Marcado como: 2009 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • carames 10:00 em 04/09/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , Centopeia Humana, , The Human Centipede (First Sequence),   

    Trailer: Centopeia Humana (The Human Centipede (First Sequence)) 2009 

    Anúncios
     
  • carames 10:00 em 13/03/2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , 2009, , , , , , , ,   

    Série – The Office (2005–2013) 

    The OfficeSimplesmente uma das melhores e mais insanas séries de tv já feitas. The Office nasceu da idéia de Ricky Gervais e Stephen Merchant e teve duas temporadas pela britânica BBC antes de ganhar uma adaptação americana.

    Pois foi a segunda que, produzida por Gervais com Steve Carell no papel de destaque, ganhou evidência já na primeira temporada – com Carell ganhando o Globo de Ouro de 2006.

    Filmada com apenas uma câmera a série refletia o cotidiano do mundo corporativo a partir da filial de uma empresa de papel.

    O departamento de vendas, contabilidade, RH… todos eram acompanhados de perto e falavam diretamente para câmera simulando um semi documentário. Carell é o amalucado Michael Scott, Gerente regional da filial de Scranton da Dunder Mifflin.

    Em sua equipe, Dwight Schrute é o Assistente do gerente regional embora constantemente se autointitule Gerente Regional Assistente – reflexo de sua constante busca por ser legitimado como autoridade do escritório.

    No páreo com Dwight está Jim Halpert, outro vendedor destacado e que adora pregar peças no colega (como o clássico grampeador na gelatina). Daí por diante as cenas são no mínimo, constrangedoras.

    Foram 9 temporadas, as duas últimas sem seu principal astro. Para seu lugar e de seu personagem, foi escalado James Spader, mais um gestor inconsequente e egocêntrico.

    Neste guia do politicamente incorreto, reinava o caos em situações que parecem fazer parte do nosso dia a dia mas evoluem para um desfecho surreal. Você nunca mais verá o mundo corporativo da mesma forma.

     
  • carames 10:00 em 05/12/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , angus young, , , bon scott, brian johnson, Cliff Williams, companhia editora nacional, let there be rock, malcolm young, Phil Rudd, , Susan Masino   

    Livro – Let There Be Rock A História Da Banda Ac/Dc 

    livro - let there be rockSusan Masino em seu Let There Be Rock narra a trajetória do AC/DC desde os primórdios em Sydney na Austrália até o excelente Back in Black de 2008.

    Lá se vão 15 discos de estúdio e shows antológicos ao redor do mundo (como no estádio do River Plate em 2009) além de garantir um lugar no imaginário coletivo com o uniforme colegial e a dança do pato inspirada em Chuck Berry.

    A perda do vocalista Bon Scott em 1980 e a volta por cima com Brian Johnson e o disco Back in Black, um dos mais vendidos da história da música, são parada obrigatória.

    Hinos não faltam na carreira de Angus, Malcolm e cia: Hells Bells, Back in Black, It’s a Long Way to the Top (If You Wanna Rock ‘n’ Roll), TNT, Dirty Deeds Done Dirt Cheap, Highway to Hell, Jailbreak, You Shook Me All Night Long e Rock ‘n’ Roll Train – e por conta deles a banda garantiu seu lugar no Rock and Roll Hall of Fame em 2003.

    Susan ainda lista a discografia selecionada da banda com singles lançados nos Estados Unidos, Austrália e Reino Unido além dos discos que deste 1975 a banda produz. Companhia Editora Nacional, 254 páginas.



     
  • carames 10:00 em 02/05/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2009, , , Enrique Diaz, Felipe Camargo, filhos do carnaval, , Jece Valadão, jogo do bicho, , Rodrigo dos Santos, Thogun   

    Série – Filhos do Carnaval (2006/2009) 

    filhosdocarnavalA estreita relação dos bicheiros com o carnaval carioca é notória e de conhecimento de todos. Em Filhos do Carnaval esta relação é o pano de fundo para mostrar a vida da família Gebara.

    O patriarca, Anésio, é um barão do jogo do bicho que além da jogatina e de uma escola de samba toca também o negócio das vans de transporte ilegal. Com frequência ele antevê os acontecimentos a partir de números em seus sonhos e sua interpretação de acordo com o jogo do bicho. Seu filho mais velho, Anesinho, é o herdeiro imediato ao seu posto agora que ele começa a pensar em se afastar dos negócios.

    A morte de Anesinho no dia do aniversário do pai, desencadeia uma série de eventos e mudanças que ditarão o rumo da série. Além de Anesinho, o velho Gebara tem outro filho legítimo (Claudinho) além de dois filhos fora do casamento mas nunca reconhecidos e que agora verão seu papel na organização do pai mudar.

    Claudinho não tem a malandragem do irmão morto apesar de até então ser o responsável pela lavagem de dinheiro do jogo ilegal. Brown é o mestre de bateria e Nilo o motorista/segurança pessoal do próprio pai e o narrador desta história.

    O elenco tem Jece Valadão e Felipe Camargo além de outras participações globais e a trilha sonora mistura música eletrônica com a batida do carnaval. A direção é de Cao Hamburguer (de O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias e Xingu). Já a fotografia remete ao padrão internacional da HBO atestando o padrão de qualidade da produção.

     
  • carames 11:00 em 11/04/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , 2009, Amaury Nolasco, , Dominic Purcell, , Jodi Lyn O'Keefe, Marshall Allman, Paul Adelstein, prison break, , Robert Knepper, Rockmond Dunbar, Sarah Wayne Callies, Wade Williams, Wentworth Miller, William Fichtner   

    Série – Prison Break (2005-2009) 

    prisonbreakNa nova leva de séries em ‘tempo real’ capitaneadas por 24 Horas, a também já falecida Prison Break merece lugar de honra. Se hoje as séries respondem por um elevado padrão de qualidade, em pleno 2005 esta trama trazia um ritmo frenético até então novidade na telinha.

    Lincoln Burrows (Dominic Purcell) é preso pelo assassinato do irmão da vice-presidente dos Estados Unidos e condenado a morte. Seu irmão Michael Scofield (Wentworth Miller) não está convencido de sua culpa e irá tentar resgatar o irmão.

    Para isto ele simula um assalto e acaba preso e enviado para penitenciária de Fox River onde está seu irmão Lincoln. O plano, um tanto mirabolante, consiste em utilizar a planta da prisão tatuada em seu corpo como ponto de partida e a partir daí utilizar pessoas chave dentro da cadeia para atingir este objetivo.

    Uma conspiração envolvendo agentes do governo tentará dar cabo dos irmãos enquanto Michael vê seu plano ser constantemente redefinido. Ele é forçado a tirar um coelho da cartola a cada episódio e este é o grande atrativo da trama que mantém a tensão em altos níveis mesmo você sabendo que invariavelmente eles irão escapar, o caminho até lá não será nada fácil.

    Para temperar a estória, Michael irá se envolver com a médica da prisão, Dra. Sara Tancredi (Sarah Wayne Callies de Walking Dead) filha do diretor Henry Pope (Stacy Keach de Lights Out).

     
  • carames 11:00 em 28/03/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , the prisioner   

    Série – The Prisoner (2009) 

    the-prisoner-comic-con-sixEstrelada por sir Ian Mckellen (O Senhor dos Anéis, O Hobbit e X-Men) e Jim Caviezel (A Paixão de Cristo e Person of Interest) The Prisoner é remake da série de mesmo nome criada no final dos anos 1960. Com tons de Além da Imaginação e uma fotografia invejável, os seis episódios contam a história de um grupo de pessoas que se vê morando em uma comunidade isolada (A Vila), localizada no meio do deserto.

    Cada morador recebe um número ao invés de nome e não tem recordação de sua vida antes da chegada neste local cheio de regras e com acontecimentos um tanto inusitados.

    Vigiados constantemente como em um reality show, os moradores parecem pouco preocupados com os motivos que os levaram até lá, e menos ainda em desvendar os tantos mistérios que Six (Caviezel) passa a questionar ao longo dos 60 minutos de cada episódio.

    A assinatura é da AMC, também responsável por Rubicon, The Killing, Breaking Bad e The Walking Dead.

     
  • carames 11:00 em 21/03/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2009, , , Diane Wiest, gabriel byrne, in treatment,   

    Série – In Treatment (2008-2010) 

    in-treatment-poster-1Durante três temporadas o doutor Paul Weston (Gabriel Byrne) abriu as portas de seu consultório para os telespectadores da série In Treatment. O formato, aliás, era bastante inovador: um episódio por dia mostrando a sessão de cada paciente (de segunda a sexta-feira) de acordo com a agenda do doutor.

    Na primeira temporada, por exemplo, ele atende uma anestesista nas segundas e um piloto de caça nas terças. Na quarta-feira é dia de uma jovem ginasta e nas quintas, um casal em crise. Por fim, nas sextas é a vez de Paul ir ao divã fazer terapia com a colega Gina (Diane Wiest, vencedora do Globo de Ouro, assim como Byrne).

    Criada a partir da série israelense Betipul de 2005, In Treatment já foi adaptada em mais de 30 países e recentemente ganhou produção no Brasil do canal a cabo GNT (com o título de sessão de terapia) ao custo de R$ 130 mil por episódio. Por aqui, a direção é de Selton Mello e tem a participação da global Maria Fernanda Cândido.

     
  • carames 10:00 em 28/02/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , , , house of saddam,   

    Série – House of Saddam (2008) 

    houseofsaddamApesar de ser uma co-produção entre a britância BBC e a americana HBO, House of Saddam consegue retratar a intimidade do ditador Saddam Hussein sem puxar a brasa pra lado algum. Aliás, seria até incoerente pintar o iraquiano como mero tirano após sua acensão ter recebido apoio da coalizão anglo-americana no final dos anos 1970.

    Abastecido com armamentos pela CIA, só recentemente ele virou inimigo declarado da conveniência americana. Com o exército ianque batendo à sua porta, Saddam fica cada vez mais encurralado e paranóico temendo invasores extrangeiros e inimigos domésticos. Sua ex-esposa, seus filhos e mesmo os principais comandantes de seu exército são como ratos esperando a hora certa de pular do barco que está para afundar.

    Detalhe, a série é um drama sobre a família Hussein, portanto não espere grandes cenas de ação ou guerra a exemplo do que acontece em Generation Kill – série da HBO que estreiou no mesmo ano e também aborda o conflito no Iraque, mas do ponto de vista de um jornalista que acompanha as tropas durante a invasão.

    Após a invasão do Iraque, uma longa busca resultou em sua captura e Saddam Hussein acabou julgado e condenado a morte em 2006.

     
  • carames 10:00 em 21/02/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , , , ,   

    Série – Generation Kill (2008) 

    PJ Ransone as a MarineDas tantas séries de qualidade que a HBO tem no seu portfólio, Generation Kill se destaca não só pelo cuidado já habitual mas pelo tema pouco recorrente nas produções da emissora habituada aos dramas.

    A peça central da trama é baseada em um livro de Evan Wright onde um repórter da Rolling Stone acompanha o 1º Batalhão de Reconhecimento da Marinha dos Estados Unidos em plena ocupação do Iraque.

    Apesar de ambientado em uma guerra moderna, o realismo da série lembra muito Band of Brothers (série sobre a segunda guerra mundial), produção do mesmo canal. As cenas de ação e violência não ficam devendo em nada a série 24 horas, menos ainda a visão distorcida e preconceituosa que americanos tem de outras nações ou a hostilidade com que são recebidos nos vilarejos que precisam patrulhar.

    Pra quem esperava um passeio no deserto a realidade não poderia ser mais cruel. Longe de casa e cercado de possíveis inimigos, os soldados são obrigados a lidar com a pressão e perceber que mesmo a mais humilde dona de casa iraquina pode ser uma suicida carregando uma bomba com intuito de levar consigo o máximo possível de invasores infiéis.

    Os sete episódios da mini série são o bastante pra perceber o quão absurda e injustificada foi esta guerra e o quanto uma nação consegue achar que é a ‘polícia do mundo’ impondo sua vontade de acordo com sua conveniência.

     
  • carames 11:00 em 31/01/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , , Steven Seagal Lawman   

    Série – Steven Seagal Lawman (2009-2010) 

    steven seagalSteven Seagal fez muito sucesso no final dos anos 1980 e começo dos 1990 com filmes de ação onde quebrava tudo e todos que cruzavam seu caminho.

    Recentemente ele treinou Anderson Spider para disputas do UFC e tem lançado filmes com frequência (direto em DVD) apesar de não ter o mesmo mérito de outrora.

    Na verdade, seus últimos filmes seguem um template onde ele se relaciona com alguma comunidade estrangeira (sérvios, ciganos, japoneses…) quando acontece algum problema e ele precisa resolver no braço.

    Exceções a este modelo pasteurizado são Machete (2010) e a série Steven Seagal Lawman – esta, com formato de reality show.

    Seagal na verdade é policial honorário na pequena Jefferson, Louisiana onde vive e divulga seu projeto musical. A série acompanha suas rondas e os treinamentos de defesa pessoal que presta a sua equipe.

    Não raramente, os suspeitos abordados por sua patrulha o reconhecem e aproveitam para tietar o astro ou pedir autógrafo. Diferente do cinema, aqui você não vai vê-lo distribuindo pancada ou dando tiros a esmo.

     
  • carames 11:00 em 24/01/2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2009, , , , , The Sarah Connor Chronicles   

    Série – Terminator: The Sarah Connor Chronicles (2008-2009) 

    terminator sarah connor chroniclesO primeiro Exterminador do Futuro data de 1984 e tinha Arnold Schwarzenegger no papel de um robô que vinha do futuro com a missão de matar Sarah Connor (Linda Hamilton). Ela daria luz a John Connor que no futuro seria líder da resistência humana contra a revolução das máquinas.

    Com a ativação da Skynet em 1997 as máquinas passam a dominar o planeta e a raça humana corre risco de extinção. O ponto de partida da série é o final do segundo filme da quadrilogia.

    Terminator: The Sarah Connor Chronicles dá sequência a saga da família Connor tentando evitar a revolução das máquinas e a aniquilação humana a partir da ativação de um sistema da Cyberdyne.

    O papel de exterminador que já foi de Schwarzenegger e Robert Patrick (de Arquivo X e das cinebiografias de Johnny Cash e Elvis Presley) ficou a cargo de Garret Dillahunt (Deadwood e The 4400). Catherine Dent (The Shield) interpreta a heroína título enquanto Lena Headey (Game of Thrones) faz uma ponta como agente do FBI.

    Com o fim da série, o quarto filme da franquia encarregou-se de dar continuidade a aventura.


     
  • carames 13:01 em 11/08/2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , , , , , , , , , , , , , , , , Touchstone   

    Livro – I Slept with Joey Ramone: A Family Memoir 

    Mickey Leigh não só é o irmão mais novo de Joey Ramone como foi o primeiro roadie da banda e os acompanhou de perto, desde o surgimento até tornarem-se mundialmente reconhecidos.

    Ele também teria participado das sessões de gravação do primeiro álbum em 1976 e ajudado o irmão na composição de algumas músicas – como Censorshit de Mondo Bizarro (1992). Estes eventos, aliás, seriam causa de constantes desavenças entre os dois irmãos em virtude da frequente busca de créditos que Leigh demandava à banda.

    Se a infância em casa foi difícil a partir da separação dos pais, nas ruas a coisa não foi mais amena. Dos incidentes com bullies durante a infância até a fase pré-ramones quando Joey era conhecido como Jeff Starship e integrava a banda Sniper.

    Por pouco Joey não virou Sandy Ramone, sugestão de Tommy para nome artístico do amigo. Mas nem só de Joey Ramone vive a obra. O livro funciona como um legítimo álbum de família e por isto há muito da autobiografia de Mickey Leigh e os projetos artísticos (Stop, The Rattlers…) que permearam sua vida.

    O resgate detalhado do autor conta ainda os dolorosos momentos da doença que vitimou o irmão e o posterior reconhecimento no Hall da fama do Rock n’ roll. Também fazem parte de sua lembrança a briga de Joey/Johnny por causa de Linda Danielle (hoje viúva de Johnny) e os bastidores do show que celebrou os 50 anos de Joey.

    A idéia era, segundo Leigh, ter bandas como Rancid, Green Day e Cramps se apresentando e o ponto alto seria ter os Ramones reunidos novamente com o microfone vago. Uma luz daria destaque ao lugar que Joey ocupou por mais de duas décadas e durante a execução de I Wanna Be Sedated o público é que cantaria as músicas.

    Johnny não gostou da idéia e entre outras imposições teria exigido a presença de Rob Zombie ou Eddie Vedder, então, amigos do guitarrista. Com o impasse, a idéia não vingou.

    Lançado em 1º de dezembro de 2009 o livro conta ainda com Legs Mcneil (de Mate-me por favor) e depoimentos de diversas pessoas que, de uma maneira ou de outra, fizeram parte da história dos Ramones. Aclamado pela crítica especializada, Leigh mostra um lado pouco conhecido de seu irmão mantendo seu legado vivo. Touchstone, 416 páginas, em inglês.



     
  • carames 0:21 em 08/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 007 Cassino Royale, , , , , 2009, , , 4 Meses 3 Semanas e 2 Dias, A Banda, Batismo de Sangue, Batman - O Cavaleiro das Trevas, , Editora Contexto, , Quase Dois Irmãos, , , Se eu Fosse Você   

    Livro – Os melhores filmes novos, 290 filmes comentados e analisados 

    Boa sacada para quem gosta de unir cinema e literatura e pretende se inteirar do que tem sido produzido com qualidade nos últimos anos. Cerca de dois mil filmes lançados no mercado nacional no período de três anos entre 2005 e 2008 serviram de base para este guia.

    Dividido em aventura, brasileiros, comédia, documentário, drama, fantasia, história e infantil o autor organiza uma obra interessantíssima a partir de cinco critérios (argumento, roteiro, elenco, produção e direção) oferecendo ao leitor ficha técnica, análise e uma boa foto de cada filme.

    Luciano Ramos é graduado em Ciências Sociais pela USP, crítico de cinema no Jornal da Tarde. Editou o Guia de Filmes da Abril Cultural nos anos 1980 e 1990 e ficou na Rede Bandeirantes comandando o Departamento de Cinema, até ir em 1995 para o Ministério da Cultura, como coordenador de comunicação. Na Fundação Armando Álvares Penteado, ensina nos cursos de pós-graduação em Jornalismo Cultural e Crítica de Cinema.

    Blockbusters como 007 Cassino Royale (2006) e Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008) e filmes menos comerciais como o romeno 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias (2008) e o israelense A Banda (2007) dividem espaço com o cinema nacional. Batismo de Sangue (2007), Quase Dois Irmãos (2005) e a comédia Se eu Fosse Você (2006) são boas amostras do melhor de nossa produção na última década.

    Um índice alfabético e outro por gênero ajudam na busca. No site, conteúdo exclusivo e atualizado dão conta de outras 50 obras lançadas no mercado brasileiro após a publicação do livro. Editora Contexto, 328 páginas.

    Ficou curioso? No site, a editora desponibiliza uma prévia do primeiro capítulo.

     
  • carames 0:18 em 03/08/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , Capitalism: A Love Story, Capitalismo: Uma História de Amor, , inside job, , , , trabalho interno   

    Homem primata, capitalismo selvagem: Capitalismo / Trabalho Interno 

    Lado A – Capitalismo: Uma História de Amor (Capitalism: A Love Story) 2009

    Após abordar os atentados de 11 de setembro (Fahrenheit, 2004), o sistema público de saúde (SICKO, 2007) e as eleições presidenciais (Slacker Uprising, 2008) Michael Moore volta a carga questionando desta feita o sagrado capitalismo americano em Capitalismo: Uma História de Amor.

    Após a bolha do mercado imobiliário que gerou recessão e desemprego, Moore entrevista pessoas comuns afetadas pela crise e que perderam todas as suas economias enquanto banqueiros receberam 700 billhões de dólares do congresso e destinaram milhões em bônus para seus executivos (remunerando exatamente os principais causadores da crise).

    Com a desregulação do sistema financeiro, Wall Street criou uma bolha a partir de derivativos usados como garantia de tal maneira que o resultado que vimos em 2008 não poderia ter sido outro.

    Um mesmo imóvel era dado como garantia para diferentes empréstimos até o ponto em que era impossível que as dívidas fossem executadas gerando um calote em cascata.

    Com o senso de humor e a ironia peculiares, característicos de suas obras, Michael Moore vai até congressistas entender o motivo deles autorizarem uma ajuda bilionária para os bancos causadores de toda crise enquanto saúde e educação foram deixadas de lado pela administração Bush.

    Lado B – Trabalho Interno (Inside Job) 2010

    Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, Trabalho Interno, narrado por Matt Damon expõe de forma menos caricata mas não menos contundente os motivos que levaram à crise financeira que abalou o mundo entre 2007 e 2009.

    Derivativos, desregulação, mercado de ações, hipoteca. De cunho bem mais sério e técnico que Capitalismo de Michael Moore, Trabalho Interno investiga os motivos pelos quais uma crise anunciada foi tratada com tamanho descaso e depois remediada a custa dos contribuintes sem que ninguém fosse responsabilizado.

    O diretor Charles Ferguson retrata os lados obscuros de Wall Street que com a conivência do Secretário do Tesouro Hank Paulson (ex-CEO do Goldman Sachs, uma das principais envolvidas no escândalo dos derivativos) manteve a mesma estrutura sem que regras mais rígidas fossem implementadas para evitar novas fraudes financeiras.

     
  • carames 15:49 em 12/06/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2009, , dia dos namorados, Dia dos Namorados Macabro, filme para o dia dos namorados, my Bloody Valentine, ,   

    Filme – Dia dos Namorados Macabro (My Bloody Valentine) 1981/2009 

    Trama:
    A delegacia de uma cidade pequena passa a receber uma série de caixas de bombons com corações humanos. De volta à cidade natal após dez anos do massacre do dia dos namorados onde 22 pessoas foram assassinadas, Tom passa a ser o principal suspeito já que os assassinatos acontecem com pessoas próximas a ele.

    Principais Diferenças:
    Não existem. Quase 3 décadas após seu lançamento este clássico do slasher movie ganha uma versão atualizada e com recursos 3D. As duas versões são praticamente iguais, salvo a adição de uma eventual picareta voando pela tela na sua direção.

    Qual assistir:
    Ambos são muito próximos, como é provável que na locadora tenha apenas o filme de 2009, fique com esta opção.

     
  • carames 16:40 em 30/01/2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , john paul jones, josh homme, , , , , supergrupo,   

    CD – Them Crooked Vultures: Them Crooked Vultures 2009 

    Em 2008 o Foo Fighters fez um show memorável em Wembley que posteriormente viria a ser lançado em DVD. Dos tantos momentos excepcionais deste show o destaque, sem dúvida alguma, é quando Dave Grohl toca a música Rock n’ Roll do Led Zeppelin (com nada menos que Jimmy Page e John Paul Jones). Deste encontro e de contatos anteriores de Grohl com Josh Homme (Dave Grohl já havia gravado participações em músicas do Queens of the Stone Age, banda de Homme) nasceu o Them Crooked Vultures, projeto com o qual eles lançaram este disco em 2009 e já anunciaram um novo álbum para 2011.

    01. No One Loves Me & Neither do I
    02. Mind Eraser, no Chaser
    03. New Fang
    04. Dead End Friends
    05. Elephants
    06. Scumbag Blues
    07. Bandoliers
    08. Reptiles
    09. Interlude With Ludes
    10. Warsaw Or the First Breath You Take After You Give Up
    11. Caligulove
    12. Gunman
    13. Spinning in Daffodils

     
  • carames 11:03 em 31/12/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , , , , , , , ,   

    CD – Chickenfoot: Chickenfoot 2009 

    Supergrupo formado pelo vocalista Sammy Hagar, o baixista Michael Anthony (ambos do Van Halen), o guitarrista Joe Satriani e o baterista Chad Smith (Red Hot Chili Peppers). Apesar de Smith e Satriani continuarem com seus projetos oficiais, a reunião dos músicos já rendeu um álbum e um dvd, este gravado no Dodge Theater em Phoenix. Smith, Hagar e Anthony reuniam-se com frequência para fazer jam sessions até que convidaram Satriani e resolveram levar a brincadeira um pouco mais a sério. Um álbum razoável, com bons momentos mas, prefiro os artistas em suas bandas de origem. Em todo caso, vale a pena conferir.

    01.”Avenida Revolucion” – 5:56
    02.”Soap on a Rope” – 5:32
    03.”Sexy Little Thing” – 4:14
    04.”Oh Yeah” – 4:54
    05.”Runnin’ Out” – 3:52
    06.”Get It Up” – 4:41
    07.”Down the Drain” (Hagar, Satriani, Michael Anthony, Chad Smith) – 6:17
    08.”My Kinda Girl” – 4:32
    09.”Learning to Fall” – 5:13
    10.”Turnin’ Left” – 5:48
    11.”Future in the Past” (Hagar, Satriani, Anthony, Smith) – 6:38
    12.”Bitten By the Wolf” (Hagar, Satriani, Smith) – 4:24

     
  • carames 5:11 em 27/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, avatar, , , , Giovanni Ribisi, james cameron, , , , sam wortinghton, Sigourney Weaver, , Zoe Saldana   

    Um dia da caça, outro do caçador: Avatar / O Exterminador do Futuro 

    Lado A – Avatar (Avatar) 2009
    Enterrem meu coração na Curva do Rio (2007) conta a história de tribos nativas norte-americanas que após a conquista do oeste pelos brancos, passam a ser massacradas e vêem suas terras serem usurpadas para satisfazer o interesse dos invasores em extrair as riquezas lá disponíveis. Os indígenas passam então a lutar contra a perda de suas terras, sua cultura e dos locais sagrados de seu povo.
    Bom, esta sinopse é sobre Avatar, reverenciado filme de James Cameron. Mas poderia ser Enterrem meu coração, Pocahontas ou qualquer outro faroeste narrando o extermínio dos índios para satisfazer a ganância do povo branco. Troquem o velho oeste por Pandora, os cavalos selvagens por dragões voadores, os nativos pelos Na’avi e os invasores… bem os invasores continuam os mesmos apenas o nome do general não é Custer.
    Mas deve haver uma razão para tanto alvoroço em torno deste filme. Ora, tecnologia 3D, óbvio. Ou não é tão óbvio assim? Na década de 1970 vários filmes (normalmente a parte 3 de uma trilogia – vejam só que coisa) já era feita em 3D, coisa que Cameron alardeou como o grande projeto que levara anos a concluir em virtude de aguardar que existisse tecnologia capaz de realizar seu intento.
    Sam Worthington é um soldado que tem seu avatar enviado pelo exército conquistador para Pandora e que acaba simpatizando com a causa local e passa a combater o avanço humano. O elenco ainda conta com Sigourney Weaver, Michelle Rodriguez, Zoe Saldana e Giovanni Ribisi.
    James Cameron merece todo respeito como cineasta singular que é e pelo conjunto de sua obra (Exterminador do Futuro 2, Alien e Titanic por exemplo) mas ainda não consegui me recuperar da sensação de que desta vez comprei gato por lebre.

    Lado B – O Exterminador do Futuro: A Salvação (Terminator Salvation) 2009
    Depois do lamentável Exterminador do Futuro 3 (2003) estrelado por Arnold Schwarzenegger, em 2008 a série Terminator – The Sarah Connor Chronicles acompanhou o dia-a-dia de Sarah e seu filho. A sinopse do seriado fica para outro post, este filme começa onde termina a série que teve duas temporadas.
    Marcus (Sam Worthington) acorda em 2018 sem saber o que aconteceu desde que foi parar no corredor da morte em 2003. O desafio de John Connor (Christian Bale), líder da resistência humana, será decidir se pode ou não confiar em Marcus para combater a Skynet e tentar evitar a aniquilação humana num futuro dominado pelas máquinas.

     
  • carames 23:55 em 16/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , 2009, , colin farell, , , , , Maggie Gyllenhaal, Marisa Tomei, , ,   

    O valor da segunda chance: O Lutador / Coração Louco 

    Lado A – O Lutador (The Wrestler) 2008
    Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, O Lutador conta a história de Randy “The Ram” Robinson (Mickey Rourke, indicado ao oscar de melhor ator), um lutador que após ter tido sucesso nos anos 1980 vive fazendo pequenos serviços e lutando em centros comunitários na esperança de um último combate contra seu grande adversário dos tempos de glória.
    Um ataque cardíaco o impossibilita de voltar aos ringues o fazendo trabalhar em um restaurante onde conhece a stripper Cassidy (Marisa Tomei, indicada ao oscar de melhor atriz coadjuvante) com quem tenta manter um relacionamento. Ao mesmo tempo, tenta se reconciliar com sua filha, a qual abandonou enquanto ela era criança. O desejo de voltar aos ringues continua presente e ele terá que fazer uma escolha entre realizar seu sonho ou manter sua saúde.
    O filme marcou a volta por cima de Rourke (aniversariante de hoje) após um período de atuações irregulares e uma tentativa frustrada de tornar-se boxeador.

    Lado B – Coração Louco (Crazy Heart) 2009
    Jeff Bridges é o cara, não só pelo seu papel em O Grande Lebowski, onde seu personagem repetidamente se auto-intitulava como O CARA. Ele ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de melhor ator por sua interpretação como Bad Blake, um cantor country em decadência e com dificuldades para vencer o alcoolismo.
    Blake ganha a vida apresentando-se em boliches e pequenos clubes freqüentados por antigos fãs enquanto seu pupilo torna-se um astro deixando-o como mero coadjuvante. A jornalista Jean Kraddock aparece em sua vida como um último sopro de esperança para sair do fundo do poço.
    Inicialmente Bridges havia recusado o convite quando soube que não havia música no roteiro, desta forma, condicionou sua atuação à entrega da trilha sonora nas mãos do amigo T-Bone Burnett (especialista em música popular norte-americana, do blues rural ao country roots).
    O resultado é que a trilha sonora de Burnett é tão boa quanto seu sucesso anterior em E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? (filme de 2000 dos irmãos Coen) e a performance de Bridges é magistral. Ou como definiu o diretor Scott Cooper, “uma mistura de Kris Kristofferson, Waylon Jennings e Johnny Cash”. De quebra o filme ainda conta com Robert Duvall, Colin Farell e Maggie Gyllenhaal.
    Alguma dúvida se vale a pena assistir?

     
  • carames 0:54 em 12/09/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: 2009, , , Boots Riley, , , Street Sweeper Social Club, tom morello   

    CD – Street Sweeper Social Club: S/T 2009 

    Street Sweeper Social Club lançado ano passado é o cd homônimo deste grupo composto pelo rapper Boots Riley e pelo guitarrista Tom Morello (Rage Against the Machine, Audioslave e The Nightwatchman). Os primeiros contatos aconteceram durante a turnê de Morello de seu projeto solo The Nightwatchman em 2006 quando propôs a Riley a criação de uma banda para tocar “hinos para revolução”.
    O resultado é um disco que lembra bastante os riffs e com a mesma pegada vocal hip hop dos tempos do RATM.

    01. “Fight! Smash! Win!” 3:35
    02. “100 Little Curses” 4:03
    03. “The Oath” 4:25
    04. “The Squeeze” 3:13
    05. “Clap for the Killers” 3:57
    06. “Somewhere in the World It’s Midnight” 3:20
    07. “Shock You Again” 2:41
    08. “Good Morning, Mrs. Smith” 3:20
    09. “Megablast” 3:47
    10. ” Promenade” 2:31
    11. “Nobody Moves (Til We Say Go)” 4:13

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar
%d blogueiros gostam disto: