Marcado como: Rock Nacional Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • paulocarames 10:00 em 19/08/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: banguela records, , , Graforréia Xilarmônica, Little Quail & The Mad Birds, , , Rock Nacional, sem dentes,   

    Vem aí um documentário sobre o selo Banguela Records 

    banguela
    Onde você estava em 1994? É essa pergunta que abre o primeiro teaser de Sem Dentes – Banguela Records e a turma de 1994, documentário dirigido pelo jornalista Ricardo Alexandre que vai contar a saga do selo independente que, no começo dos anos 90, lançou os primeiros álbuns de Raimundos, mundo livre s/a, Graforréia Xilarmônica, Little Quail & The Mad Birds, entre outros.

    No teaser de pouco mais de dois minutos, o produtor e ex-diretor do selo Carlos Eduardo Miranda – mais conhecido hoje como jurado do programa Ídolos – conta do dia em que saiu de casa usando bermuda e chinelo e sem um puto para pegar táxi para assinar o contrato dos Raimundos, no Rio de Janeiro.

    Só por esse pedacinho, já dá pra ter uma ideia das histórias hilárias & bizarras que devem vir no filme completo.

    O selo Banguela Records foi criado por Miranda e pelos Titãs no começo dos anos 90. Atrelado à major Warner, o selo fez história ao colocar na praça os discos de estreia da nova geração de rock independente que começava a surgir naquele começo de década.

    Entre os discos “essenciais” lançados pelo selo estão Raimundos dos Raimundos, Coisa de Louco II da Graforréia Xilarmônica e Samba Esquema Noise do mundo livre s/a.

    O documentário Sem Dentes ainda não tem previsão de estreia. Por enquanto, confira na sequência o primeiro teaser do filme.

    Publicado em O Inimigo.

     
  • paulocarames 10:00 em 06/06/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , Rock Nacional, , silvio gomes, thrash metal, toda a história   

    Livro – Sepultura: Toda a História 

    livro sepultura - toda a históriaSepultura: Toda a História é uma inestimável contribuição de André Barcinski e Silvio Gomes aos fãs da banda brasileira de maior sucesso fora do país.

    No começo em 1984 os irmãos Max e Igor Cavalera já tinham até nome para banda ainda como um trio, embora não tivessem instrumentos. Já como um quarteto a banda lançou seu primeiro disco, Bestial Devastation (1985). Já com Morbid Visions (1986) e Schizophrenia (1987) na bagagem foi Beneath the Remains (1989) que garantiu os primeiros shows no exterior

    Mas foi Arise (1991) e mais tarde Chaos A.D. (1993) que colocaram a banda em condições de ser uma referência no metal mundial. Enquanto Roots (1996) é um divisor de águas para o gênero mas também para própria banda com a saída de Max.

    Apenas dois pontos contam contra a obra. O primeiro é o alto preço pago por um exemplar, visto que hoje em dia tornou-se artigo de colecionador.

    O segundo, como a banda continua em atividade e já fazem 15 anos de seu lançamento, o livro acabou não sendo atualizado até agora.

    A exemplo de Do Frevo ao Manguebeat, lançado também pela mesma editora, uma reedição resolveria os dois problemas, a disponibilidade/preço e a atualização. Repleto de fotos e com um guia para a discografia da banda é um daqueles itens obrigatórios. André Barcinski e Silvio Gomes, Editora 34, 208 páginas.



     
  • paulocarames 10:00 em 23/05/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , Chakal, cogumelo, crossover, , , , , Psychic Possessor, , , , Rock Nacional, Safari Hamburguers, Sarcófago, , Vulcano   

    Livro – Cogumelo 30 anos 

    livro - cogumelo 30 anosÉ verdade que, Cogumelo 30 anos é mais um catálogo que propriamente um livro. Também é verdade que, junto com o cd que o acompanha, este é um material histórico.

    Existe algo mais insólito que fazer heavy metal num país de terceiro mundo como o Brasil? Se existe, certamente, manter um selo discográfico dedicado a tal gênero no já citado país deve fazer parte desta lista.

    A Cogumelo Records revelou para o mundo Sepultura, Sarcófago, Overdose, Chakal e Vulcano e de quebra foi responsável por dar continuidade a carreira destas e de outras tantas bandas.

    O casting além do metal tem punks como Lobotomia, Safari Hamburguers e Psychic Possessor. Ratos de Porão (na época iniciando o hoje bem sucedida jornada pelo crossover) também encontrou abrigo por aqui lançando Cada dia mais sujo e agressivo em 1987 e seu correspondente em inglês, Dirty and agressive.

    Já do Olho Seco, pioneira e lendária banda do punk paulistano temos Olho por Olho, com sonoridade distinta do resto de sua discografia e sem o frontman Fábio Sampaio.

    Quem espera um mero catálogo com capa e a ficha de cada disco vai se surpreender ao encontrar isto e ainda uma série de recortes de jornal e revista e uma resgate minucioso de cartazes e ingressos de shows formando um mosaico do que foram estes 30 anos. O caráter social, econômico e político não foi ignorado e é revisto por meio de textos e recortes.

    Eis que a loja de discos criada pelo casal João Eduardo e Pat Pereira em 1980, cinco anos mais tarde, seria responsável por produzir shows e diversas bandas que jamais teriam espaço em gravadoras mainstream.

    Com tiragem limitada a 1000 cópias e compra exclusiva pelo site do selo, traz simplesmente TODOS os lançamentos já feitos pela Cogumelo e um cd com 18 músicas que dá um gostinho do que foram estas três décadas.



     
  • paulocarames 10:48 em 06/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , brock, Discografia do Legião Urbana nas bancas, , Rock Nacional   

    Discografia da Legião Urbana nas bancas 


    Já está disponível nas bancas a discografia da Legião Urbana. A Abril Coleções preparou um pacote com 15 CDs que contempla a obra de Renato Russo e cia na íntegra e que deve ser lançada em formato de luxo.

    O colecionável totaliza 170 músicas e mais de 700 páginas de material escrito e um livro compilando trechos de entrevistas e letras de músicas, além de uma caixa para guardar a coleção.

    O lançamento chega um ano após a reedição em LP e CD da obra do grupo. Se o pacote anterior assustava pelo preço, desta vez os fãs podem obter a discografia completa investindo uma graninha por semana.

    Ficha Técnica:
    Lançamento: dia 17 de outubro de 2011
    Periodicidade: semanal até o volume 5. Do 6º em diante, serão vendidos dois volumes por semana
    Nº de volumes: 15 livros-CD
    Preço do volume 1: R$ 9,90
    Preço dos demais volumes: R$ 17,90 cada
    Canais de venda: bancas + revistarias + livrarias + supermercados

    Todos os volumes da coleção:
    1. Legião Urbana
    2. Dois
    3. Que País É Este
    4. As Quatro Estações
    5. V
    6. As Quatro Estações ao Vivo – parte 1
    7. As Quatro Estações ao Vivo – parte 2
    8. Música p/ Acampamentos – parte 1
    9. Música p/ Acampamentos – parte 2
    10. Acústico MTV
    11. O Descobrimento do Brasil
    12. Como É Que Se Diz Eu Te Amo – parte 1
    13. Como É Que Se Diz Eu Te Amo – parte 2
    14. A Tempestade ou O Livro dos Dias
    15. Uma Outra Estação

     
  • paulocarames 0:16 em 03/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , jamari frança, , , Rock Nacional, vamo batê lata   

    Livro – Os Paralamas do Sucesso: Vamo Batê Lata 

    Biografia dos Paralamas do Sucesso conduzida por Jamari França com absoluto conhecimento de causa de quem é repórter e crítico musical desde os anos 1970 e que por diversas vezes teve a oportunidade de entrevistar os integrantes da banda.

    Com acesso livre ao backstage do grupo, temos a história da banda desvendada ainda nos primeiros ensaios na casa da vovó Ondina, começo improvável nos tempos de faculdade.

    Com o passar do tempo a mistura de rock e ska foi amadurecendo, em 1985 já com dois LPs lançados, a banda tocou no Rock in Rio, pontapé inicial do rock n’ roll no país. Em 1986 eles participariam do Festival de Jazz de Montreux, mesmo ano do lançamento de Selvagem?, disco épico da banda – um dos melhores já lançados no rock nacional.

    De lá pra cá a banda tentou o sucesso no mercado latino, marcou presença fácil nas paradas de sucesso e nas trilhas de novelas. Herbert Vianna lançou três discos solo e outros tantos à frente dos Paralamas.

    Em 2001 Herbert sofreu um acidente com o ultraleve que pilotava e que acabou vitimando sua esposa, a jornalista inglesa Lucy. Após um longo processo de recuperação de seu líder, a banda retomou as atividades e continua na ativa.

    Estas e outras histórias que compõe a cronologia de um dos principais grupos do rock Brasil dos anos 1980 em um livro que contou com a colaboração de integrantes e familiares da banda, com direito a uma passagem por Santa Maria em outubro de 1994 quando Herbert apresentou a música Luis Inácio (300 picaretas) para a banda em um quarto de hotel. Editora 34, 352 páginas.

     
  • paulocarames 1:26 em 06/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , da lama ao caos, mangue beat, , , Rock Nacional   

    LP – Chico Science & Nação Zumbi: Da Lama ao Caos 1994 

    Depois do boom do rock nacional nos anos 1980, influenciado principalmente pelo new wave britânico, a década de 1990 abriu espaço para bandas como O Rappa, Chico Science & Nação Zumbi e Raimundos que em 1994 estreiavam no mercado fonográfico se valendo da mistura de ritmos regionais para compor o novo rock brazuca.
    Em seu disco de estréia, o grupo liderado por Francisco de Assis França (o messiânico Chico Science), saído dos mangues de Recife, apresentou o manguebeat e a revolução dos homens-caranguejo. Misturando ritmos nordestinos em um disco com letras quase 100% Chico Science, a banda teve dificuldades no começo.
    Gravado no estúdio Nas Nuvens com produção do também lendário Liminha, a mistura de percussão de maracatu com pesados riffs de guitarras e o groove tradicional do funk demoraram a ser assimilados pelo público que desconhecia a proposta inovadora.
    No entanto o grupo começou a ganhar espaço e a ter clipes exibidos na MTV além de exibir incendiárias apresentações ao vivo. Banditismo por uma questão de classe; Rios, pontes e overdrives; Samba Makossa; A Cidade e A Praieira são destaques neste disco indispensável.
    Chico Science morreria três anos mais tarde deixando a Nação Zumbi órfã de seu mentor mas com uma herança que sem igual.

    Tracklist:
    Lado A
    01. “(Monólogo ao Pé do Ouvido)” (vinheta) / “Banditismo por uma Questão de Classe” 5:06
    02. “Rios, Pontes & Overdrives” 4:03
    03. “A Cidade” (música incidental: “Boa Noite do Velho Faceta (Amor de Criança)”) 4:46
    04. “A Praieira” 3:36
    05. “Samba Makossa” 3:03
    Lado B
    01. “Da Lama ao Caos” 4:31
    02. “Maracatu de Tiro Certeiro” 4:11
    03. “Salustiano Song” (instrumental) 1:28
    04. “Antene-se” 3:35
    05. “Risoflora” 4:08
    06. “Lixo do Mangue” (instrumental) 1:45

     
  • paulocarames 23:42 em 21/10/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , renato russo, , Rock Nacional   

    Legião Urbana para todos 

    Chega às lojas no dia 25 deste mês, a reedição da discografia de uma das principais bandas do rock nacional. Os discos da Legião Urbana serão relançados em 3 formatos: CD digipack, box de luxo e também em LP. Na lista estão “Legião Urbana” (1985), “Dois” (1986), “Que País É Este?” (1987), “As Quatro Estações” (1988), “V” (1991), “O Descobrimento do Brasil” (1993) originalmente lançados em vinil e “A Tempestade” (1996) e “Uma Outra Estação” (1997) nascidos já na era do cd. Os álbuns gravados ao vivo –”Acústico MTV Legião Urbana” (1999), “Como É que Se Diz Eu Te Amo” (2001) e “As Quatro Estações ao Vivo” (2004)– ainda estão em estudo. O pacote inclui 80 fotos inéditas e textos com bastidores das gravações.
    Um lançamento de peso, indispensável em qualquer coleção. Separe uma grana e corra para loja.

     
  • paulocarames 16:19 em 02/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Arnaldo Antunes, , Cabeça Dinossauro, , Rock Nacional,   

    LP – Titãs: Cabeça Dinossauro 1986 

    O aniversariante Arnaldo Antunes (2 de setembro de 1960) é um dos ícones do rock brasileiro e já lançou nove discos em sua atual carreira solo, mas já foi uma das cabeças pensantes dos Titãs.
    Em 1986 eles gravaram o melhor disco da história do rock nacional. Cabeça Dinossauro foi produzido por Liminha, teve a arte da capa (LP na época) inspirada em Leonardo Da Vinci e das 13 faixas do álbum, 11 foram executadas em rádios. Quando Titãs não era sinônimo de acústico ou banda para adolescentes. O difícil é “pular” uma música ouvindo este disco:

    01.”Cabeça Dinossauro” (Arnaldo Antunes, Branco Mello, Paulo Miklos) – 2:20
    02.”AA UU” (Marcelo Fromer, Sérgio Britto) – 3:01
    03.”Igreja” (Nando Reis) – 2:48
    04.”Polícia” (Tony Bellotto) – 2:06
    05.”Estado Violência” (Charles Gavin) – 3:10
    06.”A Face do Destruidor” (Arnaldo Antunes, Paulo Miklos) – 0:34
    07.”Porrada” (Arnaldo Antunes, Sérgio Britto) – 2:51
    08.”Tô Cansado” (Arnaldo Antunes, Branco Mello) – 2:18
    09.”Bichos Escrotos” (Arnaldo Antunes, Sérgio Britto, Nando Reis) – 3:13
    10.”Família” (Arnaldo Antunes, Tony Bellotto) – 3:32
    11.”Homem Primata” (Ciro Pessoa, Marcelo Fromer, Nando Reis, Sérgio Britto) – 3:27
    12.”Dívidas” (Arnaldo Antunes, Branco Mello) – 3:08
    13.”O Quê” (Arnaldo Antunes) – 5:40

     
    • leandro 3:13 em 03/09/2010 Link Permanente | Resposta

      titãs sem arnaldo antunes não é titãs, uma banda comum talvez.

c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: