Marcado como: Nirvana Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 10:00 em 26/12/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , A História do Nirvana, , , chris novoselic, , , , madras editora, Michael Azerrad, Nirvana,   

    Livro – Come As You Are: A História do Nirvana 

    livro - come as you are a história do nirvanaO ano era 1991 e desde o distante final dos anos 1970 com o boom do punk em Nova Iorque e Londres, a música não era sacudida de forma tão relevante.

    A história do Nirvana começa antes disto, é verdade, mas foi com Nevermind que eles foram catapultados para o Hype e estamparam capa de toda e qualquer revista ao redor do globo e tinham suas músicas executadas até em rádio AM nos confins do Brasil.

    No ano seguinte eles lançariam Incesticide, uma compilação com sobras de estúdio e pérolas como Dive e Sliver – incluídas no repertório que apresentaram por aqui no Hollywood Rock somadas aos hits de Nevermind e canções do disco de estréia Bleach.

    As apresentações cada vez mais caóticas (como registradas em 1991 the year of the punk broke) eram reflexo das angústias sofridas por Kurt e efeito colateral pela atenção repentina e vertiginosa que receberam e contribuiriam para o fim prematuro deste mito.

    A cronologia da banda surgida em Aberdeen e radicada em Seattle toma forma em depoimentos sinceros a Michael Azerrad. As várias horas de entrevistas também serviram de base para o documentário About a Son de 2006. Madras Editora, 363 páginas.


     
  • carames 10:00 em 17/08/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , ai-5, anarquia planetária e a cena brasileira, , , , camisa de vênus, , , , , , , , , , Nirvana, , , , , , , , , silvio essinger,   

    Livro – Punk, anarquia planetária e a cena brasileira 1999 

    anarquia interplanetária-0Punk, anarquia planetária e a cena brasileira é um cuidadoso estudo de Silvio Essinger explorando a cena punk desde os primórdios na segunda metade dos anos 1970 em Londres e Nova Iorque.

    Foi lá que bandas como Sex Pistols, The Clash, Buzzcocks e, claro, Ramones foram precursores deste movimento social/cultural/musical que atravessaria continentes e transporia hemisférios.

    Já no Brasil, o punk paulista (Inocentes, Cólera, Restos de Nada, AI-5, Garotos Podres e Ratos de Porão), carioca (Coquetel Molotov, Descarga Suburbana, Desespero e Eutanásia) e brasiliense (Plebe Rude e Aborto Elétrico) são extensamente abordados. Não ficam de fora Camisa de Vênus e Replicantes, originados em locais mais improváveis.

    Essinger ainda inclui o revival nos anos 1990 com Green Day, Offspring e Rancid e as influências das primeiras bandas no emergente som grunge.

    A editora 34 apadrinha mais uma grande obra sobre a música a exemplo das biografias do Sepultura e Paralamas do Sucesso mas aqui apresentando um gênero, como feito em Blues, da lama a fama. Editora 34, 224 páginas.




     
  • carames 10:00 em 08/06/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 13 de abril, , 1991: The Year Punk Broke, , babes in toyland, , , Dave Markey, dinosaur jr, , , , , , Nirvana, , , , , Sonic Life, , We Got Power Films   

    VHS/DVD – VA: 1991: The Year Punk Broke (1993) 

    Sonic Youth - In 1991 - The Year Punk Broke - CoverCom o estouro do Grunge, 1991: The Year Punk Broke, retratava o “enterro” do gênero que nos anos 1970 revolucionou música, moda, comportamento, etc.

    Claro que não se previa a reinvenção do gênero a partir dos discos do Green Day, Offspring, Rancid e cia lançados na metade da década de 1990 – mas isto é tema para outra hora.

    No vídeo em questão, punk mesmo, só os Ramones interpretando Commando e numa breve passagem onde vemos Joey e CJ Ramone de relance.

    Antológica mesmo é a participação do Nirvana em cenas que mais tarde ficariam famosas no clipe de Lithium com Kurt destruindo uma bateria usando o próprio corpo e a lei da gravidade.

    O filme independente, dirigido por Dave Markey e lançado em 1993, ainda inclui Dinosaur Jr., Babes in Toyland, Sonic Youth e Gumball.

    Ficha Técnica:
    We Got Power Films – produzido por We Got Power Films e Sonic Life, dirigido por Dave Markey

    Ramones
    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Marky Ramone – bateria

    Sonic Youth
    Kim Gordon
    Thurston Moore
    Lee Ranaldo
    Steve Shelley

    Babes in Toyland
    Lori Barbero
    Kat Bjelland
    Michelle Leon

    Dinosaur Jr.
    Mike Johnson
    J Mascis
    Murph

    Gumball
    Don Fleming
    Jay Spiegel
    Eric Vermillion

    Nirvana
    Kurt Cobain
    Dave Grohl
    Krist Novoselic

    Lista das músicas:
    Sonic Youth – Schizophrenia
    Nirvana – Negative Creep
    Sonic Youth – Brother James
    Nirvana – School
    Sonic Youth – Teen Age Riot
    Dinosaur Jr. – Freak Scene
    Babes in Toyland – Dust Cake Boy
    Sonic Youth – Dirty Boots
    Nirvana – Endless, Nameless
    Sonic Youth – I Love Her All The Time
    Gumball – Pre
    Dinosaur Jr. – The Wagon
    Sonic Youth – Mote
    Nirvana – Smells Like Teen Spirit
    The Ramones – Commando
    Sonic Youth – Kool Thing
    Nirvana – Polly
    Sonic Youth – Expressway To Yr. Skull

    Edição original em VHS:
    Sonic Youth - In 1991 - The Year Punk Broke - Cover (4)Sonic Youth - In 1991 - The Year Punk Broke - Cover (5)Sonic Youth - In 1991 - The Year Punk Broke - Cover (6)

    Reedição em LD:
    R-2321299-1276775236R-2321299-1276775262



     
  • carames 10:00 em 26/02/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Capas de discos recriadas com meias, Nirvana, , prodigy, ,   

    Capas de discos recriadas com meias 

    Confira uma seleção de capas recriadas usando meias. As outras capas estão disponíveis na http://thesockcovers.tumblr.com/

    socks-ramones

    socks-talkingheads

    socks-audioslave

    socks-blackkeys

    socks-nirvana

    socks-prodigy

    socks-sabbath

     
  • carames 13:53 em 18/08/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Barulho, , cramps, , Editora Paulicéia, , , , Nirvana, , , , tad, uma viagem pelo underground do rock americano   

    Livro – Barulho: uma viagem pelo underground do rock americano 

    A melhor forma de definir André Barcinski e sua obra Barulho de 1992 é classificá-los como testemunhas oculares da história.

    No começo da década de 1990 Barcinski fez uma excursão pelos Estados Unidos na cara e na coragem acompanhando Jello Biafra (ex-Dead Kennedys) em seu apartamento e no escritório de seu selo (Alternative Tentacles).

    Assistiu de camarote a um ensaio dos Chili Peppers para a turnê do, segundo ele, pior disco da banda até então – Blood Sugar Sex Magic.

    Visitou Joey Ramone e ouviu em primeira mão as demos do álbum Mondo Bizarro que seria lançado no ano seguinte. Conversou ainda com bandas do calibre de The Cramps e Mudhoney.

    Como se tudo isto não bastasse, foi ao show do Nirvana no Paramount. O show é de longe um dos pontos altos da carreira do Nirvana e flagra a banda em um momento em que vendia cerca de 35 mil discos por dia e mesmo assim, seus integrantes eram rostos desconhecidos do grande público.

    Um registro sem igual no jornalismo musical tupiniquim. Editora Paulicéia, 124 páginas.


     
  • carames 22:31 em 15/05/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Como acordar uma criança, Nirvana   

    Como acordar uma criança 

     
  • carames 22:08 em 20/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 1967, 20 de fevereiro, , , Nirvana   

    Kurt Cobain (20 de fevereiro de 1967-5 de abril de 1994) 

     
  • carames 1:20 em 07/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , melhor solo de guitarra, muse, Nirvana, , , ,   

    Guns n’ Roses tem melhor solo de guitarra da história 

    O portal da publicação britânica “New Musical Express” está se especializando em listas. “Quais são os momentos mais eletrizantes do rock?”, questiona a equipe, que convidou os integrantes da tribo da banda Two Door Cinema Club para ajudá-la a selecionar os 50 melhores solos de guitarra de todos os tempos. E o resultado foi a banda de rock norte-americana dos anos 80, Guns N’ Roses, em primeiro lugar, com o inconfundível solo de “Sweet Child O’Mine”.

    10 — Shine On You Crazy Diamond — Pink Floyd. 1974

    Esse é um dos maiores sucessos da banda britânica Pink Floyd e é uma composição escrita por Roger Waters, Richard Wright e David Gilmour em tributo a Syd Barrett. Foi tocado pela primeira vez em 1974, durante uma turnê pela França, e gravado no ano seguinte no álbum “Wish You Were Here”. Segundo a revista, esse solo não possui o retalhamento maníaco de vários outros da lista e é mais introspectivo, letárgico, um pouco auto-indulgente e absolutamente convincente por todas essas razões.

    9 — Paranoid Android — Radiohead. 1997

    Essa canção foi o primeiro single do álbum “OK Computer”, da banda britânica Radiohead, lançado em 1997. O título é uma referência a um personagem do romance “O Mochileiro das Galáxias”, de Douglas Adams, e Thom York compôs a música numa mansão do século XV, que ele acreditava estar mal assombrada. Para Steve Sparrow, da banda Morning Parade, que o comenta na lista, ele é um “anti-solo” e foi criado em meados dos anos 90, quando o Radiohead ainda utilizava as escalas de blues, que tem dominado os solos de guitarra desde o início do rock.

    8 — Johnny B. Goode — Chuck Berry. 1958

    Ken Mochikishi Home, do The Bronx/Mariachi El Bronx, chama atenção no site do “NME” para o fato de que todos seus ídolos da guitarra já se arriscaram a tocar essa frase de guitarra simples, cativante e memorável, mas que ninguém o fez como o próprio Chuck Berry. Esse solo ficou tão marcante que ganhou homenagem cinematográfica, quando foi tocado pelo personagem Marty McFly, interpretado por Michael J. Fox, no filme “De Volta Para o Futuro”, em, 1985, ao retornar 30 anos no tempo.

    7 — The Bends — Radiohead. 1995

    Essa é a faixa-título do segundo álbum de estúdio do Radiohead e, de acordo com a própria banda, marcou o início do retorno gradual da angústia pessoal de Thom Yorke nas letras, ao mesmo tempo em que apontou para temas sociais e globais que dominariam o trabalho da banda mais tarde. Para a equipe do “NME”, esse solo de guitarra foi um rolo compressor fumegante dos anos 90, que pairou como uma esperança acima do hino outsider de Thom Yorke.

    6 — Smells Like Teen Spirit — Nirvana. 1991 

    Essa canção fez parte do segundo e mais célebre álbum da banda grunge norte-americana Nirvana, “Nevermind”, lançado em 1991. Foi produzida por Butch Vig e escrita por Kurt Cobain, que, em 1994, declarou à “Rolling Stone”, que a havia realizado como tentativa de fazer algo no estilo dos Pixies, banda que sempre adorou. Segundo a equipe do portal do “NME”, o resultado obtido foi um som de guitarra tão angustiado quanto os versos que Cobain escrevia.

    5 — Knights Of Cydonia — Muse. 2006

    Parte do álbum “Black Holes and Revelations”, da banda inglesa de rock alternative Muse, essa canção foi lançada em 2006 e fez tanto sucesso que chegou ao décimo lugar do UK Singles Chart e foi parar no videogame “Guitar Hero III: Legends of Rock”. Comparando à “Bohemian Rhapsody”, do Queen, a equipe do “NME” considera que essa canção possui um solo de guitarra frenético, que funciona tão bem no centro das atenções como junto com os vocais agudos. “Leva quatro minutos, mas vale a pena esperar”, garante.

    4 — Killing In The Name — Rage Against The Machine. 1992

    Primeiro single do primeiro album da banda norte-americana de rap metal Rage Against The Machine, a música foi lançada em 1992 e a letra é uma crítica ácida ao racismo presente nos serviços de segurança dos Estados Unidos. Fraser Taylor, do Young Guns, tem Tom Morello como um dos guitarristas favoritos de todos os tempos e acredita que o solo dessa canção é um clássico e um dos trechos de música que estará para sempre preso em sua memória.

    3 — All Along The Watchtower — Jimi Hendrix. 1968

    Reconhecendo que qualquer canção do guitarrista norte-americano Jimi Hendrix poderia estar nesse Top 10, a equipe do “NME” assegura que esse cover de Bob Dylan ganha pela inventividade na mudança da forma pura e por mostrar o mestre em ação. Não é à toa que, das várias versões em diferentes gêneros que obteve, essa canção ficou mais associada à interpretação realizada por Hendrix para o clássico álbum “Electric Ladyland”, de 1968, e chegou à lista das 500 melhores canções de todos os tempos, realizada pela revista “Rolling Stone”.

    2 — Stairway To Heaven — Led Zeppelin. 1971

    Entre em qualquer rodinha com alguém tocando violão e, certamente, em algum momento será arriscado esse clássico do rock, claro que não com a mesma genialidade do original, composto pelo guitarrista Jimi Page e pelo vocalista Robert Plant, e gravado em 1971, para o álbum “Led Zeppelin IV”. Não é à toa que é a partitura mais vendida de todos os tempos. Segundo o “NME”, é tão bom e monumentalmente épico, que virou o cartão de visitas de uma das maiores bandas da história. Se aqui o solo ocupa o segundo lugar, ele aparece no topo da lista da revista mensal norte-americana “Guitar World”.

    1 — Sweet Child O’Mine — Guns N’Roses. 1987

    Basta tocar o solo de guitarra de Slash em qualquer lugar do planeta para que alguém reconheça a canção gravada em “Appetite For Destruction”, álbum de estreia da banda norte-americana de hardrock Guns N’Roses. Maior eficácia impossível, tanto que atingiu o primeiro lugar na parada “Billboard Hot 100”, durante duas semanas de setembro de 1988. Para a equipe do “NME”, esse solo realizado numa guitarra Les Paul é de primeiríssima classe e se torna cada vez mais excitante, além de soar perfeito para a performance vocal de Axl Rose. “Nada mal para uma música que nasceu numa sala de ensaio suja de mijo”, finaliza.

    Fonte: Yahoo.com

     
  • carames 19:10 em 05/02/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , blood sugar sex magic, , Capas de álbuns feitas de Lego, dark side of the moon, dinasty, , , , , , Nirvana, , , , there is nothing left to lose, unfinished music nº 1, yoko ono   

    Capas de álbuns feitas de Lego 

    O artista britânico Aaron Savage resolveu juntar suas duas paixões, Lego e música, para recriar capas de álbuns famosas. E o resultado é divertidíssimo.

    Nirvana – Nevermind

    Foo Fighters – There is Nothing Left to Lose

    Red Hot Chili Peppers – Blood Sugar Sex Magik

    Elvis Presley – Elvis as Recorded at Madison Square Garden

    John Lennon e Yoko Ono – Unfinished Music Nº 1

    Kiss – Dynasty

    Blur – Best Of

    Queen – Queen II

    Pink Floyd – The Dark Side of The Moon

     
  • carames 10:56 em 09/01/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , capa de discos, , E se quem morre sumisse também da capa dos discos?, , Nirvana, , , , ,   

    E se quem morre, sumisse também da capa dos discos? 








     
  • carames 0:41 em 15/12/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , incesticide, , Nirvana, ,   

    LP/CD – Nirvana: Incesticide 1992 


    Lançado em 14 de Dezembro de 1992, Incesticide é o terceiro álbum do Nirvana e compilava lados B e raridades de estúdio gravadas entre 1988 e 1991 (boa parte produzida por Jack Endino). A arte da capa foi feita pelo próprio Kurt Cobain. Entre as faixas uma versão new wave de Polly e as exaustivamente tocadas ao vivo Dive e Aneurysm.

    Já em 23 de janeiro do ano seguinte a banda se apresentou no Hollywood Rock no Rio de Janeiro onde tocou algumas músicas do álbum e do, àquela época já épico, Nevermind.

    Tracklist:
    01 “Dive” – 3:55
    02 “Sliver” – 2:16
    03 “Stain” – 2:40
    04 “Been a Son” – 1:55
    05 “Turnaround” (Gerald Casale/Mark Mothersbaugh) – 2:19
    06 “Molly’s Lips” (Eugene Kelly/Frances McKee) – 1:54
    07 “Son of a Gun” (Eugene Kelly/Frances McKee) – 2:48
    08 “(New Wave) Polly” (Kurt Cobain/Krist Novoselic/Dave Grohl) – 1:47
    09 “Beeswax” – 2:50
    10 “Downer” – 1:43
    11 “Mexican Seafood” – 1:55
    12 “Hairspray Queen” – 4:13
    13 “Aero Zeppelin” – 4:41
    14 “Big Long Now” – 5:03
    15 “Aneurysm” (Kurt Cobain/Krist Novoselic/Dave Grohl) – 4:36



     
  • carames 0:39 em 08/12/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , As 10 melhores músicas 'abre álbum', , , , , , Nirvana, , , , ,   

    As 10 melhores músicas ‘abre álbum’ 

    A Ultimate Classic Rock elegeu as 10 melhores músicas que além de clássicas, tiveram a responsabilidade de abrir o disco. Confere aí:

    10 ‘Hells Bells’

    AC/DC – ‘Back in Black’ 1980
    AC/DC Hells Bells

    09 ‘Runnin’ With the Devil’

    Van Halen – ‘Van Halen’ 1978
    Van Halen Runnin' With the Devil

    08 ‘More Than a Feeling’

    Boston – ‘Boston’ 1976
    Boston More Than a Feeling

    07 ‘Come Together’

    The Beatles – ‘Abbey Road’ 1969
    The Beatles Come Together

    06 ‘We Will Rock You’

    Queen – ‘News of the World’ 1977
    Queen We Will Rock You

    05 ‘Smells Like Teen Spirit’

    Nirvana – ‘Nevermind’ 1991
    Nirvana Smells Like Teen Spirit

    04 ‘Welcome to the Jungle’

    Guns N’ Roses – ‘Appetite for Destruction’ 1987
    Guns N' Roses Welcome to the Jungle

    03 ‘Black Dog’

    Led Zeppelin – ‘Led Zeppelin IV’ 1971
    Led Zeppelin Black Dog

    02 ‘Sympathy for the Devil’

    The Rolling Stones – ‘Beggars Banquet’ 1968
    Rolling Stones Beggars Banquet

    01 ‘Baba O’Riley’

    The Who – ‘Who’s Next’ 1971
    The Who Baba O'Riley

     
  • carames 0:07 em 05/12/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , Discos clássicos com capas alternativas, , , , , , Nirvana, , , , , ,   

    Discos clássicos com capas alternativas 











     
  • carames 0:11 em 16/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , Nirvana, , , , ,   

    Documentário – Pearl Jam: Twenty 2011 

    Com entrevistas de Kurt Cobain, Neil Young, Chris Cornell, e do próprio diretor Matt Cameron, Twenty conta os 20 anos de carreira de uma das mais respeitadas bandas do rock mundial.

    Formada a partir do fim de outra banda, Mother Love bone, o Pearl Jam após 6 dias de ensaios já fazia seu primeiro show. A banda foi revelada na mesma safra que Soundgarden, Alice in Chains e Nirvana – e seu primeiro disco Ten, foi lançado em 1991 ao mesmo tempo que Nevermind do Nirvana.

    Mas, ao contrário das suas contemporâneas que ou acabaram ou então enfrentaram dissoluções e retornos nos últimos anos, o Pearl Jam sobreviveu ao desafio do tempo e permanece em plena atividade com turnês, discos e agora, um documentário.

    Apesar da banda evitar lançar videoclipes ou dar entrevistas sua popularidade é invejável. Uma das marcas registradas da banda que continua levando milhares de fãs fiéis aos seus shows é o lançamento de bootlegs de seus shows que cobrem praticamente toda história da banda ao vivo.

    Cameron Crowe foi preciso e cobriu os principais acontecimentos que fizeram estes 20 anos de carreira. Do projeto tributo, Temple of the Dog, ao Acústico MTV, a turnê com Neil Young e a briga com a Ticketmaster.

    As performances ao vivo incluídas no vídeo dão idéia do impacto que tem uma apresentação da banda que recentemente passou pelo país com sua Twenty Tour.


     
  • carames 0:56 em 30/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , deluxe edition, , , , Nevermind (20th anniversary Deluxe Edition), Nirvana, , , super deluxe   

    LP/CD – Nirvana: Nevermind (20th anniversary Deluxe Edition) 2011 

    Anunciado para 26 de setembro o relançamento de Nevermind, disco antológico do Nirvana (lançado originalmente em 1991) em edições Deluxe (2 CDs) e Super Deluxe (que ganha edição caprichada contendo 4 CDs e 1 DVD).

    O álbum inteiramente remasterizado é acompanhado de lados B de estúdio, ensaios e registros ao vivo da banda se apresentando no Paramount Theatre em Seattle, mesma apresentação que foi incluída no DVD.

    Um livro de 90 páginas com um vasto acervo de fotos completa o pacote especial deste disco que já vendeu mais de 30 milhões de cópias em suas tiragens originais (somando as tiragens em LP e CD).

    A versão Super Deluxe que também será oferecida em vinil deverá ter apenas 10 mil cópias para América do Norte e outras 30 mil para o resto do mundo.

    Recentemente o Facebook baniu de suas páginas a capa do já citado disco pois de acordo com suas regras “O Facebook não permite fotos que ataquem algum grupo ou que contenham nudez, uso de drogas, violência ou outras violações dos termos de uso”.

    Apesar disto, continua sendo uma das mais famosas e emblemáticas capas de todos os tempos gerando intensas discussões a respeito das mensagens subliminares que ela conteria.

    Os detalhes do pacote:
    ‘Nevermind’ – Edição Deluxe
    CD 1 – Disco Original
    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘In Bloom’
    ‘Come As You Are’
    ‘Breed’
    ‘Lithium’
    ‘Polly’
    ‘Territorial Pissings’
    ‘Drain You’
    ‘Lounge Act’
    ‘Stay Away’
    ‘On A Plain’
    ‘Something In The Way’
    The B-Sides
    ‘Even In His Youth’
    ‘Aneurysm’
    ‘Curmudgeon’
    ‘D-7′ live At The BBC
    ‘Been A Son’ live
    ‘School’ live
    ‘Drain You’ live
    ‘Sliver’ live
    ‘Polly’ live

    CD Dois – The Smart Studio Sessions
    ‘In Bloom’ previously unreleased
    ‘Immodium’ (Breed) previously unreleased
    ‘Lithium’ previously unreleased
    ‘Polly Previously’ unreleased mix
    ‘Pay To Play’
    ‘Here She Comes Now’
    ‘Dive’ previously unreleased
    ‘Sappy’ previously unreleased
    The Boombox Rehearsals
    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘Verse Chorus Verse’ previously unreleased
    ‘Territorial Pissings’ previously unreleased
    ‘Lounge Act’ previously unreleased
    ‘Come As You Are’
    ‘Old Age’ previously unreleased
    ‘Something In The Way’ previously unreleased
    ‘On A Plain’ previously unreleased
    BBC Sessions
    ‘Drain You’ previously unreleased
    ‘Something In The Way’ previously unreleased

    Super Deluxe Edition
    CDs Um e dois como os listados acima
    CD Três – The Devonshire Mixes

    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘In Bloom’
    ‘Come As You Are’
    ‘Breed’
    ‘Lithium’
    ‘Territorial Pissings’
    ‘Drain You’
    ‘Lounge Act’
    ‘Stay Away’
    ‘On A Plain’
    ‘Something In The Way’

    CD Quatro – Live At The Paramount Theatre
    ‘Jesus Doesn’t Want Me For A Sunbeam’
    ‘Aneurysm’
    ‘Drain You’
    ‘School’
    ‘Floyd The Barber’
    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘About A Girl’
    ‘Polly’
    ‘Breed’
    ‘Sliver’
    ‘Love Buzz’
    ‘Lithium’
    ‘Been A Son’
    ‘Negative Creep’
    ‘On A Plain’
    ‘Blew’
    ‘Rape Me’
    ‘Territorial Pissings’
    ‘Endless, Nameless’

    DVD – Live At The Paramount Theatre
    ‘Jesus Doesn’t Want Me For A Sunbeam’
    ‘Aneurysm’
    ‘Drain You’
    ‘School’
    ‘Floyd The Barber’
    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘About A Girl’
    ‘Polly’
    ‘Breed’
    ‘Sliver’
    ‘Love Buzz’
    ‘Lithium’
    ‘Been A Son’
    ‘Negative Creep’
    ‘On A Plain’
    ‘Blew’
    ‘Rape Me’
    ‘Territorial Pissings’
    ‘Endless, Nameless’
    Vídeos/Clipes
    ‘Smells Like Teen Spirit’
    ‘Come As You Are Music’
    ‘Lithium’
    ‘In Bloom’

     
  • carames 3:05 em 27/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , black crowes, , , , , , burzum, , , , , , , , , , , hole, , , , , , , limp bizkit, , , , , Nirvana, , , , , , , , , , , , significado nome das bandas, , , , ,   

    Origem do nome de algumas, várias, bandas… 

    AC/DC – A irmã de Angus e Malcolm Young, Margaret, criou o nome. Aparentemente ela achou a sigla em um eletrodoméstico, e achou que casava bem com a banda, visto que tinha a ver com eletricidade (AC/DC é um indicativo de corrente contínua e alternada). Depois descobriram que era também uma gíria que designava bissexuais mas já era tarde. São infundadas as versões de que o nome seria uma sigla para Anti-Christ/Dead-Christ (anticristo, cristo morto).
    Aerosmith – O nome Aerosmith não significa absolutamente nada. Foi proposto por Joey Kramer e segundo Steven Tyler foi o único nome entre vários propostos que ninguém odiou.
    Alice In Chains – Paródia masoquista de Alice no País das Maravilhas. A idéia inicial (que nunca chegou a acontecer) era de tocarem covers de Slayer usando vestidos.
    Anthrax – É o nome de um microorganismo desenvolvido para guerra bacteriológica. Ficou famoso após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, quando a banda chegou a cogitar mudar de nome.
    Audioslave – Primeiro, a banda foi batizada Civilian. Mas acontece que já existia uma banda de nome Civilian, e foi preciso procurar outro nome. Chris Cornell (vocalista) sugeriu Audioslave e ninguém na banda ousou discordar. Só que também já existia um Audioslave. Desta vez, a banda resolveu entrar em acordo com a banda homônima para continuar sendo Audioslave. (Colaborou: Leonardo Apolinário)
    B. B. King – Abreviatura para “Blues Boy King”.
    Beastie Boys – Beastie quer dizer animalesco. Porém o nome dessa banda é na verdade um acrônimo para “Boys Entering Anarchistic States Toward Internal Excellence” (Rapazes Entrando em um Estado Anárquico Visando a Excelência Interna).
    Black Crowes – O nome original da banda era Uncle Crowe’s Garden, tirado de historia infantil.
    Black Flag – A bandeira preta é a bandeira dos piratas. É também uma marca de inseticida. Quando Adam Ant tocou na Califórnia, membros da banda distribuiram bottons com os dizeres “Black Flag kills ants!” (Black Flag mata formigas). Ainda segundo Henry Rolins, se inspiraram no nome do Black Sabbath.
    Black Sabbath – Um Sabbath Negro é uma reunião de bruxas e feiticeiras. A banda se chamava Earth e resolveu assumir o nome de uma música composta por Geezer Butler, inspirada em um suspense do novelista Denis Wheatley.
    Blur – A banda na verdade se chamava SEYMOUR porem uma das condições em seu primeiro contrato era de se mudar o nome para um contido em uma lista oferecida pela gravadora. Blur foi escolhido como a melhor opção.
    Bob Dylan – Seu nome verdadeiro é Robert Zimmerman. Achando o nome excessivamente étnico e sendo grande admirador do poeta Dylan Thomas, ele mudou para Bob Dylan.
    Burzum – Significa “Mais Trevas” na língua fictícia inventada por JRR Tolkien para seu livro “O Senhor Dos Anéis”. Essa banda de Black Metal está atualmente desativada pois seu fundador está descansando na penitenciária após ter assassinado Euronymous da banda Mayhem.
    Bush – Alusão a “Sheperd’s Bush”, bairro em Londres.
    CBGB’s – Templo Nova Yorquino para o new wave, punk e thrash. O nome completo do lugar é CBGB and OMFUG, lendo “Country, Bluegrass, Blues and Other Music For Uplifting Gormandizers”.
    Clash – Tirado de manchete do jornal “A Clash With Police”. Paul Simmon teve a idéia e todos concordaram.
    Dead Kennedys – Kennedys mortos era uma alusão aos assassinatos do presidente John Fitzgerald Kennedy e seu irmão senador Robert Fitzgerald Kennedy. Uma citação famosa de East Bay Ray (guitarrista) sobre este assunto: “Um Show dos Dead Kennedys no dia 22 de novembro, aniversário da morte de John Kennedy, não seria de mau gosto? Claro! Mas os assassinatos também não são de mau gosto?”
    Engenheiros do Hawaii – Tudo começou em 1984 na Faculdade de Arquitetura em Porto Alegre, onde o grupo estudava. Existia uma rixa entre o pessoal de arquitetura e engenharia. Os estudantes se envolviam em rixas curriculares, filosóficas, estilos de vidas, etc. Enfim, o pessoal da arquitetura inventou um apelido para acabar com os inimigos. “Todo estudante de arquitetura é meio arrogante, acha que os engenheiros estão abaixo. Tinha um pessoal na engenharia que usava aquelas roupas de surfista, e, para irritá-los, nós fazíamos questão de chamá-los de ‘engenheiros’ e, mais do que isso, ‘engenheiros do hawaii’, que é um paraíso meio kitsch”. Na época, havia uma explosão de bandas punk, todas com nomes heróicos entre elas: Cavaleiros do apocalipse, Virgens Nucleares, Titãs, etc. Disse Humberto: “Sempre me assustou essa coisa heróica da música pop, porque te leva a ser meio semideus. Engenheiros do Hawaii era um nome desmistificador, ninguém nos levaria muito a sério. É um nome que até hoje nos protege de nos encararem como sacerdotes”. (Colaborou: Leandro Silva)
    Exploited – Explorado.
    Faith No More – Fé Nunca Mais. O nome anterior era Sharp Young Men, que depois mudou para Faith No Man quando seu crooner era Mike “The Man” Morris. Quando Morris saiu em 1982, evoluíram para Faith No More.
    Foo Fighters – Gíria originada durante a Segunda Guerra Mundial significando UFO’s (OVNI’s). A palavra Foo é uma corruptela do francês “feu” significando “fogo” ou “fou”, significando “insano”. Dizem que tudo começou quando um grupo de pilotos da aeronáutica tentaram atirar em possíveis UFO’s.
    Green Day – Trata-se de uma referência a maconha. Um dia verde é um dia em que você deixa de fazer suas obrigações para ficar fumando. Também cotado como inspiração, uma placa no filme “Soilent Verde” escrito “Green Day”. A banda se chamava Sweet Children.
    Guns N’Roses – Tirado dos nomes de Tracii Guns e Axl Rose ou de suas respectivas bandas, LA Guns e Hollywood Roses.
    Heavy Metal – Termo criado pelo autor beatnick William Burroughs nos anos sessenta sem nenhuma relação a música. Steppenwolf em “Born to be Wild” é o primeiro a usá-lo, “Heavy Metal Thunder”, referindo-se ao barulho alto do motor das motorcicletas.
    Hole – Frase da mãe de Courtney, “Você não pode seguir com um buraco (hole) na cabeça só porque teve uma infância ruim”.
    Iggy Pop & The Stooges – Iggy adotou este apelido em 64/65 no High School (2º Grau) por conta de ser o baterista da banda The Iguanas. Essa banda chegou a lançar um compacto em 1965. Stooges é homenagem aos Três Patetas (The Three Stooges).
    Iron Maiden – O nome “Iron Maiden” foi tomado do filme “The Man in The Iron Mask”. A “donzela de ferro” é um instrumento de tortura composto de uma caixa repleta de lanças pontiagudas em seu revestimento interior onde o condenado era trancafiado. “Donzela de Ferro” é também um dos apelidos da ex-primeira ministra inglesa Margareth Tatcher.
    Johnny Rotten – “Joãozinho Podre” ganhou seu apelido por causa dos seus dentes poderes.
    Kiss – Significa Beijo. O nome foi escolhido por soar perigoso e sexy. O acrônimo “Knights In Satan’s Service” (“Cavaleiros a Serviço de Satã”) foi uma inteligente e lucrativa maneira para ajudar evangelistas a colocarem o medo de Deus no homem comum.
    Korn – Varias versões propagadas pela própria banda. Referente a lenda urbana sobre um homem que comeu milho estragado e teve diarréia. Corruptela para Kiddy Porn (Pornografia Infantil). Ou não quer dizer nada mas a banda gostou do nome assim mesmo.
    Led Zeppelin – O baterista do the Who, Keith Moon, achou que a banda de Jimmy Page, que ainda se chamava The New Yardbirds, era pesada como chumbo e flutuava como um Zepelim. Daí Lead Zeppelin (Zepelim de Chumbo). Um Zepelin trata-se de um balão dirigível em forma de charuto. Mais tarde o nome foi mudado para Led Zeppelin para não ter dúvidas quanto à pronúncia.
    Limp Bizkit – O nome Limp Bizkit surgiu durante uma conversa entre o vocalista Fred Durst e um amigo que diz que seu cérebro parece um “limp biscuit” (uma bolacha amolecida). Ele gostou da idéia e adotou o nome.
    MC5 – “Motor City Five” são cinco hippies de Detroit, cidade cujo o apelido é Motor City pela pesada industria automobilística existente.
    Megadeth – Depois de sair do Metallica, Dave Mustane formou sua banda e a batizou com um nome inspirado no termo militar “megadeath”. Uma megadeath é a morte de um milhão de pessoas, portanto, exemplificando, a Segunda Guerra Mundial obteve 80 megadeaths.
    Metallica – Lars Ulrich ajudava um amigo bolar o nome de um metal fanzine. Uma das sugestões foi Metallica que não foi aproveitado para a revista. Lars então pegou para ele.
    Motorhead – Cabeçote de motor. Gíria para quem está sempre tomando anfetamina e nome de uma poderosa anfetamina que o vocalista Lemmy usava quando fazia parte da banda Hawkwind. Era também o nome de uma das músicas deste seu primeiro grupo.
    Muddy Waters – Águas Lamacentas. Seu nome é McKinley Morganfield e ganhou seu apelido em uma referência as águas lamacentas do Mississippi de onde ele vem.
    Nirvana – Estado avançado de espírito na cultura hindú.
    Nofx – Forma simplória para “no effects” (“sem efeitos”). Uma banda punk honesta não quer mesmo muita parafernália tecnológica no som.
    Offspring – Tiraram o nome do filme B “The Offspring – They Were Born To Kill” (Os Decendentes – Eles Nasceram Para Matar).
    Pearl Jam – Uma das prováveis origens do nome Pearl Jam tem a ver com uma geleia (jam em inglês) feita pela avó de Eddie Veder (chamada Pearl) cuja composição incluía peyote. Outras versões informam que Pearl Jam seria gíria, significando esporra. Eles quase se chamaram de “Mookie Blaylock” em homenagem a um jogador de basquete.
    Pennywise – Nome do palhaço no livro “It” de Stephen King.
    Pink Floyd – O nome Pink Floyd é a junção dos nomes de dois antigos músicos de Blues, Pink Anderson e Floyd Council (Dipper Boy), que influenciaram Syd Barret. Syd nomeou a banda com o nome de um dos discos da dupla, The Pink Floyd Sound, mais tarde abreviado para Pink Floyd. Por pouco eles não se chamaram de “Anderson Council” ou “Megadeath”.
    Radiohead – Tirado da música “Radio Head” dos Talking Heads.
    Rage Against The Machine – A primeira banda do vocalista Zack De La Rocha se chamava Inside Out, e chegou a lançar um CD. O nome do segunto CD desta banda seria Rage Against The Machine, mas esse segundo CD nunca chegou a ser lançado. Zack então aproveitou o nome para a sua nova banda.
    Ramones – O Beatle Paul McCartney usou o pseudônimo Paul Ramone durante a primeira excursão dos Beatles à Escócia. A banda tomou emprestado dele o sobrenome.
    Rolling Stones – Pedras Rolantes. Brian Jones escolheu o nome por causa da frase “A rolling stone gathers no moss” (Pedras rolantes não criam limo) e da música Rollin’ Stone, ambas frase e canção de Muddy Waters.
    Rush – Estavam todos preocupados pois já tinham uma apresentação marcada porem ainda não tinham nome. O irmão mais velho de John Rustley deu como suggestão Rush.
    Sex Pistols – O nome da banda foi baseado no nome da loja de Malcolm McLaren (Sex). É também uma conotação para o pênis.
    Soulfly – Alma Voa. Max Cavalera homenageou seu afilhado falecido.
    Supergrass – Grass (grama) é gíria para maconha.
    Ultraje à Rigor – Durante uma festa em que se apresentavam, Roger pensou em Ultraje, mas achou punk demais para a época. Resolveu perguntar a Edgard Scandurra (então guitarrista da banda), que chegou no meio da conversa e, sem entender direito a pergunta, disse: “Que traje? O traje a rigor?”
    White Zombie – Título de filme B estrelado por Bela Lugosi.
    ZZ Top – De acordo com o livro “Z.Z Top: Bad and Worldwide”, o nome foi inspirado num poster do bluesman texano chamado Z.Z. Hill. Queriam também um nome que sugerisse o melhor (“top”).

    O post completo e o significado do nome de outras bandas você confere no blog da Putzgrila

     
  • carames 19:55 em 13/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Nirvana   

    Video – Nirvana: Smells Like Teen Spirit 

     
  • carames 1:16 em 06/04/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 5 de abril de 1994, , , , , Nirvana, ,   

    LP/CD – Nirvana: Nevermind 1991 

    No dia 5 de abril de 1994 morria Kurt Donald Cobain, líder do Nirvana e responsável pelo melhor disco feito nos anos 1990. Kurt tirou a própria vida com um tiro de espingarda em sua casa em Seattle e seu corpo foi descoberto três dias mais tarde por um funcionário que faria reparos na instalação elétrica da mansão em que Cobain vivia com sua filha Frances Bean Cobain e sua mulher Courtney Love (polêmica líder da banda Hole).
    Escolhido pelo canal de tv VH1 como o segundo melhor álbum de rock de todos os tempos (perdendo apenas para Revolver dos Beatles), Nevermind foi lançado em setembro de 1991 e desbancou inclusive Michael Jackson nas paradas de sucesso. Sua capa foi escolhida como a melhor já feita e foi diversas vezes parodiada na obra de outros artistas.
    O disco conta com petardos como Smells like teen spirit, Territorial Pissings, Come as you are e Lithium e simplesmente não tem uma música passível de ser ignorada.
    A morte de Kurt encerrou a carreira da banda que lançou cinco discos oficiais e excursionou mundo afora tendo passado pelo Brasil com uma apresentação inesquecível no Hollywood Rock de 1993.

    Mais sobre Kurt, aqui

    Tracklist:
    01.”Smells Like Teen Spirit” – 5:01
    02.”In Bloom” – 4:14
    03.”Come as You Are” – 3:39
    04.”Breed” – 3:03
    05.”Lithium” – 4:17
    06.”Polly” – 2:57
    07.”Territorial Pissings” – 2:22
    08.”Drain You” – 3:43
    09.”Lounge Act” – 2:36
    10.”Stay Away” – 3:32
    11.”On a Plain” – 3:16
    12.”Something in the Way” – 3:55

     
  • carames 0:06 em 15/03/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , forró estourado, , , Nirvana   

    Ação e Reação 

    Inventaram de sacanear o Calypso, daí só por vingança assassinaram Come as you are. Confere aí:

    Lado A – Calypso: Be Quick or Be Dead

    Lado B – Forró Estourado: Liga o Som

     
  • carames 16:40 em 30/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , john paul jones, josh homme, , Nirvana, , , supergrupo,   

    CD – Them Crooked Vultures: Them Crooked Vultures 2009 

    Em 2008 o Foo Fighters fez um show memorável em Wembley que posteriormente viria a ser lançado em DVD. Dos tantos momentos excepcionais deste show o destaque, sem dúvida alguma, é quando Dave Grohl toca a música Rock n’ Roll do Led Zeppelin (com nada menos que Jimmy Page e John Paul Jones). Deste encontro e de contatos anteriores de Grohl com Josh Homme (Dave Grohl já havia gravado participações em músicas do Queens of the Stone Age, banda de Homme) nasceu o Them Crooked Vultures, projeto com o qual eles lançaram este disco em 2009 e já anunciaram um novo álbum para 2011.

    01. No One Loves Me & Neither do I
    02. Mind Eraser, no Chaser
    03. New Fang
    04. Dead End Friends
    05. Elephants
    06. Scumbag Blues
    07. Bandoliers
    08. Reptiles
    09. Interlude With Ludes
    10. Warsaw Or the First Breath You Take After You Give Up
    11. Caligulove
    12. Gunman
    13. Spinning in Daffodils

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: