Marcado como: Molly Parker Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 10:00 em 18/11/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , Constance Zimmer, Corey Stoll, Elizabeth Norment, , house of cards, Jeremy McLain, Kate Mara, Kevin Spacey, Kristen Connolly, Larry Pine, Mahershala Ali, Michael Gill, Michael Kelly, Molly Parker, Nathan Darrow, Rachel Brosnahan, , Robin Wright, Sakina Jaffrey, Sebastian Arcelus, ,   

    Trailer: House of Cards 2013 

    Anúncios
     
  • carames 10:00 em 30/05/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , Grant Show, Jack Davenport, Lana Parrilla, Molly Parker, , Swingtown   

    Série – Swingtown (2008) 

    swingtownNo subúrbio da Chicago do final dos anos 1970 vivem os casais Miller, Decker e Thompson. Tom Drecker (Grant Show de Melrose Place e Six Feet Under) é um piloto de avião que tem um casamento aberto, ele e Trina (Lana Parrila de 24 horas) buscam juntos aventuras em festas e no trabalho de Tom – o que os distancia muito da realidade mais conservadora do casal Thompson.

    Entre estas duas realidades estão Bruce (Jack Davenport) e Susan Miller (Molly Parker de Dexter, Deadwood e Six Feet Under), divididos pelas novas experiências apresentadas pelo tentador casal Drecker e a ameaça de perder a amizade de longa data com os Thompson.

    Não bastasse os dilemas que envolvem sua vida sexual e o uso de substâncias que dominaram a década, cabe aos Miller criar o casal de filhos em meio a este turbilhão de mudanças e incertezas.

    A ambientação dos treze episódios da série é impecável. Da trilha sonora ao figurino, incluindo as situações cotidianas. Inicialmente rejeitada por HBO e Showtime, a produção acabou na CBS e mais tarde, tornou-se mais uma cancelada já na primeira temporada.

     
  • carames 11:03 em 25/12/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , David Milch, , , Ian McShane, Jeffrey Jones, Molly Parker, , , Timothy Olyphant   

    Sete motivos para assistir Deadwood 

    Uma das séries mais subestimadas da década passada é Deadwood. Uma obra-prima do primeiro ao último plano, foi a série que consolidou o nome de David Milch como o de um grande gênio criativo da televisão. Entretanto, muitos série maníacos acabam por esquecer da existência dessa série, principalmente pela falta de alarde em relação às outras séries excelentes que coexistiam. Por causa disto, preparei aqui uma lista de sete motivos para você começar a assistir Deadwood agora e perceber o quanto a sua vida não fazia sentido antes de Deadwood. Estão prontos?

    1-Ambiente pouco explorado em séries

    O Western foi um tema rico para o cinema, quando clássicos como os dirigidos por Sérgio Leone, ou estrelados por Clint Eastwood e John Wayne ganharam destaque no mundo inteiro como o maior marco do cinema de massa americano. Mas na televisão o destino não foi o mesmo, sendo um ambiente com exploração quase nula. Portanto, se você é um desses que gostam de Velho Oeste, acredito que não exista motivo algum para não assistir à série.

    2-A abordagem do Western

    Sabe aquele universo tradicional do Western, onde a anarquia das instituições era sinônimo de criar um ambiente que, mesmo violento, tinha um conceito claro de bem e mal e quem deveria ser recompensado ou castigado? Esqueça isso! Deadwood prefere realizar uma abordagem oposta, mostrando como a vida cotidiana funcionava, e quem eram os beneficiados verdadeiros no ambiente. É uma abordagem mais sofisticada, inteligente, e que por isso a fez perder público entre aqueles que estavam esperando uma série que fizesse jus ao faroeste tradicional. Em contrapartida, essa desvirtuação do gênero talvez seja a melhor característica de Deadwood e a que a imortalizou como uma das melhores séries já feitas.

    3-O modo como retrata a evolução do cenário e dos personagens

    No início da série, Deadwood é uma vila submersa no caos, e a maior parte dos personagens são viajantes que tentam se abrigar no local para alcançar uma nova forma de vida que idealizam, representado principalmente por Seth Bullock e Alma Garret. Durante três anos, vemos a cidade se desenvolver, ganhar proporções econômicas e políticas maiores, vemos os personagens mudarem, ao ponto de em alguns casos deixemos de sentir o afeto por eles que tínhamos antes. Essa evolução funciona de forma dupla, como se a mudança da própria cidade gerasse efeitos nos personagens, gerando perguntas sobre a forma como a civilização muda as pessoas.

    4-Elenco entre os mais fortes da televisão

    Cada personagem de Deadwood tem um propósito de existir e as atuações conseguem na sua totalidade transmitir quem é o personagem e qual sua função dentro da trama. São poucas as obras que conseguem possuir uma quantidade tão grande de personagens fortes e explorá-los com a maestria que é feita por David Milch.

    5-Al Swearengen

    Sabe aquele personagem que, ao mesmo tempo, lhe provoca ódio, repulsa, medo e admiração? Esse é Al, retratado com vivacidade por Ian McShane, o destaque absoluto no já mencionado ótimo elenco, em uma atuação a qual absorvia os menores trejeitos do personagem e, infelizmente, rendeu em termos de premiação muito menos do que seria em um mundo justo. É uma encenação tão magistral, que deveria ser conferida não só por qualquer um que se diga série maníaco, mas para qualquer fã de audiovisual.

    6-A qualidade do Piloto

    Os dez primeiros minutos de Deadwood são uma aula de televisão, onde o espectador é ensinado que alguns maiores momentos de genialidade de uma obra podem sim ser executados em um episódio que sempre é tido como nebuloso. Apenas com esse tempo já estamos completamente fisgados pelo ambiente da série e o resto, embora não tão magistral, continua com a ótima qualidade, gerando um dos melhores Pilotos já feitos em toda a televisão.

    7-O fato de ela ser terceira melhor série feita pela HBO

    The Sopranos foi a série que revolucionou a televisão, tanto em termos estéticos quanto narrativos. Neste aspecto, muitos comentam que The Wire acabou por ter a má sorte de ser ofuscada durante a época, só sendo desenterrada anos depois. O que poucos comentam é qual seria a terceira melhor série do canal, mas pelo andar da carruagem você já sabe a resposta, não é? Se você gosta das duas obras de arte citadas anteriormente, só finalizo o texto com a seguinte informação: se Deadwood não pode ser considerada melhor que ambas, a diferença de qualidade está em detalhes, pois é uma obra com um número tão grande de características positivas quanto de suas “irmãs”. E, francamente, se ela conseguiu a proeza de rivalizar com as duas maiores séries já feitas, como pode um série maníaco ao saber de sua existência simplesmente ignorá-la? Se você ainda não conhece a série, a hora é agora!

    Postado originalmente em Sériemaniacos.com


     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: