Marcado como: los gusanos Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 12:30 em 01/09/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , adam griff, Award Productions, big john chadwick, , , , , Dare Studio, ed lynch, los gusanos, , , , ,   

    CD – Los Gusanos: Los Gusanos 1998 


    CJ Ramone mantinha o Los Gusanos como projeto paralelo desde 1992. Só com a separação dos Ramones em 1996 é que o projeto virou trampo em tempo integral. Assinando como CJ Ward, após lançar alguns singles, eles lançaram este disco em 1998. No entanto, a banda acabou logo em seguida devido a uma série de desentendimentos e troca de integrantes.

    É um bom disco de hard rock (não confundir com glam rock) que lembra mais sua primeira banda (Guitar Pete’s Axe Attack) e tem pouco dos Ramones – só lembrando, ele nem assinava mais com o famoso sobrenome.

    Nem por isto é um disco ruim. Exceção feita por Dead Man’s Curve (cover de 1964 de Jan and Dean) as demais canções são todas autoria de CJ e cia. Blue Sky e Low são, de longe, os destaques do disco.

    A exemplo do que aconteceu com Don’t Blame Me do também ex-Ramone, Marc Bell, Los Gusanos teve no lançamento brasileiro arte diferente da versão feita lá fora. A produção, como quase tudo feito pelos Ramones pós 1996, ficou a cargo de Daniel Rey e as gravações feitas Dare Studios, em Nova Iorque.

    Ficha Técnica:
    Award Productions – produzido por Daniel Rey

    C.J. Ward – guitarra e vocal
    “Dirty” Ed Lynch – guitarra
    “Big John” Chadwick – baixo
    Adam (Griff) Griffin – bateria

    Traklist:
    01. “Bad Day” (Los Gusanos) – 2:58
    02. “Carve Your Name” (Los Gusanos) – 2:56
    03. “Hellodorado” (Los Gusanos) – 2:18
    04. “Strip” (Los Gusanos) – 4:13
    05. “Dead Man’s Curve” (Jan Berry/Roger Christian/Brian Wilson/Artie Kornfeld) – 3:06
    06. “Blue Sky” (Los Gusanos) – 4:18
    07. “Burnin'” (Los Gusanos) – 1:45
    08. “Reciprocal” (Los Gusanos) – 3:35
    09. “Low” (Los Gusanos) – 3:26
    10. “Go Again” (Los Gusanos) – 2:42
    11. “Arizona” (Los Gusanos) – 3:28
    12. “On My Way” (Los Gusanos) – 4:18


    Versão Brasileira lançada pela Paradoxx:




    Singles*:






    cj013cj004




    Los Gusanos - 1994 - I'd Love to Save The World aLos Gusanos - 1994 - I'd Love to Save The World b
    Los Gusanos - 1994 - I'd Love to Save The World fLos Gusanos - 1994 - I'd Love to Save The World e
    Los Gusanos - 1994 - I'd Love to Save The World g
    *cortesia Marcus Pádula

     
  • paulocarames 4:10 em 08/10/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , los gusanos, , , ,   

    C. J. Ramone (8 de outubro de 1965) 

    Christopher Joseph Ward começou a carreira numa banda de metal chamada Guitar Pete’s Axe Attack com a qual gravou dois discos: Dead Soldier’s Revenge de 1985 e Nitemare de 1986.

    Mas foi em 1989 em sua nova banda é que ele ficou conhecido. Recrutado após diversos testes ele substituiu Dee Dee à frente do baixo dos Ramones e foi logo batizado – CJ Ramone.

    Sua estréia nos palcos foi em 30 de setembro daquele ano em Leicester na Inglaterra durante a turnê do álbum Brain Drain. Em 1991, CJ gravou seu primeiro álbum como um Ramone (Loco Live) e no ano seguinte seu primeiro registro em estúdio (Mondo Bizarro).

    Após o fim da banda ele seguiu em um novo projeto chamado Los Gusanos (que em 1994 havia lançado o EP I’d Love to Save The World e um split com Youth Gone Mad) além do disco Los Gusanos de 1998 produzido por Daniel Rey – produtor de vários discos dos Ramones.

    Em 2000 ele formou a The Warm Jets que teve um single lançado. No ano seguinte eles mudaram o nome para Bad Chopper evitando confusão com uma banda britânica de mesmo nome. Já em 2003 eles lançaram um novo EP (Real Bad Time), e em 2007 um disco que levava o nome do projeto.

    CJ ganhou seu primeiro baixo aos 13 anos e apesar de ter iniciado em uma banda de heavy metal, suas principais influências sempre foram Sid Vicious (Sex Pistols), Paul Simonon (The Clash) e Dee Dee (Ramones).

    Descendente de indígenas, CJ tem interesse particular por este tema e também por tatuagens e motos. Ex-marine americano ele chegou a ser preso por deserção e quase ficou de fora da banda.

    Com a questão legal já resolvida ele foi treinado por Johnny que descreveu o processo: “Eu dizia: CJ, olhe para lá e não para Marc. Olhe para o espelho. Quando você me vir avançando, avance também. Mantenha o baixo abaixo da cintura. Abra as pernas. Olhe pra frente, toque pra frente”.

    CJ e Johnny faziam aniversário na mesma data e no funeral do amigo ele fez questão de manifestar a admiração que tinha pelo parceiro.

    Abaixo você confere alguns vídeos de CJ em ação com Johnny nos Ramones e em carreira solo com Los Gusanos e também Bad Chopper. Detalhe, na entrevista que você vê abaixo o divórcio a que ele se refere é da sobrinha de Marky Ramone com quem era casado.





     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: