Michael Pena) durante o fatídico 11 de setembro de 2001. Após dois aviões atingirem as torres gêmeas eles ficam presos nos escombros do prédio. Enquanto isto, acompanhamos o drama das equipes de resgate na tentativa de salvá-los e a tensão das famílias na ânsia por notícias.

    Lado B – Fahrenheit 11 de setembro (Fahrenheit 9/11) 2004
    Neste documentário vencedor da Palma de Ouro em Cannes Michael Moore expõe as controvérsias envolvendo os acontecimentos de 11 de setembro de 2001 em Nova York. Moore evidencia fatos como a retirada do país da família de Osama Bin Laden, acusado de ser o autor dos atentados, mesmo quando todos os aviões estavam proibidos de voar. Traça também prováveis interesses não só na repercussão dos atentados como na guerra que se seguiu a eles com a invasão do Iraque e as duvidosas relações da família Bush com donos de empreiteiras e de industrias petrolíferas. Apesar de tendencioso, é com certeza um filme que merece ser visto.

     
  • carames 15:58 em 11/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , à procura de eric, , cantona, damned united, , Lado A Lado B, looking for eric, maldito futebol clube, Manchester united, ,   

    Esporte Bretão United: À procura de Eric / Maldito Futebol Clube 

    Lado A – À Procura de Eric (Looking for Eric) 2009
    Em tempos de equipes mal estruturadas que se agarram em ídolos do passado como tábua da salvação (vide Brasil, Argentina e o próprio Grêmio) o filme de Ken Loach vem bem a calhar.
    Eric (Steve Evets) encontra-se em uma crise pessoal com baixa auto-estima, sentimentos mal-resolvidos por sua ex-mulher e tomando conta de seus dois enteados. A solução encontrada parece ser a mesma dos times citados anteriormente.
    O carteiro fanático pelo Manchester United passa a buscar conselhos do seu ídolo, o imaginário Eric Cantona (interpretando a ele mesmo) – imaginário pois somente o torcedor consegue vê-lo, ao contrário de seus amigos que pensam que ele tem problemas mais sérios ainda. Cantona passa a dar conselhos ao seu xará que culminam com uma seqüência inesquecível durante uma operação contra gângsteres que o ameaçavam.
    É a história não só de Eric, o carteiro, mas de tantos clubes de futebol que buscam em tempos de glória a solução para um presente pouco glorioso.

    Lado B – Maldito Futebol Clube (The Damned United) 2009
    Quando Dom Revie (Colm Meaney) é convidado para treinar a seleção inglesa em 1974, o ex-artilheiro inglês e agora técnico, Brian Clough (Michael Sheen) é contratado para ocupar seu lugar. O detalhe é que meses antes, enquanto Clough treinava o Derby County, ele criticara duramente a maneira que a equipe do Leeds United jogava (ao seu entender, muitas vezes violenta e desonesta) além do fato de encarar Revie como um desafeto devido aos confrontos anteriores das duas equipes. Carismático e ao mesmo tempo controverso, ele entra em conflito com os jogadores que não aceitam seu comando e buscam referências no antigo treinador enquanto ele recebe duras críticas da torcida, imprensa e dos próprios dirigentes do clube.
    O filme é rico em detalhes quando se trata da estilização de época. Carros, roupas e cabelos fielmente de acordo com o período retratado além da competente mistura de dramatização e imagens reais recuperadas dos jogos no período relâmpago de 44 dias em que a equipe foi treinada por Clough. O filme é baseado no livro de David Peace (The Damned Utd) com alguns fatos livremente adaptados para melhor se encaixarem no formato cinebiografia.
    Exceção feita a esta passagem pelo Leeds United, Brian Clough executou um trabalho memorável por outros dois times ingleses. Assistam e depois respondam se vestiário não derruba treinador.

     
  • carames 1:25 em 04/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , apocalypse now, , Charlie Sheen, , , , , Harrison Ford, , Lado A Lado B, Marlon Brando, , , platoon, , , Vietnã, Willem Dafoe   

    O Vietnã é logo ali: Apocalypse Now / Platoon 

    Carlos Irwin Estevez, conhecido como Charlie Sheen, nasceu em 3 de setembro de 1965. É filho de Martin Sheen e irmão de Emilio Estevez. Participou dos filmes Wallstreet e Top Gang e hoje é protagonista da premiada série Two And a Half Men.

    Lado A – Apocalypse Now (Apocalypse Now) 1979

    Dirigido por Francis Ford Coppola, com previsão de ser filmado em seis semanas que tornaram-se 16 meses e com a sequência inicial mostrando um bombardeio de napalm ao som de The End dos The Doors, o filme é apontado como o melhor filme de guerra de todos os tempos. O Capitão Willard (Martin Sheen) é designado para localizar e matar Kurtz (Marlon Brando), um coronel que enlouquece em plena selva do Camboja. Drogas, um tenente-coronel surfista, vietcongues e uma trilha sonora impecável completam o cenário caótico.
    Em 2001 o próprio Coppola editou o que viria a ser a versão Redux do filme, acrescentando 60 minutos extras em relação ao original de 1979.

    Lado B – Platoon (Platoon) 1986

    Baseado na experiência pessoal do diretor Oliver Stone no Vietnã, o filme acompanha o jovem Chris Taylor (Charlie Sheen) que abandona a faculdade e voluntariamente alista-se para lutar no Vietnã. Na fronteira cambojana ele enfrenta o clima imprevisível, o inimigo vietcongue e os conflitos internos em seu pelotão. Vencedor do Oscar de melhor filme, melhor diretor, melhor som e melhor montagem além do Urso de Prata de melhor diretor e o Globo de Ouro de melhor filme. O elenco contou com vários atores que mais tarde se destacariam como Tom Berenger, Willem Dafoe, Forest Whitaker e Johnny Depp além do próprio Sheen.
    Em Platoon Charlie Sheen repete seu pai, Martin Sheen, que em Apocalypse Now também interpretou um personagem central em meio ao conflito contra os VC’s.

     
  • carames 3:06 em 03/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , Lado A Lado B, , , , , The Pacific, Tom Hanks   

    Segunda Guerra Mundial: Band of Brothers / The Pacific 

    A Segunda Guerra Mundial teve início no dia 1º de setembro de 1939 quando os nazistas invadiram a Polônia e coincidentemente terminou em 2 de setembro, 6 anos mais tarde, com a rendição japonesa. Quando ela terminou deixou um saldo de aproximadamente 70 milhões de mortos, duas bombas atômicas detonadas e o mundo dividido em dois (de um lado o bloco comunista, de outro o capitalista).

    Lado A – Band of Brothers 2001
    Seriado em 10 episódios que conta a história da 101ª Divisão Aerotransportada do exército americano durante a campanha americana na segunda guerra no palco europeu. Produzida por Tom Hanks e Steven Spielberg, teve um orçamento de US$ 125 milhões e demorou 9 meses para ser concluída. Foi o seriado mais caro a ser produzido até que The Pacific, dos mesmos produtores, superou este número em 2010.
    O filme O Resgate do Soldado Ryan (1998) inspirou Hanks e Spielberg a criarem a série que além de dramatizações, conta com depoimentos verídicos dos membros da Easy Company que participaram do Dia D, além da famosa Operação Market Garden e da Batalha do Bulge. Arrebatou os prêmios Emmy e o Globo de Ouro de melhor minissérie e impressiona pelo realismo das cenas de combate.

    Lado B – The Pacific 2010
    Com um orçamento de mais de U$ 150 milhões, The Pacific é a série mais cara a ter sido produzida superando Band of Brothers. Desta vez a série mostra batalhas (Guadalcanal, Cabo Gloucester, Peleliu, Okinawa e Iwo Jima) envolvendo a 1ª Divisão de Fuzileiros Navais no Pacífico enfrentando o exército imperial japonês. Vencedora do Emmy 2010 como melhor minissérie.

     
    • leandro 3:15 em 03/09/2010 Link Permanente | Resposta

      bah tenho q sai um pouco da internet e assisti esses seriados hehe

  • carames 15:38 em 02/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , advogado do diabo, , , , Charlize Theron, constantine, , , Keanu Reeves, Lado A Lado B,   

    Além da Matrix: Advogado do Diabo / Constantine 

    Keanu Charles Reeves nasceu em Beirute, no Líbano no dia 2 de Setembro de 1964. Estrelou filmes importantes como Velocidade Máxima, Doce Novembro, A Casa do Lago e a trilogia Matrix além de dois filmes onde seu personagem está no caminho do coisa ruim. Apesar dos bons filmes, foi indicado três vezes ao Framboesa de Ouro como pior ator.
    Lado A – Advogado do Diabo (The Devil’s Advocate) 1997

    Reeves é Kevin Lomax, um advogado que nunca perdeu um caso e é contratado por John Milton (Al Pacino), dono de uma grande firma de advocacia. Kevin e a esposa Mary Ann (Charlize Theron), apesar da desaprovação da mãe dele, mudam-se de uma cidade pequena do interior para a grande Nova York onde ele passa a morar num apartamento enorme com alto salário e uma série de mordomias.
    A partir de então, sua mulher fica cada vez mais solitária em seu grande apartamento enquanto ele está cada vez mais empenhado em defender os clientes com as causas mais estranhas que lhe são apresentadas por seu chefe. Mary Ann começa a ter visões demoníacas enquanto ele é assediado no trabalho por uma linda assistente de Milton.

    Lado B – Constantine (Constantine) 2005

    O filme é baseado na HQ Hellblazer, da DC/Vertigo e conta a história do detetive sobrenatural John Constantine (Reeves), que literalmente vai ao inferno e volta.
    Junto com a policial Angela Dodson (Rachel Weisz) ele investiga o suicídio da irmã gêmea dela enfrentando para isto anjos malignos e demônios que habitam um mundo paralelo à Los Angeles contemporânea. Participação especial do músico Gavin Rossdale (Bush, Institute).

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: