Marcado como: motorhead Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 10:00 em 22/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 8 de fevereiro, , , , , , , , motorhead, , , , , , , Swing Cats ‎A Special Tribute To Elvis,   

    CD – VA: Swing Cats ‎A Special Tribute To Elvis 2000 

    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis
    Lançado em 8 de fevereiro de 2000, Swing Cats ‎A Special Tribute To Elvis é um projeto conjunto do baterista Slim Jim Phantom (The Stray Cats) e do guitarrista Danny B. Harvey.

    Ao lado de vários convidados eles apresentam 14 versões de clássicos do Rei do Rock como Little Sister, Stuck on You e Burning Love.

    Em uma sessão que contou com Johnny Ramone (Ramones) e Lemmy Kilmister (Motorhead) surgiram as versões de Good Rockin’ Tonight e Viva Las Vegas. Com estúdio à disposição e tempo sobrando após Johnny finalizar seu trabalho, Kilmister, Phantom e Harvey gravaram mais algumas versões (agora de Johnny Cash, Buddy Holly e Eddie Cochran) com o baixista tocando guitarra acústica.

    Resultou desta junção o projeto The Head Cat, mistura dos nomes Motorhead e Stray Cats e o disco Lemmy, Slim Jim & Danny B que foi lançado ainda em 2000 com as gravações desta sessão. O disco do The Head Cat em 2006, a exemplo deste tributo a Elvis em 2008, seria relançado com arte e sequência das músicas diferentes da edição inicial.

    Ficha Técnica:
    Cleopatra Records – produzido por Danny B. Harvey

    Tacklist:
    01 Good Rockin’ Tonight 3:19
    02 Trying To Get To You 1:42
    03 Viva Las Vegas 3:00
    04 Stuck On You 2:24
    05 Can’t Help Falling In Love 3:51
    06 Crawfish 4:49
    07 I Need Someone To Lean On 3:45
    08 T-R-O-U-B-L-E 3:54
    09 Little Sister 4:02
    10 Burning Love 3:15
    11 Steamroller Blues 4:47
    12 That’s All Right 3:22
    13 Tigerman 3:28
    14 Young & Beautiful 3:26
    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (2)
    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (1)
    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (7)Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (8)
    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (9)Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (10)
    Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (11)Swing Cats - A Special Tribute To Elvis (12)


    Anúncios
     
  • carames 10:00 em 08/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , motorhead, No Balls Records, , , , , , Ramones' Solo Performances, , ,   

    EP – Ramones: Ramones’ Solo Performances 2007 

    VV.AA. - Ramones' solo performances EP (6)
    Compacto lançado em 2007 contendo o histórico registro de Johnny Ramone em estúdio pós Ramones. Com a separação da banda em 1996 ele foi o único que se aposentou de fato e, exceto pelas duas canções contidas neste EP, Johnny não se envolveria mais com música após a dissolução do grupo.

    Nas seções em que revisita dois clássicos imortalizados pelo seu ídolo Elvis Presley (Good Rockin Tonight e Viva Las Vegas), o ex-guitarrista dos Ramones tem a companhia de Lemmy Kilmister do Motorhead, o baterista Slim Jim Phantom e o guitarrista Danny B. Harvey.

    Incluídas inicialmente no tributo Swing Cats A Special Tribute To Elvis (2000) estas duas músicas também estão presentes no boxset argentino The Family Tree que contempla vários trabalhos solo de ex-ramones.

    Johnny, que sempre foi fã de Elvis, após se retirar da música foi morar em Los Angeles e ficou amigo de Lisa Marie, filha do Rei do Rock.

    Este compacto intitulado Ramones’ Solo Performances poderia também se chamar Cover Performances pois além das duas versões já citadas tem ainda Marky Ramone com versão de Cherry Bomb das Runaways (ao lado de Cherie Currie e do MC5, Wayne Kramer) e Dee Dee Ramone com Jump in The Fire do Metallica (retirada de A Punk Tribute to Metallica)

    Foi feito com tiragem limitada e em diferentes versões numerados a mão. A edição com capa vermelha (29 ao todo) teve 19 discos roxos/branco e 10 roxos. A edição com capa azul (100 no total) eram exclusivamente em vinil roxo/branco enquanto as demais 400 tinham capa preta e o disco roxo.

    Ficha Técnica:
    No Balls Records/ Cleopatra Records

    Tacklist:
    Lado A
    01 – Good Rockin Tonight (Johnny Ramone / Danny B. Harvey / Lemmy / Slim Jim Phantom)
    02 – Viva Las Vegas (Johnny Ramone / Danny B. Harvey / Slim Jim Phantom)
    Lado B
    01 – Cherry Bomb (Marky Ramone / Cherie Currie / Wayne Kramer)
    02 – Jump in The Fire (Dee Dee Ramone)
    KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERAKONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA
    KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERAKONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA


     
  • carames 10:00 em 17/01/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Heartbreaker, motorhead   

    Motorhead – Heartbreaker 

     
  • carames 10:00 em 19/12/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , motorhead, os melhores discos de 2013, , ,   

    Os melhores discos de 2013 

    É um exercício interessante chegar nesta época do ano, ouvir os discos que saíram nos últimos doze meses e pinçar seus preferidos. Sim, pois a lista de ‘melhores’ já se contradiz no título. Na verdade é uma lista daquilo que mais tocou no celular, mp3 player, toca disco, etc.

    Detalhe, se a lista não é tão ampla assim com as novidades do momento, uma coisa é certa: não rola jabá. Confira também como foi 2011 e 2012.

    01 – Black Sabbath: 13
    Black Sabbath - 2013 - 13

    02 – Bad Religion: True North
    Bad Religion - 2013 - True North

    03 – Motorhead: Aftershock
    Motorhead - Aftershock

    04 – Pearl Jam: Lightning Bolt
    Pearl Jam - 2013-10-14 Lightning Bolt

    05 – CJ Ramone: Reconquista
    cj ramone - reconquista (5)

    06 – Alice In Chains: The Devil Put Dinosaurs Here
    Alice In Chains - 2013 - The Devil Put Dinosaurs Here

    07 – Queens of The Stone Age: Like Clockwork
    Queens of The Stone Age - 2013 - Like Clockwork

    08 – Sepultura: The Mediator Between The Head And Hands Must Be The Heart
    Sepultura - 2013 - The Mediator Between The Head And Hands Must Be The Heart

    09 – CBGB Original Soundtrack
    CBGB-10-8

    10 – Humberto Gessinger: Insular
    Humberto Gessinger - 2013 - Insular

     
  • mateus 4:50 em 05/12/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , motorhead   

    CD – Motörhead: Aftershock (2013) 

    motorhead_aftershock_cover_300dpi_130828

    Depois de 38 anos passados, com uma bagagem excepcional de álbuns como “Ace of Spades” e “Iron Fist”, a banda precursora do New Wave of British Heavy Metal continua a lançar novos discos que não devem nada para os anteriores, mesmo os mais clássicos.
    “Aftershock” é o 21º álbum de estúdio do Motörhead e traz um total de 14 faixas com a mesma velha sonoridade e agressividade já conhecidas da banda.
    Apesar dos problemas de saúde enfrentados por Lemmy ultimamente gerarem um certo reflexo nos vocais do disco, não chegam a afetar o produto final. Pelo contrário, parece que a fiel legião de fãs do Motörhead tem o dever de se sentir presenteada com uma obra de tamanha grandeza que representa nada menos que a bravura do seu líder.
    Lemmy está vivo, o Motörhead segue sendo o mesmo de sempre, e pra quem gosta, basta erguer o volume.
    Ponto alto do CD: “Heartbreaker” e “Going To Mexico”

    Ficha Técnica:
    Warner Music

    Lemmy Kilmister – volcal e baixo
    Phil Campbell – guitarra
    Mikkey Dee – bateria

    1 – Heartbreaker
    2 – Coup de Grace
    3 – Lost Woman Blues
    4 – End Of Time
    5 – Do You Believe?
    6 – Death Machine
    7 – Dust And Glass
    8 – Going To Mexico
    9 – Silence When You Speak To Me
    10 – Crying Shame
    11 – Queen Of The Damned
    12 – Knife
    13 – Keep Your Powder Dry
    14 – Paralyzed

     
  • carames 10:00 em 06/09/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , motorhead, Rock Out   

    Motörhead – Rock Out 

     
  • carames 12:47 em 22/06/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1910 fruitgum co, , , chris montez, Heard Them Here First, , , louis armstrong, , , motorhead, , , , , , , ritchie valens, sonny and cher, the amboy dukes, , the byrds, the chambers brothers, the music explosion, the rivieras, the ronettes, the searchers, , , The Trashmen, ,   

    CD – VA: Heard Them Here First 2012 

    ramones-heard-them-here-first
    Dos 14 álbuns de estúdio lançados pelos Ramones, apenas Pleasant Dreams (1981), Too Tough to Die (1984), Animal Boy (1985) e Halfway to Sanity (1987) não tiveram covers – marca registrada da banda para homenagear seus ídolos.

    Por outro lado, além de incluir pelo menos uma cover nos demais discos, em 1993 Acid Eaters não traria uma única música composta pelo quarteto.

    Heard Them Here First faz o caminho inverso. Aqui temos reunidas versões originais de grande parte das canções que o quarteto incluiu em seus discos. Ficaram de fora algumas músicas de Acid Eaters além de Palisades Park (Brain Drain, 1989) e Take it as it Comes (Mondo Bizarro, 1992). Em compensação, duas músicas regravadas por Joey Ramone completam a compilação.

    Se em Deep Roots Of The Ramones e MOJO Presents 1-2-3-4 The Roots Of The Ramones o foco eram as bandas que serviram de influência incluindo algumas músicas que seriam regravadas pelos Ramones, aqui a única canção não regravada é I Got You Babe (Sonny & Cher).

    Ficha Técnica:
    Ace Records

    Tacklist:
    01. Chris Montez – Let’s Dance (2:27) Ramones
    02. The Rivieras – California Sun (2:24) Leave Home
    03. The Trashmen – Surfin’ Bird (2:23) Rocket to Russia
    04. The Beach Boys – Do You Wanna Dance (2:21) Rocket to Russia
    05. The Searchers – Needles And Pins (2:14) Road to Ruin
    06. Ritchie Valens – Come On, Let’s Go (2:02) Rock ‘n’ Roll High School
    07. The Ronettes – Baby I Love You (2:50) End of the Century
    08. Sonny & Cher – I Got You Babe (3:07)
    09. The Music Explosion – Little Bit O’ Soul (2:21) Subterranean Jungle
    10. The Chambers Brothers – Time Has Come Today (4:53) Subterranean Jungle
    11. 1910 Fruitgum Co. – Indian Giver (2:35) Ramones Mania
    12. Jan & Dean – Surf City (2:42) Acid Eaters
    13. The Troggs – I Can’t Control Myself (3:05) Acid Eaters
    14. The Byrds – My Back Pages (3:11) Acid Eaters
    15. The Beach Boys – Surfin’ Safari (2:18) Acid Eaters
    16. The Seeds – Can’t Seem To Make You Mine (3:03) Acid Eaters
    17. Max Frost & The Troopers – Shape Of Things To Come (1:54) Acid Eaters
    18. The Amboy Dukes – Journey To The Center Of The Mind (3:17) Acid Eaters
    19. Jefferson Airplane – Somebody To Love (3:00) Acid Eaters
    20. Love – 7 And 7 Is (2:25) Acid Eaters
    21. Tom Waits – I Don’t Wanna Grow Up (2:32) ¡Adios Amigos!
    22. Motorhead – R.A.M.O.N.E.S. (2:13) Greatest Hits Live
    23. The Stooges – 1969 (4:07) Don’t Worry About Me
    24. Louis Armstrong – What A Wonderful World (2:16) Don’t Worry About Me



     
  • carames 15:11 em 21/01/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 18 de novembro, , , , , , Ben Shepherd, , , , , , , , , jim jarmusch, , , Kevin Kerslake, , , , , , motorhead, , , , , , , , , , , , , , , vincent gallo   

    LP/CD/VHS/DVD/Boxset – Ramones: We’re Outta Here 1997 


    Tratando-se de We’re Outta Here já vi quase tudo. Umas tantas versões do LP, umas 3 do CD e o vídeo em VHS e DVD. Ah, claro, ainda tem o box com CD e VHS numa embalagem bem interessante. Aliás, no dia 25 de novembro de 1997, pela primeira vez 6 ex-integrantes (Johnny, Joey, Dee Dee, Tommy, Marky e CJ) se reuniram em um mesmo local para sessão de autógrafos deste boxset.

    Gravado ao vivo no The Palace em Los Angeles no dia 6 de Agosto de 1996, este é o registro oficial da última apresentação dos Ramones. Após 22 anos de carreira e 2263 shows chegava a hora de pendurar as jaquetas de couro.

    Se Greatest Hits Live (lançado no ano anterior) levou cerca de 4 meses para ver a luz do dia, desta vez o produtor Gary Kurfirst levou mais de um ano entre o espetáculo propriamente dito e o produto final fazendo valer a pena apesar das ressalvas.

    A estranheza fica por conta do local escolhido que parece deslocado. Talvez por ter sido definido de última hora ou talvez por não ter ocorrido em Nova Iorque, na Argentina ou no Brasil como seria mais óbvio. Sem o tradicional fundo de palco com a águia símbolo da banda e com um salão longe de estar lotado que nada lembra os shows na América do Sul como o da Argentina em março daquele ano.

    Johnny preferia não ter mais fotos da banda na capa (ou que eles estivessem de costas como na contracapa de ¡Adios Amigos!) para não dar sinais de que o tempo havia passado.

    Desta forma, a arte do disco deixa mais uma vez a banda de fora (como acontecera em Brain Drain, ¡Adios Amigos! e Greatest Hits Live) estranhamente dando ênfase para fotos dos convidados. Pensar que Any Way You Want It é a última música que eles tocaram juntos também causa espanto. Impossível agradar a todos.

    outta here (3)

    Mas o disco cumpre seu papel encerrando as atividades da banda e com méritos, já que no máximo duas vezes na carreira os Ramones haviam dividido o palco com alguém. Desta feita sobrou espaço para meio time do Rancid e também Eddie Vedder (Pearl Jam), Lemmy kilmister (Motorhead), a dupla Chris Cornell/Ben Shepherd (Soundgarden) além do ex-baixista Dee Dee Ramone.

    Uma festa registrada também em vídeo que foi mais tarde lançada no formato de um documentário. Ficou faltando um lançamento com a íntegra, já que a performance completa foi editada com trechos do show mescladas entre depoimento de amigos, produtores e integrantes da família Ramone. Tinha ainda a participação deles nos Simpsons e trechos de shows ao longo da carreira.

    outta here (2)

    Na filmagem, destaque para os cortes rápidos com câmeras muitas vezes apontadas para o nada, para o chão ou para os pés dos músicos. Ângulos inusitados e enquadramento nada convencional além de muitas vezes os cinegrafistas operarem no estilo ‘câmera na mão’ ou como um voyeur espiando de algum ponto do palco.

    Em certo momento Chris Cornell anuncia: “é sua última chance de vê-los ao vivo”. É o registro final da maior banda de todos os tempos com convidados que lhes fizeram companhia na turnê do festival Lollapalooza e repetidamente citavam os Ramones como principal influência. Dalí por diante seriam apenas projetos solo de um ou outro integrante e as tradicionais reedições caça-níquel das gravadoras.

    Ficha Técnica:
    Radioactive Records/Eagle Vision – produzido por Gary Kurfirst, dirigido por Kevin Kerslake

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone/CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone/Marky Ramone – bateria

    Edição Original (Radioactive Records)
    Lado A:
    01 “Durango 95”
    02 “Teenage Lobotomy”
    03 “Psycho Therapy”
    04 “Blitzkrieg Bop”
    05 “Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?”
    06 “I Believe in Miracles”
    07 “Gimme Gimme Shock Treatment”
    Lado B:
    08 “Rock ‘n’ Roll High School”
    09 “I Wanna Be Sedated”
    10 “Spider-Man”
    11 “The KKK Took My Baby Away”
    12 “I Just Wanna Have Something to Do”
    13 “Commando”
    14 “Sheena Is a Punk Rocker”
    15 “Rockaway Beach”
    Lado C:
    16 “Pet Sematary”
    17 “The Crusher”
    18 “Love Kills” (com participação de Dee Dee Ramone)
    19 “Do You Wanna Dance”
    20 “Somebody Put Something in My Drink”
    21 “I Don’t Want You”
    22 “Wart Hog”
    23 “Cretin Hop”
    24 “R.A.M.O.N.E.S.” (com participação de Lemmy Kilmister do Motörhead)
    25 “Today Your Love Tomorrow the World”
    Lado D:
    26 “Pinhead”
    27 “53rd & 3rd” (com participação de Tim Armstrong e Lars Frederiksen do Rancid)
    28 “Listen to My Heart”
    29 “We’re a Happy Family”
    30 “Chinese Rocks” (com participação de Chris Cornell e Ben Shepherd do Soundgarden)
    31 “Beat on the Brat”
    32 “Any Way You Want It” (com participação de Eddie Vedder do Pearl Jam)


    Versão em CD









    O disco fez parte ainda de uma compilação que incluía 29 músicas da versão original e a íntegra de Halfway to Sanity:
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 1
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 2
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 3
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 5Halfway to Sanity - We're Outta Here 4
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 6

    Versão em K7
    ramones-wereouttaherek7

    Box com CD e VHS

    Versão em VHS

    Versão em DVD

    Mais sobre o disco*:

    outta here (1)





     
  • carames 15:56 em 24/12/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , bruce dickinson, , , , , motorhead, ,   

    Dia de celebrar o nascimento do Salvador 

    Happy Birthday Mr Lemmy Kilmister

     
  • carames 1:13 em 26/09/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , motorhead, Pq o rock in rio é tão ruim???, , ,   

    Pq o rock in rio é tão ruim??? 

    O assunto do momento é o tal do festival de ‘rock’ que acontece na tal ‘cidade maravilhosa’.

    Faço coro aos descontentes que se ressentem por não termos um festival verdadeiramente roqueiro como acontece em outros países.

    Seja ele de hardcore (Warped Tour), metal (Ozzfest, Monsters of Rock) ou um mix de gêneros (Download Festival, Graspop, Sonisphere, Rock Am Ring, Lollapalooza e Coachella).

    A choradeira é grande e (ao contrário do que muitos pensam) o Rock in Rio não piorou, apenas não melhorou. Salvo poucas bandas de qualidade, o que era ruim, continua ruim. O que separa o lineup das duas últimas edições é a marca de 10 anos, pois a escalação é no mínimo, equivalente. Dá uma conferida:

    2001 / 2011
    Ira e Ultraje a Rigor / Paralamas do Sucesso e Titãs
    Sandy e Junior / Claudia Leitte
    Britney Spears / Katy Perry
    Carlinhos Brown / Nx Zero
    Rob Halford / Stone Sour
    Capital Inicial / Capital Inicial
    Oasis / Snow Patrol
    Red Hot Chili Peppers / Red Hot Chili Peppers
    Foo Fighters / Motörhead
    Sepultura / Slipknot
    Iron Maiden / Metallica
    R.E.M. / Jamiroquai
    Pato Fu / Jota Quest
    Cássia Eller / Pitty
    Papa Roach / Evanescence
    Silverchair / System of a Down
    Guns N’ Roses / Guns N’ Roses


     
  • carames 3:05 em 27/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , black crowes, , , , , , burzum, , , , , , , , , , , hole, , , , , , , limp bizkit, , , motorhead, , , , , , , , , , , , , , significado nome das bandas, , , , ,   

    Origem do nome de algumas, várias, bandas… 

    AC/DC – A irmã de Angus e Malcolm Young, Margaret, criou o nome. Aparentemente ela achou a sigla em um eletrodoméstico, e achou que casava bem com a banda, visto que tinha a ver com eletricidade (AC/DC é um indicativo de corrente contínua e alternada). Depois descobriram que era também uma gíria que designava bissexuais mas já era tarde. São infundadas as versões de que o nome seria uma sigla para Anti-Christ/Dead-Christ (anticristo, cristo morto).
    Aerosmith – O nome Aerosmith não significa absolutamente nada. Foi proposto por Joey Kramer e segundo Steven Tyler foi o único nome entre vários propostos que ninguém odiou.
    Alice In Chains – Paródia masoquista de Alice no País das Maravilhas. A idéia inicial (que nunca chegou a acontecer) era de tocarem covers de Slayer usando vestidos.
    Anthrax – É o nome de um microorganismo desenvolvido para guerra bacteriológica. Ficou famoso após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, quando a banda chegou a cogitar mudar de nome.
    Audioslave – Primeiro, a banda foi batizada Civilian. Mas acontece que já existia uma banda de nome Civilian, e foi preciso procurar outro nome. Chris Cornell (vocalista) sugeriu Audioslave e ninguém na banda ousou discordar. Só que também já existia um Audioslave. Desta vez, a banda resolveu entrar em acordo com a banda homônima para continuar sendo Audioslave. (Colaborou: Leonardo Apolinário)
    B. B. King – Abreviatura para “Blues Boy King”.
    Beastie Boys – Beastie quer dizer animalesco. Porém o nome dessa banda é na verdade um acrônimo para “Boys Entering Anarchistic States Toward Internal Excellence” (Rapazes Entrando em um Estado Anárquico Visando a Excelência Interna).
    Black Crowes – O nome original da banda era Uncle Crowe’s Garden, tirado de historia infantil.
    Black Flag – A bandeira preta é a bandeira dos piratas. É também uma marca de inseticida. Quando Adam Ant tocou na Califórnia, membros da banda distribuiram bottons com os dizeres “Black Flag kills ants!” (Black Flag mata formigas). Ainda segundo Henry Rolins, se inspiraram no nome do Black Sabbath.
    Black Sabbath – Um Sabbath Negro é uma reunião de bruxas e feiticeiras. A banda se chamava Earth e resolveu assumir o nome de uma música composta por Geezer Butler, inspirada em um suspense do novelista Denis Wheatley.
    Blur – A banda na verdade se chamava SEYMOUR porem uma das condições em seu primeiro contrato era de se mudar o nome para um contido em uma lista oferecida pela gravadora. Blur foi escolhido como a melhor opção.
    Bob Dylan – Seu nome verdadeiro é Robert Zimmerman. Achando o nome excessivamente étnico e sendo grande admirador do poeta Dylan Thomas, ele mudou para Bob Dylan.
    Burzum – Significa “Mais Trevas” na língua fictícia inventada por JRR Tolkien para seu livro “O Senhor Dos Anéis”. Essa banda de Black Metal está atualmente desativada pois seu fundador está descansando na penitenciária após ter assassinado Euronymous da banda Mayhem.
    Bush – Alusão a “Sheperd’s Bush”, bairro em Londres.
    CBGB’s – Templo Nova Yorquino para o new wave, punk e thrash. O nome completo do lugar é CBGB and OMFUG, lendo “Country, Bluegrass, Blues and Other Music For Uplifting Gormandizers”.
    Clash – Tirado de manchete do jornal “A Clash With Police”. Paul Simmon teve a idéia e todos concordaram.
    Dead Kennedys – Kennedys mortos era uma alusão aos assassinatos do presidente John Fitzgerald Kennedy e seu irmão senador Robert Fitzgerald Kennedy. Uma citação famosa de East Bay Ray (guitarrista) sobre este assunto: “Um Show dos Dead Kennedys no dia 22 de novembro, aniversário da morte de John Kennedy, não seria de mau gosto? Claro! Mas os assassinatos também não são de mau gosto?”
    Engenheiros do Hawaii – Tudo começou em 1984 na Faculdade de Arquitetura em Porto Alegre, onde o grupo estudava. Existia uma rixa entre o pessoal de arquitetura e engenharia. Os estudantes se envolviam em rixas curriculares, filosóficas, estilos de vidas, etc. Enfim, o pessoal da arquitetura inventou um apelido para acabar com os inimigos. “Todo estudante de arquitetura é meio arrogante, acha que os engenheiros estão abaixo. Tinha um pessoal na engenharia que usava aquelas roupas de surfista, e, para irritá-los, nós fazíamos questão de chamá-los de ‘engenheiros’ e, mais do que isso, ‘engenheiros do hawaii’, que é um paraíso meio kitsch”. Na época, havia uma explosão de bandas punk, todas com nomes heróicos entre elas: Cavaleiros do apocalipse, Virgens Nucleares, Titãs, etc. Disse Humberto: “Sempre me assustou essa coisa heróica da música pop, porque te leva a ser meio semideus. Engenheiros do Hawaii era um nome desmistificador, ninguém nos levaria muito a sério. É um nome que até hoje nos protege de nos encararem como sacerdotes”. (Colaborou: Leandro Silva)
    Exploited – Explorado.
    Faith No More – Fé Nunca Mais. O nome anterior era Sharp Young Men, que depois mudou para Faith No Man quando seu crooner era Mike “The Man” Morris. Quando Morris saiu em 1982, evoluíram para Faith No More.
    Foo Fighters – Gíria originada durante a Segunda Guerra Mundial significando UFO’s (OVNI’s). A palavra Foo é uma corruptela do francês “feu” significando “fogo” ou “fou”, significando “insano”. Dizem que tudo começou quando um grupo de pilotos da aeronáutica tentaram atirar em possíveis UFO’s.
    Green Day – Trata-se de uma referência a maconha. Um dia verde é um dia em que você deixa de fazer suas obrigações para ficar fumando. Também cotado como inspiração, uma placa no filme “Soilent Verde” escrito “Green Day”. A banda se chamava Sweet Children.
    Guns N’Roses – Tirado dos nomes de Tracii Guns e Axl Rose ou de suas respectivas bandas, LA Guns e Hollywood Roses.
    Heavy Metal – Termo criado pelo autor beatnick William Burroughs nos anos sessenta sem nenhuma relação a música. Steppenwolf em “Born to be Wild” é o primeiro a usá-lo, “Heavy Metal Thunder”, referindo-se ao barulho alto do motor das motorcicletas.
    Hole – Frase da mãe de Courtney, “Você não pode seguir com um buraco (hole) na cabeça só porque teve uma infância ruim”.
    Iggy Pop & The Stooges – Iggy adotou este apelido em 64/65 no High School (2º Grau) por conta de ser o baterista da banda The Iguanas. Essa banda chegou a lançar um compacto em 1965. Stooges é homenagem aos Três Patetas (The Three Stooges).
    Iron Maiden – O nome “Iron Maiden” foi tomado do filme “The Man in The Iron Mask”. A “donzela de ferro” é um instrumento de tortura composto de uma caixa repleta de lanças pontiagudas em seu revestimento interior onde o condenado era trancafiado. “Donzela de Ferro” é também um dos apelidos da ex-primeira ministra inglesa Margareth Tatcher.
    Johnny Rotten – “Joãozinho Podre” ganhou seu apelido por causa dos seus dentes poderes.
    Kiss – Significa Beijo. O nome foi escolhido por soar perigoso e sexy. O acrônimo “Knights In Satan’s Service” (“Cavaleiros a Serviço de Satã”) foi uma inteligente e lucrativa maneira para ajudar evangelistas a colocarem o medo de Deus no homem comum.
    Korn – Varias versões propagadas pela própria banda. Referente a lenda urbana sobre um homem que comeu milho estragado e teve diarréia. Corruptela para Kiddy Porn (Pornografia Infantil). Ou não quer dizer nada mas a banda gostou do nome assim mesmo.
    Led Zeppelin – O baterista do the Who, Keith Moon, achou que a banda de Jimmy Page, que ainda se chamava The New Yardbirds, era pesada como chumbo e flutuava como um Zepelim. Daí Lead Zeppelin (Zepelim de Chumbo). Um Zepelin trata-se de um balão dirigível em forma de charuto. Mais tarde o nome foi mudado para Led Zeppelin para não ter dúvidas quanto à pronúncia.
    Limp Bizkit – O nome Limp Bizkit surgiu durante uma conversa entre o vocalista Fred Durst e um amigo que diz que seu cérebro parece um “limp biscuit” (uma bolacha amolecida). Ele gostou da idéia e adotou o nome.
    MC5 – “Motor City Five” são cinco hippies de Detroit, cidade cujo o apelido é Motor City pela pesada industria automobilística existente.
    Megadeth – Depois de sair do Metallica, Dave Mustane formou sua banda e a batizou com um nome inspirado no termo militar “megadeath”. Uma megadeath é a morte de um milhão de pessoas, portanto, exemplificando, a Segunda Guerra Mundial obteve 80 megadeaths.
    Metallica – Lars Ulrich ajudava um amigo bolar o nome de um metal fanzine. Uma das sugestões foi Metallica que não foi aproveitado para a revista. Lars então pegou para ele.
    Motorhead – Cabeçote de motor. Gíria para quem está sempre tomando anfetamina e nome de uma poderosa anfetamina que o vocalista Lemmy usava quando fazia parte da banda Hawkwind. Era também o nome de uma das músicas deste seu primeiro grupo.
    Muddy Waters – Águas Lamacentas. Seu nome é McKinley Morganfield e ganhou seu apelido em uma referência as águas lamacentas do Mississippi de onde ele vem.
    Nirvana – Estado avançado de espírito na cultura hindú.
    Nofx – Forma simplória para “no effects” (“sem efeitos”). Uma banda punk honesta não quer mesmo muita parafernália tecnológica no som.
    Offspring – Tiraram o nome do filme B “The Offspring – They Were Born To Kill” (Os Decendentes – Eles Nasceram Para Matar).
    Pearl Jam – Uma das prováveis origens do nome Pearl Jam tem a ver com uma geleia (jam em inglês) feita pela avó de Eddie Veder (chamada Pearl) cuja composição incluía peyote. Outras versões informam que Pearl Jam seria gíria, significando esporra. Eles quase se chamaram de “Mookie Blaylock” em homenagem a um jogador de basquete.
    Pennywise – Nome do palhaço no livro “It” de Stephen King.
    Pink Floyd – O nome Pink Floyd é a junção dos nomes de dois antigos músicos de Blues, Pink Anderson e Floyd Council (Dipper Boy), que influenciaram Syd Barret. Syd nomeou a banda com o nome de um dos discos da dupla, The Pink Floyd Sound, mais tarde abreviado para Pink Floyd. Por pouco eles não se chamaram de “Anderson Council” ou “Megadeath”.
    Radiohead – Tirado da música “Radio Head” dos Talking Heads.
    Rage Against The Machine – A primeira banda do vocalista Zack De La Rocha se chamava Inside Out, e chegou a lançar um CD. O nome do segunto CD desta banda seria Rage Against The Machine, mas esse segundo CD nunca chegou a ser lançado. Zack então aproveitou o nome para a sua nova banda.
    Ramones – O Beatle Paul McCartney usou o pseudônimo Paul Ramone durante a primeira excursão dos Beatles à Escócia. A banda tomou emprestado dele o sobrenome.
    Rolling Stones – Pedras Rolantes. Brian Jones escolheu o nome por causa da frase “A rolling stone gathers no moss” (Pedras rolantes não criam limo) e da música Rollin’ Stone, ambas frase e canção de Muddy Waters.
    Rush – Estavam todos preocupados pois já tinham uma apresentação marcada porem ainda não tinham nome. O irmão mais velho de John Rustley deu como suggestão Rush.
    Sex Pistols – O nome da banda foi baseado no nome da loja de Malcolm McLaren (Sex). É também uma conotação para o pênis.
    Soulfly – Alma Voa. Max Cavalera homenageou seu afilhado falecido.
    Supergrass – Grass (grama) é gíria para maconha.
    Ultraje à Rigor – Durante uma festa em que se apresentavam, Roger pensou em Ultraje, mas achou punk demais para a época. Resolveu perguntar a Edgard Scandurra (então guitarrista da banda), que chegou no meio da conversa e, sem entender direito a pergunta, disse: “Que traje? O traje a rigor?”
    White Zombie – Título de filme B estrelado por Bela Lugosi.
    ZZ Top – De acordo com o livro “Z.Z Top: Bad and Worldwide”, o nome foi inspirado num poster do bluesman texano chamado Z.Z. Hill. Queriam também um nome que sugerisse o melhor (“top”).

    O post completo e o significado do nome de outras bandas você confere no blog da Putzgrila

     
  • carames 22:26 em 02/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , cabeças de vento, fox records, lonn friend, motorhead, primus, , , , , ,   

    Filme – Os Cabeças de Vento (Airheads) 1994 

    Executivos de gravadoras usando rabo de cavalo e cavanhaque. Groupies com vestidos justíssimos e cabelos descoloridos. Uma rádio chamada ‘rebelde’. Uma fita demo perdida por aí e uma banda tentando o sucesso.

    Chazz (Brendan Fraser), Rex (Steve Buscemi) e Pip (Adam Sandler) são os Cavaleiros Solitários, uma banda de hard rock como aquelas que costumavam fazer sucessos nos idos da década de 1990. Eu sei, vendo hoje este filme soa um tanto datado. Apesar disto ele passou no teste do tempo e vale a pena conferi-lo.

    Rex trabalha em uma loja de brinquedos de onde costuma subtrair bonecos e armas de brinquedo. Chazz bate de porta em porta à procura de uma gravadora que os aceite, enquanto sua namorada exige que ele arranje um emprego de verdade.

    O sonho deles é assinar um contrato, gravar um disco e fazer sucesso. Nem que para isto precisem invadir uma estação de rádio e fazê-los tocar sua demo na marra fazendo os funcionários reféns.

    Na trilha sonora, Motorhead, Ramones, Anthrax e Primux além de participações pra lá de especiais de Lemmy, Beavis and Butthead e White Zombie. Uma comédia divertida com atores que ainda eram promessas em atuações competentes. Um prato cheio pra quem curte rock n’ roll – desde que não copiem a iniciativa (acreditem, alguém já teve esta infeliz idéia).

    Ficha Técnica:
    Fox Records – produzido por Lonn Friend

    01 Born to Raise Hell – Motörhead com Ice-T e Whitfield Crane – 4:57
    02 I’m The One – 4 Non Blondes – 3:58
    03 Feed the Gods – White Zombie – 4:05
    04 No Way Out – D Generation – 4:26
    05 Bastardizing Jellikit – Primus – 4:11
    06 London – Anthrax – 2:54
    07 Can’t Give In – Candlebox – 3:15
    08 Curious George Blues – Dig – 4:03
    09 Inheritance – Prong – 2:11
    10 Degenerated – Lone Rangers – 3:53 *
    11 I’ll Talk My Way Out Of It – Stuttering John – 3:40
    12 Fuel – Stick – 4:57
    13 We Want the Airwaves – Ramones – 3:21




    VA - 1994 - Airheads Original Soundtack k7a
    VA - 1994 - Airheads Original Soundtack k7b



     
  • carames 0:14 em 09/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , krist novoselic, , , motorhead, , , white limo   

    CD – Foo Fighters: Wasting Light 2011 

    O Foo Fighters acaba de lançar Wasting Light, sétimo álbum da banda e que chega às lojas após quatro anos de hiato – período em que Dave Grohl se dedicou ao Them Crooked Vultures.

    Produzido por Butch Vig (sim, o mesmo do lendário Nevermind) e gravado na garagem de Grohl usando equipamentos analógicos, o disco ganhou uma mini tour de divulgação pela garagem de fãs que se cadastravam no site da banda e podiam ser incluídos no itinerário do grupo.

    Destaque para I Should Have Known que contou com o também ex-Nirvana, Krist Novoselic. Os clipes da banda continuam divertidíssimos como provam White Limo com direito a Lemmy do Motorhead atuando como motorista e Walk com Grohl parodiando William Foster, personagem de Michael Douglas em Um dia de fúria (1993).

    Track List:
    01. “Bridge Burning”
    02. “Rope”
    03. “Dear Rosemary”
    04. “White Limo”
    05. “Arlandria”
    06. “These Days”
    07. “Back & Forth”
    08. “A Matter of Time”
    09. “Miss the Misery”
    10. “I Should Have Known”
    11. “Walk”

     
  • carames 16:10 em 04/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , dee snider, , hawkwind, head cat, , , , , motorhead, , , ,   

    DVD – Lemmy (49% motherfucker, 51% son of a bitch) 2010 

    Alice Cooper, Metallica, Ice-T, Ozzy Osbourne, Steve Vai, Dee Snider, Billy Bob Thornton, Mick Jones (The Clash, Gorillaz) Lars Frederiksen (Rancid, Lars Fredriksen and the Bastards, UK Subs), Marky Ramone (Dust, Ramones, The Ramainz), Henry Rollins (Black Flag, Rollins Band), David Grohl (Nirvana, Probot, Them Crooked Vulture), os ex-gn’r Slash, Matt Sorum e Duff McKagan.

    A escalação acima é uma pequena amostra de ídolos que, reunidos neste documentário, reverenciam o seu ídolo maior – Lemmy Kilmister. Nascido em 24 de dezembro de 1945, Ian Fraiser Kilmister é vocalista e baixista do Motorhead, uma das bandas mais icônicas e barulhentas do rock n’ roll (a banda atinge 120 DB no palco, o equivalente ao barulho emitido pela turbina de um avião a jato).
    Além do Motorhead, que ao lado do Black Sabbath ‘fundou’ o heavy metal, Lemmy também já participou do The Rockin’ Vickers, Hawkwind e The Head Cat além de ter sido roadie de Jimi Hendrix no começo da carreira.
    O documentário é permeado por depoimentos entusiasmados de roqueiros de diversas gerações (anônimos e famosos) e acompanha o cantor britânico durante a turnê do disco Motorizer – mais recente álbum do Motorhead.
    Diferente de outras videobiografias musicais recentes como Rush: Beyond the Lighted Stage (2010), Iron Maiden: The Early Days (2004) e Metal: A Headbanger’s Journey (2005), Lemmy apresenta uma narrativa não-linear preocupando-se mais em mostrar o cotidiano do mito propriamente dito do que explicar como ele foi se estabelecendo através do tempo e economiza em fotos ou videos de arquivo (para um registro histórico da banda e do próprio cantor, recomendo o especial da VH1, Classic Albums Ace of Spades de 2005).
    Seja em estúdio com Dave Grohl, no palco com o Metallica, em turnê com sua banda, comprando o novo box de cds dos Beatles, gravando uma participação no seriado Californication ou em casa com sua coleção de artefatos de guerra, Lemmy parece pouco se importar com toda bajulação em torno de seu nome. Quando perguntado sobre como se mantém vivo apesar da vida de exageros a resposta, em tom sarcástico é direta: “basta não morrer, ora”.
    Lemmy é rock n’ roll e rock n’ roll é Lemmy, simples assim.

     
  • carames 13:58 em 28/11/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , motorhead, , , , venom   

    CD – Probot: Probot 2004 


    Projeto paralelo do FAZTUDO Dave Grohl com membros de diversas bandas de metal como Max Cavalera (ex-Sepultura e atual Soulfly), Lemmy (Motorhead) e Snake (Voivod), só pra começar. Após uma parada em 2000 Dave gravou diversas faixas instrumentais deixando de fora o vocal, mas tendo em mente diversos vocalistas de sua predileção metaleira de bandas dos anos 1980 e 1990. “Não é um disco que vai mudar o mundo ou vender milhões de cópias”, disse Grohl à revista Time. “É apenas um tributo a todos aqueles caras que eu admiro desde os 16 anos.” Destaque para Red War com Max Cavalera e para faixa escondida depois da música Sweet Dreams, que tem participação de outro polivalente, o ator/comediante/músico Jack Black.

    Faixas:
    01.”Centuries Of Sin” – 4:09 com Cronos (Venom)
    02.”Red War” – 3:30 com Max Cavalera (Sepultura, Soulfly)
    03.”Shake Your Blood” – 2:59 com Lemmy (Motörhead)
    04.”Access Babylon” – 1:24 com Mike Dean (Corrosion of Conformity)
    05.”Silent Spring” – 3:27 com Kurt Brecht (DRI)
    06.”Ice Cold Man” – 5:53 com Lee Dorrian (Cathedral, Napalm Death)
    07.”The Emerald Law” – 5:33 com Scott “Wino” Weinrich (St. Vitus, Obsessed, Spirit Caravan, Place of Skulls)
    08.”Big Sky” – 4:51 com Tom G. Warrior (Celtic Frost, Apollyon Sun)
    09.”Dictatorsaurus” – 3:52 com Snake (Voivod)
    10.”My Tortured Soul” – 5:00 com Eric Wagner (Trouble)
    11.”Sweet Dreams” – 5:25 com King Diamond (Mercyful Fate)
    12.”Untitled” – 6:41 (Inicio sem cortes a partir da faixa anterior.)

     
  • carames 4:52 em 10/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Eddie Cochran, , , , , motorhead, , Rockin' the Cat Club   

    DVD – The Head Cat: Rockin’ the Cat Club 2007 

    DVD registrando a apresentação da The Head Cat, banda com dois cds lançados e composta por Lemmy Kilmister (lendário frontman do Motorhead) acompanhado de uma competente banda de apoio.
    No repertório, Good Rockin’ Tonight, Blue Suede Shoes, Lawdy Miss Clawdy e Matchbox entre outros hits compostos ou no passado interpretados por roqueiros do calibre de Elvis Presley, Chuck Berry, Buddy Holly, Carl Perkins, Eddie Cochran e Johnny Cash. Pra curtir no final de semana.

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: