Marcado como: ramones no brasil Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 3:06 em 03/05/2016 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , flanders 72, , , motor city madness, , , , , , ramones no brasil, , , , , zumbis do espaço   

    Marky Ramone: Ao vivo no Bar Opinião, Porto Alegre – 1 de maio de 2016 

    2016-05-01 12.08.08Minha professora de história no ensino médio dizia: “a história só se repete como uma farsa”. Ela se referia a eventos que ao longo do tempo se parecem muito mas são na verdade, únicos, distintos.

    Neste final de semana viajei no tempo tentando reescrever a história. De volta ao dia 9 de novembro de 1994 quando Porto Alegre recebeu Raimundos, Sepultura e Ramones para um show antológico – até hoje celebrado pelos que assistiram e motivo de lamento pelos ausentes.

    Pude assistir os Raimundos depois desta data, assim como os Ramones – na verdade alguns deles, e de forma isolada, já em carreira solo. Mas o lamento permaneceu. Agora, findando o mês de abril e inaugurando maio, tive a chance de ver Raimundos e Marky Ramone em solo porto-alegrense com acréscimo da Tequila Baby, que vi em 1998 também com Marky mas durante sua primeira turnê pelo país com os The Intruders.

    Os calangos do serrado se apresentaram no sábado com seu forrócore e revisitaram parte da carreira para um público considerável, que não lotou mas ocupou boa parte da casa. Os célebres frequentadores do Puteiro em João Pessoa executaram metade do primeiro álbum e canções do disco seguinte Lavô tá Novo (I sawyousaying, Opa, Peraí Caceta, Esporrei na Manivela, Tora Tora e Eu Quero ver o Oco – esta já durante o bis).

    2016-04-30 20.17.29-2

    Raimundos ao vivo no Opinião – 30/4/2016

    Canções indispensáveis do Lapadas do Povo ficaram de fora. Perderam espaço para repetidos improvisos com trechos de canções do Metallica, Nirvana e outros tantos. Havia ainda previsão de meia hora de clássicos dos Ramones que também não ocorreu.

    Em compensação, Boca de Lata, Deixa eu Falar, Me Lambe e A Mais Pedida foram entoadas em uníssono pelos presentes. O quarteto ainda conversou com fãs ao final da empreitada e logo partiu em disparada rumo ao próximo compromisso, ainda naquela noite, em Cachoeira do Sul – distante 200km da capital gaúcha.

    Vencida esta primeira etapa, na manhã seguinte foi a vez de encontrar Marky Ramone e sua trupe na porta do hotel. Recém chegando do aeroporto ele atendeu brevemente um pequeno grupo de fãs, posou para fotos e em seguida subiu para o seu quarto.

    Oscar Chinellatto, vocalista da Wardogs (excelente banda italiana tributo aos Ramones) dedicou mais tempo conversando e explicando que os últimos dias haviam sido de intensa correria. Shows à noite e viagens durante o dia, mas que enfim teriam uns dias para descanso.

    Acompanhado dos argentinos Marcelo Gallo (guitarra) e Alejandro Viejo (baixo), ele preferiu não comentar o incidente no Rio de Janeiro em que a banda deixou o palco prematuramente frustrando fãs depois de meros 50 minutos de apresentação. A seu favor, o entrosamento de repetir a formação que em 2014 excursionou pelo país.

    Em Porto Alegre o desafio não seria pequeno. Encerrariam o Let’s Go Punk Rock Festival que ocorreria na tarde de domingo, sediado no mesmo Opinião em que eu estivera na noite anterior.

    Fiquei em débito com a rapaziada de São Leopoldo da Flanders 72 pois perdi a abertura que eles fizeram. No currículo, nada menos que terem aberto para CJ Ramone em 2012 (na cidade de Estância Velha), e agora acrescentando mais um ramone na lista.

    Em seguida foi a vez da Motor City Madness, de Porto Alegre, com sua mistura punk rock stoner. Em um show competente e preciso justificaram os dois cds na praça e o EP em vinil que sai nos próximos dias.

    2016-05-01 16.57.55

    Motor City Madness

    2016-05-01 18.02.14-1

    Zumbis do Espaço

    Os Zumbis do Espaço pisaram no palco com a casa tendo uma boa ocupação e contaram com boa adesão do público cantando suas músicas que falam essencialmente de horror e morte (como A marca dos 3 noves invertidos, O mal nunca morre e Caminhando e matandoNos braços da vampira, regravada pelos Inocentes, fechou o set). O baixista Gargoyle, doente, foi substituído neste show por Giovanni Soares do Leather Faces.

    Chegou a vez da Tequila Baby tocar. Na condição de donos da festa que eram, foi como time da casa jogando em estádio cheio. Desfilaram seus vários hits, acumulados desde 1994. Prefiro sua mãe, Sangue, ouro e pólvora, Bem-vindo à sua geração, 51, Velhas Fotos eCaindo (versão para I’ve Just Seen a Face dos Beatles) seguindo o script do Gray Matter.

    2016-05-01 19.15.41-2

    Tequila Baby

    Quando Oscar, Gallo e Viejo subiram ao palco e Marky proferiu seu tradicional ‘Hi Everybody’ o que já era festa, virou êxtase. Precedidas pelo ‘one,two,three,four’ as músicas iam se sucedendo em ritmo alucinante. Vinte anos após a dissolução da banda, o baterista não parece sentir o passar do tempo. Tocava com vigor, no entanto, sem fazer o mínimo esforço. Digno de quem conhece todos os atalhos do que faz.

    A sequência avassaladora era quase que a reprodução exata do set tradicional dos Ramones. Exceto, claro, pelo fato dele não tocar canções originalmente gravadas com Richie na bateria. E a formação, entrosada, deu conta do recado com méritos.

    A essa altura uma senhora de uns 70 anos que havia cantado a plenos pulmões ‘o meu problema é sexo, algemas e cinta-liga’ (hino da Tequila Baby) vibrava com cada canção dos Ramones. Não muito longe dela, a criançada também curtia a apresentação e integrantes das bandas que haviam se apresentado durante toda a tarde também vibravam em meio ao público num clima de festa absoluto sem restrição de idade ou espaço para estrelismos.

    Os três primeiros discos continuam servindo de referência principal, mas mesmo assim houve tempo para I Believe in Miracles e Pet Sematary, lançadas em 1989. Para surpresa de muitos ainda rolou Baby I Love You e What a Wonderful World antes do grande desfecho com o Opinião inteiro bradando o lema HEY HO! LET’S GO! de Blitzkrieg Bop – primeira e mais icônica música do quarteto.

    2016-05-01 21.01.55

    Marky Ramone’s Blitzkrieg

    Os Ramones, aliás, souberam fazer escola. Tanto os Raimundos na noite de sábado, quanto as bandas que tocaram no domingo, marcaram presença vendendo discos e camisetas – principal fonte de renda do quarteto nova-iorquino ao longo da carreira.

    Quando a melancólica My Way na voz de Frank Sinatra tomou conta do sistema de som era sinal que o espetáculo havia terminado. Passados dois bis e uma hora e tanto de duração, era tempo de ir pra casa. Antes das onze da noite de domingo, bastante razoável para quem trabalharia no dia seguinte, seja morando na cidade ou enfrentando estrada de volta para o interior do estado.

    O relógio marcava pontualmente 4 horas da manhã com temperatura de um dígito quando desembarquei na rodoviária de Santa Maria – mas isto de nada importava, havia exorcizado ao menos um pouco do fantasma que é não ter visto Raimundos abrindo para os Ramones naquela vez.

    A formação dos Raimundos não é mais a mesma e os Ramones se separaram vinte anos atrás. E ainda faltou o Sepultura. Enfim, parece que a história só se repete como uma farsa (e mesmo assim valeu muito a pena).

    Anúncios
     
  • carames 10:00 em 24/11/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 21 de novembro, , curitiba, , , music hall, , , , ramones no brasil, , ,   

    Marky Ramone: Ao vivo no Music Hall, Curitiba – 21 de novembro de 2014 

    10799598_10153340373163032_1611688821_n
    Não conheço outro gênero musical que, tal como o rock n’ roll, crie tamanho senso de unidade em seus adeptos. Você chega no primeiro dia de aula e no fundo da sala vê alguém com uma camiseta de banda e instintivamente já sabe que vai ter companhia e assunto para o restante do ano.

    E ninguém melhor que os Ramones para personificar este conceito de irmandade. A adoção de sobrenomes idênticos (o que faz muitos leigos acharem que eram todos parentes) mas principalmente a persistência por tocar tanto tempo juntos apesar de todas as divergências – como se fossem de fato uma família de quem você pode até não gostar eventualmente, mas que não se desfaz por nada.

    Este sentimento ao longo do tempo foi incorporado pelos fãs da banda. Seja no Brasil, Argentina, Chile, Finlândia, Itália ou Japão, eles absorveram este espírito em parte por culpa de Joey e Dee Dee com suas letras sobre famílias disfuncionais mas ao mesmo tempo felizes (We’re a Happy Family e Cretin Family, para dar apenas dois exemplos mais explícitos).

    Foi com este espírito de família reunida que na noite de sexta, 21 de novembro, fãs de vários lugares do Brasil se reuniram na capital paranaense para prestigiar o lendário baterista Marky Ramone. Ele tocou em mais discos e em mais shows que qualquer outro que assumiu este posto ao longo dos 22 anos de carreira da banda.

    É verdade que nem por isto ele é uma unanimidade, principalmente nos últimos anos quando não se esquiva de declarações polêmicas se autointitulando o único e verdadeiro defensor do legado ramônico na terra – mesmo sendo esta uma discussão estéril.

    Polêmicas à parte, ele recebeu fãs no lobby do hotel onde tirou fotos e por um bom tempo autografou, literalmente, mais de uma centena de itens esbanjando simpatia e pedindo “publiquem as fotos no twitter e instagram” e ao final da sessão improvisada fez questão de posar para foto com alguns dos itens que recém assinara.

    10633680_10153337887543032_2829969891257160077_o

    Para o show no Music Hall, ele contou com a companhia do guitarrista Marcelo Gallo e a surpresa Oscar (John Fontaine, vocalista da italiana Wardogs) substituindo Michale Graves que o acompanhou nas últimas turnês de sua Marky Ramone’s Blitzkrieg. Passagem de som feita e casa com boa presença de público, restou ao quarteto subir ao palco e mandar ver três dezenas de hits ramônicos.

    O estilo de Oscar lembra Joey no começo da carreira, claro que o biotipo alto e magro ajuda, mas sua principal contribuição é a execução sem firulas nem paradas o que contribuiu para fluidez do show. Com Menos pausas restou a Marc Bell surrar a bateria impiedosamente.

    Clássicos absolutos como Cretin Hop, Rockaway Beach, I Wanna Be Sedated e Judy is a Punk foram apresentados em velocidade ultrasônica ao longo de pouco mais de uma hora e dois bis.

    Do you remember Rock n’ Roll Radio embalou a homenagem a Tommy Ramone, baterista a quem Marky sucedeu na banda. Tomorrow She Goes Away surgiu como uma bela surpresa em meio a hits que não poderiam ficar de fora como I Believe in Miracles e The KKK Took My Baby Away.

    Numa clara homenagem a Joey, a dobradinha Life’s a Gas (uma pérola de uma linha só: “não fique triste pois eu estarei lá, não fique triste mesmo”) e What a Wonderful World (única que não faz parte do repertório do quarteto).

    Ao final, vários amigos unidos a partir do interesse comum nesta banda única e o êxtase de ver um ‘senhor’ de 56 anos tocando bateria como fosse uma locomotiva sem freios e fechando o show com Blitzkrieg Bop. Você pode estar pensando “mas então foi um show tributo aos Ramones?”, sim, mas com um Ramone na bateria.

    Setlist:
    rockaway beach / teenage lobotomy / psycho therapy / do you wanna dance / i don’t care / sheena is a punk rocker / 53rd and 3rd / now i wanna sniff some glue / gimme gimme shock treatment / rock ‘n’ roll high school / oh oh i love her so / tomorrow she goes away / surfin’ bird / judy is a punk / i believe in miracles / the kkk took my baby away / pet sematary / chinese rock / i wanna be sedated / i don’t wanna walk around with you / pinhead

    rock ‘n’ roll radio / i just want to have something to do / i don’t wanna grow up / cretin hop / ramones

    i wanna be your boyfriend / life’s a gas / what a wonderful world / blitzkrieg bop

     
  • carames 10:00 em 08/07/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , d generation, , Michael Wildwood, , , , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone anuncia datas de nova turnê pelo Brasil 

    CJ Ramone anuncia datas de nova turnê pelo Brasil

    Publicado em ZonaPunk.

    Após ser a primeira atração confirmada do renomado Porão do Rock, CJ Ramone, ex-baixista dos Ramones, anuncia praticamente todas as datas da terceira turnê consecutiva pelo Brasil.

    Acompanhado dos renomados Steve Soto (guitarra – Adolescents), Dan Root (guitarra – Adolescents) e Michael Wildwood (bateria – D Generation), CJ Ramone excursionará, entre 26 de agosto e 7 de setembro, em cidades as quais ainda não havia se apresentado.

    Considerado um dos artistas mais carismáticos da música mundial, o ex-integrante da histórica banda americana de punk tem os seguintes shows confirmados:
    28/08 – Bolshoi Pub – Goiânia/GO
    29/08 – Tribal Club – Santos/SP
    30/08 – TBA
    31/08 – Porão do Rock – Brasília/DF
    01/09 – TBA
    02/09 – TBA
    03/09 – Espaço Cult – Curitiba /PR
    04/09 – John Bull – Florianópolis/SC
    05/09 – Rock and Roll Sinuca Bar – Novo Hamburgo/RS
    06/09 – Associação Rural – Pelotas/RS
    07/09 – Opinião – Porto Alegre/RS

    O repertório será recheado por diversos clássicos dos Ramones, além das excelentes composições de seu álbum solo “Reconquista”. Também existe a possibilidade de que canções de seu novo disco integrem o set list.

    São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Brasília (DF), Curitiba (PR), Santos (SP), Florianópolis (SC), Palmas (TO), Taguatinga (DF), Maringá (PR), Bragança Paulista (SP), Fortaleza (CE), Estância Velha (RS) e Betim (MG) são as cidades que já receberam o ilustre músico.

    Christopher Joseph Ward foi escolhido para substituir Dee Dee, o lendário baixista dos Ramones, em 1989, e ficou até o fim da banda em 1996. Com o grupo, e já usando nome de CJ Ramone, lançou os álbuns Loco Live (1991), Mondo Bizarro (1992), Acid Eaters (1994) e Adios Amigos (1995). Depois disso, o artista montou outros projetos como o Los Gusanos e Bad Chopper, e inclusive chegou a receber um convite para tocar no Metallica, mas recusou a oferta para cuidar do filho, que havia sido diagnosticado com autismo.

    Promotores interessados em contratar o espetáculo devem entrar contato através dos e-mails contato@cacapratesmanagement.com.br, runawayrec@hotmail.com, cacaprates@live.com ou pelos telefones ID 55*11*43758, (55 11) 98149.9987 e (55 11) 99557.8358.

     
  • carames 10:00 em 13/05/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 9 de maio, , caxias do sul, , , , , , ramones no brasil,   

    Marky Ramone empolga público de Caxias com repertório de 37 canções 

    16471344

    siliane.vieira@pioneiro.com
    Marky Ramone entrou no palco do Cond Show Bar alguns minutos antes do previsto (0h30min), no início da madrugada deste sábado. Vestindo uma camiseta sem manga do lutador Muhammad Ali, ele parou bem no meio do palco e mandou alguns beijos ao público. Depois, posicionou-se atrás da bateria e começou a trabalhar. Não disse nada. Seria legal se arriscasse alguma palavra em português, se falasse que estava feliz, que era um prazer tocar novamente em Caxias? Talvez, mas ele preferiu as baquetas aos diálogos clichês. Menos palavras, mais punk rock. A noite começava bem.

    Antes do desfile de clássicos ter início, porém, o público (estimado em quase mil pessoas) foi situado do que estava prestes a acontecer. Tal qual no disco Loco Live, foi largada a trilha de Ennio Morricone para o spaghetti The Good, the Bad and the Ugly. A escolhida para abrir a apresentação foi Rockaway Beach, do terceiro e talvez mais icônico álbum dos Ramones, Rocket to Russia.

    Mas se Marky Ramone não interagia muito — ainda que tenha o poder de hipnotizar pessoas com seus movimentos de braços precisos na bateria — havia a presença marcante de Michale Graves, ex-vocalista dos Misfits. Com seu tradicional chapéuzinho, mas sem a franja preta e a pintura facial que o caracterizavam na banda, foi ele (e sua simpatia) o responsável por fazer a ponte entre a banda e o público. Graves pegou em muitas mãos, ganhou beijo de fã, deu água para a galera e até protagonizou um mini stage dive na beirinha do palco. Isso sem contar sua empolgante performance, remexendo os ombros ou simulando soquinhos no ar, dancinhas velhas conhecidas dos fãs dos Misfits.

    Com uma voz muito mais aguda que a do vocalista original dos Ramones, Joey, Graves conferiu nova personalidade a maioria das músicas, sem mudá-las ao ponto de irritar qualquer fã. Pontos muito altos da noite foram o coro dos fãs em músicas como Rock ‘N’ Roll High School, Beat on the Brat, I Wanna Be Sedated e Pet Sematary, talvez o maior hit dos Ramones. Apesar do repertório com 37 canções, algumas ficaram de fora e fizeram falta. Poison Heart, por exemplo. Apesar disso, outras menos usuais apareceram, como Loudmouth.

    Mesmo com público e bandas animados, um problema no som deu uma bela atrapalhada no show. Foi na sexta música, Sheena is a Punk Rocker que, como bem definiu uma fã, parecia que o Cond todo tinha começado a subir a Serra (com aquela pressão característica que a gente sente nos ouvidos). Tudo ficou abafado e a banda só podia ser escutada com melhor nitidez muito perto do palco. O problema permaneceu praticamente até o final. Uma pena.

    Durante o momento acústico e solo de Michale Graves a deficiência do som ficou mais evidente. Porém, não foi o suficiente para barrar a comoção do público com as versões intimistas e completamente repaginadas de Dig Up Her Bones e Saturday Night (dedicada por ele a Joey Ramone, morto em 2001). Sim, teve isqueiro aceso, aplausos nas pausas e coro de “Graves, Graves”. Até Marky foi motivado pelo vocalista em sua única “ida” ao microfone. O Ramone falou ao público: “Não existe Misfits sem Michale Graves”. Talvez ele tenha ouvido alguém da plateia que gritava pelo nome de Danzig, primeiro vocalista do Misfits.

    Com Marky de volta ao palco, o show se encaminhava ao fim. Para fechar, veio a balada Life’s a Gas e o cover de Louis Armstrong, What a Wonderful World, canção regravada por Joey Ramone em seu primeiro álbum solo e cantada quase em forma de celebração pela plateia. A última, Blitzkrieg Bop abriu uma roda punk gigantesca e descabelou até quem estava mais longe do palco. Terminada a canção, uma porta atrás do palco abriu-se e Marky Ramone entrou em sua van sem olhar para trás. O trabalho da noite estava feito.

    Veja repertório completo

    Rockaway Beach
    Teenage Lobotomy
    Psycho Therapy
    Do You Wanna Dance? (Bobby Freeman cover)
    I Don’t Care
    Sheena Is a Punk Rocker
    Havana Affair
    Tomorrow She Goes Away
    Commando
    I Wanna Be Well
    Beat on the Brat
    53rd & 3rd
    Now I Wanna Sniff Some Glue
    Gimme Gimme Shock Treatment
    Rock ‘N’ Roll High School
    Oh Oh I Love Her So
    Judy Is a Punk
    I Believe in Miracles
    The KKK Took My Baby Away
    Pet Sematary
    Chinese Rock
    I Wanna Be Sedated
    Loudmouth
    I Don’t Wanna Walk Around With You
    Pinhead
    Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio?
    I Just Want to Have Something to Do
    She’s the One
    California Sun
    Have You Ever Seen the Rain?
    Cretin Hop
    R.A.M.O.N.E.S.
    Dig Up Her Bones (Michale Graves)
    Saturday Night (Michale Graves)
    Life’s a Gas
    What a Wonderful World
    Blitzkrieg Bop

    Texto retirado do site do jornal Pioneiro.


     
  • carames 10:00 em 20/08/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , leo dias de los muertos, , , , , ramones no brasil,   

    Weird Tales of Leo Dias de los Muertos 

    Reproduzo abaixo fotos e texto na íntegra de uma história muito bacana de um fanzaço dos Ramones – por Leo Dias de los Muertos.

    leo dias de los muertos (2)

    17 anos

    10 de novembro de 2011 às 11:06

    Eu me lembro de em algum ponto dos 80 ouvir Surfin Bird e achar ducaralho, pra um menino de cerca de 9 anos era indescritível pela primeira vez ouvir música que conversava diretamente comigo, mas eu ainda não sabia o quão importante aquela banda viria a se tornar na minha história.Tempos depois lembro de ver a capa do Rocket to Russia na casa de alguém na Av. Do Forte e pedir pra ouvir, o estrago foi instantâneo, saí daquele apartamento um membro da família Ramone.Ao longo dos 80 ver um show ao vivo dos caras era um sonho inalcançável, qualquer disco ou fita que aparecesse se tornava imediatamente a conquista do ano.Veio 91 e eu via de onde fica a praça Jamaica, aqui no Planalto, um grande outdoor anunciando a primeira vinda dos Ramones a Porto Alegre.Eu era um adolescente de 15 anos e minha mãe, horrorizada com a idéia de eu ir sozinho a um grande show onde ela sempre ouvia histórias pavorosas de gente esmagada,correrias e inocentes mortos, me comprou:

    -Não vai no show e eu te dou o valor do ingresso em discos que tu ainda não tem do Ramones.

    Eu idiotamente aceitei e passei os anos seguintes me atormentando.

    Em uma tarde de 1994 sai a notícia de uma tour conjunta das minhas então e até hj bandas favoritas JUNTAS.Em meio aos monstros de argila que eu fazia a única exceção eram os bonecos dos meus ídolos do rock e obviamente Ramones e Sepultura foram exaustivamente retratados.

    Logo comprei meu ingresso, mas minha amizade com a galera do Raimundos me garantia privilégios e eles iam tocar no evento e eu dei meu ingresso.Dei não, troquei por mais discos contendo os versículos do punk rock dos reis de Nova Iorque.

    Ingresso substituído pelo Igor e Andreas do Sepultura que me receberam como um irmão mais novo…depois de cada um ser agraciado com seu respectivo boneco.Era um sonho,depois de passar o dia com a banda segui meu instinto e fui para o hotel onde os Ramones estavam hospedados, chegando lá uma aglomeração de uns 200 irmãos Ramoníacos mantinha a porta lacrada pelos seguranças.

    A gigantesca caixa de ar-condicionado onde estavam os bonecos de todos membros do Sepultura que eu já havia entregue, e também os dos  Ramones, logo despertou curiosidade.Especialmente  pq eu pedia com humildade que o pessoal não batesse pois o que havia dentro era frágil.Os fãs perguntaram: o que tem aí dentro? Ao abrir a caixa TODOS presentes formaram um cordão de isolamento pra garantir a integridade daqueles bonecos que fiz com tanto amor.Um cara se aproximou e deu a dica de ouro:

    -Ta vendo aquele cara ali?É o motora da van deles, fala com ele que ele é tri legal, na certa consegue mandar recado teu pra banda!

    Foi o que fiz e logo o motorista voltou com a missão de me resgatar pra dentro do hotel, tentei levar o carinha que deu a dica junto mas o motora recusou, Johnny disse que só eu estava liberado.Olhei pro cara a quem até hj eu devo essa benção e ele entendeu que eu tentei…

    No saguão do hotel encontro o general Johnny Ramone, meu inglês era muito mais precário do que hj mas logo começamos a conversar e ele adorou o boneco, e mais ainda a minha coleção de vinis que eu levei pra autografar.Ele me olhava com ar de aprovação a cada disco que assinava, eu tremia e forçava pra engolir as lágrimas.

    Então Johnny avisa que vai chamar o resto da banda pra me conhecer.Hj quando penso que ele e Joey já não se falavam ha anos(coisa que na época poucos sabiam), a consideração do Johnny com o simples fã ganha mais peso ainda.

    Estávamos ali conversando quando ouço o urro da multidão lá fora, ergo o olhar e vejo deus em pessoa descendo calmamente os degraus de uma escada. Joey vem na minha direção e diz oi com aquela cara de Joey Ramone dele, eu digo que tenho um presente e tiro um baita boneco dele de dentro da caixa.Joey ri alto e elogia, pede que eu me sente ao lado dele no sofá, brinca muito comigo.Então ele diz: posso tirar uma foto contigo?Na minha cabeça tudo gira e não faz sentido que ele peça, eu é que queria aquele momento há anos.

    Levantamos e o Joey me abraça e exibe orgulhoso seu boneco de argila, como eu queria ver como ficou aquela foto…Ele começa a autografar meus discos, da uma nova olhada pro boneco, sorri cumplice pra mim e retorna pra colocar uma dedicatória no Ramones Mania.

    Marky filma tudo, a toda hora ele puxa papo e brinca, eu não sei a quem dou atenção, era muita informação pra assimilar.

    Desce CJ e ele me cumprimenta e faz sinal de positivo, e tb recebe seu boneco.

    O ar parece ter o dobro de oxigênio, eu nem ligava pro fato de não ter uma câmera fotográfica, não era capaz de pensar numa coisa assim, eu estava na presença das figuras que inventaram a trilha sonora da minha vida.

    Muitas brincadeiras e Marky sempre filmando, eles pedem licença pois tinham um compromisso a seguir, acho que era alguma entrevista ou talvez passagem de som, não lembro.

    Ao fim de tudo um homem se aproxima e entrega um cartão dizendo ser o fotógrafo da tour. Diz que percebeu minha emoção e que eu não possuía máquina e que me daria algumas cópias das fotos que tirou, bastava eu pagar apenas as revelações.Era tudo muito inacreditável, era muita sorte.

    Naquela noite saí pra ver o show secreto do Raimundos no antigo bar Opinião,quando ainda era do tamanho do Garagem Hermética.

    Na mesa onde eu estava, lá no fundão, eu era acompanhado de CJ Ramone e de Arturo Vega, o gênio que criou o brasão da banda e responsável pela iluminação do show.Arturo conta diversas histórias.CJ dá uma canja com os Raimundos e tocam Strenght To Endure, quase me  matei no mosh.CJ dava risada.

    No dia seguinte o acontecimento mais esperado da minha vida até então, o dia do show.

    Depois de ir a loucura com Sepultura e Raimundos as luzes se apagam.Inicia a intro com The Good,The Bad and The Ugly , do Enio Morricone, cada pelo do meu corpo se arrepia e eu sem acreditar em tudo aquilo, junto comigo 15 mil pessoas pensavam o mesmo.

    One,Two,Three,Four!

    As luzes acendem, eu estava em um show dos Ramones.

    Há  17 anos a vida me ensinou que vale apena acreditar e apostar nos sonhos e que as oportunidades acontecem pra quem se atreve.A 17 anos confirmou-se a idéia de que não importa o que aconteça a humildade deve continuar sendo o norte da bússola, pois se os REIS eram simples e acessíveis, todos deveriam ser.

    Porto Alegre, 10 de novembro de 2011

    leo dias de los muertos (3)leo dias de los muertos (1)Update!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!</p><br /><br /> <p>19 anos depois, surge a foto tirada a pedido de Joey Ramone, na camera dele.<br /><br /><br /> Uma divida que eu nunca vou poder pagar com meu amigo, Davi Pacote!

    Update!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 19 anos depois, surge a foto tirada a pedido de Joey Ramone, na camera dele. Uma divida que eu nunca vou poder pagar com meu amigo, Davi Pacote!
     
  • carames 10:00 em 30/07/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone no Hangar 110 

    05/07/2013 – Hangar 110 – São Paulo/SP

    CJ Ramone no Hangar 110
    A turnê de 11 datas pelo Brasil, a mais extensa que já fez, vem confirmando o que todo mundo já sabia, o quanto o show de CJ é bom e funcional em cena. Pude conferir o show em Santos, e agora no nosso CBGB’s, o Hangar 110, e a recepção foi igualmente calorosa, bem como a satisfação na cara dos presentes ao final do show. Com pouquíssima variação de um show pro outro (em SP tocaram “Today Your Love, Tomorrow The World” ao invés de “I Wanna Be Sedated” executada em Santos, além da ordem do set ser outro), a animação em palco ao menos era igual, com o quarteto tocando com garra e vontade.

    “Strenght To Endure” e “The Crusher” foram novamente as mais festejadas entre os covers ramônicos, talvez por serem as faixas que CJ cantava originalmente; já nas faixas do “Reconquista“, apenas uma parcela do público conhecia e cantava as canções, mas notavelmente mais pessoas que no ano passado e mais que em Santos no começo da semana.

    CJ vai terminar essa gira nacional consagrado como artista solo, e repito, com o melhor show que você pode assistir de um ex-Ramone. Set list impecável, simpatia e humildade, são ingredientes de uma fórmula imbatível. Ao terminar de tocar a última nota do show, CJ falou ao microfone, o óbvio que simboliza aquilo tudo: “Yeah, Ramones forever”.

    Um capítulo a parte na noite foi a escalação do supporting act, o polêmico Garotos, grupo que contém 50% do grupo conhecido como Garotos Podres, bem como seu repertório. Após desentendimentos internos, Mao e KK seguiram para uma nova banda (e brigam na justiça pela marca da banda original contra os outros integrantes e empresário), Sukata e Caverna seguem acompanhados de Denis Piui na guitarra e Gildo Constantino (ex-Pátria Armada) nos vocais, continuando sob o guarda-chuva de Garotos (Podres).

    Sem tomar partido ou se envolver em polêmicas, o fato é que o Garotos tem um set-list com alguns dos maiores clássicos do (punk) rock nacional, e fez bom uso disso pra animar o show, tocando “Oi! Tudo Bem?”, “Papai Noel Velho Batuta”, “Anarquia Oi!”, entre outros clássicos que foram cantados em uníssono. O conjunto aproveitou a ocasião também para tocar uma faixa nova chamada “Desaparecidos”. O resultado disso tudo? Aguardamos cenas do próximo capítulo.

    Clássicos imortais do cancioneiro punk, a melhor casa de show underground do Brasil, público legal e amistoso, cerveja gelada. Acho que não faltou nada. Passa a régua. Próximo.

    Por Wladimyr Cruz no Zona Punk em 5/7/2013.

     
  • carames 10:00 em 23/07/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone em Bragança Paulista/SP 

    04/07/2013 – Clube De Regatas De Bragança – Bragança Paulista/SP

    CJ Ramone em Bragança Paulista/SP

    Já me antecipo e aviso que isso não é bem uma resenha de show, é um relato de um fã dos Ramones desde 1987 e elogios extremos não serão poupados. Agora podemos continuar.

    Bragança Paulista é uma simpática cidade do interior de SP situada entre Atibaia e a divisa de SP com Minas Gerais, famosa nacionalmente por ser a “terra da lingüiça” e depois pelos roqueiros do capeta do Leptospirose, somando tudo isso, imaginem um show praticamente gratuito (a entrada era apenas um litro de leite pra ajudar a criançada) com uma lenda viva do punk rock, ou melhor, um Ramone?

    Numa jogada de mestre da Secretaria de Cultura (leia-se Quique Brown), a população roqueira da cidade foi praticamente movimentada em sua totalidade, e até aqueles que não entendem muito da coisa também estavam lá, sem contar a correria durante a última hora para a troca de ingressos (nisso eu me incluo) e muita, mas muita gente da região comparecendo. Como já dizia a faixa na entrada do Clube de Regatas de Bragança Paulista, era uma “Quinta Dançante” e foi isso o que realmente aconteceu.

    A abertura da festa ficou a cargo dos locais do Space Cake que já é bem conhecida do pessoal da cidade e teve uma exposição maior nos anos 90, retornando a ativa recentemente pelo que me informei. O som embolado do salão que ainda não estava cheio sempre acaba comprometendo nessas horas mas a banda fez o seu set list com músicas próprias (e muitas na língua dos presentes) mesclando com alguns covers, destaque para “1, 2, 3, 4” do Little Quail and The Madbirds que foi uma grata surpresa e a bola fora “Rock n Roll High School” dos Ramones que começou e não terminou.

    Após meia hora e salão já praticamente lotado com gritos de “Hey Ho, Let´s Go!” aparece a lenda viva do punk rock, CJ Ramone. O set abre com “Judy is a Punk” e daí em diante há um desfile de clássicos do quarteto nova iorquino focando mais nos 3 primeiros álbuns. “Glad to see you go”, “Rockaway Beach”, “Beat on the brat”, “Listen my Heart”, “53rd & 3rd” e tantas outras tocadas com fidelidade por CJ e sua banda (lembrando que os guitarristas são Steve Soto e Dan Root, ambos do The Adolescents). “Danny Says” ganhou uma versão “direto ao assunto” e como uma das minhas preferidas dos Ramones, aquele sorriso besta ficou por 2 minutos estampado no rosto e o momento fofinho do show com “I wanna be your boyfriend” e “She´s the one” fez alguns casais se olharem com um brilho diferente e muitos ali inclusive com filhos pequenos. É o poder dos Ramones sobre as famílias.

    Vamos a outros pontos importantes: CJ veio pela segunda vez ao Brasil em tour do seu disco “Reconquista” e vou repetir o que alguns amigos já vem falando em outras resenhas: o diferencial desse Ramone é a humildade e a proximidade com o público. “Reconquista” é um puta discão, ainda que não tenha atingido um grande público, é um álbum de ótimas canções e CJ não soa como um cara que carrega o privilégio e a maldição da insígnia “Ramone” para fazer mais um caça-níquel. As músicas tem destaque legal também dentro do show (“What we gonna do now?”, “Three Angels” –dedicada a Joey, Johnny e Dee Dee) e ele está ali para mostrar que existe vida (e com grande qualidade musical) pós Ramones e isso pessoalmente me deixa muito feliz. “Baby Ramone” já não é mais baby, não tem mais o cabelo pinico (aliás, nem cabelo tem mais) e você ver seu ídolo da adolescência cantando “Strenght to Endure” e “The Crusher” há 3 metros de você, rapaz, é de derreter o coração mais gelado do mundo e cada porrada levada para chegar na grade (e apanhando para a namorada não apanhar também), não tem preço.

    Num show onde há um Ramone não sobra muito espaço para rótulos, essas coisas do tipo “isso é punk, isso é isso ou aquilo”, é simplesmente rock e numa festa dessa você encontra todos os tipos possíveis: havia uma menina na minha frente que a cada acorde agitava seu cabelo como uma hedbanger, tocava air guitar e parecia que a qualquer momento iria gritar “toca Sweet Child o mineeeeeee” com seu namorado há um passo atrás sem entender nada e ela pelo visto, ela também não conhecia uma música sequer dos Ramones, mas afinal de contas, o rock existe pra gente dançar, cantar junto e se divertir, não é mesmo?

    Por Fabiano Nick no Zona Punk em 4/7/2013.

     
  • carames 10:05 em 16/07/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone em Santos 

    02/07/2013 – Tribal – Santos/SP

    CJ Ramone em Santos

    Este foi o segundo show que assisto de CJ Ramone defendendo o álbum “Reconquista“, e dá pra afirmar sem medo, o show de CJ é o melhor que você pode assistir de algum ex-Ramone. Marky pode ser “mais Ramone” (há quem diga isso), e Richie é o melhor músico, mas CJ tem gás, é fiel aos arranjos originais e, principalmente, tem um baita disco autoral que cada vez mais é reconhecido pelo público.

    Nesta noite de terça-feira, Santos pode conferir a volta de CJ por estes lados – ele esteve por aqui com o Bad Chopper no começo dos anos 2000 – em melhor forma do que antes, ao menos musical. Com um set recheado de Ramones de todas as fases e faixas de seu álbum solo, o script foi seguido à risca, quebrando o protocolo inicial com o segundo bis, com o cover de “I Wanna Be Sedated” e a própria “Aloha Oe”. No restante, os clássicos de sempre, abrindo com “Judy Is A Punk”, passando pelas menos óbvias “Danny Says” e “Endless Vacation”, levantando a massa em hinos como “Rockaway Beach”, “Blitzkrieg Bop”, “Sheena Is A Punk Rocker”, “Commando”, “Strenght To Endure” -a mais festejada do set-, “Do You Wanna Dance?”, “Teenage Lobotomy”, “Psycho Therapy”, e tantas outras. Do “Reconquista”, pintaram “What We Gonna Do Now?”, “Three Angels”, “You’re The Only One” e “Ghost Ring”.

    Acompanhado dos Adolescents Steve Soto e Dan Root, e do baterista Michael Stamberg, CJ festeja, deixa o público moshar, cantar junto, celebra a vida e obra dos Ramones como um fã, não como alguém que fez parte da história. A humildade é talvez uma das maiores e mais transparentes qualidades do baixista.

    Mesmo com o contra tempo da mudança de local em cima da hora, não podemos deixar de dar créditos e kudos para a produção local (Hard N’ Heavy, via Pepe Macia), que mais uma vez proporcionou a oportunidade de Santos conferir um show gringo durante a semana, mesmo com tudo jogando contra. Ah se todas as noites de terça fossem assim….

    Por Wladimyr Cruz no Zona Punk em 7/7/2013.

     
  • carames 10:00 em 16/07/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , ramones no brasil,   

    CJ Ramone: Santos FC homenageia artista em SP 

    Hey Ho, let’s go! Agora quem dá bola no Santos FC é CJ Ramone, ex-baixista do lendário Ramones e que atualmente segue em carreira solo. Considerado um dos artistas mais carismáticos do rock mundial, o músico está realizando uma nova longa turnê promocional do álbum “Reconquista” pelo Brasil. Ontem (05/07)*, momentos antes de se apresentar no Hangar 110, em São Paulo, ele ganhou camisa personalizada do alvinegro de Vila Belmiro.

    Imagem

    O presente é uma homenagem da torcida do Peixe, especialmente em nome de Walter Thiago, santista fanático e proprietário da London Calling, uma das lojas mais tradicionais de São Paulo. Outros importantes nomes como o vocalista Sebastian Bach (ex-Skid Row), o guitarrista Burce Kulick (ex-KISS) e a lendária banda feminina Girschool já entraram para o hall de artistas que ganharam este tipo de tributo.

    Christopher Joseph Ward foi escolhido para substituir Dee Dee, em 1989, e ficou até o fim da banda em 1996. Com o grupo, e já usando nome de CJ Ramone, lançou os álbuns Loco Live (1991), Mondo Bizarro (1992), Acid Eaters (1994) e Adios Amigos (1995). Depois disso, montou outros projetos como o Los Gusanos e Bad Chopper, e esteve outras oportunidades no Brasil para shows solo.

    Nesta nova excursão pelo país, CJ Ramone já passou por Florianópolis, Curitiba, Goiânia, Palmas, Taguatinga, Santos, Maringá, Bragança Paulista e São Paulo. Os próximos shows acontecem em Fortaleza (06/07 – Barraca Biruta) e Betim (07/07 – Espaço Garage Park). A CP Management agendou 11 shows, de 26 de junho a 7 de julho.

    No repertório, além de músicas de seu projeto solo, ele relembra clássicos como “Blitzkrieg Bop”, “Sheena Is A Punkrocker”, “Poison Heart”, “I Wanna Be Sedated”, “R.A.M.O.N.E.S.”, “Pin Head”, “Pet Cemetary”, entre outras.

    *Fonte: Whiplash.net em 7/7/2013.

     
  • carames 10:00 em 09/07/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , ramones interview, ramones no brasil, ,   

    Entrevista com CJ Ramone 

    CJ Ramone

    Esta foi minha terceira oportunidade de entrevistar o grande CJ Ramone, o baixista que foi o motor na reta final da maior banda de punk rock da história.
    Humilde como sempre e como poucos, CJ conversa com quem vier, age como se não fosse uma estrela. E não é mesmo, é um cara comum, gente boa, daqueles de conversar no bar, sobre tudo, e por isso merece todo o respeito do mundo. Mostrou que um “moleque” pode chegar lá, e ao lado de mestres, mudar o rumo da história. Um papo rápido, com nosso amigo CJ Ramone.

    Você fez no final do ano passado uma campanha via Pledge, no esquema de crowdfunding, para o lançamento do “Reconquista“, em CD e Vinil, com recompensas tipo autógrafos, DVD, camisetas etc. Vi que você conseguiu enviar o material todo só na semana passada. Como foi essa experiência? Você acredita que foi a melhor forma de fazê-lo? Não demorou? Não seria mais fácil e rápido descolar uma gravadora, mesmo que independente?
    A minha experiência com o Pledge, e com o crowdfunding em si foi bem boa. É uma boa forma de manter as coisas DIY, e manter contato direto com seus fãs. Pra mim isso é uma coisa muito importante. O que aconteceu com o meu projeto foi que eu conheci o Pledge via um amigo meu que tinha uma empresa de management, e ia fazer a parte de produzir as coisas e enviar, e eu faria os updates, falaria com os fãs e tudo mais. A idéia era bem simples, a empresa faria o material, eu cuidaria dos fãs, mas infelizmente o que aconteceu foi que a empresa decidiu que ia mais fazer os produtos e envia-los pra mim…
    Eu vi que você fez os vinis com o pessoal da Pirate Press, você mesmo…
    Isso, eles fizeram um bom trabalho conosco inclusive. Então, eu e meu empresário ficamos numa situação bem ruim, pois tivemos que procurar quem prensaria os cds e dvds, os vinis, faria as camisetas, o que não é muito difícil de se fazer, mas estávamos despreparados para fazer isso, além de que estou sempre em tour, tenho três filhos, e era somente nós dois tendo que fazer tudo. Mesmo com as dificuldades, fizemos tudo, os produtos já foram enviados, conseguimos fazer os discos em um curto período de tempo e já enviamos. Eu e um amigo empacotamos tudo, escrevemos nos envelopes, selamos, preenchemos os formulários, mais ou menos umas mil encomendas, e tive que deixar tudo pronto antes de sair para esta turnê, pois não volto tão cedo pra Nova Iorque. Depois daqui do Brasil temos uma semana na Itália, então só volto pra casa depois do meio de julho.
    Mesmo com esse trabalho todo, você ainda acha que é a coisa certa a se fazer? Não acha que um selo independente iria facilitar as coisas?
    A coisa ficou difícil pra mim pois saiu do controle, mas normalmente me organizaria mais e faria tudo dentro da linha do (limite de) tempo do Pledge. Mas me pegaram de calças curtas. Mas ainda acho que o Pledge e o crowdfunding são um grande negócio.

    Você fala sobre manter o contato direto com seus fãs, e vejo que anda usando bastante o facebook, diariamente postando vídeos de artistas tipo Blondie, Motorhead, Cockney Rejects etc. É uma forma de mostrar isso aos seus fãs? Mostrar coisas, sons legais que talvez eles não conheçam? Acredita estar educando-os musicalmente?
    Quando eu comecei a postar vídeos no facebook, foi bem natural. Eu ouço música pra fazer tudo. Eu acordo, faço meu café e coloco um som. Tenho uma pequena rotina de manhã, de fazer o café e sentar e checar o facebook, e achei que seria legal colocar um som pra quando o pessoal chegar no facebook ter um som pra ouvir, se motivar, animar o dia, e foi assim que começou. Mas isso serve para muitos propósitos, não apenas para que conheçam ou curtam as músicas que eu curto, mas também para que se você ouvir e seguir o que coloco lá, vai ter uma… uma… como se diz?
    Uma espécie de linha do tempo do rock?
    É, mas eu gosto de música, de vários tipos de música, e coloco de tudo lá, desde Elvis até Social Distortion, e tudo que há entre um e outro. As vezes é um som que tem a ver com o clima que estou no dia, ou algum som que me surge na cabeça antes de ter ido deitar na noite anterior, sabe? É como se eu tivesse todos meus fãs em casa curtindo um som comigo.

    Ainda no facebook, na semana passada você pediu pros brasileiros contarem pra você o que estava rolando aqui, o lance dos protestos, passeatas etc. Não chequei todas as respostas, mas enfim, deu pra sacar? O que você achou? E por que você perguntou? Como ficou sabendo do que estava rolando?
    O motivo de eu ter perguntado no facebook foi porque a imprensa dos EUA estava noticiando que tudo aquilo era porque os brasileiros estavam putos com um aumento de 20 centavos na tarifa, e eu sabia que isso não era verdade. Eu venho aqui há mais de 15 anos, e não acho que eu saiba algo sobre sua política e seus problemas, mas eu sabia que não poderia ser só sobre isso, então eu perguntei, “contem pra mim, o que está acontecendo?”, assim todo mundo pode ficar sabendo o que realmente está rolando, que não é sobre o aumento. Acho que é um momento bem interessante no Brasil, acho que o mundo está vendo pela primeira vez o povo guiando o governo para a direção que o povo quer. E eu não acho que violência seja bom, coisas pegando fogo nas ruas e tal, mas as vezes você tem que fazer coisas para conseguir a atenção do governo, força-lo a ter que resolver os pontos. Nos EUA se conseguiu direito aos negros, às mulheres, se colocando dessa forma, tentando não ser um país injusto com essa parte da população. É um crescimento natural para qualquer país, e a coisa legal sobre o Brasil é que todo mundo no mundo pode ver isso agora, ver que a mudança é possível. Tavez o Brasil consiga ser o estopim para que outros países lutem contra os mesmos problemas.

    Pra finalizar, o que falar sobre essa nova tour? O que há de diferente destes shows para os do ano passado?
    Este ano estamos tocando mais música do “Reconquista”, Steve Soto e Dan Root do Adolescents estão comigo – apesar que estiveram comigo aqui da última vez também… Não posso dizer que vai ser muito diferente além do set ter mais do “Reconquista”, essa é uma das belezas da coisa, quando você vai ao meu show, você sabe o que você vai ter, um show de rock muito, muito bom. Esperamos vocês.

    Entrevista por Wladimyr Cruz no Zona Punk em 3/7/2013.

     
  • carames 10:00 em 25/06/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , ramones no brasil,   

    Confira todas as datas da nova turnê de CJ Ramone pelo Brasil 

    Confira todas as datas da nova turnê de CJ Ramone pelo Brasil
    Devido ao enorme sucesso da mais recente turnê de CJ Ramone, ex-baixista dos Ramones, pelo Brasil, a produtora CP Management confirmou o retorno do artista para uma nova série de apresentações pelo país. A turnê acontece entre 26 de junho e 7 de julho, e vai passar por 11 cidades brasileiras.

    Considerado um dos artistas mais carismáticos da música mundial, o ex-integrante da histórica banda americana de punk rock recentemente emocionou os fãs brasileiros, apresentando diversas músicas clássicas dos Ramones, além das excelentes composições de seu álbum solo “Reconquista“, durante os shows em Estância Velha (RS), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Goiânia (GO) e Brasília (DF).

    A nova excursão de CJ Ramone pelo Brasil é a seguinte:

    26 de Junho: John Bull Lagoa – Florianópolis/SC
    27 de Junho: Ambiental Bar – Curitiba/PR
    28 de Junho: Goiânia Arena – Tattoo Rock Festival – Goiânia/GO
    29 de Junho: Tendencies  Music Bar – Palmas/TO
    30 de Junho: America Rock Club – Taguatinga/DF
    02 de Julho: Fênix Coffee Pub – Santos/SP
    03 de Julho: Nite Club – Maringá/PR
    04 de Julho: Bragança Paulista/SP (TBA)
    05 de Julho: Hangar 110 – São Paulo/SP – Guest Bands: Inocentes e Garotos
    06 de Julho: Barraca Biruta – Fortaleza/CE
    07 de Julho: Espaço Garage Park – Betim Rock Festival – Betim/MG

    Christopher Joseph Ward foi escolhido para substituir Dee Dee, o lendário baixista dos Ramones, em 1989, e ficou até o fim da banda em 1996. Com o grupo, e já usando nome de CJ Ramone, lançou os álbuns Loco Live (1991), Mondo Bizarro (1992), Acid Eaters (1994) e Adios Amigos (1995). Depois disso, o artista montou outros projetos como o Los Gusanos e Bad Chopper, e esteve outras oportunidades no Brasil para shows solo.

    Postado no Zona Punk.

     
  • carames 11:00 em 29/01/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , ramones no brasil, ,   

    Max Cavalera: turnê com Ramones foi ponto alto da carreira 

    Jeff Maki, do site Live-Metal.net, conduziu em novembro de 2009 uma entrevista com o vocalista e guitarrista Max Cavalera (SOULFLY, CAVALERA CONSPIRACY, ex-SEPULTURA). Confira alguns trechos da entrevista abaixo:

    Live-Metal.net: NAILBOMB foi um projeto temporário? Você algum dia consideraria fazer outro disco do NAILBOMB, talvez com uma colaboração diferente ou algo do tipo?

    Cavalera: “Não, o NAILBOMB na verdade acabou. Foram apenas dois álbuns que fizemos, ‘Point Blank’ e ‘Proud to Commit Commercial Suicide’. Eu ainda toco algumas das faixas do NAILBOMB ao vivo de tempos em tempos. Muitos fãs curtem, muitas pessoas estão perguntando a respeito, mas não vou mais fazer nada com a banda. Nós a mataríamos, sabe? Nós terminamos com ela”.

    Live-Metal.net: É, eu achei que era algo completamente único na época, algo completamente inesperado. Me impressionou muito. É quase como se houvesse um culto de seguidores da banda e do álbum.

    Cavalera: “Sim, eu escuto muito isso sobre o NAILBOMB.”

    Live-Metal.net: Digamos que daqui a 20 anos alguém tenha o livro de história do metal. Onde você acha que o seu legado estará? No SEPULTURA ou no SOULFLY, e por que?

    Cavalera: “Eu acho que seria com ambos. Porque o SEPULTURA foi uma grande parte disso, também, porque nós apresentamos uma banda do Brasil. Foi algo inédito naquela parte do mundo com uma banda de heavy metal. Então fomos os primeiros em muitas coisas – primeira banda da América do Sul, primeira banda brasileira. Os álbuns que eu fiz com eles, até o ‘Roots’, são álbuns legendários. As pessoas os consideram álbuns muito, muito legais, que mudaram a vida de muitas pessoas. Também há o SOULFLY, que é outro capítulo que está se desdobrando agora, enquanto falamos. Então, ambos”.

    Live-Metal.net: Você disse “até o ‘Roots’. Eu na verdade estava ouvindo o “Roots” no caminho para cá e eu acho que [é um álbum incrível. Na sua opinião, “Roots” é um álbum menor ou é só o que você escuta da perspectiva dos fãs?

    Cavalera: “Você tem fãs do SEPULTURA que gostam de diferentes discos. Alguns deles gostam do ‘Arise’, alguns deles gostam do ‘Chaos A.D.’, alguns deles gostam do ‘Beneath the Remains’. Alguns deles gostam do ‘Roots’ — diferentes álbums para diferentes pessoas. Eu fico satisfeito por gostarem dele [do “Roots”] — eles gostam do álbum, então eu acho que isso é o que importa”.

    Live-Metal.net: Como o NAILBOMB, “Roots” foi meio inesperado — o disco estava cheio de surpresas.

    Cavalera: “Nós adotamos uma abordagem diferente. Toda a viagem até os índios [a tribo Xavante, no Mato Grosso] e a coisa toda foi realmente única — o visual da capa do disco com o índio, aquilo foi inédito no metal. Eu acho que até Dave Grohl disse que aquele foi o álbum que, para ele, mudou o metal. Ele disse isso em uma entrevista, e eu achei legal, vindo de alguém tão ‘grande’ quanto ele. Então eu fico contente que o álbum tenha conseguido tudo isso, e eu ainda toco ‘Roots [Bloody Roots]’ toda noite — a canção ‘Roots’ é um clássico, é algo que eu tenho que tocar — uma ‘música obrigatória do Max. E eu me divirto muito fazendo isso, de verdade.”

    Live-Metal.net: Quais foram os pontos altos e baixos da sua carreira com o SEPULTURA ou o SOULFLY?

    Cavalera: “Os mais baixos foram a morte do Dana [Wells, enteado de Max] e a separação do SEPULTURA, que aconteceram ao mesmo tempo. Na época, eu até pensei em desistir da música por um tempo — foi um período realmente depressivo. Os mais altos… Eu acho que com o SEPULTURA foi a turnê com os RAMONES no Brasil. Aquilo foi incrível. Foram apenas cinco shows — era a turnê do ‘Chaos A.D.’ e o promotor decidiu trazer os RAMONES para fazerem cinco shows, juntos, SEPULTURA e os RAMONES. E os shows lotaram, isso se espalhou como fogo selvagem. E pra mim foi uma turnê legendária, viajando com uma banda como os RAMONES, dividindo o palco com eles. Eles eram ótimos caras, muito legais. Aquela turnê foi ótima. Foi no meu país, e eu toquei na minha cidade natal [Belo Horizonte]. Eu acho que o show na cidade natal foi o ponto mais alto. Cinco mil pessoas aparecem na minha cidade natal, todos fãs do SEPULTURA, então foi ótimo”.

    Live-Metal.net: CAVALERA CONSPIRACY, isso é como o NAILBOMB? Uma coisa temporária?

    Cavalera: “Não, na verdade o CAVALERA CONSPIRACY vai continuar. É algo que eu vou carregar por um longo tempo — acho que enquanto eu puder. É ótimo tocar com o Igor [Cavalera, baterista] — é meu irmão, e é uma enorme conexão com o passado. E é ótimo fazer discos com ele. Eu adorei fazer o álbum ‘Inflikted’. Foi tão divertido gravar com ele novamente. Sem pressão, foi apenas divertido. É divertido estar em um estúdio com ele e detonar aquelas canções e só observar o álbum ganhar vida. E muitas pessoas estão perguntando pelo segundo. Está nos planos. Em algum momento do ano que vem, ou coisa assim”.

    Fonte: Whiplash.

     
  • carames 12:00 em 12/11/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , band, , , , , ramones no brasil,   

    Marky Ramone no programa Agora é Tarde 

     
  • carames 12:52 em 18/10/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , ramones no brasil, , , ,   

    Richie Ramone South American Invasion 2012 em Porto Alegre 


    Após o cancelamento da turnê que aconteceria em agosto, Richard Reinhardt (conhecido como Richie Ramone) se apresenta pela primeira vez na capital gaúcha.

    O evento acontece dia 20 de outubro no Beco (casa que em março deste ano recebeu outra lenda do punk rock – Jello Biafra) e a abertura fica por conta da banda Flanders 72.

    Richie foi baterista dos Ramones tocando em 400 shows, gravou os três álbuns da fase mais hardcore da banda: (Too Tough to Die em 1984, Animal Boy em 1986 e Halfway to Sanity em 1987) e contribuiu em algumas músicas do disco póstumo de Joey Ramone (…Ya Know?) lançado este ano.

    Ingressos:
    http://www.ticketjam.com.br/Evento/Exibir/120-Tributo_Ramones_com_Richie_Ramone
    1º lote 40.00
    2º lote 50.00
    Na hora 60.00
    Meet and greet+soundcheck+show 70.00

    Ponto de Venda:
    Short Fuse – Shopping Total
    Heaven And Hell – Gen. Vitorino, 140/201
    Stoned Discos – Marechal Floriano 371
    Zeppelin – Marechal Floriano 185/209 Gal. Luza

     
  • carames 12:40 em 01/10/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone no programa Agora é Tarde 


     
  • carames 15:27 em 26/07/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , CJ Ramone anuncia shows pelo Brasil, , ramones no brasil, ,   

    CJ Ramone anuncia shows pelo Brasil 

    Se Richie Ramone cancelou sua passagem pela América do Sul, os fãs poderão conferir de perto a apresentação de outro Ramone, desta vez CJ Ramone (ex-baixista da banda) anunciou datas de sua passagem pelo Brasil.

    A notícia é do Zona Punk:

    CJ Ramone anuncia shows pelo Brasil

    CP Management acaba de confirmar o retorno de CJ Ramone, baixista do lendário Ramones, ao Brasil. O músico, que foi escolhido para substituir Dee Dee e fez parte do grupo por exatos nove anos, tem passagem marcada para desembarcar no Brasil entre os dias 16 a 21 de setembro de 2012.

    As datas, até o momento, são as seguintes:

    16/09 – Porto Alegre – TBA*
    18/09 – TBA
    19/09 – São Paulo – TBA
    20/09 – Goiania – Bolshoi Pub
    21/09 – Brasília – Arena Futebol ClubNeste momento, CJ Ramone, é acompanhado por Steve Soto (Adolescents) na guitarra e Michael Stamberg na bateria. No repertório, estão todas as composições que são verdadeiros clássicos do Rock `n Roll.

    A turnê pela América do Sul está programada para passar por Chile, Argentina, Uruguai e diversas cidades do Brasil. Promotores interessados em contratar o show de CJ Ramone devem entrar em contato no e-mail runawayrec@hotmail.com ou cacaprates@live.com.

    *o show do Rio Grande do Sul foi confirmado em Estância Velha, próximo de Porto Alegre:

     
  • carames 15:22 em 25/07/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , ramones no brasil, , , ,   

    Richie Ramone cancela show no Brasil 

    Richie Ramone cancela show no Brasil

    “Por motivos de força maior a turnê sul-americana do Richie Ramone foi cancelada. A partir de 20/07 todos que compraram ingressos possuem 30 dias para solicitar seu dinheiro de volta nos pontos onde compraram os ingressos”. Esta é a nota no site do  Manifesto Bar, anunciando o cancelamento da tour do ex-Ramone pelo Brasil.

    Publicado por Zona Punk.

    A turnê do ex-baterista dos Ramones estava prevista para o próximo mês (confira). Ele dividiu o palco há poucos dias com CJ Ramone, ex-baixista da mesma banda.

    Confira mais sobre os Ramones aqui.

     
  • carames 23:02 em 12/06/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , ramones no brasil,   

    Richie Ramone Invasion Tour tem data no Brasil 

    Programado para 18 de agosto o show de Richie Ramone no Brasil. A apresentação faz parte da parte sul-americana da turnê Richie Ramone Invasion 2012.

    Richie substituiu Marky Ramone nas baquetas por 400 shows e em três discos de estúdio (Too Tough to Die, 1984;  Animal Boy, 1986 e Halfway to Sanity, 1987).

    O baterista acabou deixando a banda após um desentendimento envolvendo a renda com a venda de camisetas do grupo.

    Richie Ramone em São Paulo:

    18 de agosto – 18hs
    Local: Manifesto Bar
    Censura: 16 anos

    Ingressos:
    Pista 1º lote: R$ 60
    Camarote 1º lote: R$ 120

    Pontos de venda:
    Manifesto Bar – http://www.manifestobar.com.br
    Galeria do Rock (Lojas Rockland e Animal Records)
    Ticket Brasil – http://www.ticketobrasil.com.br

     
  • carames 1:22 em 21/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , ramones no brasil, ,   

    Ramones no Brasil 

    Em 30 de março de 1974 os Ramones fizeram seu primeiro show, coisa que depois repetiriam outras 2262 vezes ao redor do mundo. A partir da segunda metade da década de 1980 eles descobriram a América do Sul e passaram a excursionar por aqui com frequência. No Brasil eles escreveram parte desta história com uma série de shows (muitos deles tumultuados) que começou em 1987 e se encerrou em 1996 com sua turnê de despedida.

    O difícil é saber ao certo quantos e quando estes shows ocorreram. Após pesquisar biografias, sites e matérias em jornais e revistas compilei o que mais se assemelha com o que, de fato, foi a passagem deles pela terra brasilis.


    Abaixo, reproduzo um artigo publicado na revista Metal Head Especial nº 11, por Douglas Ramone:

    O Ramones é um dos grupos que mais se apresentaram pelo Brasil. Se você chegou a ir em algum deles, sabe a quanto vai a adrenalina de uma pessoa. Agora, se você nunca viu o grupo ao vivo, vai ter a chance de ter uma leve noção do que perdeu. Confira!

    O ano é de 1987, e quem diria este seria o principal meio desta grande banda começar a conquistar o coração de milhões de adolescentes que somente tinham na cabeça uma razão para sobreviver: o rock n’ roll!

    É anunciada a vinda dos reis do punk rock para shows, que de imediatos incluem São Paulo, Santos e Rio de Janeiro. Não se sabe a razão, e o show só acabou acontecendo aqui em Sampa, que é considerada a Nova York brasileira. Até aquele momento, apenas três discos haviam sido lançados no Brasil: End of the Century, Pleasant Dreams e Rocket to Russia.

    bizz020-mar1987-2O repertório da banda somente era reconhecido através de discos importados. Por incrível que pareça, os shows já estavam predestinados ao tumulto, e desde então, uma tempestade caiu em Sampa, transformando o Anhembi numa verdadeira lagoa, impedindo que o show fosse realizado naquele local. A produção resolveu cancelar o show e fazer uma devolução dos ingressos, mas na última hora parece que se arrependeram e transferiram o show para a casa ‘burgo’ de shows: o Palace. Este foi o show das oportunidades, pois foi o único show que o público brasileiro pode ver o ex-baixista Dee Dee Ramone, que deixou a banda em 89 e o ex-baterista Richie Ramone, que saiu no mesmo ano. O show teve como abertura uma marcha de bateria, e logo em seguida os famosos ‘One, Two, Three, Four’ de sempre. Detonaram os clássicos “Sheena is a punk rocker”, “Love Kills”, “Wart Hog”, “Commando”, “Garden of Serenety” e outros petardos ramonianos.

    Fora os amplificadores, que chegaram a queimar durante o show, e a eventual briga na parte de fora do Palace (que ganhou muita fama), o público pode ver pela primeira vez uma verdadeira e genuína aula de rock n’ roll. Ou poderíamos dizer punk n’ roll? Você é quem sabe.

    Quatro anos se passaram, e quem vem ao Brasil novamente? Não precisamos nem falar que é o Ramones, a banda mais polêmica perante a nossa ridícula imprensa. Aliás, é bom deixar bem claro que a banda não tem nada a ver com o que acontece fora dos palcos.

    Desta vez, a casa de shows escolhida foi a Dama Xoc, e infelizmente hoje já não temos mais shows de rock por lá.

    Neste show a banda traz o baterista Marky Ramone, e o novo baixista C. Jay Ramone. E mais uma vez não poderia deixar de acontecer alguns incidentes. Mas desta vez o público passou dos limites, onde um rapaz foi esfaqueado e veio a falecer. Uns dizem que foi dentro da casa, outros afirmam que tudo aconteceu do lado de fora. A polícia fez vistoria no local no dia seguinte e o clima ficou tenso. Fora isto, o show ocorreu na maior tranquilidade, e novamente tivemos vários clássicos como “Blitzkrieg Bop” e “Teenage Lobotomy”. O destaque vai para “I Don’t Want You”, que a banda raramente inclui em seu repertório. A abertura dos três shows ficou por conta do Ratos de Porão. Parecia que a banda havia gostado do Brasil e que a legião de fãs havia aumentado muito de 87 pra cá.


    É então em 92 que a banda resolve fazer apenas um show, no Olympia em São Paulo. Em menos de dois dias os ingressos estavam esgotados para esta única apresentação (umas quatro mil pessoas).

    Todos pensavam que haveria violência por parte do público, mas desta vez tudo ocorreu perfeitamente, apenas alguns esbarrões, mas nada de anormal. A imprensa (inclusive a especializada em rock) foi tratada com pouco caso, e foram poucos os jornais que conseguiram cobrir o evento.

    Mais de mil pessoas ficaram do lado de fora, no meio da rua. O pior estaria por vir, pois quem ainda não sabe, a outra apresentação seria no Rio de Janeiro, mais precisamente no Canecão. Uma bomba de gás lacrimogênio foi jogada no meio do público, causando pânico e agitação, e chegando a ferir algumas pessoas. Uma verdadeira barbaridade, pois a banda teve de sair do palco e novamente retornar devido à fumaça. Algumas pessoas foram presas e liberadas na sequência. A banda resolve dar um tempo de Brasil e tira nosso país da rota no ano seguinte.



    Mas é em 94 que temos mas shows, e como o show no Olympia (SP) não apresentou problemas das outras vezes, a agenda da banda inclui três noites de pura adrenalina. Sem brigas ou qualquer outro incidente, foi desta vez que o grupo também recebeu o disco de ouro pela grande vendagem de Mondo Bizarro. O show seguiu a sequência estipulada, com “Durango 95”, “Teenage Lobotomy”, “Do you remember Rock n’ Roll Radio?”, apenas colocando entre elas as músicas do LP recém lançado Acid Eaters (e não tocando a maravilhosa “Touring”!). A abertura aqui ficou por conta do Inocentes, uma outra importante banda punk de Sampa.



    O Ramones é tão famoso aqui na América do Sul (principalmente Argentina e Brasil) que eles resolveram voltar no mesmo ano e detonar uma turnê pelo país juntamente com o Sepultura. Se você não participou deste momento histórico, pode arrancar os cabelos!

    A turnê incluiu bandas como Raimundos e Viper, que faziam a abertura para os dois monstros sagrados do rock. Nossa aventura começa dia 05 de novembro de 94 no famoso Circo Voador, no Rio de Janeiro. Mesmo com todos os problemas ocorridos no Rio de Janeiro, o Ramones não quis cancelar o show, e no dia 05 já desembarcavam no Brasil com todas as bagagens. Todos imaginavam que aconteceria algum tipo de tumulto, mas tudo ocorreu na perfeita normalidade. Talvez seja por isso que não houve uma superlotação no circo.

    O set de músicas foi praticamente o mesmo da última vez que os rapazes vieram à São Paulo, incluindo músicas dos antigos discos e também do mais recente (na época), Acid Eaters. A abertura ficou por conta do grupo Little Quail And The Mad Birds. Dia 06, seguimos para o Parque da Gameleira, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Isso foi loucura! O local do show é um estábulo, com chão de terra. Cada música tocada, uma névoa de terra subia pro ar, dando a impressão de gelo seco. O show em si foi um dos melhores, não desmerecendo os outros, porque os shows do Ramones nunca chegam a decepcionar. como foi ao ar livre, o som estava impecável. O único problema foi que o público de Belo Horizonte não pode ver o painel (que é estendido atrás de Marky), pois não havia espaço. O set das músicas foi o mesmo do Rio, “Durango 95”, “Teenage Lobotomy”, “Poison Heart” e outros hits. A abertura ficou por conta do Viper. A próxima etapa foi realizada no dia 09, no Gigantinho (Porto Alegre/RS). Graças a Deus tivemos um tempo de descanso de três dias até o acontecimento do outro show, pois é extremamente cansativo viajar de um lugar para outro. É, nós não fomos de avião, não, e sim de ônibus! O Gigantinho lotado, como pela primeira vez que o Ramones tocou lá. A acústica todos sabem, uma verdadeira embolação de sons. Desta vez, o painel foi colocado! Não pensem que é o de tijolinhos com a águia no centro. O painel do Ramones mudou logo após a sua passagem em maio pelo Brasil. O novo são quatro colunas gregas com sinais de 20 anos em algarismos romano, e é claro, com a águia no centro. O set foi o mesmo, com uma surpresa: CJ Ramone cantou a música “Ramones”, do Motorhead. Um verdadeiro delírio para quem conhecia a música!



    Dia 11 de novembro de 94 foi a vez do público presenciar o grupo no Pavilhão da Santur, no Balneário Camboriú (Florianópolis/SC). É, infelizmente a produção deste show não foi muito boa, teve até boato dizendo que não haveria show por falta de segurança, tanto para as bandas quanto para o pessoal que foi ao local. O atraso desta vez foi de duas horas, o que fez piorar a situação.

    Portões abertos e logo começa o show do Raimundos, que também foi encarregado de fazer a abertura neste dia. Quando entra o Ramones, vem tudo abaixo, até os vidros do local foram quebrados, e o pessoal que não entrou chegou a invadir. Joey passou mal, por isso não tivemos o bis. Lembrando que um bis do Ramones significa algo entre seis e oito músicas. A última etapa da nossa aventura foi em Curitiba (Paraná), na Pedreira Paulo Leminsky, no dia 12. Muita gente pensou que seria o melhor e mais calmo show. Vocês estão enganados! Quem saiu de São Paulo para encontrar um bom e aconchegante show, encontrou apenas uma polícia totalmente despreparada, que batia em garotas de 15 anos. Teve até cavalaria, indo para cima do pessoal. Um show à parte! Passado o sufoco as 50 mil pessoas que foram ao show tiveram que enfrentar mais um obstáculo: a chuva! Não estou falando de uma chuva comum, e sim de uma tempestade. O chão da Pedreira virou uma lagoa, fazendo o pessoal pogar como se estivessem nadando. A abertura ficou por conta do Viper e do Raimundos.


    Depois de várias especulações, o Ramones volta finalmente a pisar em solo verde amarelo, com os últimos shows de toda a carreira. O último show será realizado num estádio na Argentina, com a participação de Iggy Pop e Die Toten Hosen na abertura.

    Aqui no Brasil as datas serão as seguintes: dia 07 de março de 96 no Metropolitan (Rio de Janeiro); dia 09 no Gigantinho, em Porto Alegre; e dias 11, 12 e 13 no Olympia, em São Paulo. Se você perder uma destas datas, só Deus sabe quando poderemos ter o Ramones pisando nos palcos brasileiros novamente.

    Um show do Ramones, além de ser bastante agitado, sem muito tempo para recuperar o fôlego, traz uma enorme alegria ao espírito daquele que acredita que o rock n’ roll é mais do que um estilo musical.

    ramones-1996-metalhead0

    Passagens da banda pelo país:
    1987-01-31 – Palace (Sao Paulo, Brazil) 21:00

    1987-01-31 – Palace (Sao Paulo, Brazil) 23:30
    1 – Durango 95 / 2 – Teenage Lobotomy / 3 – Psycho Therapy / 4 – Blitzkrieg Bop / 5 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio? / 6 – Freak of Nature / 7 – Gimme Gimme Shock Treatment / 8 – Rock ‘N’ Roll High School / 9 – I Wanna Be Sedated / 10 – The KKK Took My Baby Away / 11 – Crummy Stuff / 12 – Loudmouth / 13 – Love Kills / 14 – Sheena is a Punk Rocker / 15 – Glad to See You Go / 16 – I Don’t Care / 17 – Too Tough To Die / 18 – Mama’s Boy / 19 – Animal Boy / 20 – Wart Hog / 21 – Surfin’ Bird / 22 – Cretin Hop / 23 – I Don’t Wanna Walk Around With You / 24 – Today Your Love, Tomorrow The World / 25 – Pinhead

    1987-02-01 – Palace (Sao Paulo, Brazil) 21:00

    1987-02-01 – Palace (Sao Paulo, Brazil) 23:30

    1991-04-30 – Dama XOC (Sao Paulo, Brazil) – abertura Ratos de Porão
    1 – Durango 95 / 2 – Teenage Lobotomy / 3 – Psycho Therapy / 4 – Blitzkrieg Bop / 5 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio? / 6 – I Believe In Miracles / 7 – Gimme Gimme Shock Treatment / 8 – Rock ‘N’ Roll High School / 9 – I Wanna Be Sedated / 10 – The KKK Took My Baby Away / 11 – I Wanna Live / 12 – My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg) / 13 – Commando / 14 – Sheena is a Punk Rocker / 15 – Rockaway Beach / 16 – Pet Sematary / 17 – I Don’t Want You / 18 – Glad to See You Go / 19 – Mama’s Boy / 20 – Animal Boy / 21 – Wart Hog / 22 – Surfin’ Bird / 23 – Cretin Hop / 24 – California Sun / 25 – Today Your Love, Tomorrow The World / 26 – Pinhead / 27 – Chinese Rock / 28 – Somebody Put Something In My Drink / 29 – We’re A Happy Family / 30 – Listen to My Heart / 31 – Havana Affair / 32 – Judy Is A Punk
    1991-04-30 Live Dama XOC (Sao Paulo, Brazil)

    1991-05-01 – Dama XOC (Sao Paulo, Brazil) – abertura Ratos de Porão

    1991-05-02 – Dama XOC (Sao Paulo, Brazil) – abertura Ratos de Porão
    1 – Durango 95 / 2 – Teenage Lobotomy / 3 – Psycho Therapy / 4 – Blitzkrieg Bop / 5 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio? / 6 – I Believe In Miracles / 7 – Gimme Gimme Shock Treatment / 8 – Rock ‘N’ Roll High School / 9 – I Wanna Be Sedated / 10 – The KKK Took My Baby Away / 11 – I Wanna Live / 12 – My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg) / 13 – Commando / 14 – Sheena is a Punk Rocker / 15 – Rockaway Beach / 16 – Pet Sematary / 17 – I Don’t Want You / 18 – Glad to See You Go / 19 – Mama’s Boy / 20 – Animal Boy / 21 – Wart Hog / 22 – Surfin’ Bird / 23 – Cretin Hop / 24 – California Sun / 25 – Today Your Love, Tomorrow The World / 26 – Pinhead / 27 – Chinese Rock / 28 – Somebody Put Something In My Drink / 29 – We’re A Happy Family / 30 – Listen to My Heart / 31 – Havana Affair / 32 – Judy Is A Punk

    1991-05-04 – Gigantinho (Porto Alegre, Brazil)
    01 – The good, the bad, the ugly / 02 – Durango 95 / 03 – Teenage lobotomy / 04 – Psycho therapy / 05 – Blitzkrieg bop / 06 – Do you remember rock n’ roll radio- / 07 – I believe in miracles / 08 – Gimme gimme shock treatment / 09 – Rock n’ roll high school / 10 – I wanna be sedated / 11 – The kkk took my baby away / 12 – I wanna live / 13 – Bonzo goes to bitburg / 14 – Commando / 15 – Sheena is a punk rocker / 16 – Rockaway beach / 17 – Pet sematary / 18 – 53rd & 3rd / 19 – Glad to see you go / 20 – Mama’s boy / 21 – Animal boy / 22 – Wart hog / 23 – Surfin’ bird / 24 – Cretin hop / 25 – California sun / 26 – Today your love, tomorrow the world / 27 – Pinhead / 28 – Crowd / 29 – Chinese rock / 30 – Somebody put something in my drink / 31 – We’re a happy family / 32 – Crowd

    1992-09-01 – Olympia (Sao Paulo, Brazil)

    1992-09-22 – Olympia (Sao Paulo, Brazil)
    1 – Durango 95 / 2 – Teenage Lobotomy / 3 – Psycho Therapy / 4 – Blitzkrieg Bop / 5 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio? / 6 – I Believe In Miracles / 7 – Gimme Gimme Shock Treatment / 8 – Rock ‘N’ Roll High School / 9 – I Wanna Be Sedated / 10 – Censorshit / 11 – I Wanna Live / 12 – My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg) / 13 – Tomorrow She Goes Away / 14 – Sheena is a Punk Rocker / 15 – Rockaway Beach / 16 – Pet Sematary / 17 – I Wanna Be Well / 18 – Glad to See You Go / 19 – Take It As It Comes / 20 – (The Doors cover) / 21 – Somebody Put Something In My Drink / 22 – Animal Boy / 23 – Wart Hog / 24 – Cretin Hop / 25 – Judy Is A Punk / 26 – Today Your Love, Tomorrow The World / 27 – Pinhead / 28 – Do You Wanna Dance? / 29 – (Bobby Freeman cover) / 30 – Chinese Rock / 31 – We’re A Happy Family / 32 – Strength To Endure / 33 – Beat on the Brat / 34 – I Don’t Wanna Go Down to the Basement
    1992-09-22 Live Olympia (Sao Paulo, Brazil)

    1992-09-23 – Canecao (Rio De Janeiro, Brazil)
    01 – the good the bad ant the ugly / 02 – durango 95 / 03 – teenage lobotomy / 04 – psycho therapy / 05 – blitzkrieg bop / 06 – do you remember rock ‘n’ roll radio / 07 – i believe in miracles / 08 – gimme gimme shock treatment / 09 – rock ‘n’ roll high school / 10 – i wanna be sedated / 11 – i wanna live / 12 – bonzo goes to bitburg / 13 – tomorrow she goes away / 14 – sheena is a punk rocker / 15 – rockaway beach / 16 – pet sematary / 17 – i wanna be well / 18 – glad to see you go / 19 – animal boy / 20 – wart hog / 21 – cretin hop / 22 – judy is a punk / 23 – today your love tomorrow the world / 24 – pinhead / 25 – i just wanna have something to do / 26 – chinese rocks / 27 – we’re a happy family / 28 – strenght to endure / 29 – beat on the brat / 30 – i don’t wanna go down to the basement
    canecao

    1994-05-10 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Inocentes
    01 – durango 95 / 02 – teenage Lobotomy / 03 – psycho therapy / 04 – blitzkrieg bop / 05 – rock n’ roll radio / 06 – i believe in miracles / 07 – gimme gimme shock treatment / 08 – rock n’ roll high school / 09 – i wanna be sedated / 10 – have you ever seen the rain / 11 – i wanna live / 12 – bonzo goes to bitburg / 13 – commando / 14 – sheena is a punk rocker / 15 – rockaway beach / 16 – pet cematary / 17 – strength to endure / 18 – journey to the center of the mind / 19 – take as it comes / 20 – sombedoy put something in my drink / 21 – the shape of things to come / 22 – wart hog / 23 – cretin hop / 24 – listen to my heart / 25 – today your love tomorrow the world / 26 – pinhead
    1994-05-10 Sao paulo1994-05-10 Sao paulo 2

    1994-05-11 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Inocentes
    1 – Durango 95 / 2 – Teenage Lobotomy / 3 – Psycho Therapy / 4 – Blitzkrieg Bop / 5 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio? / 6 – I Believe In Miracles / 7 – Gimme Gimme Shock Treatment / 8 – Rock ‘N’ Roll High School / 9 – I Wanna Be Sedated / 10 – Substitute / 11 – I Wanna Live / 12 – My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg) / 13 – Commando / 14 – Sheena is a Punk Rocker / 15 – Rockaway Beach / 16 – Pet Sematary / 17 – Main Man / 18 – Journey To The Center Of The Mind / 19 – Take It As It Comes / 20 – Somebody Put Something In My Drink / 21 – 7 And 7 Is / 22 – Wart Hog / 23 – Cretin Hop / 24 – Listen to My Heart / 25 – Today Your Love, Tomorrow The World / 26 – Pinhead / 27 – My Back Pages / 28 – Poison Heart / 29 – We’re A Happy Family / 30 – The Shape Of Things To Come / 31 – Chinese Rock / 32 – Beat on the Brat

    1994-05-12 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Inocentes

    1994-11-05 – Circo Voador (Rio de Janeiro, Brazil) – abertura Little Quail e Sepultura

    1994-11-06 – Parque da Gameleira (Belo Horizonte, Brazil) – abertura Viper, Overdose e Sepultura

    1994-11-09 – Gigantinho (Porto Alegre, Brazil) – abertura Raimundos e Sepultura
    002
    004009

    1994-11-11 – Pavilhao Santur (Camboriu, Brazil) – abertura Raimundos e Sepultura

    1994-11-12 – Pedreira Paulo Leminski (Curitiba, Brazil) – abertura Viper, Raimundos e Sepultura
    1994-11-12 – Pedreira Paulo Leminski (Curitiba, Brazil)1994-11-12 – Pedreira Paulo Leminski (Curitiba, Brazil) 2

    1996-03-07 – Metropolitan (Rio De Janeiro, Brazil)
    01 – The Good The Bad And The Ugly / 02 – Durango 95-Teenage Lobotomy / 03 – Psycho Therapy / 04 – Blitzkrieg Bop / 05 – Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio / 06 – I Believe In Miracles / 07 – Gimme Gimme Shock Treatment / 08 – Rock ‘N’ Roll High School / 09 – I Wanna Be Sedated / 10 – Spiderman / 11 – The KKK Took My Baby Away / 12 – I Don’t Want To Grow Up / 13 – Have You Ever Seen The Rain / 14 – Sheena Is A Punk Rocker / 15 – Rockaway Beach / 16 – Pet Sematary / 17 – Strenght To Endure / 18 – Cretin Family / 19 – Do You Wanna Dance / 20 – Somebody Put Something In My Drink / 21 – California Sun / 22 – Wart Hog / 23 – Cretin Hop / 24 – R.A.M.O.N.E.S / 25 – Today Your Love Tomorrow The World / 26 – Pinhead / 27 – The Crusher / 28 – Poison Heart / 29- We’re A Happy Family / 30 – My Back Pages / 31 – Chinese Rocks / 32 – Beat On The Brat
    1996-03-07 – Metropolitan (Rio De Janeiro, Brazil) 2

    1996-03-08 – La Boom (Mogi das Cruzes, Brazil)
    1996-03-08 – La Boom (Mogi das Cruzes, Brazil)

    1996-03-09 – Gigantinho (Porto Alegre, Brazil) (cancelado)

    1996-03-10 – Clube Atletico Aramaçan (Santo Andre, Brazil)
    1996-03-10 – Clube Atletico Aramaçan (Santo Andre, Brazil)

    1996-03-11 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Psycho 69
    01 – The Good The Bad And The Ugly / 02 – Durango 95 / 03 – Teenage Lobotomy / 04 – Psycho Therapy / 05 – Blitzkrieg Bop / 06 – Do Your Remember Rock ‘N’ Roll Radio / 07 – I Believe In Miracles / 08 – Gimme Gimme Shock Treatment / 09 – Rock ‘N’ Roll High School / 10 – I Wanna Be Sedated / 11 – Spiderman / 12 – The KKK Took My Baby Away / 13 – I Don’t Want To Grow Up / 14 – Have You Ever Seen The Rain / 15 – Sheena Is A Punk Rocker / 16 – Rockaway Beach / 17 – Pet Sematary / 18 – Main Man / 19 – Cretin Family / 20 – Do You Wanna Dance / 21 – Somebody Put Something In My Drink / 22 – Havana Affair / 23 – Wart Hog / 24 – Cretin Hop / 25 – R.A.M.O.N.E.S / 26 – Today Your Love Tomorrow The World / 27 – Pinhead / 28 – The Crusher / 29 – Poison Heart / 30 – Surfin’ Bird / 31 – My Back Pages / 32 – Chinese Rocks / 33 – Beat On The Brat
    1994-05-11 – Olympia (Sao Paulo, Brazil)

    1996-03-12 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Psycho 69
    1996-03-12 Live Olympia (Sao Paulo, Brazil)

    1996-03-13 – Olympia (Sao Paulo, Brazil) – abertura Psycho 69
    01 – The Good The Bad And The Ugly / 02 – Durango 95 / 03 – Teenage Lobotomy / 04 – Psycho Therapy / 05 – Blitzkrieg Bop / 06 – Do Your Remember Rock ‘N’ Roll Radio / 07 – I Believe In Miracles / 08 – Gimme Gimme Shock Treatment / 09 – Rock ‘N’ Roll High School / 10 – I Wanna Be Sedated / 11 – Spiderman / 12 – The KKK Took My Baby Away / 13 – I Don’t Want To Grow Up / 14 – Have You Ever Seen The Rain / 15 – Sheena Is A Punk Rocker / 16 – Rockaway Beach / 17 – Pet Sematary / 18 – Main Man / 19 – Cretin Family / 20 – Do You Wanna Dance / 21 – Somebody Put Something In My Drink / 22 – Havana Affair / 23 – Wart Hog / 24 – Cretin Hop / 25 – R.A.M.O.N.E.S / 26 – Today Your Love Tomorrow The World / 27 – Pinhead / 28 – The Crusher / 29 – Poison Heart / 30 – Surfin’ Bird / 31 – My Back Pages / 32 – Chinese Rocks / 33 – Beat On The Brat

    • imagens extraídas da web; revista Metal Head Especial nº 11; blog ligadoamusica.blogspot.com; jornal Zero Hora, revista Top Rock e imagens gentilmente cedidas por Ricardo Menin (show em Porto Alegre, 9/11/1994), Marcus Pádula (shows em São Paulo) e Andy Ramone (show de Mogi das Cruzes).
     
    • Pablo 12:24 em 19/09/2011 Link Permanente | Resposta

      O show de Porto Alegre em 1996, foi cancelado.

      • carames 15:50 em 19/09/2011 Link Permanente | Resposta

        blz Pablo. valeu pela dica, aos poucos vou deixando a lista mais fiel à realidade.

        • Andy Ramone 14:33 em 28/06/2013 Link Permanente

          Cara, eu tenho o convite original do show do Ramones em Mogi das Cruzes/SP, no dia 08 de Março de 1996! Será q vc não queria q eu te mandasse a imagem pra publicar aqui?
          Abração! Ramones Forever!

        • carames 16:42 em 28/06/2013 Link Permanente

          Excelente!! fico no aguardo. vai c da hora.

    • Ricardo 2:02 em 17/05/2012 Link Permanente | Resposta

      Fui no show em Mogi das Cruzes,demais,inesquecivel

    • carames 15:18 em 18/08/2012 Link Permanente | Resposta

    • wagner 20:17 em 12/09/2012 Link Permanente | Resposta

      parabens rapaziada, estava no you tube vendo ums pedaco de shows do Ramones e navegando na internet, me lembrei do ano em que os Ramones tocara no club Atletico ARAMACAM em Santo Andre em 1996, que show….., como diz um ditado popupar, que tempos bons que nao voltam nunca mais.

      hey ho let’s go.

      • carames 23:51 em 12/09/2012 Link Permanente | Resposta

        é verdade, mas se não voltam, ao menos dá pra ter um revival com os shows do CJ na próxima semana. GABBA GABBA HEY!

    • Daninho Ramone 19:57 em 06/01/2013 Link Permanente | Resposta

      Muito legal esta compilação. Fui nos shows em 92, 94 e 96 em SP e estava procurando algum site para relembrar as músicas.
      Hey ho! Let´s go!

      • carames 10:34 em 07/01/2013 Link Permanente | Resposta

        infelizmente só assisti eles já em carreira solo. valeu pela visita!!

    • Andy Ramone 14:32 em 28/06/2013 Link Permanente | Resposta

      Cara, eu tenho o convite original do show do Ramones em Mogi das Cruzes/SP, no dia 08 de Março de 1996! Será q vc não queria q eu te mandasse a imagem pra publicar aqui?
      Abração! Ramones Forever!

    • André 2:27 em 07/08/2013 Link Permanente | Resposta

      PARABÉNS DEMAIS PELA MATERIA!!!
      Estava procurando algo para lembrar como foi o show de 94 em Belo Horizonte que eu fui, acabei encontrando toda uma história da banda pelo Brasil.

      Obrigado ae!

    • carames 14:11 em 20/08/2013 Link Permanente | Resposta

    • Daniel 1:26 em 22/09/2013 Link Permanente | Resposta

      Muito legal.
      Quase chorei agora, pois tenho os recortes de jornal da epoca e meus ingressos guardados.
      Gabba gabba hey!

    • Anne Ramone 21:49 em 19/12/2013 Link Permanente | Resposta

      Eu comprei ingresso pra 11/05/94 no Olympia, mas é claro que eu cheguei lá dia 10/05, curti tudo do lado de fora, dormimos na fila e entramos no dia 11… foram os dois dias mais felizes da minha vida….depois em 96 eu marquei toca, eles tocaram no Aramaçan em Santo André, do lado da minha cidade , fica a meia hora da minha casa e eu só fui na porta porque os ingressos esgotaram e eu só consegui a grana em cima da hora! :(…. achei que Ramones ia durar pra sempre, depois disso eles nunca mais tocaram em terra brasilis….snif snif

      • carames 2:18 em 20/12/2013 Link Permanente | Resposta

        pô, mas um show já tá d bom tamanho… imagina eu que só vi eles depois em carreira solo 😦

    • jason 19:04 em 24/06/2016 Link Permanente | Resposta

      Quem fez a segurança dos ramones no olympia na epoca que o senna morreu foi os carecas do suburbio

    • Luiz 3:56 em 08/07/2016 Link Permanente | Resposta

      Eu estive no Palace em 1987. Na época rolou um boato que os carecas tinham ido até o Ibirapuera durante o dia e feito um quebra quebra, por isso o show foi pro Palace. Tinha um esquema de segurança forte pra entrar, senão me engano era feito pela pm. Quanto ao show, porrada pura com os Ramones emendando uma música na outra, sem 1 segundo de descanso, tocando tudo…

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: