Marcado como: ramones tributo Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 23:59 em 04/11/2016 Link Permanente | Resposta
    Tags: , gabriel freitas, , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Gabriel Freitas, ramones collector 

    gabriel-freitas-3
    O jovem Gabriel Freitas nem era nascido quando os Ramones encerraram as atividades da banda em 1996. No entanto, faz jus ao título desta sessão e mantém o legado da banda vivo.

    Além de colecionar discos do quarteto ele também faz parte da banda Ramones B-Sides que presta um tributo aos outsiders do Queens.

    Confira abaixo um bate-papo franco e direto:

    Sequela Coletiva: Como você conheceu a banda?
    Gabriel Freitas: Com o filme ” Pet Sematary “, adorei a trilha sonora nos créditos e corri atras pra saber quem tinha escrito ela (1° louco a curtir a banda por causa da pessoa q escreve a letra)

    gabriel-freitas-8

    Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    O primeiro que comprei foi o Brain Drain, mas antes tinha ganhado o Rocket to Russia de um amigo

    Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    Possuo todos os álbuns de estúdio e um single (Rockway Beach/Locket Love)

    gabriel-freitas-6

    Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    Financeiro foi o Adios Amigos Nacional. O Sentimental Halfway to Sanity

    gabriel-freitas-7

    Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    Apenas que trate minhas coisas com o maior zelo possivel

    Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    Apenas nos Álbuns oficiais (Estúdio e ao vivo) quem sabe mais pra frente em singles e bootlegs

    gabriel-freitas-2

    Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    Sisters of Mercy

    Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    Difícil escolher um… Mas escolheria o Halfway to Sanity, devido ao seu teor underground e mais obscuro

    gabriel-freitas-1

    Você toca algum instrumento? Quais?
    Sim! Toco guitarra e baixo, não tão bem, mas procuro sempre evoluir

    gabriel-freitas-9

    Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    Os álbuns ao vivo, necessito tê-los, principalmente o Greatest Hits Live!

    Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    Eles me mostraram que mesmo sendo um “estranho” no meio dessa sociedade, podemos dar a volta por cima e conseguir seu devido reconhecimento

    gabriel-freitas-4

    Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    Devido a luta que eles tiveram para ser uma banda de sucesso, as intrigas que Joey e Johnny tiveram entre eles até o fim da banda, Cara, o resumo é por eles terem sido os RAMONES

    Qual seu ramone preferido, por quê?
    Johnny Ramone, pela sua atitude de militar sobre a banda

    gabriel-freitas-5

    Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    Infelizmente não os vi, não havia nascido quando eles acabaram a banda… (Sou de 1997)

    • crédito das fotos: acervo pessoal de Gabriel Freitas.
     
  • carames 18:10 em 04/10/2016 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , , , , , ramones tributo, , ,   

    Rock n’ Roll High School parte 4: We’re Outta Here (discos solo) 

    14459779_1267259963292857_651256625_n

    Nesta vida, mais cedo ou mais tarde, tudo finda. Os séculos terminam, as bandas acabam e as pessoas morrem. Adios, amigos! Vide os ícones novaiorquinos do punk rock, os Ramones: colocaram um ponto final na carreira em 1996, com mais de três décadas, 14 discos de estúdio e 2263 shows no currículo. Mas o encerramento das atividades foi só o primeiro capítulo do verdadeiro “we’re outta here” que viria na sequência, com a morte de todos os integrantes da formação original. Here today, gone tomorrow! Não havia mais milagres para acreditar. Só que o quarteto quer viver, e faz isso por meio de sua obra e dos fãs que tiveram corações envenenados pelas canções contagiantes que criaram. We can’t get you otta our minds, fast four!

    É por isso que recordaremos o legado ramônico, também em pique de despedida, em 8 de outubro (data do aniversário de Johnny e CJ), no Mondo Cane (Rua João Alfredo, 325). Será durante o quarto e derradeiro Rock’N’Roll High School, ciclo de encontros iniciado em 2013 para homenagear a banda que eternizou o ‘one, two, three, four’. A edição final do evento terá foco na carreira solo dos músicos que adotaram o Ramone em suas alcunhas artísticas.

    Como de costume, rolarão debates, músicas, vídeos, raridades, exposição de material e curiosidades. Participe! We accept you one of us!

    Page do evento: Facebook
    ramones_four
    14442579_1267259973292856_426748489_n

     
  • carames 10:00 em 11/04/2015 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , ramones tributo, sapo ramone   

    Mantendo o legado – Sapo Ramone, ramones collector 

    sapo ramone (7)
    Abaixo você confere uma conversa com Sapo Ramone, um dos principais colecionadores argentinos de material relacionado à banda. Nas fotos ele aparece ao lado de ninguém menos que John Holmstrom, Monte Melnick, Bob Gruen, Linda Ramone, Roberta Bayley e Marky Ramone.

    Como você conheceu a banda?
    Conheci a banda no começo de 1991 através de um colega na escola quando eu tinha 12 anos de idade. Ele era fã e me mostrou algumas músicas como I wanna be sedated, Rockaway Beach e não gostei de Ramones (!). Em princípio achei que a banda tocava cumbia ou algo assim a julgar pelo nome, mas ele insistiu muito. Música a música todo o tempo que estávamos juntos na escola até o dia em que ele tocou Sheena is a Punk Rocker e virou amor que dura até hoje.

    Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    O primeiro disco oficial que comprei foi a K7 de Loco Live, o primeiro CD foi Mondo Bizarro, meu primeiro LP foi Road to Ruin.
    Meus primeiríssimos discos foram em K7 (TDK e SONY) copiadas dos cds All the stuff (and more) vol.2 e Ramones Mania… você pode imaginar minha cara na primeira reprodução da minha fita de “Loco live” nova em folha, que choque! Eles tocavam tão rápido as música que eu conhecia! Mas amei.

    sapo ramone (3)

    Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    Acredito que minha coleção esteja numa escala intermediária em nível mundial. Me atrevo a pensar que a minha é a maior na área de Rosario/Santa Fe (Argentina). Mas não é uma competição ou não vejo desta forma.

    Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    Tenho dois objetos que amo, o cd que começou tudo para mim: “all the stuff (and more) vol 2” onde ouvi “Sheena” pela primeira vez e caí de amores pela banda. Meu amigo Matias (r.i.p.) que me apresentou a banda. Ele me deu o cd como presente de aniversário, este cd não tem um valor financeiro para mim.
    O segundo objeto é uma palheta do Johnny de um show em 1991, sem preço também.

    sapo ramone (6)

    Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    Devo admitir que não gosto que as pessoas manipulem minhas coisas sem o devido respeito a um objeto que durou mais de 35 anos em alguns casos.

    Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    Só coleciono material oficial (de Ramones à carreira solo dos membros pré ou posterior a banda). Apenas para definir um limite e não acabar com minhas economias. Assim minha esposa também não me mata, obviamente se tenho acesso a algum material não oficial ou bootleg é bem-vindo, mas não perco o sono por isto…
    Gosto de colecionar singles em 7″. Como disse, apenas como forma de ter um limite, amo memorabilia e conservá-la enquadrada. Tenho várias revistas da era de ouro dos Ramones na Argentina (de 1991 a 1997 aproximadamente) mas não coleciono recortes de revistas.
    Amo Ramones e música em geral, acho que meus cds e minhas coisas ligadas à música serão meu legado para meu futuro filho e irão apresentar ele/ela aos Ramones.

    sapo ramone (2)

    Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    Gosto de ter discografias completas em cd: Beatles, Iggy Pop, Motorhead, Bad Religion, Metallica, Megadeth, Green Day, Pantera, Iron Maiden e outros tantos. Como disse, quero deixar algum tipo de legado musical como educação.

    Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    Definitivamente “Road to ruin” é meu disco favorito. Tem todos os estilos de música dos Ramones: rápida, lenta e o meio termo. Mudanças rápidas de acorde, letras loucas, divertidas, canções de amor e existencialistas (tudo no estilo Ramone). Amo cada disco que os Ramones fizeram, todos tem sua beleza e eu não poderia escolher uma música como favorita, é uma questão de momento.

    sapo ramone (1)

    Você toca algum instrumento? Quais?
    Toco bateria, guitarra, um pouco de baixo e um pouquinho de piano. Não sou realmente bom em nenhum deles mas consigo tocar qualquer música da banda na guitarra se me pedirem. Obrigado Johnny!!

    Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    Gostaria de encontrar o primeiro single (“Blitzkrieg bop/ Havana affair”) em vinil. Este é difícil de achar e os correios na Argentina tornam um pouco mais duro ao comprar de fora do país pois eles quebram, perdem ou roubam a maioria das coisas que compramos… É muito triste e este item já é caro.

    sapo ramone (4)

    Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    Considero eles como parte da minha família, sempre desejei o melhor a eles. Todos na banda tem uma grande personalidade e algo a ensinar, para o bem ou para o mal. Eles foram boas pessoas e sempre achei que eles tinham um bom modelo de regras para um adolescente que quer ter um ídolo, eles eram pessoas de verdade e não estrelas do rock e a coisa mais importante é que eles me deram uma válvula de escape, me deram satisfação e companhia quando precisei… É importante saber que tenho estas três coisas ao apertar o play… não tem preço.

    Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    Os Ramones e sua música representam uma válvula de escape, um tipo de felicidade, meu lugar no mundo… os Ramones foram a maneira com que conheci a maioria dos meus melhores amigos… Sinto como se devesse a eles o escape, a alegria, meus melhores amigos e meu lugar no mundo…

    sapo ramone (5)

    Qual seu ramone preferido, por quê?
    Johnny Ramone é definitivamente meu favorito. Sua teimosia foi o que fez com que a banda continuasse apesar de tudo, sem ele a banda teria acabado no começo dos anos 1980. Infelizmente para o resto da banda, ele só sabia fazer as coisas de uma formar, militarmente
    Era seu jeito de ser profissional, ou o mais próximo disto.
    Musicalmente, amo seu jeito de tocar e sua marca na história da música. Ele é um dos que levou a guitarra de volta a garotos sem experiência que procuram diversão, roubando dos deuses de 6 cordas, que costumavam considerá-los nerds.

    Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    Vi a banda ao vivo 4 vezes e ainda mantenho a experiência em meus ouvidos e meu coração, obrigado Deus!
    Vi eles em Buenos Aires no estádio do Velez Sarsfield com abertura do Motorhead em 14 de maio de 1994. Mais tarde no mesmo ano, na tour Acid Chaos em Rosario, minha cidade natal (300kms de Buenos Aires) em 16 de novembro de 1994. Em Buenos Aires no estádio Obras Sanitarias em 7 de outubro de 1995 e no último show fora dos Estados Unidos no estádio do River Plate em 16 de março de 1996 com Die Toten Hosen e Iggy Pop abrindo. Foi como um choque elétrico, nunca senti nada como isto com música antes ou depois dos Ramones, foi felicidade em estado bruto.

    sapo ramone (8)

     
  • carames 10:00 em 15/07/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , ramones tributo, ,   

    Ouvir Ramones é como tomar pancada na cabeça – e nós agradecemos por isso 

    ramones-ramonescd2001 (1)

    Com a morte de Tommy Ramone, o mundo diz adeus ao quarteto original que transformou o rock
    por PEDRO ANTUNES

    Publicado em RS

    Lembra-se da primeira vez que “Blitzkrieg Bop” tocou no rádio, no toca-fitas, no vinil, no CD ou, dependendo da sua idade, no aparelho de MP3? O que aqueles gritos selvagens de “hey ho, let’s go” diziam vão além do que a pequena canção de pouco mais de dois minutos de duração poderia sugerir. A primeira faixa de Ramones, disco de estreia do quarteto mais veloz que Nova York havia conhecido até aquele ano de 1976, é a “aula magna” para todo jovem interessado em punk e, até mesmo, no rock em geral.

    Nesta sexta-feira, 11, às vésperas de mais um Dia do Rock, perdemos o último dos Ramones fundadores. Tommy Edérly se juntou aos jovens John “Johnny” Cummings, Douglas “Dee Dee” Colvin e Jeffrey “Joey” Hyman apenas como uma solução paliativa, afinal, o trio de amigos não havia encontrado ninguém veloz o suficiente com as baquetas para acompanhá-los. Ficou no posto, no banquinho sentado atrás do kit de bateria, até 1978, com três discos de estúdio e um ao vivo, quando assumiu a posição de empresário e produtor e deixou a vaga para Marc Bell (Marky Ramone).

    A despedida de Tommy coloca um ponto final na história do quarteto original dos Ramones. Uma trajetória cheia de altos e baixos, drogas, álcool e brigas escandalosas, mas suficiente para deixar um rastro indelével na história do rock and roll. Se em Nova York, a cena do que hoje conhecemos como punk já existia no submundo, nas casas de show imundas e pequenas como CBGB, os Ramones exportaram a máxima “velocidade em vez de técnica” para o mundo. E Tommy foi o responsável por fazer disso uma realidade, ao aceitar assumir a bateria enquanto Joey tornava-se o vocalista.

    Tommy Ramone não era bem um Ramone no sentido mais selvagem que o sobrenome pode ter. Não era um grande fã de doses cavalares de drogas e álcool, como Dee Dee, Joey e Johnny, mas foi fundamental na história do rock ao lado do trio. Era o dono dos créditos de composição da faixa inaugural do disco de estreia dos Ramones – mas foi Dee Dee quem sugeriu o nome, “Blitzkrieg Bop”. Também assinou “I Wanna Be Your Boyfriend”, uma sátira às canções pop de amor que inundavam as paradas e as rádios naquela segunda metade da década de 1970.

    Mas voltemos à “Blitzkrieg Bop”. Por quê? Simplesmente porque a música em questão representa o melhor que Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy eram capazes de fazer. Explosiva, veloz e extremamente viciante. Dois minutos e treze segundos que sintetizam tudo que os Ramones viriam a fazer de melhor nas décadas seguintes, com energia pulsante, com Johnny e Dee Dee esmigalhando guitarra e baixo enquanto Joey se esgoelava ao microfone.

    Se qualquer garoto adolescente ouve “Blitzkrieg Bop”, toda a percepção dele do que é música transforma-se completamente. Por isso a pergunta logo na abertura deste texto: lembra-se de quando ouviu a faixa pela primeira vez? Eu, certamente – e peço licença para partilhar um pouco da experiência.

    Era um jovenzinho de uns 15 anos que achava que já sabia tudo da vida, com aquela prepotência e certeza que só a adolescência é capaz de lhe dar. “Blitzkrieg Bop” estava em uma fita cassete que já não me recordo como foi parar nas minhas mãos. Mas me lembro de apertar o “play”, voltar a cassete, apertar o play de novo, umas dezenas de vezes. Lembro-me de pular com a euforia punk correndo nas veias como uma droga injetável. Lembro-me de colocá-la no setlist do primeiro show da banda formada com os amigos do colégio. Lembro-me de gritar “hey ho, let’s go” ao microfone no muquifo onde tocamos. Lembro-me de ver a plateia formada por gente do colégio, e só por eles, é claro, pular junto. Lembro-me bem daqueles dois minutos e treze segundos (um pouco mais, ou um pouco menos, nosso baterista nunca acertava o tempo da batida de Tommy). Foram ótimos dois minutos e sabe-se lá quantos segundos.

    Não, não espero aqui comparar a faixa com qualquer outra de Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd, Jimi Hendrix, Led Zeppelin e outros titãs do rock capazes de expandir nossa consciência e nos fazer viajar para outras dimensões. Mas todos passamos por uma fase na vida em que tudo o que queremos – ou precisamos – é uma pancada na cabeça. E é isso que “Blitzkrieg Bop” e os Ramones proporcionaram e ainda proporcionam. Obrigado Joey, Johnny, Dee Dee e, agora, Tommy.

     
  • carames 10:00 em 28/06/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , No Tomorrow Records, , , , , ramones tributo, , The Bowery Electric, , Tribute to Joey Ramone   

    Compacto/CD – VA: The Bowery Electric A Tribute to Joey Ramone 2004 

    TheBoweryElectricATributetoJoeyRamoneF
    Com a morte de três dos quatro integrantes originais (Joey, Dee Dee e Johnny) sobrou para os Ramones remanescentes administrar a expectativa dos fãs de algum projeto conjunto nos moldes do que ocorrera no final dos anos 1990 quando Marky e Dee Dee se reuniram para alguns shows sob o nome de The Ramainz.

    CJ e Richie integraram a banda em fases distintas mas tocaram juntos recentemente. Apesar disto, Marky já declarou que não tem o menor interesse em se reunir com os demais já que se considera o único em condições de tocar o legado da banda adiante.

    No entanto, The Bowery Electric A Tribute to Joey Ramone, lançado em 1º de maio de 2004 como tributo a Joey serve como registro de um momento único. Arturo Vega, mentor de toda concepção artística da banda foi produtor executivo deste encontro.

    As duas sessões em março de 2002 tiveram Daniel Rey (produtor de Halfway to Sanity e Adios Amigos além de diversos projetos solo dos ex-integrantes) na guitarra, Tommy (baterista nos três primeiros discos e produtor de Ramones, Rocket to Russia, Road to Ruin e Too Tough to Die) na percussão além de Marky na bateria e CJ no baixo e vocais de Jed Davis.

    Foi a primeira vez que Tommy e CJ tocaram juntos – o primeiro deixou a banda em 1978 e o segundo só ingressou em 1989. Apesar de ter produzido Marky no já citado Road to Ruin, foi a primeira vez que Tommy tocou com seu sucessor.

    No EP (pink e azul com tiragem de 500 cópias em cada cor) três canções: no lado A em 33RPM o registro dos ex-ramones sob o nome de The Bowery Electric Crew e Going Places com a música Never Forget. No lado B, em 45RPM, Suzy & Los Quattro com I’m Not Glad To See You Go presta sua homenagem a Dee Dee.

    A versão em cd repetia estas três acrescidas de outras três músicas (entre elas, Why, presente no LP que CJ lançou com sua banda Bad Chopper).

    Como diz a letra de Jed Davis, i put my headphones on and you are never really gone.

    Ficha Técnica:
    No Tomorrow Records – produzido por Tommy Ramone e Arturo Vega

    Daniel Rey – guitarra
    CJ Ramone – baixo
    Marky Ramone – bateria
    Tommy Ramone – percussão
    Jed Davis – teclados e vocal

    Tracklist EP:
    A1 The Bowery Electric (The Bowery Electric Crew)
    A2 Never Forget (Goin’ Places)
    B1 I’m Not Glad To See You Go (Suzy & Los Quattro)

    Tracklist CD:
    01 The Bowery Electric (The Bowery Electric Crew)
    02 Never Forget (Goin’ Places)
    03 I’m Not Glad To See You Go (Suzy & Los Quattro)
    04 Joey’s Song (The Kowalkis)
    05 I Don’t Wanna be a Schnook (Mensch)
    06 Why Why Why Why Why Why? (Bad Chopper)
    VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (5)VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (6)
    VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (7)VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (8)
    VA - 2004 - The Bowery Electric  Tribute To Joey Ramone (7)VA - 2004 - The Bowery Electric  Tribute To Joey Ramone (8)
    VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (4)VA - 2004 - The Bowery Electric A Tribute To Joey Ramone (1)

     
  • carames 10:00 em 21/06/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , bossa n' ramones, bossa nova, , , PMB Music, , , , ramones tributo,   

    CD – VA: Bossa n’ Ramones 2008 

    Ramones - 2008 Bossa N' Ramones
    Projeto bem bacana que transpõe clássicos dos Ramones em versão eletrônica de bossa e mambo pela visão de vários artistas. Lançado em 10 de junho de 2008 pelo selo argentino PMB, o disco compõe uma série que inclui ainda tributo a outros artistas como Bob Marley, Rolling Stones e Guns n’ Roses.

    De cara Here Today, Gone Tomorrow dá o recado em tom intimista e já na sequência tem I Wanna Be Your Boyfriend. Poison Heart é a mais irreconhecível delas, embora este não seja um disco de baladas. Leve em conta ainda Beat on the Brat, Pet Sematary e Blitzkrieg Bop.

    De quebra, a última faixa com 30 minutos de duração tem escondida uma vinheta voz/violão da já citada Poison Heart. Bem provável que fãs mais radicais não curtam o resultado mas o tratamento em nada desrespeita a obra dos padrinhos do punk.

    Ficha Técnica:
    Music Brokers

    Tracklist:
    01 “Intro” – 1:55
    02 “Here Today, Gone Tomorrow” (Currie) – 3:29
    03 “I Wanna Be Your Boyfriend” (Amazonics) – 2:46
    04 “I Just Want to Have Something to Do” (Bowie) – 2:40
    05 “She’s a Sensation” (Brazil Twenty One, Costa) – 3:57
    06 “Poison Heart” (Monasterio) – 4:32
    07 “Beat On the Brat” (Digitalistas) – 4:08
    08 “I Wanna Be Sedated” (Groove Da Praia) – 3:56
    09 “Sheena Is a Punk Rocker” (Luana, Sixth Finger) – 3:21
    10 “Rockaway Beach” (DJ Leao, Renoir) – 3:37
    11 “Pet Sematary” (Gate) – 4:15
    12 “Blitzkrieg Bop” (Chepito, Glambeats Corp.) – 3:59
    13 “The KKK Took My Baby Away” (United Rhythms of Brazil) – 3:33
    14 “Outro” – 30:46
    Ramones - 2008 Bossa N' Ramones (4)
    Ramones - 2008 Bossa N' Ramones (5)
    Ramones - 2008 Bossa N' Ramones (3)


     
  • carames 10:00 em 20/05/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Helio Volpato, , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Helio Volpato, ramones collector 

    helio volpato (10)
    Helio Volpato, 38 anos, casado, um filho, cirurgião-dentista, de Maringá-PR.

    Como você conheceu a banda?
    Em 1989 com o vinil Ramonesmania dum amigo mas a paixão surgiu com o Loco Live, pirei quando ouvi, ele era importado dos EUA, gravei dum camarada e depois de algum tempo acabei comprando dele.

    Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    Na verdade, foram 2 discos de uma vez, Rocket to Russia e Road to Ruin, ambos em vinil

    helio volpato (2)

    Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    Não acho meu acervo tão grande não, tenho em torno de 120 cd’s, 100 LP’s e 12”, 70 7”, 03 box sets, 05 dvd’s, 12 livros, 13 press kits, inúmeras revistas e flyers, ingressos dos shows que fui, perto de 450 bootlegs sendo 17 deles originais, alguns Pass, um par de baquetas que ganhei do Richie no show do Rio de Janeiro e alguma outra coisa que com certeza estou deixando passar.

    Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    Preço é complicado de estipular mas acho que é um vinil do primeiro disco prensado em Taiwan.
    Ah, a caixa End Of The Decade foi o que paguei mais caro pois quando comprei, em 2004, o dólar estava mais de 3 reais e a receita ainda pegou, me lasquei.

    helio volpato (8)

    Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    Não, apenas procuro pegar itens na melhor condição possível, mas pela idade deles e pela raridade às vezes tenho que me contentar com algo não tão bom assim.

    Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    Inicialmente saia comprando qualquer item, mas depois de um tempo percebi que não completava nada, aí comecei a ter foco, objetivo, e fui atrás dos singles e promocionais de 12 polegadas até completar, depois fui atrás dos cd’s singles e quando achava que completava eis que mais um outro surgia kkkkkkkk, aí larguei mão e atualmente ando comprando press kits.

    helio volpato (6)

    Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    Coleção como a do Ramones não tem nenhuma outra, mas sempre faço questão de comprar os discos (LP ou CD) das bandas que curto, depende da época resolvo que vou completar a discografia de determinada banda aí saio atrás dos discos dela. Atualmente estou querendo fechar o Riverdales em vinil, mas os bichinhos tão caros.

    Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    Uia, que difícil! Adoro o primeiro, é o clássico dos clássicos, depois dele gosto dos mais HC com o Richie.

    helio volpato (5)

    Você toca algum instrumento? Quais?
    Não toco nada

    Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    O primeiro single inglês, Blitzkreig Bop, com capa original. Esse sempre aparece, mas é beeeem caro, mas já já ele pinta na coleção.

    helio volpato (4)

    Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    Com a banda me aprofundei no punk rock que, através de suas temáticas, acredito ter ajudado no meu modo de pensar. O Ramones me fez conhecer pessoas muito bacanas, algumas se tornaram amigas de verdade, e também pude ir a lugares muito legais também. Com eles o rock’n’roll se tornou meu passatempo predileto, eles estão me acompanhando a maior parte da minha vida e não tem uma semana em que eu não os escute.

    Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    A coleção foi conseqüência da paixão! Acho o som deles único, não teve nem terá algo semelhante, nem eles próprios em separado conseguiram reproduzir o que faziam em conjunto. Fora os álbuns lançados, minha coleção começou quando me interessei por booltegs entre 93 e 94 e saia comprando todos que via pela frente.

    helio volpato (7)

    Qual seu ramone preferido, por quê?
    Sempre achei o Dee Dee o mais foda, ele é O cara, é o mais louco, é o mais punk, as letras dele são as melhores, uma pena eu nunca ter podido vê-lo ao vivo.

    Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    1994 – São Paulo
    A primeira vez que vi os caras ao vivo foi demais! Senti um lance muito bom, adrenalina louca, não acreditava no que estava vendo. Conseguimos chegar até a grade em frente ao CJ depois ficamos o resto do show em frente ao Joey, me surpreendi com Go Mental pois não esperava que eles tocassem e o ponto baixo foi a parte do set em que eles costumavam tocar animal boy e que não tocavam mais a partir de 94. Lembro ainda que eu e meu amigo Hugo estávamos lá esperando o início do show aí duas garotas chegaram em nós mas demos o fora nelas pois havíamos viajado 620 km pra ver o Ramones huahauhuah tem amigo que me chama de veado até hoje por causa disso. A abertura ficou por conta do Inocentes e essa também foi a primeira vez que os vi ao vivo.

    1994 – Curitiba
    Nesse show fomos num bando de gente, a cavalaria da polícia militar desceu o cacete em todo mundo, alguns dizem que o público foi de 25 mil pessoas e outros dizem 45 mil, que eu acho o mais certo. Foi um dos shows da Acid Chaos Tour junto com o Sepultura, que pude ver pela primeira vez. No meio do show do Sepultura a energia de parte do palco caiu pois estávamos sob um tremenda tempestade, o chão do local, que era a céu aberto, estava alagado, depois de um tempão o Ramones entrou ainda sob chuva, o show foi memorável pelo tanto de gente mas o som não tava lá essas coisas devido a chuva.

    1996 – São Paulo
    Esse show foi especial, era a última vez dos caras por aqui, eu peguei meus primeiros autógrafos nele, quer dizer, comprei na banquinha no hall de entrada do Olympia, haviam 8 fotos e eu consegui pegar a última. Dessa vez fiquei em frente ao Johnny e pude ver como o cara tava véinho. A apresentação foi a de sempre, como todos nós fã sabemos, mas na última canção o pano de fundo com a águia foi sendo substituído por outro que descia com os dizeres Adios Amigos, aquilo foi foda, o Joey se despediu e o publicou ficou um tempão aplaudindo a banda e nessa hora, vou te confessar, meus olhos se encheram d´água, inesquecível.

    • crédito das fotos: acervo pessoal de Helio Volpato.

    Colaboração de Homero Pivotto Jr.

     
  • carames 10:00 em 29/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: alex ramone, alexandre peto, , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Alexandre Peto, ramones collector 

    alex ramone collector
    Quem é Alex Ramone?
    Me chamo Alexandre Peto, tenho 39 anos, sou casado há 14 anos. Minha profissão é Analista de Risco, formação Adm. de Empresas, moro em São Paulo (Bairro da Freguesia do Ó).

    Como você conheceu a banda?
    Havia uma balada que eu freqüentava em meados de 90/91 na Av. Braz leme (no bairro de Santana/SP) chamada (Vênus) na qual só tocavam rock. Porém dos Ramones tocavam apenas Pet Sematary e Surfin’ Bird……..mas foi o suficiente. Mas gostaria de abrir um parenteses aqui, pois meu amigo Douglas Hipollito é um dos responsáveis por essa minha paixão ela banda, pois ele tinha uma loja na Galeria do Rock especializada em Ramones, a loja se chamava Beatmones (era um fã Clube de Beatles e de Ramones), e foi onde eu conheci tudo de Ramones.
    alex ramone collector (3)

    Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    Brain Drain e simultaneamente o Rocket to Rússia.

    Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    Não tenho números exatos, mas é bem grande e com itens raros, eu coleciono apenas RAMONES, não coleciono a carreira solo dos demais integrantes (ex-integrantes).
    alex ramone collector (7)

    Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    Eu acredito que seja minha guitarra, mas o valor é sentimental.

    Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    Sim…Sou muito organizado. Por exemplo todos meus livros são guardados em sacos plásticos. Minhas matérias de revistas são arquivadas em pastas, as Revistas maiores são guardadas em plástico bolha. Quanto aos LPs de tempo em tempo eu troco os plásticos e compro aquele papel de seda para o vinil. Os cds estão com o plástico original e os DVDs e Fitas K7 são bem guardados para preservar a boa conservação. Obs. e de tempo em tempo eu faço uma boa limpeza em tudo, pois não deixo ninguém mais pôr as mãos..rs…é sério.
    alex ramone collector (4)

    Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    Sim. Sempre fui ligado em DVDs, Livros, revistas e tirinhas de jornais sobre a banda. Tenho uma coleção boa desses itens, importados e nacionais e dou bastante prioridade a esses itens. Hoje quero finalizar a minha coleção de fitas k7.

    Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    Nenhuma outra banda, apenas Ramones.
    alex ramone collector (5)

    Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    Difícil responder…..eu acredito que temos fases em que gostamos mais de uns do que de outros…e isso vai mudando de tempo em tempo. Eu posso dizer que vejo o Subterranean jungle de um jeito especial, quanto às músicas, deveríamos fazer um top 10, porquê para um Fan de Ramones escolher apenas uma é muito difícil, mas sendo assim fico com “In the Park“.

    Você toca algum instrumento? Quais?
    Sim, fiz parte de algumas bandas, a primeira foi de metal chamada Nimbus, na época eu era vocalista (1992) e hoje o nome Nimbus ficou para o Studio musical muito tradicional em São Paulo onde os donos eram da banda também. Aliás tenho uma história para contar muito interessante, o antigo dono desse estúdio era o Tibério Luthier (baterista de uma banda muito antiga chamada Harppia), (meu irmão trabalhou com ele), e foi ele (Tibério) quem cedeu a bateria que o Richie tocou em 1987 no PALACE com os Ramones, aquela bateria de fogo. Minha banda chegou a usá-la também, tenho fotos de quando tocamos em MG, o Tibério guarda esta Bateria até hoje como troféu, pois Lars Ulrich do Metallica também utilizou esta Bateria.
    Fiz parte de outra banda chamada VEX, essa mais Punk Rock, também fui vocalista, atualmente eu tenho um baixo e uma guitarra, comprei uma réplica da Mosrite, guitarra do Johnny, e a estou deixando igualzinha a dele, coloquei um Seymour Duncan no braço e um Dimarzio na ponte. Obs. Não sou nenhum guitar hero, mesmo porque gosto de tocar Ramones.
    alex ramone collector (2)

    Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    Quero completar os singles oficiais (USA ou UK).

    Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    Sem dúvida…a integridade e a honestidade do inicio ao fim da banda, seguir um propósito por toda vida/carreira e nunca fugir dele.
    alex ramone collector (6)

    Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    Nunca conheci nada que se compare aos Ramones. Sou muito honesto e sincero em dizer que “Na minha opinião” eles foram a melhor banda do mundo.

    Qual seu ramone preferido, por quê?
    O Dee Dee sempre foi o meu preferido……acho que a importância dele na banda era fundamental. A banda tinha muito de sua personalidade, ele era bipolar / principal compositor / inspiração de estilo para outras bandas e baixistas/ não conseguia decorar as frases do filme Rock ‘n’ Roll high Scholl, fugiu das gravações de End of the Century / Fez shows com hepatite / já morou no Chelsea Hotel / Fez o discurso mais alucinado
    do Rock N Roll Hall of Fame de todos os tempos / gostava de gatos e sempre morou com eles / fez parte de torcidas organizadas / tinha tatuagens de presidiário / fez michê/ tinha psicanalista, psicólogo, psiquiatra / seus quadros eram verdadeiras obras de arte / roubou as cervejas e pizzas na sessão de fotos do Too Tough to Die / o melhor E MAIS CONHECIDO grito 1x2x3x4 da história do rock n roll / teve bandas com G.G. Allin, Stiv Bators / transou com a Linda Stein (fortes boatos) / Danny Fields pagava um sapo para ele / enfim, ele viveu 100 anos em 50 anos de vida ……

    Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    Sim. Assisti aos shows do Olympia em SP em 92 / 94. Uma experiência única……foi simplesmente os melhores shows que eu já assisti. Na abertura com o Ratos jogaram um sapato na cara do João Gordo..rss… No outro os Inocentes abriram, e nesse a guitarra do Johnny estava com um volume ensurdecedor”….
    alex ramone collector (1)

    • crédito das fotos: acervo pessoal de Alexandre Peto.

    Colaboração de Homero Pivotto Jr.

     
  • carames 10:00 em 22/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , josimar gozo, , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Josimar Gozo, ramones collector 

    josimar gozo
    O engenheiro agrônomo Josimar Gozo hoje vive em Campo Grande mas ainda em Maringa no Paraná aprendeu a curtir os Ramones.

    Josimar é um dos principais colecionadores brasileiros que se dedica a manter o legado ramônico vivo. Sua coleção se destaca pelo detalhismo em que preserva o que se relaciona com cada disco da banda desde singles aos discos oficiais e em diferentes formatos (LP, CD, K7).

    Confira abaixo mais detalhes:

    Sequela Coletiva: Como você conheceu a banda?
    Josimar Gozo: Conheci a banda em 1991, tinha um cara na minha turma, chamado Aguinaldo (reprovadão e com o cabelo igual ao do Johnny Ramone) que me emprestou a fita cassette Loco live, gravada em uma fita vat de 60 minutos.
    Depois disso gravei o Brain Drain e o Ramones Mania, gravei em uma loja que vendia LPs e cassettes chamada o Porão, em Maringá – a melhor loja que já vi nesse ramo.

    Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    Os primeiros discos da banda em meu acervo foram o Rocket to Russia (Lp nacional de 1987), junto com o Road to Ruin (Lp nacional de 1988) e o Ramones mania (Lp nacional de 1988), consegui de uma só vez.

    josimar gozo (7)

    Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    Não sei, de verdade mesmo!

    Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    Valor financeiro…eu comprei alguns itens muito caros, como os singles japoneses e alguns da Alemanha, mas o single 7 and 7 is talvez tenha sido o mais caro, só vi duas vezes para vender.
    E o material de maior valor sentimental é um Lp americano Halfway to Sanity. Foi um dos primeiros álbuns que consegui e todo mundo para quem eu mostrava esse LP pagavam pau. Consegui esse LP em 1993, acho que valor sentimental é esse.

    josimar gozo (6)

    Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    Apenas guardo todos juntos de acordo com a cronologia, ficam juntos os LP´s do primeiro álbum, as cassettes, os singles, os cd´s e tudo relacionado ao primeiro álbum, depois na sequencia vem o Leave Home, e assim por diante até chegar no We´re outta here! Mas é claro tudo bem guardado, plastificado de um modo que eu não me encane que o item vá se estragar.

    Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    Não, depende do momento. Atualmente eu gosto de tentar conseguir fitas cassettes de áudio, revistas eu não ligo, não faço questão e bootlegs oficiais eu tenho alguns mas não ligo não, me dou por satisfeito com os bootlegs gravados em cd-r mesmo.

    josimar gozo (5)

    Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    Tenho algumas coisas do The Clash, Beatles, The Doors, Creedence, Beach boys e alguns outros cd´s e lps de bandas ou cantores solos dos anos 50 e 60.

    Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    Essa pergunta é difícil, mas posso responder assim:

    Anos 70 = Leave home = Carbona not glue
    Anos 80 = Halfway to sanity = Garden of serenity
    Anos 90 = Mondo Bizarro = Tomorrow she goes away
    Mas em especial Pleasant Dreams, eu adoro esse álbum.

    josimar gozo (4)

    Você toca algum instrumento? Quais?
    Eu tinha duas bandas de rock nas quais era vocalista. Uma era cover de Ramones chamava Raymanes e outra de canções próprias chamada Ted Gugu e os espanta neném. Sei tocar no violão ou na guitarra apenas Ramones mas não consigo tocar e cantar ao mesmo tempo, resumindo não toco nada!hehehe

    Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    Acho que o single Frances 7” I gonna kill that girl.

    josimar gozo (3)

    Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    Simplicidade e humildade, é isso que eles representam para mim.

    Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    Bom, sempre gostei muito da banda, é a minha banda preferida com certeza. Apenas fui comprando e trocando com os amigos, quando eu consegui a discografia básica em cd, comecei a fechar discografia em lp, depois passei para os singles e promo 7” e também 12”, e ai foi indo, indo, indo…

    josimar gozo (2)

    Qual seu ramone preferido, por quê?
    Joey Ramone! Gosto dos vocais dele, e tenho os mesmos gostos musicais que ele.

    Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    Infelizmente não! Apenas vi shows do Marky e CJ Ramone.

    josimar gozo (1)

    • crédito das fotos: acervo pessoal de Josimar Gozo.

    Colaboração de Homero Pivotto Jr.

     
  • carames 10:00 em 15/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , marcus pádula, , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Marcus Pádula, ramones collector 

    1624183_725224944169210_1265415968_n
    Os Ramones tem um vasto material discográfico e de memorabilia e o Brasil tem uma tradição de ter alguns dos principais colecionadores da obra ramônica.

    Um deles é Marcus Pádula, que mantém uma página no Facebook com os diversos itens de seu acervo. Além dos cerca de 500 itens, Marcus acompanha com frequência os ex-integrantes quando visitam o país – como no último Rock in Rio em que acompanhou o show de Marky Ramone do palco.

    Confira abaixo um bate papo com o Administrador de Empresas e torcedor do São Paulo FC morador da capital paulista.

    Sequela Coletiva: Como você conheceu a banda?
    Marcus Pádula: Em 2001, através de um amigo da época da escola chamado Fernando. Era o início do MP3 e programas de compartilhamento de arquivos como Napster, KazaA e Morpheus eram uma febre. Esse meu amigo levou uma lista de tudo que ele tinha em MP3 e logo me chamou a atenção o fato de praticamente metade da lista ser toda da mesma banda: os Ramones. Pedi que ele gravasse um CD deles pra mim e daí pra frente tudo mudou. Antes disso eu me sentia um alienígena no meio dos meus amigos por não gostar de Charlie Brown ou O Rappa. Agora eu finalmente tinha uma banda pra mim.

    1909262_737730289585342_207813627_o

    SC: Qual o primeiro disco da banda em seu acervo?
    MP: Foi o CD duplo Anthology. Lembro como se fosse ontem. Tinha acabado de ser lançado aqui, comprei no Submarino e custou R$ 95,00, o que na época era uma bela grana para se pagar em um CD.

    SC: Atualmente, qual tamanho do seu acervo?
    MP: Entre memorabília e gravações devo ter algo por volta de 500 peças na minha coleção.

    1782006_737730349585336_1896648736_n

    SC: Qual item mais caro da sua coleção (valor sentimental ou financeiro…)?
    MP: Pergunta difícil… Tenho coisas que não consigo nem colocar valor, por exemplo a credencial do primeiro show deles no Brasil em 1987, ainda com o Richie e o Dee Dee. Tenho também o primeiro modelo de baqueta que o Marky usou na banda no fim dos anos 70, uma palheta do CJ da época do Los Gusanos.
    Acho que o ítem de maior valor sentimental são umas fotos autografadas pelo Tommy Ramone. No fim de 2010 eu recebi a informação até então sigilosa de que os Ramones seriam premiados com o Grammy em fevereiro de 2011. Mandei um email para o Tommy o parabenizando e trocamos algumas mensagens até que ele me passou o telefone dele e me pediu para ligar pra ele. Conversamos por alguns poucos minutos e na semana seguinte ele me mandou um envelope com algumas fotos autografadas e dedicadas à mim. E ainda pagou a postagem!

    SC: Você tem alguma mania ou exigência em relação ao acervo?
    MP: Não muitas, só coleciono itens originais e em bom estado de conservação. Revistas só coleciono as que os Ramones são a capa principal da edição. E não tenho interesse em comprar itens autografados, não vejo valor em um autógrafo que foi dado à outra pessoa. Pra mim o valor está justamente na lembrança daquele momento, do cara ter dedicado alguns segundo para rabiscar algo pra você. Se não for assim, vejo apenas como um rabisco à tinta.

    10003934_737730386251999_1461376382_n

    SC: Você costuma dar ênfase para algum material em especial (singles, bootlegs, revistas…)?
    MP: Gosto muito de memorabília dos shows, como flyers, ingressos, posters e credenciais, mas costumo diversificar bastante minha coleção.

    1231353_646889908669381_2135857643_n

    SC: Que outras bandas além de Ramones fazem parte da sua coleção?
    MP: Nenhuma. Coleciono apenas Ramones. Tenho pouquíssimas coisas de outras bandas e as deixo separadas da coleção dos Ramones.

    SC: Falando especificamente de Ramones, qual seu disco preferido? E música?
    MP: Essa preferência muda de tempo em tempo, geralmente alternando entre os três primeiros discos. Considerando toda a carreira da banda, vejo algumas músicas muito ruins, mas dessa fase inicial gosto de praticamente tudo. Todas as faixas são clássicos absolutos e irretocáveis. Apontar uma única música é difícil, talvez “Today your love, tomorrow the world”.

    1743550_737730309585340_1405194051_n

    SC: Você toca algum instrumento? Quais?
    MP: Não, nenhum. Cheguei a comprar uma guitarra uns 10 anos atrás, mas desisti de aprender e dei para o meu irmão. Ele tomou gosto pela coisa e hoje toca vários instrumentos, pena que possui um gosto horrível pra música e só escuta e toca merdas do tipo Forfun e Strike.

    SC: Que item ainda falta e que você não abre mão de ter?
    MP: Quero completar os singles originais ingleses e americanos. Ingleses faltam só uns cinco, um deles o mais raro e caro: Blitzkrieg Bop. Também pretendo um dia conseguir os singles japoneses, os mais raros e caros quando falamos de Ramones.

    SC: Qual a importância do Ramones na sua vida, fora a questão musical?
    MP: Acho q não só pra mim, mas pra muita gente a identificação com os Ramones vai muito além da música. Faz parte da formação do caráter da galera. É clichê, mas a banda emana aquela velha história do “foda-se o que os outros vão pensar, vamos seguir fazendo aquilo em que acreditamos e vamos fazer do nosso jeito”. E isso é algo que você leva com você pra tudo na vida. Mesmo quando havia uma porção de outras bandas por aí fazendo fortuna adequando seu som e imagem para tornarem-se viáveis comercialmente, lá estavam os Ramones fazendo show atrás de show por todo o mundo, com suas jaquetas de couro, jeans surrados e músicas de três acordes. E assim foi por 22 anos. Eles não abriram mão da sua integridade e chegaram lá, este é o maior exemplo de todos.

    1619445_737730372918667_55686765_n

    SC: Por que a banda despertou tanto seu interesse a ponto de criar um acervo tão grande das obras do Ramones e não de outro artista?
    MP: Desde pequeno eu sempre colecionei de tudo: moedas, figurinhas, isqueiros, pôsteres de futebol. Eventualmente eu perdia ou trocava uma coleção por outra. Em 2005 eu conheci um cara chamado William “Ramone” Sá, que tinha um site chamado Ramoniacs, e no ano seguinte ele me apresentou um amigo dele chamado Reginaldo, o famoso “Regiscollector“. O cara era (e é até hoje) um dos maiores colecionadores de Ramones do mundo. Durante dois anos ele me encheu o saco para que eu começasse a colecionar material da banda também, até então eu tinha a discografia básica em CD e só. Até que em 2008 eu comecei a colecionar aos poucos, mas um ano depois me desfiz de quase tudo, para em 2010 recomeçar a coleção de novo, dessa vez focado em montar um acervo legal e quem sabe um dia poder expor isso tudo em um espaço como um “RamonesMuseum São Paulo”, como o FloHayler fez em Berlim.

    SC: Qual seu ramone preferido, por quê?
    MP: Acho que é o preferido de quase todo mundo: o Joey. O cara tinha absolutamente tudo pra ser um fracasso e se tornou um dos maiores ícones da história do Rock’n’Roll e da Cultura Pop do Século XX. É uma história inspiradora para qualquer um.

    SC: Já viu a banda ao vivo? onde? quando? o que achou?
    MP: Não, e esta é a maior frustração da minha vida. Eu tinha apenas 10 anos quando a banda se aposentou em 1996 e não tinha nem a mais vaga idéia do que eram os Ramones naquela época. Desde 2003 eu não perdi nenhum show solo de algum dos ex-membros da banda aqui em São Paulo, e eventualmente viajo para ver shows em outras cidades também. Algumas pessoas costumam criticar principalmente o Marky por tocar aqui quase todo ano. Eu acho ótimo eles estarem sempre por aqui, é o que resta para os órfãos da banda como eu. Não perco nenhum show desses e ainda pretendo visitar os túmulos do Joey, do De Dee e do Johnny.

    1235286_533968930008772_133152789_n

    • crédito das fotos: acervo pessoal de Marcus Pádula.

    Colaboração de Homero Pivotto Jr.

     
  • carames 19:38 em 12/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , Paolo Orso, , , , ramones tributo, Raw & Dirty Days!, , Speed Demon,   

    CD – Wardogs: Raw & Dirty Days! 2012 

    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days!
    Já tem 40 anos que os Ramones fizeram seu primeiro show. Se separaram em agosto de 1996 e nos anos seguintes 3 dos 4 integrantes originais morreram. Depois de tanto tempo a lista de bandas que surgiram por influência deles é enorme e a lista de discos com tributos e covers passa da casa das centenas.

    Países pouco óbvios como Brasil, Argentina, Finlândia e Japão sempre receberam a banda ou seus ex-integrantes em diversas turnês. Nestes lugares estão os fãs mais fervorosos que continuam mantendo o legado do grupo vivo.

    Outro destes lugares é a Itália onde eles tocaram pelos menos 40 vezes – e não foi em vão. Fãs como Marcos Zuanelli e Martino Simona responsáveis pelos livros Gabba Gabba Book e Ramones Sniffin Poster são um bom exemplo.

    Falando de música, numa época em que o próprio Marky Ramone já desistiu de lançar música em formato físico, a também italiana Wardogs lançou em 2012 um disco com 21 músicas dos Ramones (exceção por What a Wonderful World, tirada do primeiro álbum solo de Joey Ramone).

    Como bônus, Blitzkrieg Bop gravada no último dia de 2011, com participação do próprio Marky. Tocando com competência e personalidade, eles entregam um dos melhores discos tributo já feitos. Sim, tributo, não confunda com cover – aqui não tem vocalista forçando para parecer Joey ou coisas deste tipo.

    No vídeo abaixo dá pra ter uma boa idéia do som que a banda faz – destaque para homenagem a outra influência deles na introdução com Hith the Lights do Metallica.

    Ficha Técnica:
    Speed Demon Records – Produzido por Paolo Orso e Wardogs

    Oscar – vocal
    Sandro – guitarra
    Diego – guitarra
    Paolo – baixo
    Marco – bateria
    Danny – pinhead

    Tracklist:
    01 – rockaway beach
    02 – blitzkrieg bop
    03 – sheena is a punk rocker
    04 – havana affair
    05 – commando
    06 – main man
    07 – i believe in miracles
    08 – gimme gimme shock treatment
    09 – rock ‘n’ roll high school
    10 – i wanna be sedated
    11 – i don’t want to grow up
    12 – spiderman
    13 – cretin hop
    14 – california sun
    15 – today your love, tomorrow the world
    16 – the kkk took my baby away
    17 – what a wonderful world
    18 – i wanna live
    19 – pet sematary
    20 – we’re a happy family
    21 – blitzkrieg bop (gravada em 31/12/2011 em Treviso com Marky Ramone)
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 1
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 2
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 3
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 4
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 5Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! 6
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! promo 1Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! promo 2
    Wardogs - 2012 - Raw & Dirty Days! sticker

     
  • carames 10:00 em 08/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: ¡Adios Amigos! Cover Bass 


    Lançado em 18 de julho de 1995, ¡Adios Amigos! é o décimo quarto disco de estúdio dos Ramones e encerra de vez a carreira da banda que se dedicaria nos meses seguintes a turnê de despedida. Há algum tempo havia a especulação de que o próximo álbum de estúdio dos Ramones seria o último de sua carreira e de fato foi o que aconteceu com Joey enfrentando um câncer e Johnny aguardando ansiosamente pela aposentadoria.

    Clark Ramone que regravou no baixo todos os discos de estúdio dos Ramones incluiu nesta sessão além das canções de Adios Amigos, vários bônus. Confira abaixo:

    “Adios Amigos é um disco que sempre toquei inteiro a vida toda, fica a dica para quem quer a palhetada Ramoníaca, toquem este disco de cabo a rabo, do começo ao fim sem pular nenhum som.
    Contem extras, jingles, Mtv Movie Awards 96 e Solo do CJ do RAW.
    Projeto finalizado com Spider Man.
    Preferidas: tirando os jingles, Todas.”

    01. I Don’t Want To Grow Up http://youtu.be/Am3fXIRypKk
    02. Makin Monsters For My Friends http://youtu.be/s4X50SPZKVI
    03. It’s Not For Me To Know http://youtu.be/IgYqpQ0vogI
    04. The Crusher http://youtu.be/Jm7ACQG8kTU
    05. Life’s A Gas http://youtu.be/OdPQEYlX4K0
    06. Take The Pain Away http://youtu.be/cZ9qoKJlIG8
    07. I Love You http://youtu.be/3UzrVMmjBeQ
    08. Cretin Family http://youtu.be/zui8Qa_0RvQ
    09. Have A Nice Day http://youtu.be/xr_ZxQ2wWlw
    10. Scattergun http://youtu.be/hfBeLmcv-gU
    11. Got Alot To Say http://youtu.be/lU63u6upDOs
    12. She Talks To Rainbows http://youtu.be/04eDNujePVA
    13. Born To Die In Berlin http://youtu.be/9MVkAMv2HxE
    14. R.A.M.O.N.E.S. http://youtu.be/9rsiPzYg8sM
    15. Spider-Man http://youtu.be/R-Gx77wskI4
    16. Perfect Day (Unreleased) http://youtu.be/zEdDIN8P720
    17. Tomorrow Never Comes (Unreleased) http://youtu.be/7qQnhagSJkc
    18. Any Way You Want It http://youtu.be/0crXGL01rno
    19. High Gravity Lager (Jingle) http://youtu.be/1mOW3CiV3dk
    20. Gimmie My Steel Reserve (Jingle) http://youtu.be/u7kW9BXTO4s
    21. Fill My Cup (Jingle) http://youtu.be/l2bqBbRXVh0
    22. MTV Movie Awards 1995 Medley (Rare) http://youtu.be/CywszOe-3Fc

     
  • carames 10:00 em 01/04/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: acid eaters 1993, , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Acid Eaters Cover Bass 


    Embora fosse a décima terceira vez que a banda saía do estúdio com um álbum, era a primeira vez em que ele não continha músicas inéditas. O cansaço demonstrado nos últimos anos com lançamentos de coletâneas (Ramones Mania de 1988 e All the Stuff and More vol 1 e vol 2 de 1990), um disco ao vivo (Loco Live de 1991) e um esforço além do comum para reunir canções para um álbum de inéditas (Mondo Bizarro de 1992) resultaram desta vez em um disco inteiro de covers.

    Estes discos não eram exclusividade dos Ramones àquela altura. Skid Row (B-Side Ourselves de 1992 com uma cover de Psycho Therapy) e Guns n’ Roses (The Spaghetti Incident?, lançado com um mês de diferença para Acid Eaters) haviam gravado neste formato.

    A própria banda foi reverenciada dois anos antes no álbum tributo Gabba Gabba Hey. Esta tendência mais tarde chegaria ao Brasil com Ratos de Porão (Feijoada Acidente? – Brasil e Feijoada Acidente? – Internacional, ambos de 1995) e Titãs (As Dez Mais de 1999) fazendo homenagem a bandas de sua preferência.

    No caso dos Ramones, gravar cover de outras bandas já era tradição. Apenas quatro álbuns de estúdio quando lançados não tinham versões para músicas de outras bandas (Pleasant Dreams de 1981, Too Tough to Die de 1984, Animal Boy de 1986 e Halfway to Sanity de 1987, os três últimos com Richie na bateria) embora a versão extendida de Too Tough to Die lançada em 2002 incluísse uma cover extraída das sessões de estúdio da época (no caso, Street Fighting Man dos Rolling Stones).

    Confira abaixo além das 12 músicas incluídas no disco, Surfin’ Safari, que mais tarde seria incluída em um relançamento feito pelo selo inglês Captain Oi!. A performance é de Clark Ramone que reproduziu cada uma das sessões de estúdio da banda.

    “Esse deu trabalho, disco de covers, linhas de baixo diferentes, guitarra mais barulhenta que já ouvi, difícil ouvir o baixo, fiz o que meus ouvidos captaram, algumas músicas usei as versões originais para tentar decifrar.
    Preferidas: Todas que o CJ canta e Substitute.”

    01. Journey to the Center of the Mind http://youtu.be/AeUodcvGTK0
    02. Substitute http://youtu.be/otYg8GJJmT0
    03. Out of Time http://youtu.be/kLKTqq24jZ0
    04. The Shape of Things to Come http://youtu.be/zIRIjsRWzGs
    05. Somebody to Love http://youtu.be/3ofYpR0auJQ
    06. When I Was Young http://youtu.be/IOmfnpwV8kc
    07. 7 and 7 Is http://youtu.be/bevAnPOFCyU
    08. My Back Pages http://youtu.be/zZ0bhzSF0M0
    09. Can’t Seem to Make You Mine http://youtu.be/Pn5-VTWs9ng
    10. Have You Ever Seen the Rain? http://youtu.be/M1FV9ZJyCsc
    11. I Can’t Control Myself http://youtu.be/TdcrYThNMT8
    12. Surf City http://youtu.be/6FvmwUlUxAs
    13. Surfin’ Safari http://youtu.be/hGt7WM72iLQ

     
  • carames 10:00 em 25/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Mondo Bizarro Cover Bass 


    Primeiro registro de estúdio da banda com a participação do baixista CJ Ramone (inclusive cantando em Main Man e Strenght to Endure), Mondo Bizarro foi gravado nos estúdios Baby Monster e Magic Shop, lançado em 1º de setembro de 1992 e produzido por Gary Kurfirst e Ed Stasium (o mesmo de Leave Home, Rocket to Russia e Too Tought to Die, entre outros).

    George DuBose ficou mais uma vez encarregado pela capa, inspirado em The twelve dreams of dr sardonicus da banda Spirit.

    Enquanto muita gente usa camiseta da banda achando que se trata de uma marca, confira o trabalho árduo do Clark, fã brasileiro que regravou cada uma das músicas – destaque para Strength To Endure.

    “Outra obra prima da banda, impossível escolher as preferidas, me diverti muito na fase final da banda, pois foi quando comecei a ouvir Ramones na adolescência .
    Take it as it comes parece som dos Ramones de tão bem adaptada que ficou.
    A ótima mixagem do disco facilitou o trabalho de ouvir as linhas de baixo.
    Decidi adicionar The Ballad of Tipper Gore pois acredito que tem muitos fãs que, assim como eu, não a encontram na internet, ela é Censoshit.
    Preferidas: Todas”

    01. Censorshit http://youtu.be/V8Npv4xVMfQ
    02. The Job That Ate My Brain http://youtu.be/egiG5vU7als
    03. Poison Heart http://youtu.be/1ove4XLS4V8
    04. Anxiety http://youtu.be/lSLYg_2RW2Y
    05. Strength To Endure http://youtu.be/96Ajtuc_iaY
    06. It’s Gonna Be Alright http://youtu.be/3NYS8RCqbvc
    07. Take It As It Comes http://youtu.be/XxwxPrSleP8
    08. Main Man http://youtu.be/qfMvjz7zGK8
    09. Tomorrow She Goes Away http://youtu.be/vMbkIWakoJI
    10. I Won’t Let It Happen http://youtu.be/S8iWxquM5BQ
    11. Cabbies On Crack http://youtu.be/ZIrD8DZO9bk
    12. Heidi Is A Headcase http://youtu.be/Hb3TEa9C50Y
    13. Touring http://youtu.be/xKuHxdTxnTE
    14. The Ballad of Tipper Gore (Single) http://youtu.be/VwvCr4_Lxx4

     
  • carames 10:00 em 18/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Brain Drain Cover Bass 


    Brain Drain é de longe o melhor disco dos Ramones nos anos 1980. Com a produção de Daniel Rey (Halfway to Sanity) e Jean Beauvoir (Animal Boy) a banda criou um álbum com participação massiva de Joey e Dee Dee nas composições (como há muito não acontecia) e com o suporte do próprio produtor Daniel Rey e de músicos do calibre de Andy Shernoff (ex-Dictators) principalmente substituindo Dee Dee no baixo.

    Este disco, gravado no Sorcerer Sound Studios e lançado em 23 de Maio de 1989, marca também a volta de Marky ao estúdio. Ele havia ficado fora da banda desde o lançamento de Subterranean Jungle em 1983 e agora estava excursionando com a banda desde a saída de Richie.

    O destaque, óbvio, é Pet Sematary (feita por Dee Dee sob encomenda para a trilha sonora do filme homônimo de Stephen King) embora não seja o único ponto alto. Gravada no New York’s Quad Recordings ela foi produzida pela dupla Rey/Beauvoir e lançada com o lado B Merry Christmas (I Don’t Wanna Fight Tonight).

    Clark Ramone aprendeu uma a uma das músicas no baixo e postou recentemente vídeo das canções. Pouco após Brain Drain ser lançado CJ é quem teve que aprendê-las para substituir Dee Dee na rotina sem paradas dos Ramones em turnê.

    “Pausa nas gravações devido a uma apresentação aqui na minha cidade, voltei a gravar depois de duas semanas, não foi fácil perdi a dinâmica da palhetada.
    Esta Obra Prima contem a única musica dos Ramones com oitavada no baixo, Can’t Get You Outta My Mind, uma introdução muito estranha para os padrões da banda.
    Não sei dizer quais são minhas favoritas, mas “I Believe in Miracle” deveria ser obrigatória nas escolas heheheh.”

    01. I Believe In Miracles http://youtu.be/QoZybVyNlUg
    02. Zero Zero UFO http://youtu.be/Kra05iDtGNI
    03. Don’t Bust My Chops http://youtu.be/1uzlmYPO8Lc
    04. Punishment Fits The Crime http://youtu.be/ntJk8dgWUaQ
    05. All Screwed Up http://youtu.be/5WMyYLeyg0I
    06. Palisades Park http://youtu.be/1Fue5GUx_g4
    07. Pet Sematary http://youtu.be/tH57t5FTP1c
    08. Learn To Listen http://youtu.be/v2h05kQdaI8
    09. Can’t Get You Outta My Mind http://youtu.be/izygdreZeOQ
    10. Ignorance Is Bliss http://youtu.be/a0-1UdtUQoE
    11. Come Back, Baby http://youtu.be/q0XKaG8ISrA
    12. Merry Christmas (I Don’t Want To Fight Tonight) http://youtu.be/v3i3I3HPCEI

     
  • carames 10:00 em 11/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Halfway to Sanity Cover Bass 


    Gravado no Intergalactic Studios e lançado em 15 de Setembro de 1987, Halfway to Sanity fecha a trinca de discos hardcore capitaneados por Johnny, embora ele já tivesse desistido de seguir carreira. Na verdade, ele estava pronto para aposentadoria do que considerava um emprego desde o lançamento de End of the Century.

    Conscientes que o sucesso era um objetivo cada vez mais distante, a banda optou pelo produtor e fã da banda, Daniel Rey que não conseguiu fazer muito melhor que seus antecessores. Prova da pouca criatividade da banda é que Johnny que fazia oposição às contribuições do baterista por ele não ser um dos membros originais abriu mão deste conceito e concordou com a contribuição de Richie com duas músicas. O número de contribuições que totalizam quase metade do disco também sinalizam nesta direção.

    O ponto alto fica por conta de Bop ‘Til You Drop, I’m not Jesus e da balada sessentista Bye Bye Baby. Apesar dos problemas criativos, a banda abriria mão novamente de incluir uma versão de outra banda optando apenas por canções autorais (aliás, nenhum dos três discos em que Richie participou contem covers). A pérola do álbum é I Wanna Live, talvez a melhor música feita por eles.

    As sessões de baixo ganharam destaque recentemente refeitas por Clark Ramone.

    “Meu disco predileto, agressivo, rápido, pesado e com ótimos arranjos. Gravei numa sessão só, sei ele de cor e em cerca de 1h30 tava pronto.
    Destaque para Richie que é um metrônomo em pessoa tocando I’m Not Jesus. Facilita a vida de quem toca com ele, já não temos a mesma facilidade com Marky em musicas “1 por 1″.
    Preferidas: I Wanna Live, Garden of Serenety, Weasel Face, Real Cool Time, I Know Better Now, Death of Me. Difícil escolher hehe.”

    01. I Wanna Live http://youtu.be/3855dBW0afg
    02. Bop ‘Til You Drop http://youtu.be/ECte6ULnmuI
    03. Garden Of Serenity http://youtu.be/iCvURAkFbyY
    04. Weasel Face http://youtu.be/eYm8ORghLHo
    05. Go Lil’ Camaro Go http://youtu.be/YZbI0WB2Abg
    06. I Know Better Now http://youtu.be/pb047u1XMaQ
    07. Death Of Me http://youtu.be/bqwVVKN5_0o
    08. I Lost My Mind http://youtu.be/lh-HxPuuq5Y
    09. A Real Cool Time http://youtu.be/uYaNN9PLvXI
    10. I’m Not Jesus http://youtu.be/1B3SbYeGxG8
    11. Bye Bye Baby http://youtu.be/WVe6prBkl2w
    12. Worm Man http://youtu.be/D-upguI3r-Q
    13. Life Goes On http://youtu.be/lN3dE6PvOJk

     
  • carames 10:00 em 04/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Animal Boy Cover Bass 


    O nono álbum de estúdio dos Ramones começou a ser gravado em dezembro de 1985 no Intergalactic Studios e foi oficialmente lançado em 19 de maio de 1986. Era o segundo álbum com Richie nas baquetas e, a exemplo de Too Tough to Die, foi dominado pelas composições de Dee Dee.

    Joey novamente contribuiria com apenas duas músicas e uma parceria com Dee Dee e o produtor Jean BeauvoirBonzo Goes to Bitburg que teve seu título alterado para My Brain Is Hanging Upside Down pois Johnny queria evitar uma crítica aberta ao então presidente americano Ronald Reagan.

    A sequência inicial é harcore puro com Somebody Put Something in my Drink (escrita por Richie e uma das melhores músicas da história da banda), Animal Boy e Love Kills (que soa como se tivesse sido extraída do disco anterior e era uma homenagem de Dee Dee ao seu amigo e também baixista Sid Vicious que morrera de overdose). A idéia inicial era utilizar a música na trilha sonora do filme de mesmo nome que narrava a relação entre o ex-Sex Pistols e Nancy Spungen. Dee Dee acabou brigando com o diretor Alex Cox e a música foi deixada de lado.

    I Don’t Want To Live This Life (Anymore) também homenageava o casal mas acabou não aparecendo em Animal Boy. Acabaria incluída no labo B de Crummy Stuff no boxset End of the Decade do selo independente Beggars Banquet junto com outros singles.

    Estas e as demais músicas do disco tiveram as sessões de baixo regravadas por Clark Ramone, fã brasileiro que disco a disco recriou o trabalho de estúdio de Dee Dee e CJ Ramone.

    “Usei duas sessões de gravações apenas também. A música que mais deu trabalho foi Bonzo Goes to Bitburg pois baixo não foi gravado pelo Dee Dee e tem outra pegada. É cheio de ligações e pequenas escalas e que não se repetem. Pra variar, é muito difícil de ouvir com nitidez no disco, acredito que conseguir tocar muito perto da original.
    Preferidas: Bonzo, Animal Boy, Can’t say Anything Nice, Love Kills, Something to Believe in e Eat That Rat.”

    01. Somebody Put Something In My Drink http://youtu.be/-Q2XmXJCuIk
    02. Animal Boy http://youtu.be/fjubrYYiPNU
    03. Love Kills http://youtu.be/NJW5OVpjnKI
    04. Apeman Hope http://youtu.be/eibybZBcz04
    05. She Belongs To Me http://youtu.be/ck79_wtbXTs
    06. Crummy Stuff http://youtu.be/3wh8yp-yB9A
    07. Bonzo Goes To Bitburg http://youtu.be/4IkJOhZoj-I
    08. Mental Hell http://youtu.be/AcvNzhd6MbQ
    09. Eat That Rat http://youtu.be/4thKVXLGlxQ
    10. Freak Of Nature http://youtu.be/2C080Wib3r8
    11. Hair Of The Dog http://youtu.be/ClHEyjX1QXQ
    12. Something To Believe In http://youtu.be/iONRi71Jjxs
    13. I Don’t Want to Live This Life (Anymore) http://youtu.be/-1XilSoj1oM
    14. (You) Can’t Say Anything Nice http://youtu.be/lmjGobfxVWE
    15. Go Home Ann http://youtu.be/DKA1d3zb33w

     
  • carames 10:00 em 25/02/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , ramones tributo,   

    Mantendo o legado – Ramones: Too Tough To Die Cover Bass 

    ramones-tootoughtodie1
    O período de transição entre Subterranean Jungle e o oitavo disco de estúdio dos Ramones, Too Tough to Die foi bastante conturbado. A banda acabara de lançar uma sequência de álbuns fracos e sem identidade e para piorar, durante a pós-produção de Subterranean Jungle o guitarrista Johnny Ramone decidira demitir Marky e chamar Richie Reinhardt (Richie Ramone) para assumir as baquetas.

    Em agosto de 1983 Johnny meteu-se em uma briga e acabou no hospital com o crânio fraturado o que o deixou fora de ação por quase dois meses. Passado este período, já em 1984, a banda começou a produção de Too Tough to Die no Media Sound Studio sob a batuta de Tommy Ramone e Ed Stasium, responsáveis por Leave Home e Rocket to Russia.

    Você confere a seguir a oitava sessão de Clark Ramone e seu baixo regravando o discos de estúdio dos Ramones.

    “Me surpreendi com minha gravação deste disco, gravei muito rápido e sem erros com quase todas as musicas em seqüência, rendeu muito.
    Toquei a versão de Sha-la-la do Ramones Mania pois acho muito mais energética uma saída de solo pro refrão do que a original que saindo do solo cai no verso. Tive que gravar 2x pois a primeira eu toquei tão empolgado que ficou feio, raspadas em outras cordas e notas não nitidas devido ao trancos de palhetadas hehehe. Mesmo na que postei da pra ver um pouco disso. Acredite, na anterior tinha mais hehe.
    Este disco contem um single com uma das musicas mais rápidas de estúdio gravadas pelos Ramones, Smash You, palhetadas a mil.
    Curiosidade: para conseguir tocar palhetadas rápidas, você precisa tocar todos os dias e em sequência. E cada vez músicas mais rápidas. Tentei fazer isso com Smash You e não consegui, resolvi dormir por 30 minutos e logo que acordar já sair tocando. Não sei como, mas deu certo.
    Preferidas: Planet Earth, Humankind, Smash you, Wart Hog e Sha-la-la.”

    01. Mama’s Boy http://youtu.be/DWMkaOApFzQ
    02. I’m Not Afraid of Life http://youtu.be/GbLy4fZyauk
    03. Too Tough to Die http://youtu.be/1GnoqeLWriA
    04. Durango 95 http://youtu.be/LyKjjmam_SU
    05. Wart Hog http://youtu.be/qU8XJW9mZxw
    06. Danger Zone http://youtu.be/_fjwYRiTQh8
    07. Chasing the Night http://youtu.be/Tgw2ne4dOss
    08. Howling at the Moon (Sha-La-La) http://youtu.be/av6RzHutqAc
    09. Daytime Dilemma (Dangers of Love) http://youtu.be/R4wcvp2sSHM
    10. Planet Earth 1988 http://youtu.be/7CmUnDvPcDE
    11. Humankind http://youtu.be/nHvNNkDylZ0
    12. Endless Vacation http://youtu.be/nfITPKI3ODY
    13. No Go http://youtu.be/TYTyw2vCTuU
    14. Street Fighting Man http://youtu.be/taWTfSPtocs
    15. Smash You http://youtu.be/SfqjHo7zhQA
    16. Out of Here http://youtu.be/iOnSGG3NUpc
    17. I´m Not The Answer (Dee Dee Version) http://youtu.be/1jb1sTeDZUA
    18. Elevator Operator (Rarity) http://youtu.be/qlF1t_Fqevs

     
  • carames 10:00 em 11/02/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , ramones tributo,   

    Mantendo o legado – Ramones: Subterranean Jungle Cover Bass 


    Gravado no Kingdom Sound Studio, Subterranean Jungle é um disco de transição repleto de particularidades. Se em Pleasant Dreams nenhuma cover havia sido incluída, desta vez eles compensariam com três delas (quatro, se considerarmos Indian Giver que fez parte daquelas sessões mas ficou de fora disco). Número superado apenas por Acid Eaters (1993) sendo que destas, duas abrindo o álbum.

    A sonoridade hard rock lembra pouco os Ramones do começo e o disco acaba encerrando, de forma melancólica, a terceira fase da banda na qual eles buscavam uma identidade. Aponta para os discos que viriam a seguir, com uma pegada mais hardcore, mas reflete um pouco da crise que a banda enfrentava.

    Estas diferenças ficam evidentes nas gravações que Clark Ramone fez tocando baixo tal qual foi registrado em estúdio.

    “Este é o mais estranho pra mim, pelo fato que na minha época, era o mais difícil de conseguir aqui na minha cidade. Foi uma caça ao tesouro e quando consegui me decepcionei com a gravação, demorei a gostar, mas tem ótimas músicas. Ele tem ótimas demos.
    Preferidas: com certeza é What’d ya Do?, Outsider, Indian Giver, Everytime I Eat Vegetables It Make Me Think of You.”

    01. Little Bit O’ Soul http://youtu.be/zCjEylkdBQo
    02. I Need Your Love http://youtu.be/WPTIwca00PE
    03. Outsider http://youtu.be/5ctBedohVCQ
    04. What’d Ya Do? http://youtu.be/-hZjZH8JRWs
    05. Highest Trails Above http://youtu.be/yT9epzYM0Us
    06. Somebody Like Me http://youtu.be/2YHsJHZMYJk
    07. Psycho Therapy http://youtu.be/B1PmNNyeb14
    08. Time Has Come Today http://youtu.be/X3ABC6osKTM
    09. My-My Kind of a Girl http://youtu.be/uL0BhXe14gk
    10. In the Park http://youtu.be/cJBF9LOJjDQ
    11. Time Bomb http://youtu.be/5J05e12naMw
    12. Everytime I Eat Vegetables It Make Me Think of You http://youtu.be/ZSHPS_td3Lk
    13. Indian Giver (Original Mix) http://youtu.be/qAd3dRrZSJg
    14. New Girl in Town http://youtu.be/4_llsBf6XoI
    15. No One to Blame (Demo) http://youtu.be/BfHVbbdLEm8
    16. Roots of Hatred (Demo) http://youtu.be/aj9IihlkK04
    17. Bumming Along (Demo) http://youtu.be/E_W8PnT19Ic
    18. Unhappy Girl (Demo) http://youtu.be/svbfku0M4CQ

     
  • carames 10:00 em 04/02/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , ramones tributo   

    Mantendo o legado – Ramones: Pleasant Dreams Cover Bass 


    Se End of The Century pode ser considerado o álbum que menos tem a ver com o som dos Ramones, aqui temos o segundo colocado. Apesar de encerrar a trilogia de álbuns que tentaram o sucesso comercial (ao lado de Road to Ruin e do próprio End of the Century) este é, provavelmente, o menos apreciado da extensa discografia da banda.

    Com Johnny já pensando em aposentadoria, Dee Dee afundado nas drogas e com o álcool consumindo Joey e Marky o resultado não poderia ter sido muito diferente. Apesar do disco trazer pérolas como The KKK took my baby away (canção que Joey escreveu para Johnny que havia lhe roubado a namorada e foi descaradamente plagiada do Cheap Trick) e We Want the airwaves (patada nos DJ’s de FM que tem medo de tocar música mais pesada em sua programação) ele acaba soando deslocado.

    O que você confere a seguir é a reprodução de como cada canção de Pleasant Dreams foi executada por Dee Dee Ramone em estúdio na versão de Clark Ramone.

    “Apesar de muitos ramoníacos não gostarem deste disco, é um dos meus preferidos. Este disco tem uma peculiaridade, apesar de saber as músicas na ponta da palheta, o disco tem uma pegada diferente de Ramones (sutil). É bem anos 60, tirando as demos que eu não tinha costume de ouvir, deu um pouco de trabalho também. Uma dica pra quem for gravar The KKK, ela está afinada fora de padrão, algo entre 440 e 441, só afinando de ouvido mesmo. Prederidas: You Didn’t Mean Anything to Me, She’s a Sensation, Sitting in my Room, Come on Now, We Want the Airwaves.”

    01. We Want the Airwaves http://youtu.be/bVlOC2drjcI
    02. All’s Quiet on the Eastern Front http://youtu.be/mRC-lMbwyQM
    03. The KKK Took My Baby Away http://youtu.be/xlabaxJz9O0
    04. Don’t Go http://youtu.be/JP9vdBuomdY
    05. You Should Like You’re Sick http://youtu.be/tgAKedLLoZI
    06. It’s Not My Place (In the 9 to 5 World) http://youtu.be/NFdvQMbBMwU
    07. She’s a Sensation http://youtu.be/p91JUh3-lyQ
    08. 7-11 http://youtu.be/aY1wjE0e6OY
    09. You Didn’t Mean Anything to Me http://youtu.be/FHMkOBMyZhw
    10. Come On Now http://youtu.be/oDtyWSj8tqo
    11. This Business Is Killing Me http://youtu.be/ZfDSpivwVd8
    12. Sitting in My Room http://youtu.be/botpPCDvbUo
    13. Chop Suey (Clark Version) http://youtu.be/JPTZQaSrshk
    14. Sleeping Troubles (Demo) http://youtu.be/ZOgu_wQbxqw
    15. Kicks to Try (Demo) http://youtu.be/I8LNP4pDpuM
    16. I’m Not an Answer (Demo) http://youtu.be/TTAxY0j9xGs
    17. Stares in This Town (Demo) http://youtu.be/J7ycjNVS4fY
    18. I Wasn’t Looking For Love (Demo) http://youtu.be/yKeAFKYq-Ew

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: