Marcado como: pearl jam Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 10:00 em 19/12/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , , os melhores discos de 2013, pearl jam, ,   

    Os melhores discos de 2013 

    É um exercício interessante chegar nesta época do ano, ouvir os discos que saíram nos últimos doze meses e pinçar seus preferidos. Sim, pois a lista de ‘melhores’ já se contradiz no título. Na verdade é uma lista daquilo que mais tocou no celular, mp3 player, toca disco, etc.

    Detalhe, se a lista não é tão ampla assim com as novidades do momento, uma coisa é certa: não rola jabá. Confira também como foi 2011 e 2012.

    01 – Black Sabbath: 13
    Black Sabbath - 2013 - 13

    02 – Bad Religion: True North
    Bad Religion - 2013 - True North

    03 – Motorhead: Aftershock
    Motorhead - Aftershock

    04 – Pearl Jam: Lightning Bolt
    Pearl Jam - 2013-10-14 Lightning Bolt

    05 – CJ Ramone: Reconquista
    cj ramone - reconquista (5)

    06 – Alice In Chains: The Devil Put Dinosaurs Here
    Alice In Chains - 2013 - The Devil Put Dinosaurs Here

    07 – Queens of The Stone Age: Like Clockwork
    Queens of The Stone Age - 2013 - Like Clockwork

    08 – Sepultura: The Mediator Between The Head And Hands Must Be The Heart
    Sepultura - 2013 - The Mediator Between The Head And Hands Must Be The Heart

    09 – CBGB Original Soundtrack
    CBGB-10-8

    10 – Humberto Gessinger: Insular
    Humberto Gessinger - 2013 - Insular

     
  • carames 12:01 em 24/07/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , pearl jam, , ,   

    Eddie Vedder: deixando bilhete aos Ramones em museu 

    vedder ramones

    Durante visita do Pearl Jam ao Ramones Museum, em Berlim, Eddie Vedder deixou a nota acima. Ela diz:

    Longa vida aos Ramones, a onda que está quebrando tudo a todo momento.
    E a meu bom amigo Johnny, sinto muito sua falta, todo dia e para sempre.
    Queria que estivesse aqui. E você está.

    Fonte: Whiplash

     
  • carames 15:08 em 11/07/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 18 de março, , , , , , , , , , pearl jam, , ,   

    Ramones no Hall da Fama do Rock n’ Roll 

    E o reconhecimento aos pais do punk finalmente veio de maneira oficial. Em 18 de março de 2002 eles foram incluídos no Hall da Fama do Rock n’ Roll em cerimônia que ocorreu no Waldorf Astoria em Nova Iorque.

    O discurso de apresentação ficou por conta de Eddie Vedder, grande amigo de Johnny Ramone. Ficaram de fora da cerimônia Joey Ramone, falecido no ano anterior, e Richie Ramone (baterista em 3 discos e 400 shows e que não foi convidado).

    Além deles, CJ Ramone participou assistindo ao evento da platéia mas teve seu nome citado por Vedder durante seu discurso – a organização do evento teria deixado o baixista de fora da homenagem. Fazendo o papel de fã, o vocalista do Pearl Jam reconheceu a relevância de CJ e a influência para os fãs de hardcore e puxou a fila nos aplausos ao músico.

    Johnny, de braços cruzados, parecia desconfortável com a situação. Ele, aliás, ao final do discurso agradeceu ao (agora ex) presidente americano George W Bush enquanto Dee Dee, caricato como sempre, agradeceu a si mesmo.

    Já o ex-baterista e produtor Tommy Ramone, hoje único membro fundador ainda vivo, destacou a importância que este tipo de reconhecimento tinha para o vocalista Joey Ramone e o quanto eles gostavam uns dos outros apesar das brigas.





     
  • carames 15:21 em 30/06/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , marilyn manson, , , pearl jam, pete yorn, , , , , , , , , , , rooney, , , we're a happy family   

    CD – VA: We’re a Happy Family 2003 


    Projeto tributo com bandas de peso rendendo tributo aos Ramones. De Red Hot Chili Peppers a Green Day, de Kiss a Metallica. O fã e amigo Stephen King ficou encarregado pelo texto do encarte onde afirma só ter aceito a tarefa por tratar-se dos Ramones e de Rob Zombie.

    Zombie aliás foi convidado por Johnny Ramone e além de co-produzir o álbum, ficou responsável pela arte da capa.

    Você pode conferir (aqui) o Metallica recebendo o retorno dos produtores escolhendo a versão de 53rd & 3rd para fazer parte da coletânea.

    Ficha Técnica:
    Columbia Records – produzido por Rob Zombie e Johnny Ramone

    Edição Original
    01 Havana Affair – Red Hot Chili Peppers
    02 Blitzkrieg Bop – Rob Zombie
    03 I Believe in Miracles – Eddie Vedder & Zeke
    04 53rd & 3rd – Metallica
    05 Beat On The Brat – U2
    06 Do You Remember Rock ‘n’ Roll On Radio – Kiss
    07 The KKK Took My Baby Away – Marilyn Manson
    08 I Just Wanna Have Something To Do – Garbage
    09 Outsider – Green Day
    10 Something to Believe In – The Pretenders
    11 Sheena Is a Punk Rocker – Rancid
    12 I Wanna Be Your Boyfriend – Pete Yorn
    13 I Wanna Be Sedated – The Offspring
    14 Here Today, Gone Tomorrow – Rooney
    15 Return of Jackie & Judy – Tom Waits
    16 Daytime Dilemma (Dangers of Love) – Eddie Vedder & Zeke
    17 Today Your Love, Tomorrow The World – John Frusciante
















     
  • carames 15:11 em 21/01/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 18 de novembro, , , , , , Ben Shepherd, , , , , , , , , jim jarmusch, , , Kevin Kerslake, , , , , , , pearl jam, , , , , , , , , , , , , , vincent gallo   

    LP/CD/VHS/DVD/Boxset – Ramones: We’re Outta Here 1997 


    Tratando-se de We’re Outta Here já vi quase tudo. Umas tantas versões do LP, umas 3 do CD e o vídeo em VHS e DVD. Ah, claro, ainda tem o box com CD e VHS numa embalagem bem interessante. Aliás, no dia 25 de novembro de 1997, pela primeira vez 6 ex-integrantes (Johnny, Joey, Dee Dee, Tommy, Marky e CJ) se reuniram em um mesmo local para sessão de autógrafos deste boxset.

    Gravado ao vivo no The Palace em Los Angeles no dia 6 de Agosto de 1996, este é o registro oficial da última apresentação dos Ramones. Após 22 anos de carreira e 2263 shows chegava a hora de pendurar as jaquetas de couro.

    Se Greatest Hits Live (lançado no ano anterior) levou cerca de 4 meses para ver a luz do dia, desta vez o produtor Gary Kurfirst levou mais de um ano entre o espetáculo propriamente dito e o produto final fazendo valer a pena apesar das ressalvas.

    A estranheza fica por conta do local escolhido que parece deslocado. Talvez por ter sido definido de última hora ou talvez por não ter ocorrido em Nova Iorque, na Argentina ou no Brasil como seria mais óbvio. Sem o tradicional fundo de palco com a águia símbolo da banda e com um salão longe de estar lotado que nada lembra os shows na América do Sul como o da Argentina em março daquele ano.

    Johnny preferia não ter mais fotos da banda na capa (ou que eles estivessem de costas como na contracapa de ¡Adios Amigos!) para não dar sinais de que o tempo havia passado.

    Desta forma, a arte do disco deixa mais uma vez a banda de fora (como acontecera em Brain Drain, ¡Adios Amigos! e Greatest Hits Live) estranhamente dando ênfase para fotos dos convidados. Pensar que Any Way You Want It é a última música que eles tocaram juntos também causa espanto. Impossível agradar a todos.

    outta here (3)

    Mas o disco cumpre seu papel encerrando as atividades da banda e com méritos, já que no máximo duas vezes na carreira os Ramones haviam dividido o palco com alguém. Desta feita sobrou espaço para meio time do Rancid e também Eddie Vedder (Pearl Jam), Lemmy kilmister (Motorhead), a dupla Chris Cornell/Ben Shepherd (Soundgarden) além do ex-baixista Dee Dee Ramone.

    Uma festa registrada também em vídeo que foi mais tarde lançada no formato de um documentário. Ficou faltando um lançamento com a íntegra, já que a performance completa foi editada com trechos do show mescladas entre depoimento de amigos, produtores e integrantes da família Ramone. Tinha ainda a participação deles nos Simpsons e trechos de shows ao longo da carreira.

    outta here (2)

    Na filmagem, destaque para os cortes rápidos com câmeras muitas vezes apontadas para o nada, para o chão ou para os pés dos músicos. Ângulos inusitados e enquadramento nada convencional além de muitas vezes os cinegrafistas operarem no estilo ‘câmera na mão’ ou como um voyeur espiando de algum ponto do palco.

    Em certo momento Chris Cornell anuncia: “é sua última chance de vê-los ao vivo”. É o registro final da maior banda de todos os tempos com convidados que lhes fizeram companhia na turnê do festival Lollapalooza e repetidamente citavam os Ramones como principal influência. Dalí por diante seriam apenas projetos solo de um ou outro integrante e as tradicionais reedições caça-níquel das gravadoras.

    Ficha Técnica:
    Radioactive Records/Eagle Vision – produzido por Gary Kurfirst, dirigido por Kevin Kerslake

    Joey Ramone – vocal
    Johnny Ramone – guitarra
    Dee Dee Ramone/CJ Ramone – baixo, backing vocal
    Tommy Ramone/Marky Ramone – bateria

    Edição Original (Radioactive Records)
    Lado A:
    01 “Durango 95”
    02 “Teenage Lobotomy”
    03 “Psycho Therapy”
    04 “Blitzkrieg Bop”
    05 “Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?”
    06 “I Believe in Miracles”
    07 “Gimme Gimme Shock Treatment”
    Lado B:
    08 “Rock ‘n’ Roll High School”
    09 “I Wanna Be Sedated”
    10 “Spider-Man”
    11 “The KKK Took My Baby Away”
    12 “I Just Wanna Have Something to Do”
    13 “Commando”
    14 “Sheena Is a Punk Rocker”
    15 “Rockaway Beach”
    Lado C:
    16 “Pet Sematary”
    17 “The Crusher”
    18 “Love Kills” (com participação de Dee Dee Ramone)
    19 “Do You Wanna Dance”
    20 “Somebody Put Something in My Drink”
    21 “I Don’t Want You”
    22 “Wart Hog”
    23 “Cretin Hop”
    24 “R.A.M.O.N.E.S.” (com participação de Lemmy Kilmister do Motörhead)
    25 “Today Your Love Tomorrow the World”
    Lado D:
    26 “Pinhead”
    27 “53rd & 3rd” (com participação de Tim Armstrong e Lars Frederiksen do Rancid)
    28 “Listen to My Heart”
    29 “We’re a Happy Family”
    30 “Chinese Rocks” (com participação de Chris Cornell e Ben Shepherd do Soundgarden)
    31 “Beat on the Brat”
    32 “Any Way You Want It” (com participação de Eddie Vedder do Pearl Jam)


    Versão em CD









    O disco fez parte ainda de uma compilação que incluía 29 músicas da versão original e a íntegra de Halfway to Sanity:
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 1
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 2
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 3
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 5Halfway to Sanity - We're Outta Here 4
    Halfway to Sanity - We're Outta Here 6

    Versão em K7
    ramones-wereouttaherek7

    Box com CD e VHS

    Versão em VHS

    Versão em DVD

    Mais sobre o disco*:

    outta here (1)





     
  • carames 0:11 em 16/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , , , , pearl jam, , , ,   

    Documentário – Pearl Jam: Twenty 2011 

    Com entrevistas de Kurt Cobain, Neil Young, Chris Cornell, e do próprio diretor Matt Cameron, Twenty conta os 20 anos de carreira de uma das mais respeitadas bandas do rock mundial.

    Formada a partir do fim de outra banda, Mother Love bone, o Pearl Jam após 6 dias de ensaios já fazia seu primeiro show. A banda foi revelada na mesma safra que Soundgarden, Alice in Chains e Nirvana – e seu primeiro disco Ten, foi lançado em 1991 ao mesmo tempo que Nevermind do Nirvana.

    Mas, ao contrário das suas contemporâneas que ou acabaram ou então enfrentaram dissoluções e retornos nos últimos anos, o Pearl Jam sobreviveu ao desafio do tempo e permanece em plena atividade com turnês, discos e agora, um documentário.

    Apesar da banda evitar lançar videoclipes ou dar entrevistas sua popularidade é invejável. Uma das marcas registradas da banda que continua levando milhares de fãs fiéis aos seus shows é o lançamento de bootlegs de seus shows que cobrem praticamente toda história da banda ao vivo.

    Cameron Crowe foi preciso e cobriu os principais acontecimentos que fizeram estes 20 anos de carreira. Do projeto tributo, Temple of the Dog, ao Acústico MTV, a turnê com Neil Young e a briga com a Ticketmaster.

    As performances ao vivo incluídas no vídeo dão idéia do impacto que tem uma apresentação da banda que recentemente passou pelo país com sua Twenty Tour.


     
  • carames 0:04 em 13/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , pearl jam, , , , zequinha   

    Pearl Jam faz show apoteótico em Porto Alegre 

    Paguei, na noite de ontem uma dívida de 6 anos que tinha comigo mesmo e com o bom senso. Em novembro de 2005 o Pearl Jam tocou no estado e simplesmente não fui ao show. Um erro consciente mas que não poderia ser cometido duas vezes.

    Minha escolha àquela altura foi lógica. Simples assim. Apesar das dezenas de shows que vi da banda em DVD e uma quantia ainda mais numerosa dos tão famosos bootlegs do grupo que ouvi (e que só atenuam a minha culpa) é lógico pensar que pagar um valor por um produto ou serviço é uma decisão que não se toma sem levar em consideração outros aspectos.

    Ingressos caros, horas de viagem, outras tantas de espera em filas mal organizadas sob sol forte ou mal tempo. Estrutura do evento carente de conforto para o público, preços abusivos de bebida e comida e para completar atrasos absurdos e um show burocrático por parte de uma banda cansada da rotina de repetir o repertório uma cidade após a outra. Esta é a prática que se aplica a festivais e grandes eventos no país e é o motivo lógico que sempre me fez evitá-los.

    Bem, continuo pensando desta maneira embora há seis anos tenha percebido que Pearl Jam é uma das únicas três bandas que seriam capazes de me fazer dar razão ao emocional, ignorando os fatores já enumerados e compensariam tamanho esforço. Sendo assim, comprei o ingresso e fui preparado para o pior.


    O resultado? Não poderia ter sido melhor. Fiquei em uma das filas protegido do sol forte sob uma sombra providencial e adentrei ao estádio do São José (o famoso Zequinha) tão logo os portões abriram e de acordo com o que havia sido prometido pela organização. Já na entrada uma boa surpresa para quem gosta de voltar pra casa com algo mais do que fotos, vídeos ou histórias para contar. Camisetas, bonés, cartazes e outros itens oficiais da banda estavam disponíveis para venda.

    O fato de toda arquibancada ser coberta, as apresentações quase pontuais e os shows que vieram a seguir não me deixam outra alternativa além de elogiar a organização do evento e concluir que valeu cada centavo. A banda Wannabe Jalva subiu ao palco às 18:45 para um set rápido enquanto o lugar ainda enchia de fãs e o sol desaparecia no horizonte.

    Praticamente uma hora mais tarde foi a vez dos veteranos do X, banda formada ainda nos anos 1970 e que, liderada pelo vocalista John Doe, levantou o público com todos os hits que os fãs da banda poderiam esperar. Johny Hit and Run Paulene passando por Nausea, Los Angeles e sua versão de Soul Kitchen dos The Doors, finalizando com Devil Dog e Eddie Vedder nos vocais.

    Com quinze minutos de atraso Eddie Vedder (vocal e guitarra), Mike McCready (guitarra), Stone Gossard (Guitarra), Jeff Ament (baixo) e Matt Cameron (bateria) subiram ao palco já com a casa cheia e fizeram vibrar cada um dos vinte mil presentes. A sequência inicial com Why Go e Do the Evolution davam mostra do que estaria por vir. Falando com frequência entre as músicas (a maioria das vezes em português) Vedder avisou que este era o último show da turnê no Brasil e assumiu seu apreço pelo público brasileiro.

    A platéia correspondeu cantando parabéns a você para esposa do vocalista. Black, Jeremy, Daughter, Even Flow e uma versão arrepiante de Crazy Mary estiveram entre as 32 músicas que o público entoou como hino.

    As homenagens continuaram com Light Years emendada em I Believe in Miracles dos Ramones, tributo ao falecido guitarrista Johnny Ramone, velho amigo de Vedder.

    Foram quase 3 horas em que o Pearl Jam apresentou um set bastante vigoroso e com set diferente dos demais shows da turnê com direito ao vocalista passeando em meio a galera e ainda convidando três adolescentes para subirem ao palco e assistirem ao show com maior conforto.


    Ainda teve Alive e Rockin in the Free World com o estádio em êxtase, incluindo Eddie Vedder que também não continha a euforia. O show terminou quando já passava da meia noite. Vedder e cia seguiram viagem com sua tour mundial que estão fazendo celebrando os 20 anos de banda e que inclui Argentina, Chile, Peru, Costa Rica e México.

    Eu, voltei pra casa, cansado mas satisfeito. Convencido que um grande show pode ser bem organizado, pontual e cuidar bem do seu público. Com uma dívida quitada e com a promessa da banda de um retorno em breve. Bem, estarei lá também.

    Main Set: Why Go, Do the Evolution, Severed Hand, Corduroy, Got Some, Low Light, Given To Fly, Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town, Evenflow, Unthought Known, Present Tense, Daughter/Crowd Improv/Blitzkrieg Bop/It’s Ok, 1/2 Full, Wishlist, Rats, State of Love and Trust, Black

    Encore 1: Just Breathe (Crowd sang Happy Birthday to Jill prior to song), Oceans, Comatose, Light Years (Dedicated to Johnny Ramone), I Believe in Miracles, The Fixer, Rearviewmirror

    Encore 2: Last Kiss, Betterman, Crazy Mary, Jeremy, Alive, Rockin’ in the Free World, Indifference, Yellow Ledbetter




     
    • Vitor 18:36 em 13/11/2011 Link Permanente | Resposta

      Cara, eu também deixei de ir no show de 2005, e na mesma situação de arrpendimento, não poderia ter deixado de ir neste. Fiquei na arquibancada coberta também. Que showzaço!! Tche, valeu muuuito!

  • carames 0:48 em 08/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , pearl jam, , ,   

    Pearl Jam em Porto Alegre 11/11/11 

    Depois de 2 shows no Morumbi em São Paulo e um no Rio de Janeiro (dia 6 na Apoteose) os americanos do Pearl Jam se apresentam em Curitiba (dia 9 no Estádio do Paraná Clube) e encerram a passagem pelo Brasil em Porto Alegre (dia 11 no Estádio Zequinha).

    A banda liderada por Eddie Vedder se apresentou no país em 2005 e recentemente lançou um documentário em comemoração aos 20 anos de carreira do grupo que surgiu no começo dos anos 1990 na cena grunge de Seattle junto com Nirvana, Soundgarden e Alice in Chains.

    A abertura fica por conta dos punks de Los Angeles X que prometem esquentar o clima para Vedder e cia. No repertório do X hits como Johny Hit and Run Paulene e Burning House of Love.





     
  • carames 15:32 em 02/11/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , pearl jam,   

    Eddie Vedder e Johnny Depp – Society 

     
  • carames 1:46 em 16/09/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , a Tribute To Johnny Ramone, , , , , , , , , , Mandy Stein, , , pearl jam, , , , , , , , , , , , , , ,   

    DVD – Too Tough To Die – A Tribute To Johnny Ramone 2006 

    Gravado no dia 12 de setembro de 2004 na celebração dos 30 anos de aniversário dos Ramones, Too Tough To Die acabou virando tributo ao guitarrista Johnny Ramone (que morreria dois dias e meio mais tarde, vítima de câncer).

    O show é apresentado por Rob Zombie (que inclusive fala pelo celular – aos gritos de HEY! HO! LET’S GO! – com Johnny que naquela altura já estava hospitalizado).

    As apresentações dividem espaço com depoimentos de Steve Jones (Sex Pistols), Henry Rollins, Red Hot Chili Peppers, Eddie Vedder (Pearl Jam), Brett Gurewitz (Bad Religion), Tim Armstrong (Rancid), Daniel Rey, Lisa Marie Presley, Seymour Stein (Sire Records), ex-membros do Ramones, como CJ, Tommy e Marky além do ex-diretor artístico da banda, Arturo Vega.

    A direção é de Mandy Stein que ainda trás matéria da MTV News sobre a morte de Johnny e mostra Eddie Vedder e o ator Nicolas Cage, ao lado da viúva Linda Cummings, homenageando o amigo morto. A versão de Today Your Love, Tomorrow The World que toca enquanto eles estão no cemitério é simplesmente de chorar.

    Too Tough To Die é também o nome do oitavo disco da banda, lançado em 1984. Na época Johnny quase morrera e para representar o espírito de luta do guitarrista e também da própria banda (na estrada há anos sem reconhecimento) o título foi mais do que apropriado.

    Ficha Técnica:
    Rhino Records – produzido por Mandy Stein

    Set list:
    “Durango 95”
    “Today Your Love, Tomorrow The World”
    “Pin Head”
    “Today Your Love, Tomorrow The World”
    “You Drive Me Ape (You Big Gorilla)”
    “Los Angeles”
    “Because I Do”
    “I Just Wanna Have Something To Do”
    “I Wanna Be Sedated”
    “She’s The One”
    “It’s A Long Way Back”
    “Durango 95”
    “Wart Hog”
    “Don’t Come Close”
    “I Wanna Be Your Boyfriend”
    “My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes to Bitburg)”
    “Cretin Hop”
    “I Believe In Miracles”
    “Sheena Is A Punk Rocker”
    “Judy Is A Punk”
    “Commando”
    “Blitzkrieg Bop”
    “Today Your Love, Tomorrow The World”
    “Something To Believe In”
    “Dirty Tears”
    “Too High”
    “Judy Is A Punk”
    “Teenage Lobotomy”


    johnnyramone-tootoughtodie3johnnyramone-tootoughtodie4
    johnnyramone-tootoughtodie5

     
  • carames 1:54 em 04/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 10 melhores roqueiros no cinema, , , , , , , , , , , , Afinado no Amor, , , Alta Fidelidade, Billy Idol, , , , Clube da Luta, Coffee and Cigarettes, , Exterminador Implacável, Fight Club, Flea, Floresta do Mal, , , High Fidelity, , , , , Little Nicky, Little Nicky - Um Diabo Diferente, , O Grande Lebowski, O Mensageiro, Os Cabeças de Vento, , pearl jam, Piratas do Caribe, Pirates of the Caribbean: At World's End, Quanto Mais Idiota Melhor, , Singles, Sobre Café e Cigarros, Tenacious D - Uma Dupla Infernal, Tenacious D in The Pick of Destiny, The Big Lebowski, The Postman, The Wedding Singer, , , Vida de Solteiro, Wanted: Dead or Alive, Wayne's World, Wrong Turn 2: Dead End, Zoolander   

    As 10 melhores performances de roqueiros no cinema 

    A Ultimate Classic Rock (sempre ela) divulgou uma lista mais do que interessante. Desta vez foram escolhidas as 10 melhores performances de roqueiros no cinema. Acrescentei ainda outras participações dignas de destaque e que não figuram ente os 10 escolhidos:

    10 Tom Petty em ‘O Mensageiro (The Postman)’ (1997)

    09 Ozzy Osbourne em ‘Little Nicky – Um Diabo Diferente (Little Nicky)’ (2000)

    08 Ronnie James Dio em ‘Tenacious D – Uma Dupla Infernal (Tenacious D in The Pick of Destiny)’ (2006)

    07 David Bowie em ‘Zoolander (Zoolander)’ (2001)

    06 Keith Richards como Capitão Teague em ‘Piratas do Caribe – No Fim do Mundo (Pirates of the Caribbean: At World’s End)’ (2007)

    05 Flea como Kieffer em ‘O Grande Lebowski (The Big Lebowski)’ (1998)

    04 Bruce Springsteen em ‘Alta Fidelidade (High Fidelity)’ (2000)

    03 Billy Idol em ‘Afinado no Amor (The Wedding Singer)’ (1998)

    02 Meat Loaf como Robert Bob Paulson em ‘Clube da Luta (Fight Club)’ 1999

    01 Alice Cooper em ‘Quanto Mais Idiota Melhor (Wayne’s World)’ (1992)

    Minhas indicações:

    Lemmy em ‘Os Cabeças de Vento (Airheads)’ (1994)

    Gene Simmons em ‘Exterminador Implacável (Wanted: Dead or Alive)’ (1987)

    Henry Rollins em ‘Floresta do Mal (Wrong Turn 2: Dead End)’ (2007)

    Iggy Pop e Tom Waits em ‘Sobre Café e Cigarros (Coffee and Cigarettes)’ (2003)

     
  • carames 11:44 em 28/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , cameron crowe, , , , pearl jam, pearl jam 20 anos, ,   

    Primeiro trailer de Twenty, documentário do Pearl Jam 

    As comemorações pelos 20 anos de banda não param. Em Janeiro o Pearl Jam lançou Live on Ten Legs, coletânea ao vivo que homenageia o primeiro álbum da carreira do grupo, Ten.

    Depois, foi anunciado um festival de dois dias, que irá acontecer no começo de setembro, incluindo Strokes, Queens of the Stone Age e Mudhoney.

    As comemorações ainda incluem os relançamentos de Vs. (1993) e Vitalogy (1994) e o lançamento de um livro sobre a história do Pearl Jam, escrito por Jonathan Cohen e Mark Wilkerson com prefácio do diretor de Twenty, documentário a ser lançado ainda este ano também comemorando o aniversário da banda.

    Twenty foi dirigido por Cameron Crowe, diretor responsável também por Quase Famosos (2000) e Vida de Solteiro (1992), filme que mostrava os dilemas da vida de um casal (Bridget Fonda e Matt Dillon) em meio a cena grunge de Seattle no começo da década de 1990 e ainda contava com a participação dos músicos do Soundgarden, Alice in Chains e do próprio Pearl Jam.

    O documentário que vai estrear no Festival de Toronto no dia 10 de setembro, será exibido nos cinemas a exemplo de Back and Forth do Foo Fighters e teve seu primeiro trailer (que inclui entrevistas de David Lynch e Chris Cornell) divulgado.

     
  • carames 3:05 em 27/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , black crowes, , , , , , burzum, , , , , , , , , , , hole, , , , , , , limp bizkit, , , , , , , , pearl jam, , , , , , , , , significado nome das bandas, , , , ,   

    Origem do nome de algumas, várias, bandas… 

    AC/DC – A irmã de Angus e Malcolm Young, Margaret, criou o nome. Aparentemente ela achou a sigla em um eletrodoméstico, e achou que casava bem com a banda, visto que tinha a ver com eletricidade (AC/DC é um indicativo de corrente contínua e alternada). Depois descobriram que era também uma gíria que designava bissexuais mas já era tarde. São infundadas as versões de que o nome seria uma sigla para Anti-Christ/Dead-Christ (anticristo, cristo morto).
    Aerosmith – O nome Aerosmith não significa absolutamente nada. Foi proposto por Joey Kramer e segundo Steven Tyler foi o único nome entre vários propostos que ninguém odiou.
    Alice In Chains – Paródia masoquista de Alice no País das Maravilhas. A idéia inicial (que nunca chegou a acontecer) era de tocarem covers de Slayer usando vestidos.
    Anthrax – É o nome de um microorganismo desenvolvido para guerra bacteriológica. Ficou famoso após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, quando a banda chegou a cogitar mudar de nome.
    Audioslave – Primeiro, a banda foi batizada Civilian. Mas acontece que já existia uma banda de nome Civilian, e foi preciso procurar outro nome. Chris Cornell (vocalista) sugeriu Audioslave e ninguém na banda ousou discordar. Só que também já existia um Audioslave. Desta vez, a banda resolveu entrar em acordo com a banda homônima para continuar sendo Audioslave. (Colaborou: Leonardo Apolinário)
    B. B. King – Abreviatura para “Blues Boy King”.
    Beastie Boys – Beastie quer dizer animalesco. Porém o nome dessa banda é na verdade um acrônimo para “Boys Entering Anarchistic States Toward Internal Excellence” (Rapazes Entrando em um Estado Anárquico Visando a Excelência Interna).
    Black Crowes – O nome original da banda era Uncle Crowe’s Garden, tirado de historia infantil.
    Black Flag – A bandeira preta é a bandeira dos piratas. É também uma marca de inseticida. Quando Adam Ant tocou na Califórnia, membros da banda distribuiram bottons com os dizeres “Black Flag kills ants!” (Black Flag mata formigas). Ainda segundo Henry Rolins, se inspiraram no nome do Black Sabbath.
    Black Sabbath – Um Sabbath Negro é uma reunião de bruxas e feiticeiras. A banda se chamava Earth e resolveu assumir o nome de uma música composta por Geezer Butler, inspirada em um suspense do novelista Denis Wheatley.
    Blur – A banda na verdade se chamava SEYMOUR porem uma das condições em seu primeiro contrato era de se mudar o nome para um contido em uma lista oferecida pela gravadora. Blur foi escolhido como a melhor opção.
    Bob Dylan – Seu nome verdadeiro é Robert Zimmerman. Achando o nome excessivamente étnico e sendo grande admirador do poeta Dylan Thomas, ele mudou para Bob Dylan.
    Burzum – Significa “Mais Trevas” na língua fictícia inventada por JRR Tolkien para seu livro “O Senhor Dos Anéis”. Essa banda de Black Metal está atualmente desativada pois seu fundador está descansando na penitenciária após ter assassinado Euronymous da banda Mayhem.
    Bush – Alusão a “Sheperd’s Bush”, bairro em Londres.
    CBGB’s – Templo Nova Yorquino para o new wave, punk e thrash. O nome completo do lugar é CBGB and OMFUG, lendo “Country, Bluegrass, Blues and Other Music For Uplifting Gormandizers”.
    Clash – Tirado de manchete do jornal “A Clash With Police”. Paul Simmon teve a idéia e todos concordaram.
    Dead Kennedys – Kennedys mortos era uma alusão aos assassinatos do presidente John Fitzgerald Kennedy e seu irmão senador Robert Fitzgerald Kennedy. Uma citação famosa de East Bay Ray (guitarrista) sobre este assunto: “Um Show dos Dead Kennedys no dia 22 de novembro, aniversário da morte de John Kennedy, não seria de mau gosto? Claro! Mas os assassinatos também não são de mau gosto?”
    Engenheiros do Hawaii – Tudo começou em 1984 na Faculdade de Arquitetura em Porto Alegre, onde o grupo estudava. Existia uma rixa entre o pessoal de arquitetura e engenharia. Os estudantes se envolviam em rixas curriculares, filosóficas, estilos de vidas, etc. Enfim, o pessoal da arquitetura inventou um apelido para acabar com os inimigos. “Todo estudante de arquitetura é meio arrogante, acha que os engenheiros estão abaixo. Tinha um pessoal na engenharia que usava aquelas roupas de surfista, e, para irritá-los, nós fazíamos questão de chamá-los de ‘engenheiros’ e, mais do que isso, ‘engenheiros do hawaii’, que é um paraíso meio kitsch”. Na época, havia uma explosão de bandas punk, todas com nomes heróicos entre elas: Cavaleiros do apocalipse, Virgens Nucleares, Titãs, etc. Disse Humberto: “Sempre me assustou essa coisa heróica da música pop, porque te leva a ser meio semideus. Engenheiros do Hawaii era um nome desmistificador, ninguém nos levaria muito a sério. É um nome que até hoje nos protege de nos encararem como sacerdotes”. (Colaborou: Leandro Silva)
    Exploited – Explorado.
    Faith No More – Fé Nunca Mais. O nome anterior era Sharp Young Men, que depois mudou para Faith No Man quando seu crooner era Mike “The Man” Morris. Quando Morris saiu em 1982, evoluíram para Faith No More.
    Foo Fighters – Gíria originada durante a Segunda Guerra Mundial significando UFO’s (OVNI’s). A palavra Foo é uma corruptela do francês “feu” significando “fogo” ou “fou”, significando “insano”. Dizem que tudo começou quando um grupo de pilotos da aeronáutica tentaram atirar em possíveis UFO’s.
    Green Day – Trata-se de uma referência a maconha. Um dia verde é um dia em que você deixa de fazer suas obrigações para ficar fumando. Também cotado como inspiração, uma placa no filme “Soilent Verde” escrito “Green Day”. A banda se chamava Sweet Children.
    Guns N’Roses – Tirado dos nomes de Tracii Guns e Axl Rose ou de suas respectivas bandas, LA Guns e Hollywood Roses.
    Heavy Metal – Termo criado pelo autor beatnick William Burroughs nos anos sessenta sem nenhuma relação a música. Steppenwolf em “Born to be Wild” é o primeiro a usá-lo, “Heavy Metal Thunder”, referindo-se ao barulho alto do motor das motorcicletas.
    Hole – Frase da mãe de Courtney, “Você não pode seguir com um buraco (hole) na cabeça só porque teve uma infância ruim”.
    Iggy Pop & The Stooges – Iggy adotou este apelido em 64/65 no High School (2º Grau) por conta de ser o baterista da banda The Iguanas. Essa banda chegou a lançar um compacto em 1965. Stooges é homenagem aos Três Patetas (The Three Stooges).
    Iron Maiden – O nome “Iron Maiden” foi tomado do filme “The Man in The Iron Mask”. A “donzela de ferro” é um instrumento de tortura composto de uma caixa repleta de lanças pontiagudas em seu revestimento interior onde o condenado era trancafiado. “Donzela de Ferro” é também um dos apelidos da ex-primeira ministra inglesa Margareth Tatcher.
    Johnny Rotten – “Joãozinho Podre” ganhou seu apelido por causa dos seus dentes poderes.
    Kiss – Significa Beijo. O nome foi escolhido por soar perigoso e sexy. O acrônimo “Knights In Satan’s Service” (“Cavaleiros a Serviço de Satã”) foi uma inteligente e lucrativa maneira para ajudar evangelistas a colocarem o medo de Deus no homem comum.
    Korn – Varias versões propagadas pela própria banda. Referente a lenda urbana sobre um homem que comeu milho estragado e teve diarréia. Corruptela para Kiddy Porn (Pornografia Infantil). Ou não quer dizer nada mas a banda gostou do nome assim mesmo.
    Led Zeppelin – O baterista do the Who, Keith Moon, achou que a banda de Jimmy Page, que ainda se chamava The New Yardbirds, era pesada como chumbo e flutuava como um Zepelim. Daí Lead Zeppelin (Zepelim de Chumbo). Um Zepelin trata-se de um balão dirigível em forma de charuto. Mais tarde o nome foi mudado para Led Zeppelin para não ter dúvidas quanto à pronúncia.
    Limp Bizkit – O nome Limp Bizkit surgiu durante uma conversa entre o vocalista Fred Durst e um amigo que diz que seu cérebro parece um “limp biscuit” (uma bolacha amolecida). Ele gostou da idéia e adotou o nome.
    MC5 – “Motor City Five” são cinco hippies de Detroit, cidade cujo o apelido é Motor City pela pesada industria automobilística existente.
    Megadeth – Depois de sair do Metallica, Dave Mustane formou sua banda e a batizou com um nome inspirado no termo militar “megadeath”. Uma megadeath é a morte de um milhão de pessoas, portanto, exemplificando, a Segunda Guerra Mundial obteve 80 megadeaths.
    Metallica – Lars Ulrich ajudava um amigo bolar o nome de um metal fanzine. Uma das sugestões foi Metallica que não foi aproveitado para a revista. Lars então pegou para ele.
    Motorhead – Cabeçote de motor. Gíria para quem está sempre tomando anfetamina e nome de uma poderosa anfetamina que o vocalista Lemmy usava quando fazia parte da banda Hawkwind. Era também o nome de uma das músicas deste seu primeiro grupo.
    Muddy Waters – Águas Lamacentas. Seu nome é McKinley Morganfield e ganhou seu apelido em uma referência as águas lamacentas do Mississippi de onde ele vem.
    Nirvana – Estado avançado de espírito na cultura hindú.
    Nofx – Forma simplória para “no effects” (“sem efeitos”). Uma banda punk honesta não quer mesmo muita parafernália tecnológica no som.
    Offspring – Tiraram o nome do filme B “The Offspring – They Were Born To Kill” (Os Decendentes – Eles Nasceram Para Matar).
    Pearl Jam – Uma das prováveis origens do nome Pearl Jam tem a ver com uma geleia (jam em inglês) feita pela avó de Eddie Veder (chamada Pearl) cuja composição incluía peyote. Outras versões informam que Pearl Jam seria gíria, significando esporra. Eles quase se chamaram de “Mookie Blaylock” em homenagem a um jogador de basquete.
    Pennywise – Nome do palhaço no livro “It” de Stephen King.
    Pink Floyd – O nome Pink Floyd é a junção dos nomes de dois antigos músicos de Blues, Pink Anderson e Floyd Council (Dipper Boy), que influenciaram Syd Barret. Syd nomeou a banda com o nome de um dos discos da dupla, The Pink Floyd Sound, mais tarde abreviado para Pink Floyd. Por pouco eles não se chamaram de “Anderson Council” ou “Megadeath”.
    Radiohead – Tirado da música “Radio Head” dos Talking Heads.
    Rage Against The Machine – A primeira banda do vocalista Zack De La Rocha se chamava Inside Out, e chegou a lançar um CD. O nome do segunto CD desta banda seria Rage Against The Machine, mas esse segundo CD nunca chegou a ser lançado. Zack então aproveitou o nome para a sua nova banda.
    Ramones – O Beatle Paul McCartney usou o pseudônimo Paul Ramone durante a primeira excursão dos Beatles à Escócia. A banda tomou emprestado dele o sobrenome.
    Rolling Stones – Pedras Rolantes. Brian Jones escolheu o nome por causa da frase “A rolling stone gathers no moss” (Pedras rolantes não criam limo) e da música Rollin’ Stone, ambas frase e canção de Muddy Waters.
    Rush – Estavam todos preocupados pois já tinham uma apresentação marcada porem ainda não tinham nome. O irmão mais velho de John Rustley deu como suggestão Rush.
    Sex Pistols – O nome da banda foi baseado no nome da loja de Malcolm McLaren (Sex). É também uma conotação para o pênis.
    Soulfly – Alma Voa. Max Cavalera homenageou seu afilhado falecido.
    Supergrass – Grass (grama) é gíria para maconha.
    Ultraje à Rigor – Durante uma festa em que se apresentavam, Roger pensou em Ultraje, mas achou punk demais para a época. Resolveu perguntar a Edgard Scandurra (então guitarrista da banda), que chegou no meio da conversa e, sem entender direito a pergunta, disse: “Que traje? O traje a rigor?”
    White Zombie – Título de filme B estrelado por Bela Lugosi.
    ZZ Top – De acordo com o livro “Z.Z Top: Bad and Worldwide”, o nome foi inspirado num poster do bluesman texano chamado Z.Z. Hill. Queriam também um nome que sugerisse o melhor (“top”).

    O post completo e o significado do nome de outras bandas você confere no blog da Putzgrila

     
  • carames 19:03 em 13/07/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , pearl jam   

    Video – Pearl Jam: Even Flow 

     
  • carames 1:34 em 22/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , david letterman, , pearl jam, , without you   

    Eddie Vedder no David Letterman 

    Eddie Vedder participou do ‘Late Show With David Letterman’ onde tocou Without you do seu recente álbum solo Ukulele Songs. Letterman fez questão de elogiar Vedder enquanto apresentava a atração dizendo “eu realmente gosto da próxima atração, numa das várias vezes em que se apresentou com sua banda ele me presenteou com uma guitarra que ocupa um lugar especial na minha casa”.

    O líder do Pearl Jam apresentou-se com uma inscrição em seu ukulele para homenagear o saxofonista Clarence Clemons, membro da E Street Band de Bruce Springsteen falecido no último dia 18.

     
  • carames 23:41 em 26/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , pearl jam, , water on the road   

    DVD – Eddie Vedder: Water on the Road 2011 

    Water on the Road é o registro de dois shows solo que Eddie Vedder fez em agosto de 2008 no Warner Theather em Washinton. O DVD acompanha o seu segundo álbum solo Ukulele Songs (com lançamento previsto para próxima semana) e que tem co-produção de Brendan Canty, baterista do Fugazi.

    Water on the Road:
    01. “The Canyon”
    02. “Sometimes”
    03. “Trouble”
    04. “Around the Bend”
    05. “Girl From the North Country”
    06. “Guaranteed”
    07. “Setting Forth”
    08. “Far Behind”
    09. “No Ceiling”
    10. “Rise”
    11. “Golden State”
    12. “Society”
    13. “Forever Young”
    14. “Ed Piano” (Instrumental)
    15. “I’m Open”
    16. “Man of the Hour”
    17. “Driftin’”
    18. “No More”
    19. “You’re True”
    20. “Ukulele Interlude” (Instrumental)
    21. “Unthought Known”
    22. “Arc”
    23. “Hard Sun”
    24. “The Canyon” (reprise)

     
  • carames 12:11 em 15/05/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , pearl jam, ,   

    CD – Eddie Vedder: Ukulele Songs 2011 

    Com lançamento oficial previsto para o final de maio, Ukulele Songs é o novo trabalho solo de Eddie Vedder e compila canções apresentadas por ele ao vivo no decorrer dos últimos 10 anos mas que nunca haviam sido gravadas. Líder do Pearl Jam, que neste ano celebra os 20 anos de carreira, Vedder lança seu segundo disco sem a banda com a qual tornou-se conhecido mundo afora.
    O pacote inclui 16 músicas e o registro em DVD (Water on the Road) com uma apresentação em Washington feita em agosto de 2008. Nela Eddie Vedder apresenta, além de algumas canções do novo álbum, músicas de seu disco anterior – a trilha sonora do filme de Sean Penn, Na Natureza Selvagem.

    Link para Streaming aqui:

    Ukulele Songs:
    01. “Can’t Keep”
    02. “Sleeping by Myself”
    03. “Without You”
    04. “More Than You Know”
    05. “Goodbye”
    06. “Broken Heart”
    07. “Satellite”
    08. “Longing to Belong”
    09. “Hey Fahkah”
    10. “You’re True”
    11. “Light Today”
    12. “Sleepless Nights” (com Glen Hansard)
    13. “Once in Awhile”
    14. “Waving Palms”
    15. “Tonight You Belong to Me” (com Cat Power)
    16. “Dream a Little Dream”

     
  • carames 11:18 em 24/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , jeff ament, , pearl jam, , , stone gossard,   

    LP – Temple of the Dog: Temple of the Dog 1991 

    O Temple of the Dog foi um projeto formado por membros do Soundgarden e alguns amigos (que mais tarde acabariam formando o Pearl Jam – incluindo Eddie Vedder, aniversariante da semana) para homenagear Andrew Wood, vocalista de outra mítica banda de Seattle, a Mother Love Bone. A banda gravou apenas este disco que trás excelentes músicas, dignas das bandas de origem de seus integrantes.

    01.Say Hello 2 Heaven
    02.Reach Down
    03.Hunger Strike
    04.Pushin Forward Back
    05.Call Me A Dog
    06.Times Of Trouble
    07.Wooden Jesus
    08.Your Savior
    09.Four Walled World
    10.All Night Thing

     
  • carames 12:20 em 14/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , pearl jam   

    Pearl Jam Festival 

    Nada de Rock in Rio, o festival para se estar em 2011 é o Pearl Jam Festival ou seja lá como será chamado. A notícia é que os veteranos do Pearl Jam planejam para o próximo ano, além do já comentado disco comemorativo, realizar um festival próprio para celebrar os 20 anos de carreira. A turnê seria em outubro e poderia incluir a América do Sul no roteiro, embora datas e locais ainda não tenham sido oficializados.

     
  • carames 2:00 em 08/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , , , , , kings of leon, , , , , pearl jam, , , , , , , , ,   

    Grammy 2011 | Indicados ao prêmio 

    Definidos os indicados à 53ª edição do Grammy que deve acontecer no dia 13 de fevereiro de 2011, em Los Angeles. O principal candidato é Eminem que concorre em 10 das 109 categorias. Alguns dos indicados:

    Melhor Performance de Rock – Vocal Solo
    Run Back To Your Side – Eric Clapton
    Crossroads – John Mayer
    Helter Skelter – Paul McCartney
    Silver Rider – Robert Plant
    Angry World – Neil Young

    Melhor Performance de Rock – Grupo ou Duo
    Ready To Start – Arcade Fire
    I Put A Spell On You – Jeff Beck and Joss Stone
    Tighten Up – The Black Keys
    Radioactive – Kings Of Leon
    Resistance – Muse

    Melhor Performance de Hard Rock
    A Looking In View – Alice In Chains
    Let Me Hear You Scream – Ozzy Osbourne
    Black Rain – Soundgarden
    Between The Lines – Stone Temple Pilots
    New Fang – Them Crooked Vultures

    Melhor Performance Metal
    El Dorado – Iron Maiden
    Let The Guilt Go – Korn
    In Your Words – Lamb Of God
    Sudden Death – Megadeth
    World Painted Blood – Slayer

    Vocal ou Instrumental incluindo Hard Rock e Metal
    Emotion and Commotion – Jeff Beck
    The Resistance – Muse
    Backspacer – Pearl Jam
    Mojo – Tom Petty And The Heartbreakers
    Le Noise – Neil Young

    Melhor Álbum de Rap
    The Adventures Of Bobby Ray – B.o.B
    Thank Me Later – Drake
    Recovery – Eminem
    The Blueprint 3 – Jay-Z
    How I Got Over – The Roots

    Melhor Vídeo
    No Distance Left To Run – Blur
    When You’re Strange – (The Doors)
    The Greatest Ears In Town: The Arif Mardin Story – (Arif Mardin)
    Rush: Beyond The Lighted Stage – Rush
    Under Great White Northern Lights – The White Stripes

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar